História O passado - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Debrah, Kentin, Leigh, Lysandre, Melody, Nathaniel, Peggy, Rosalya
Tags Amor Doce
Visualizações 38
Palavras 1.519
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpe não ter postado ontem, tive vários trabalhos para terminar e acumulou tudo, espero que estejam gostando,tenho varios capítulos incríveis planejados, ainda vem muita coisa boa pela frente, espero que gostem, Beijos ♥

Capítulo 8 - "Não sou tão frágil como imagina".


Fanfic / Fanfiction O passado - Capítulo 8 - "Não sou tão frágil como imagina".

Sinto alguem pulando em mim, levanto a cabeça e abros os olhos e vejo meu irmão ao meu lado sorrindo

 - Bom Dia dorminhoca - olho para meu irmão com sono,e deito a cabeça outra vez no travesseiro fechando meus olhos 

 - O que você quer? - digo quase dormindo novamente, meu irmão me empurra

 - vim para te acordar ja são 12:00 e você ainda dorme 

 - Idai? Hoje é sábado, dia pra dormir tarde e ninguem encher o saco 

 - nada disso, você ja dormiu muito, é melhor você acordar ou eu irei te carregar lá para baixo, alem do mais a Rosa ligou, disse que mais tarde pra você ligar para ela, coisas do trabalho em grupo que vocês precisam fazer 

 - fala serio ! Não tenho um dia de descanso nessa casa - digo com tom de choro

- haa para de drama maninha - meu irmão sai do meu quarto e penso seriamente em continuar dormindo, mas infelismete ele ja me acordou, me obrigo a levantar e ir ao banheiro, faço minha higiene e escolho um vestido cinza largo, uma meia calça, um casaco verde, calço uma bota de salto preta, coloco uma gargantilha, prendo o cabelo em um rabo de cavalo com fios soltos, passo uma maquiagem leve, desço as escadas e vejo meus irmãos conversando

- olha a hora que você acorda ja estou quase fazendo o almoço - olho para minha irmã com sono

- Bom dia pra você também

- Boa tarde você quis dizer não é?- escutamos a campainha tocar

- Oti vai la atender

- até parece, vai lá você - meu irmão me olha

- folgadinha você en - mesmo assim ele se levanta e vai atender a porta, ele volta com rosa do seu lado

- garota pedi pra você me ligar - olho para o rosa

- acabei de receber o recado, estava dormindo

- até essas horas? - rosa me olha espantada

- o que tem? hoje é sábado.

- o que tem? Bom agente precisa ir à casa do castiel pra fazer um trabalho que nem começamos a fazer - bato com a mão na testa

- esqueci do maldito trabalho, ta ta so vou escovar os dentes e ja to indo

- vou com você - subimos as escadas até meu quarto e vou ao banheiro para escovar os dentes, descemos as escadas 

- Vlad, Elisa to indo na casa do castiel fazer um trabalho 

- Juizo em Ótavia

- é meu segundo nome - todos começam a rir e vamos pra rua em direção a casa do castiel

-então - olho para rosa

- Fala rosa, o que você quer me perguntar

- Você ta afim do Lysandre? - olho para a rosa abismada

- Não ele é apenas meu amigo, por que rosa? - olho lara ela de maneira interrogativa

- nada, é que nunca vi o Lysandre chamar ninguém para ir na casa dele, talvez ele esteja afim de você - fico vermelha

- Não sei se seria uma boa idéia, eu gosto dele e temos os mesmos gostos, mas faz poco tempo que eu terminei com meu ex, e não estou preparada pra algo no momento

- entendo...

- mas não vou mentir eu pensei muito nele, se eu fosse ter algo com alguem seria com ele - rosa me olha 

- tem certeza?  - olho para ela

- sim, por que? - rosa me olha e da um sorriso

- e o castiel? - olho para ela espantada

- ta louca? Eu e aquele bruto? Jamais, como ja disse antes sou muita areia pro camimhanzinho dele - rosa me olha

- não sei não, essa briga toda vai acabar em namoro - rosa começa a rir, chrgamos a casa do castiel e tocamos a campainha, ele aparece na porta e ergue as sombrancelhas

- ah, finalmente vieram 

- culpa da Ótavia, tive qur ir na casa dela busca ela, acredita que ela tava dormindo até agora?

- não duvido nada, fica dormimdo tarde - castiel me olha rindo - rosa ergue as sombrancelhas

- como assim? - olho fuzilando castiel, ele me paga

- nada so nos encontramos no mercado ontem - rosa fica nos olhando até que alexy aparece na porta

- vocês vão ficar o dia todo ai? Precisamos terminar esse trabalho logo - olhamos para o castiel que abre mais a porta para entrarmos

- cade seus pais? - pergunto, castiel me olha

- estão viajando, eles não ficam muito em casa, por isso de eu ser emancipado - vamos até a sala onde estão o resto do pessoal comprimento todos e começamos a fazer o trabalho

- então Ótavia, você não tem medo de ficar provocando a debrah e a ambre tanto?

- medo por que?

- bom você não as conhece, mas quando elas querem elas sabem fazer da sua vida um inferno - olho para a rosa e começo a rir até chorar, todos ficam me olhando com cara de louca

- Qual a graça? - olho para todos

- inferno? Elas não podem assustar algue que ja esteve lá, umas garotinhas mimadas não podem me fazer mal, não depois de tudo - todos ficam me olhando

-tudo o que?  - olho para o castiel

- nada que te interesse, um assunto que não quero falar - todos ficam me olhando

- so sabem que não precisam se peocupar comigo, elas não me metem medo, precisa de mais que isso. - abaixo a cabeça e continuo a fazer o trabalho, mudamos de assunto, as horas passam rapido e finalmente terminamos tudo, arrumamos nossas coisas para ir, chego em casa morrendo de fome, não comi nada desde que acordei, não vejo meus irmãos em casa, pego dinheiro e vou pra uma lanchonete aqui perto,  entro e compro três salgados, tamanha era minha fome, camimho até o parque la perto e como vendo crianças bricarem e donos com cachorros, apos comer meu salgados me levanto e jogo o lixo na lixeira, quando estava indo em direção ao banco sinto algo pular em mim e me derrubar no chão

- Dragon vem aqui garoto ! - olho para o monstro que me derrubou e é um cachorro enorme, mais muito fofo, começo a rir e a fazer carinho no cachorro

- Me desculpe ! Não sei o que deu nele, ele sempre me obedece - quando plho para cima vejo castiel me olhando

- Você?  - ele me diz ao me ver

- você devia tomar mais cuidado com seu cachorro, ele pode maxucar alguem - castiel me olha

- ele nunca me desobedeceu, não sei o que aconteceu - olho para o cachorro ele continua me lambendo e balançando o rabo

- axo que ele gostou de mim - digo rindo e fazendo carinho, castiel fica me olhando

- então qual o nome dele?

- Dragon 

- Dragon, combina com ele, prazer Dragon, sabia que gosto mais de você do que do seu dono? - castiel começa a rir 

- nunca ouvi isso na minha vida - olho pra ele

- talves você precise de que te digam umas verdades ou nunca conheceram o seu cachorro - castiel fecha a cara

- so não retruco pois eu prefiro o Dragon do que várias pessoas - ficamos nos olhando.

- sempre quis ter um cachorro, nunca estamos sozinhos sem eles - casriel confirma com a cabeça

- faz muito tempo que você tem ele?

- desde meus 8 anos de idade, minha mãe não acreditava que eu poderia cuidar de um cachorro mas comprou mesmo assim? E o tenho até hoje - castiel afaga o Dragon, que balança o rabo para o castiel, ficamos fazendo carinho nele

- estramho Dragon não gosta de muitas pessoas, so o pessoal da banda e o Lysandre, mas é de muita convivencia, tenho que adimitir nunca vi ele derrubar alguém loho de cara por gostar - afago o Dragon

- diferente do dono ele tem bom gosto - castiel começa a rir

- deve ter te confudido com um osso - castiel começa a rir ainda mais, eu fecho a cara e  decido que e melhor eu  levantar e sinto uma dor forte nos joelhos, olho para baixo e vejo que estão ralados e sangrando

- talves ele não goste tanto assim de mim - ao dizer isso Dragon pula e mim e começa a me lamber, castiel afasta Dragon de mim se aproxima preocupado

- sinto muito, parece grave quer ir ao hospital? - fico abismada, castiel pedindo desculpas e se preocupando, não é o mesmo castiel que estou acostumada

- não se preocupe, foi apenas um ralado nada demais - tento me levantar novamente mas castiel me impede

- não posso deixar voce ir assim para casa, ainda maia por monha culpa - diz me olhando com preocupação

- você consegue andar? - olho para o castiel, cade aquele ogro que me chamou de osso até agora a pouco

-claro que sim, não sou tão insefesa, igual a sua ex - castiel me encara e sorri

- nunca pensei que fosse, mas isso está feio, e se precionar pode piorar, quer que eu ligue para sua mãe? 

- ela não mora comigo, eu moro com meus irmãos

- quer que ligue para eles virem te buscar, eles moram aqui perto mesmo

- eles não estão em casa - castiel me olha 

- então tudo bem, não me resta opção vou te carregar.





Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...