História O passado de homeworld - Capítulo 6


Escrita por: ~, ~Otakumax e ~GirlOfPower

Postado
Categorias Steven Universe
Personagens Ametista, Garnet, Jasper, Lápis Lazuli, Leão, Pérola, Personagens Originais, Rose Quartzo
Exibições 19
Palavras 3.125
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Lamento pela demora, tive uma crise criativa, e sinceramente acho que este capitulo não ficou muito bom; tentarei melhorar os próximos então por favor me perdoe por esse e não perca o próximo; tenha uma boa leitura.

Capítulo 6 - Mais segredos


Fanfic / Fanfiction O passado de homeworld - Capítulo 6 - Mais segredos

P.o.v .: Narrador

O dia estava começando em homeworld; 3 semanas se passaram desde os eventos da base 37; citrino havia saído para outra missão dada a ele pela diamante amarelo, e uma semana depois disso Topaz havia recobrado a consciência, e imediatamente foi  enviada para reportar o relatório as diamantes, porem por uma questão pessoal decidiu não revelar nada sobre a descoberta de lápis lazuli, tudo acabou relativamente bem, ela foi realocada para a montagem e produção de um novo sistema propulsão, as coisas já haviam se ajustado, porem a mão do destino agiria mais uma vez.

 

P.o.v.: Topaz

Já se passou quase um mês desde o incidente na base 37, fui curada pela ala médica e transferida para a parte sul do planeta para a construção desse novo projeto de propulsão, e ainda não sei se fiz o certo em omitir a descoberta da Lápis Lazuli para as diamantes, mas agora não tenho mais como voltar atrás, e ainda tenho algumas coisas em minha cabeça, como o fato desse tal de Ônix que a Lápis disse ter salvado minha vida,  infelizmente eu não tive a chance de  agradecê-lo; e quando tentei achar o Citrino que também  me salvou, me disseram que ele havia sido enviado para outra missão, realmente espero que ele não ache que eu sou uma ingrata; além dessas coisas, ainda tem o fato daquele inimigo ter dito ''ME MATE'', apesar de que eu estava quase inconsciente naquela hora, então não tenho certeza do que eu ouvi.

O dia estava começando, e eu estava em minha sala particular, que agora dividia com Lápis.

 

Lapis: Topaz, você está bem?

Topaz: Sim, eu estou bem

Lapis: Tem certeza? Porque você não falou nada até agora do que aconteceu naquele planeta e quando tenta falar com alguém, eles simplesmente te ignoram ou não sabem do que se trata.

Topaz: Esper ai, como você sabe da reação deles? Você tem me espionado?

Lapis: Eu te segui ontem

Topaz: Eu falei para você não sair daqui por enquanto! Se te encontrarem eu vou ser castigada, ou pior; quebrada!

Lapiz: Não se preocupe eu sou boa em me esconder, e não desvie do assunto, você sabe que isso é importante, temos que desvendar o que aconteceu naquele planet-

 

Topaz: OQUE ACONTECEU!!? Oque aconteceu foi um genocídio, foi isso que aconteceu e fim de caso, devíamos estar felizes por termos saído de lá com vida, até conseguimos trazer a peridot que eu estava segurando. Admita não existe mistério ou conspiração, tudo o que aconteceu lá foi um grande desastre e nada mais.

Lapis: Eu não teria certeza disso- ela disse tirando algo do vestido que usava.

Topaz: O que é isso?

Lapis: Antes de sairmos o planeta, Ônix me deu esse backup, eu até tentei usá-lo, mas não funciona no computador daqui.

Topaz: Como assim? Porque você não me disse isso antes?

Lapis: Por duas razões. Primeiro, porque ônix pediu para eu dar a ele quando ele voltasse, e segundo você estava muito abalada e provavelmente não iria raciocinar direito sobre o assunto.

Topaz: E porque agora?

Lapis: Porque seja lá o que tem nesse backup deve ser muito importante para exigir uma senha e credencial de nível diamante.

Topaz: Espera aí como é? Deixe-me ver—ela me entrega o backup—isso foi criptografado com defcon 7 , assim ele só pode ser aberto de duas formas.

Lapis: Quais?

Topaz: A primeira é por uma diamante.

Lapiz: Ok, e a segunda?

Topaz: Pelo grande sensor.

Lapis: Parece a melhor opção.

Tapaz: Que melhor opção oque! Eu nunca disse que participaria disso.

Lapis: Eu pensei que-

Topaz: NÃO PENSE¹. Além do mais você não viu o lugar, a segurança dele é insana, tem tantos guardas que daria para um exército.

Lapiz: Esse lugar é tão importante assim?

Topaz: Ele contém todas as informações gems, desde a criação da trindade diamante.

Lapiz : Mas isso foi quando o império gem foi formado.

Topaz: Exatamente.

Lapis: Bem, mesmo assim devemos ir para lá se nã-

Topaz: Ficou louca!? Eu já omiti uma grande informação das diamantes, ‘‘você’’, e isso já foi mentir como mentir para deusas, agora que você quer que eu invada o lugar mais fortificado de homeworld, o que seria uma traição declarada na cara de pau contra todo o império, só porque você acha que deve haver alguma coisinha nesse backup que vai revelar a possibilidade, que já é de uma em um bilhão, de ter alguma prova ou fagulha de uma conspiração das diamantes perfeitas e poderosas ?!! É isso!? É por essa informação que você quer que eu arrisque minha pedra!? HÃ!?

--o silencio toma a sala—

Lapis: Quantos documentos voce conhece que estão em defcon 7?

Topaz: Eu não conheço eis a questão; se este arquivo está tão protegido é porque nós não devemos velo, na verdade, nem deviamos estar tendo essa conversa. -- eu tomo o backup dela-- você prcisa se sentar e se acalmar até decidirmos o que é melhor pra voce. 

 Lapis: Eu realmente não sei o que eu tenho nesse aparelho e também concordo que é um risco muito alto para uma possibilidade tão pequena. Você está certa é uma tentativa de suicídio

Topaz: Que bom que concorda comig—ela arranca de minhas mãos o backup

Lapis: E é por isso que não vou te forçar a ir comigo.

Topaz: O que você?

Lapis: Topas, eu agradeço por ter me abrigado até agora e por se preocupar comigo, mas tem alguma coisa aqui, eu sei disso, e mesmo que eu quebre minha pedra eu preciso saber oque tem aqui.

Topaz: Você não vai; eu não vou permitir.

Lapis: Obrigado, por se preocupar, mas agora eu tenho que ir—e ela desaparece na minha frente.

Topaz: O-o que foi isso? Tele transporte? DROGA!!Lápis! Lápis! LAPIZ!!

P.O.V.: Topaz off

 

P.o.v.: Citrino on

Eu estava a caminho de uma missão, servindo como segurança junto com uma citrino e duas rubis, para uma Safira, que estava indo para o planeta stocks a fim de negociar um tratado com os lamberianos, para uma forma de extração de recursos naturais do planeta para a criação e disseminação de mais gems; mesmo que talvez alguns pensem que não há como negociar com gems já que simplesmente poderiamos invadir o planeta, a verdade é que para os dois lados isso seria o melhor; nós, gems somos o imperio numero um da galáxia, mas existem muitos outros com os quais nós preferimos negociar a guerrilhar, além das gems existem outros 3 governos regentes nessa parte do universo, 2 deles sendo os impérios dos lamberianos e felixanos; e o outro um governo republicano com o poder divido entre cinco seres escolhidos pelo povo, o planeta se dividiu em territórios após vários confrontos e guerras civis por isso existem 5 representantes para cada parte do planeta, porem não devemos nos enganar eles são os mais fortes dentre os de sua espécie; nós os gems estamos a frente dos outros governos apenas porque somos um povo com amplos recursos que possibilitando nossa autonomia de comercio e a dependência de outros planetas sobre nossos produtos e tecnologia, e o nosso povo foi o único que conseguiu desenvolver com sucesso um sistema de governo com 4 autoridades absolutas, formando a primeira quadrindade imperial.

Nós e os lamerianos não nos damos muitos bem, tivemos muitos conflitos por território levando a varias perdas de ambos os lados, há 273 anos um tratado foi feito dividindo o território gem e lambério, a negociação foi tensa e eu sei porque eu estava lá-- acho que devo ter socado o primeiro ministro ou o chanceler sei lá.-- mesmo após tantos anos ainda temos nossos rancores--não com o primeiro ministro, ele morreu--mas deve ocorrer tudo bem.

As garotas estavam conversando e me deixando de fora, mas eu nem me importei, afinal eu tinha coisas a pensar, os fatos que ocorreram na base 37 foram brutais de mais para eu esquecer, infelizmente não pude conversar com a topas pois ela estava em coma, mantive a lapis em um esconderijo, se a topas tiver acordado a lápis já deve ter explicado tudo, mas além de mantê-la escondida não fasso a mais remota ideia do que fazer agora; aquele ataque foi muito suspeito, não conseguimos nem detectar a infiltração de um grande exercito em um planeta tão pequeno, as peças não se encaixavam, as palavras Me Mate também coavam e minha cabeça a cada cinco segundos, muitos gems morreram e inimigos também, mas nem 2 dias se passaram quando eu voltei para homeworld, que ninguém mais tocava no assunto, ´era como se nada tivesse acontecido; eu realmente precisava de ajuda.

 

xxx: Voce deve ir

Citrino: Hã? Como- Sa-safira? Quero dizer; senhora?

Safira: Eu consigo sentir sua aflição

Citrino: Oque você quer diz--

Safira: Olhe pela janela

-- quando olho já havíamos saído do hiperdrive e vejo o planeta em que ocorreu a batalha pela janela--

Citrino: Oque você?

Safira: Eu não sei como explicar eu apenas sei que você deve ir para lá

Citrino: Você teve uma visão?

Safira: Eu tive duas

Citrino: Se eu for aquele planeta, irei abandonar a missão e isso pode não só causar problemas a mim, como a você também.

Safira: Como eu disse eu tive duas visões, em uma você vem conosco completa sua missão e volta para casa normalmente; e na outra você sai em um dos módulos de fuga para aquele planeta.

Citrino: E porque você quer que eu vá para lá

Safira: É mais um pressentimento, depois que você vai para lá eu perco sua linha e seu futuro some da minha visão.

Citrino: Quer dizer que se eu sair agora e for para lá eu morro.

Safira: Ou você morre ou descobre algo tão chocante que não tem como prever o que vai acontecer.

--Eu fico pensativo por um tempo--

Safira: Você não te muito tempo sobrando agora.

Citrino: Eu posso te fazer um pedido agora?

Safira: Qual?

Citrino: Quando você voltar para homeworld preciso que você encontre com uma topaz que conseguiu sair comigo daquele planeta, ela vai estar junto a outra gem e preciso que você prometa que vai entregar uma mensagem para elas. Posso confiar em você?

 

--Quebra de tempo--

 

Eu acabo de sair no modulo de fuga e estou me dirigindo ao planeta, estou nervoso, mesmo tendo se passado 4 semanas, ainda devem estar recolhendo os corpos que estavam na batalha vários aliados e inimigos morreram, alguma coisa realmente importante deve ter levado aqueles caras a atacar um planeta sobre jurisdição gem, principalmente por sua espécie não se conhecida como uma grande potencia militar, a maior questão é qual a motivação deles? Raiva, inveja, ou um desejo súbito por ganancia? Esses eram meus pensamentos enquanto minha pequena nave pousava na grama seca. A comporta se abriu e eu não pude acreditar no que meus olhos viam.

Citrino: Mas como isso é possível? A base, os corpos até as áreas queimadas e destruídas, tudo; desapareceu.

 

Não havia mais nada, nem ao menos um vestígio do ocorrido, até posso concordar que as gems são boas a ponto de se livrarem de se livrarem de todos os corpos, mas até mesmo os destroços da base, as marcas de batalha, é como se nada tivesse acontecido. Eu começo a circular por todo planeta desde a campina da batalha até a parte com várias arvores e não encontro nada.

 

Citrino: Oque será que aconteceu aqui?

Xxx: E então você acha que o plano vai funcionar?

Citrino: Hã? Quem disse isso?

Xxx: Como assim plano, você acha que tem um?

Xxx: Obvio, não iriamos estar tendo todo esse trabalho se elas não tivessem

Citrino: São ágatas?-me escondo atrás de um arvoe para ouvir a conversa.

Ágata1: Então, qual é?

Ágata2: Qual é oque?

Ágata1: Qual é o plano?

Ágata2: E você acha que eu vou saber?

Ágata1: Mas você disse q--

Ágata2: Eu sei que tem um plano, mas não quer dizer que eu sou tão importante a ponto de saber oque é. E chega de papo estamos atrasadas e temos que ir- um portão que estava escondido sobre a grama se abre no chão.

 

Assim que as duas Ágatas entram o portão começa a se fechar, mas eu consigo atravessa-lo antes; descendo todas as escadas (que eram varias), eu chego em um grande corredor, ele possuía algumas colunas de sustentação e varias imagens arcaicas, eu entro em um elevador e em cima dele havia o símbolo da diamante branco.

Citrino: Isso ta começando a ficar mais estranho; eu preciso de um passe para entrar, hmmm...

Xxx: Ei, o que você está fazendo aqui?

Citrino: Hã, uma peridot aqui? -- olho para ela e vejo um passe em sua cintura-- que coincidencia você chegou na hora certa

Peridot: Ééééééé oque?

Citrino: É sabe eu me perdi mas acho que você pode me ajudar-- começo a me aproximar lentamente dela.

Periot: Ei o que você está fazendo?

Citrino: Apenas querendo conhecer você melhor

Peridot: E porque você quer isso? -- ela começa a ficar meio nervosa, e começa a se afastar conforme eu me aproximo

Citrino: Eu vim de homeworld, até aqui, apenas para te ver-- começo a falar com uma voz mansa

Peridot: O que você quer dizer eu nem  te conheço-- ela finalmente para de se afastar quando fica contra a parede do  corredor-- e além do mais você ne deveria estar aqui, é uma área restrita.

Citrino: Eu sei, mas eu precisava ver você; nós nascemos no mesmo lugar e na mesma data.

Peridot: Em descon-8 há 2700 anos?

Citrino: Exato, lembra de mim?

Peridot: E-eu nã--

Citrino: Eu nunca pude te tirar da cabeça, quando eu ia para as missões em que podia morrer, pensava que meu único arrependimento, era nunca poder ter encontrado aquele doce e delicada topaz-- finalmente me aproximo dela e a preenso contra a parede, e quase colo meu corpo ao dela, ela vira o rosto para o lado, parecia meio envergonhada.

Peridot: E porque você queria me encontrar?

Citrino: Eu sei que é contra a lei das Diamantes; mas; eu precisava te diser como eu me sinto.

Peridot: Eeee como você se sente? -- eu elevo minha mão até seu queixo e viro o rosto dela, fazendo-a me encarar.

Citrino: Eu me sinto assim.

E em um rápido movimento eu a beijo, porém não de forma bruta, mas de forma suave e delicada; a princípio ela se desespera e tente se afastar, mas eu persisti e ela se entregou a mim, colou seu corpo próximo ao meu e colocou seus braços ao redor do meu pescoço, ela realmente parecia estar gostando daquilo; eu então a pego pela cintura e levanto suas pernas deixando-a suspensa; ela entrelaça suas pernas no meu quadril e começa a apertar, até que o beijo começa a ficar bem mais intenso, acho que esse seria o momento em que nos separaríamos por falta de oxigênio, mas gems não precisam respirar, então as coisas estavam realmente indo a outro nível. Eu apenas me separo dela por um segundo para dizer algo.

Citrino: Eu só peço desculpas

Peridot: Pelo que?-- perguntou com a voz ofegante

Citrino: Por isso-- de forma rápida e indolor eu dou um golpe de mão berta em seu pescoço a fazendo desmaiar.

Sendo bem honesto, eu sei que eu poderia ter feito isso desde começo, mas que graça isso teria? Peguei o passe dela no momento em que peguei em sua cintura, escondi o corpo, mas antes de ir olhei para ela e disse:

--Sei que quando acordar vai ficar zangada, mas vou ser justo com você; eu nem sei quando ou onde eu nasci; desculpe ter mentido para você, mas em contrapartida se me permite dizer; foi muito bom pra mim, se nos encontrarmos de novo e você não quiser me matar, vamos continuar de onde paramos ok? -- dei uma piscadinha e fui embora.

 

Finalmente tive acesso ao elevador que por sinal só podia descer, e o último andar só podia ser acessado com um cartão branco, acho que tive sorte porque esse era o cartão da peridot; me dirijo agora então para o ultimo andar. A medida que eu descia o clima diminuía também, oque era estranho, pois o normal é a temperatura subir, como o elevador era transparente tudo era visível a parte de fora, a área que deveria ser puro magma era repleta de cristais de gelo com oxigênio liquido.

O elevador parou e a porta abriu, entrei no último andar e comecei a andar agachado, via várias ágatas e topazes montando e desmontando; quando eu ia dar o próximo passo ouso uma voz, ela era firme e com tom ameaçador, quando tento ver quem é, um imenso pé cai na minha frente, uma perna vinha logo depois, até ver uma gem gigante andando, mas não qualquer gem, era a diamante branco e sua pérola ido direto para um fosso imenso, elas ficaram paradas em frente a ele;

 

D. branco: E então, o projeto feixe tem andado como planejado?

Citrino: ''Feixe?''

Pérola: Sim, minha senhora, tudo está indo nos conformes.

D.branco: Pois bem inicie a fase 2

Pérola: É claro, minha senhora. TODAS AS GEMS COMEÇEM A FASE-2 IMEDIATAMENTE!!

 

Todas as gems se posicionam em coberturas, começam a mexer nas maquinas; um objeto começa e imergir da fossa; era uma esfera imensa, branca e brilhante.

 

Pérola: Pois bem; ABRÃO A ENCUBADORA!!!

 

A esfera desenha em si mesma, linhas de circuitos verdes, e se abre liberando fumaça criogênica. Assim que a incubadora abre por completo e a fumaça se sessa, assim que vejo oque tem dentro me vem um gelo na espinha, aquilo; aquela coisa era bizarra, abominavel, u-uma profanação; eram milhõe- não bilhões de fragmentos reunidos em uma esfera e, haviam também pedaços de gems todos um em pior estado que o outro. E-eu não podia mais ficar aqui, tinha que voltar para homeworld, tinha que tentar encontrar alguém que acreditasse em mim, precisava buscar ajuda (alguns de vocês não devem entender então vou explicar, para nós gems encontrar vários fragmentos assim juntos é como encontrar corpos estourados e ensanguentados juntos em um lugar só em um estado de putrefação horrorosa).

 

Citrino: Droga; tenho que sair agora antes q--- GRRRRR!!! -(O que é isso?!! Alguém me pegou, pelo pescoço) Q- quem é você? Oq- não, não é possível (eu dizia ofegante por estar sendo sufocado), não pode ser e-eu vi você morrer na minha frente!! Como você pode estar vivo depois de ter sido estilhaçado? Vamos; RESPONDA ÔNIX!!!

 

D. branco: Ora, ora, ora, o que nós temos aqui, meu Ônix?

Ônix: Senhora, intruso localizado e capturado, registro; Citrino 3971 fg, peço permissão para executado.

D. branco: Ainda não; precisamos descobrir o que ele sabe

Citrino: Ai merda.


Notas Finais


Espero que tenham gostado; por favor deixem nos comentários críticas e sugestões, para que possamos melhorar nosso conteúdo. O próximo capitulo sera bem mais extenso e terá muitas outras surpresas, não percam.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...