História O Passado De Debrah - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Iris, Kentin, Kim, Leigh, Letícia, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Viktor Chavalier, Violette
Tags Debrah
Exibições 31
Palavras 2.253
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hey, demorei muito dessa vez, tive alguns problemas pessoais. Mas o importante é que eu estou postando <3
Mais uma coisa, vou chamar meus leitores de gracinhas, simplesmente porque eu chamo todo mundo assim haha
Boa leitura 💜

Capítulo 17 - Um Pouco Mais Sobre Ela


Fanfic / Fanfiction O Passado De Debrah - Capítulo 17 - Um Pouco Mais Sobre Ela

Debrah On.

-Debby!- James me abraçou de forma repentina- Não esperava que estivesse tão diferente.

-Já fazem dois anos pai...

-Tem razão, a senhorita já está até casada!- Comentou em seu típico tom animado.

-O que ?!-Encarei-o de modo confuso

.
             -Morando junto, é assim que vocês jovens chamam hoje em dia, não ?

-Debrah, você prefere ir de moto ou...-Castiel desce as escadas parando de falar ao ver a imagem do homem em frente a porta.

-E você deve ser o sortudo. Castiel, certo ?-Papai agora já estava dentro do apartamento, segurando a mão de Castiel.

-Castiel, esse é James, o meu pai...-Sorri para o moreno que até então, esta muito perdido em meia a situação.

-É um prazer conhecê-lo, Sr. Blanchard.

-Me chame de James, o prazer é todo meu, rapaz-Finalizou papai.

Olhei para o relógio, faltavam apenas 20 minutos para a reunião. Combinei com o meu pai de nos encontrarmos depois das 7:00h da noite.

Fomos para a reunião, Castiel se manteve agitado a viagem toda, sua empolgação era quase contagiante.
Chegamos em frete ao edifício Le Roux, Nathaniel e Íris já estavam a nossa espera, Lysandre chegou alguns minutos depois de nós. Entramos no prédio indo diretamente para o oitavo andar.

-Devem ser os Nuit Anges, certo ?- Perguntou a mulher de cabelos castanhos escuros na altura dos ombros, seus olhos verdes concentravam-se em nós.

-Sim- Afirmou Lysandre.

-O Sr. Bonnet está a sua espera- Respondeu nos conduzindo até uma pequena sala- Boa sorte- Murmurou sorrindo minimamente.

Entramos na sala, que por sinal era enorme, Leroy estava sentado com uma poltrona de couro bege, o nos ver entrar o mesmo largou o whisky que estava em suas mãos ficando de pé para nos receber.

-Sr. Bonnet, sou Íris Carpentier...- Ele a parou com um simples gesto.

-Apenas Leroy-Corrigiu a ruiva- Sentem-se- Pediu.

-Bom, Íris e eu conversamos com o senhor ontem no Montanier. Disse que tem interesse em ser nosso produtor- Lysandre iniciou a conversa.

-Sim, sim. A banda de vocês tem algo especial, um brilho a mais. O visual dark, com as letras que escondem um significado nelas. Tenho certeza que seria um ótimo investimento- Explicou Leroy.

-Entendo, mas como isso funcionaria ?- Nathaniel finalmente se pronuncia.

- Bom, eu agendaria os shows, organizaria os ensaios,  supervisionaria todo o processo criativo de vocês. Até que eu pudesse torná-los estrelas- Sorriu minimamente enquanto gesticulava.

-Poderíamos pensar sobre isso ?- Castiel surge em meio a situação.

-Claro...- Leroy se levanta, saindo da sala nos deixando sozinhos para discutir sobre o assunto.

-E então, o que acham ?-Nath questiona com receio.

-É uma boa proposta- Castiel comenta.

-Não sei, algo nesse cara não me agrada- Lysandre balançava a cabeça negativamente.

-Pare de besteira, é uma ótima oportunidade- Contrariei o platinado.

-Debrah tem razão. Quando teremos outra oportunidade como essa ?-Castiel parecia eufórico.

-Então todos concordam ?- Íris questiona olhando seriamente para cada um de nós. O grupo todo concordou com a ideia.

-E então, o que me dizem ?- Leroy adentra a sala.

-Negócio fechado- Tomei a frente da situação apertando levemente sua mão.

[●●●]

-Tem certeza que não quer que eu vá ?-Castiel surge na porta do banheiro, o moreno estava usando uma calça jeans escura, seu abdômen estava coberto apenas pela toalha que ele havia colocado em volta do pescoço após o banho.

-Tenho- Afirmei pela terceira vez, caminhando até o moreno e roubando-lhe um beijo.

-Sei lá, achei que seria legal conhecer o sogrão- Brincou me conduzindo até a cama.

-Gatinho...- Gemi ao sentir seus lábios contra o meu pescoço. Empurrei-o pelos ombros afastando- o de mim- Talvez mais tarde...

[●●●]

Adentrei o Rosie's ouvindo o som fino e estridente do sino acima da porta.

Meus olhos percorreram rapidamente o local, localizando o homem sentado em uma das últimas mesas do café. Seus pés batiam incansavelmente nos pés da cadeira, conferiu o relógio cerca de 6 vezes em apenas 20 segundos. O vi ajeitar seus cabelos castanhos com alguns fios grisalhos através do reflexo da janela.

- Pai...- Falei chamado sua atenção.

- Ah, oi querida!- Abriu um grande sorriso.

Me sentei junto ao mais velho, dispensamos a garçonete afinal não estávamos ali para comer alguma coisa.

- E então, como tem passado ?- Perguntou animado se ajeitando em sua cadeira.

- Bem, eu apenas tenho me concentrado na escola e agora faço parte de uma banda...

- Uma banda ?! Essa é minha garota! Não sabia que tinha voltado a cantar- Respondeu animadamente.

-É, faz pouco tempo, Castiel tem me ajudado com isso- Finalizei enquanto batia insistentemente minha as unhas contra a mesa de madeira.

-Mas me diga uma coisa. Sua mãe disse que você fugiu de casa, que história é essa ?-Sua expressão risonha foi automaticamente se transformando em uma expressão séria.

Revirei os olhos respirando fundo. Eu não consegui acreditar que ela havia feito isso, eu já havia aceito o fato de ela não acreditar em mim, mas colocar o meu pai contra mim já era demais.

- Eu só não estava confortável com tantos conflitos em casa. Mamãe as vezes exagera, você sabe disso...- Respondi abaixando o olhar.

- Sim eu sei, conheço sua mãe como ninguém. Mas Debby, que tipo de “conflitos” seriam esses ?- Questionou em um tom preocupado.

- Os filhos de Joshua vieram nos visitar, digamos que a nossa convivência não foi das mais agradáveis- Respondi engolindo seco e colocando uma mecha de meu cabelo atrás da orelha. Para mim era difícil falar sobre isso.

- Sua mãe ainda está com esse cara ? Inacreditável...- Balançou a cabeça negativamente- Mas e Castiel, ele te trata bem ? Porque se não tratar eu vou socar a cara dele.

- Pai!- Repreendi seu comentário- Castiel é um ótimo namorado.

- Melhor do que Rick ?- Falou arqueando a sobrancelha.

- Sim.

- Uau. Isso é bom, nunca gostei daquele garoto- Protestou me fazendo rir.

Conversamos por mais uma hora, depois fomos tomar sorvete para que papai pudesse me deixar em casa. A noite foi legal, havia tempos que não fazíamos isso.

Cheguei em casa vendo Castiel jogado no sofá ao lado de Lorena, sorri com a cena desligando a TV fazendo com que todos fossem para a cama.

[●●●]

Castiel On.

Algumas semanas se passaram, trazendo com elas o frio do outono. Paris era realmente muito bonita nessa época do ano, a cidade se tornava uma explosão de cores, principalmente em tons avermelhados.

Leroy tem acompanhado nossos ensaios, e marcado alguns shows para nós. Debrah tem estado mais feliz e isso me deixava contente.

-Senhor Collins, pode por favor prestar atenção em minha aula ?- A professora Anne se coloca a frente de minha mesa, fazendo com que a sala toda me encarasse. Os cabelos loiros com mechas rosas e o sorriso sarcástico davam um ar jovial a mulher, que não deveria ter mais do que 25 anos.

-Desculpe...- Respondi inclinando a cadeira para trás, vendo-a voltar para a frente da classe.

Fingi me importar com a aula por mais alguns minutos até ouvir o sinal tocar, indicando a chegada do primeiro intervalo. Saí da sala em direção ao porão, tínhamos um show essa noite, precisávamos muito ensaiar.

-Não acho que isso seja verdade...- Leroy comenta em um tom zombeteiro. Eu estava pronto para entrar na pequena sala e ver com quem ele estava falando, porém congelei ao ouvir outra voz.

-É sério, as vezes acho que ele não quer estar comigo- Era Debrah. Senti um arrepio percorrer toda a minha espinha ao ouvir suas palavras.

-Castiel parece gostar muito de você, Debrah- Respondeu em um tom preguiçoso. Me perguntei o que caralhos eles estavam fazendo sozinhos ali- E tenho certeza que você sente o mesmo por ele.

-É...- Finalizou, havia um toque de incerteza em sua entonação.

- Debrah...- Chamei-a, adentrando totalmente o local.

Leroy estava deitado no sofá mexendo em seu celular, e Debrah estava sentada no chão encostada na parede ao lado de uma tomada, onde estava carregando o seu notebook.

-Ah, oi gatinho- Sorriu minimamente.
Esperamos o resto do grupo chegar, o ensaio durou pouco, já que Leroy preferiu focar toda a atenção em si mesmo. Ele parecia muito próximo de Debrah, e isso me deixava incomodado, afinal ela era a minha garota.

O resto do dia se arrastou, tudo o que eu mais queria era chegar em casa e me jogar no sofá.

-O que foi, gatinho  ?- Debrah soava manhosa enquanto se deitava ao meu lado na cama.

-Não é nada...- Respondi abraçando-a e fazendo uma leve carícia em seus cabelos.

-Então por que está tão distante ?

-Debrah...- Respirei fundo antes de finalizar aquela frase, certamente não seria uma conversa fácil de se ter com ela- Por que está tão próxima de Leroy ?

-Nós trabalhamos juntos, Castiel- Sua voz soava trêmula e cortante- Não me diga que está com ciúmes ?- Gargalhou, parando de rir ao ver que eu a encarava sério.

-Talvez...- Ri enquanto encarava seus lábios.

- Você sabe que não tem motivos pra sentir ciúmes – A morena posicionou sua mão em meu rosto, desenhando em minha bochecha com a ponta dos dedos.

-Quer ensaiar mais uma vez ?- Indaguei-a.

- Depois...- Falou virando-se para o outro lado- Estou com sono- Finalizou fechando os olhos.

Abracei-a por trás, me perdendo no doce cheiro de seus cabelos. Após alguns devaneios aleatórios acabei pegando no sono.

Debrah On.

Era manhã, o Sol entrava pelas frestas da cortina rosa pendurada na janela do quarto. Me levantei soltando um grito fino ao sentir meus pés tocarem em algo quente e peludo. Lion o filhote de chow-chow que há pouco tempo, meu pai trouxera para casa.

Sorri ao analisar melhor o ambiente, eu estava em Grenoble, mais especificamente em minha antiga casa.

Ao sair do quarto vi meus pais rindo e conversando de maneira alegre, formavam um excelente casal, tinham o tipo de relacionamento que um dia eu gostaria de ter.

- Bom dia, princesa- Papai acariciou minha cabeça, bagunçando ainda mais meu cabelos castanhos- Por que não se arruma para que possamos tomar café no Jardin d’olivers ?

-Eba!- Comemorei, era uma das minhas lanchonetes favoritas.

Fomos para o  Jardin d’olivers, meus pais pareciam estranhos e um pouco distantes.

-Pode escolher a mesa, querida- Papai sorria, mas o olhar triste não o deixava mentir.

Corri por entre as mesas do lugar, algumas vazias e outras lotadas, parei em frente a ultima mesa da lanchonete. Ela ficava em uma área aberta do local, ao seu redor haviam arranjos com flores coloridas e pequenas. Escolhi a cadeira do meio, vendo mamãe se sentar do meu lado esquerdo  e papai do lado direito.

-E então, o que vamos comer ?- Papai questiona sorridente fazendo mamãe revirar os olhos.

-Pare de enrolá-la, fale logo o que tem a dizer-  Vanessa finaliza pegando o cardápio e lendo-o rapidamente.

-Debby, querida...- James tomou minha atenção para si- Eu e sua mãe vamos nos separar.

-O que ?!- Arregalei os olhos consternada- Vocês não podem. V-vocês se amam!

-Um dia você vai entender, querida...- Mamãe direcionou seu olhar para suas unhas.

[●●●]

Acordei suando frio, lágrimas involuntárias caiam dos meus olhos. Aquelas eram lembranças dolorosas demais para mim, foi quando eu comecei a desmoronar.

-Debrah ?- Castiel acende a luz do quarto me encarando com uma expressão preocupada- Está tudo bem ?

-Eu só...- Olhei ao redor tentando entender o que havia acontecido- Não é nada, acho que estou nervosa por causa do show- Sorri minimamente.

-Melhor você ir se arrumar, já está quase na hora- Concluiu retirando o celular do carregador no canto da porta. Castiel já estava pronto, usava uma jeans cinza, uma camisa preta e um casaco marrom, o moreno havia ocasionalmente prendido seu cabelo.

-Tem razão...

[●●●]

Castiel On.

Olhei através das cortinas azuis, o local estava lotado. Dessa vez tocaríamos em um festival de bandas da cidade, no centro de convenções.

-Nuit Anges ?- A organizadora corria de um lado para o outro com uma prancheta e uma caneta apoiada em sua orelha.

-Somos nós- Lysandre respondeu animado.

- Vocês se apresentam em 5 minutos- Respondeu anotando algo em uma folha.

Procurei por Debrah, não havia visto a morena desde a hora em que chegamos. Vaguei por entre instrumentos e pessoas, encontrei-a conversando com Leroy, para variar. Me aproximei gradativamente tentando passar despercebido, queria ouvir sobre o que conversavam.

-Haha, pare- Debrah ria ligeiramente enquanto arrumava algo em suas botas.

-Estou sendo sincero, alguém como você faria muito sucesso- Leroy estava encostado na parede encarando a morena- Mas acho que se daria bem melhor em uma banda de verdade.

-O que quer dizer com “banda de verdade ?- Vi Debrah arquear a sobrancelha.

-Ah, você sabe bem do que estou falando- Agora ele estava sentado ao lado dela- Não acho que “isso” vá durar muito, uma hora eles se cansam de brincar de Rockstar- Leroy mantinha sua expressão de desdém- Mas você não, você tem potencial, e tem ambição, é perfeita para essa vida. É perfeita para os Stars from Nightmare...

-É uma proposta interessante...- A morena parecia pensativa.

-Pense com cuidado, é uma oportunidade de ouro- Respondeu Leroy, um sorriso sádico o dominava.

-Preciso de tempo- Finalizou Debrah saindo em direção ao banheiro.

Me apoiei em uma das paredes, me perguntava se ela aceitaria isso, se ela deixaria a banda, se ela me deixaria... Debrah tem estado cada vez mais interessada nessa coisa de fama, mas não acho que ela seria capaz, ela... ela...

Eu confio nela.


Notas Finais


Então foi isso, espero que tenham gostado, até o próximo 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...