História O passado que nos condena - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Himawari Uzumaki, Inojin Yamanaka, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha
Tags Borusara, Boruto, Inohima, Naruhina, Naruto, Sarada, Sasusaku
Exibições 133
Palavras 3.783
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá povo ! Que come pão com ovo !
Aiii seis vão me matar !
Desculpe a demora gente , mas é que deu aquele bloqueio de criatividade lindo , bunito sabe ?!
Mas agora eu voltei , pra ficar ( acho ) , espero que vocês gostei e lembrando desculpe se houver erros de português

Capítulo 7 - Lembranças de um passado de dor


Fanfic / Fanfiction O passado que nos condena - Capítulo 7 - Lembranças de um passado de dor


Abri meus olhos lentamente tentando me acostumar com a claridade , alguém segurava meus ombros me sacudindo ...
- ei ! Você está bem ?- olhei para quem me segurava e vi um menino , não devia ter mais de dez anos , ele tinha olhos escuros e cabelo de mesma cor  - eu vi você caindo do céu , de onde você vem  ? – ele me encheu de perguntas e isso me deixou mais atordoada do que já estava . Tentei me lembra de como vim parar aqui , mas nada vinha na minha cabeça , só uma escuridão , a última coisa que me lembro foi a mostrar dos meus pais , mais nada .
- qual é o sue nome ?- perguntou o menino me ajudando a levantar , ele parecia ser inocente , mas seus ferimentos nas mãos e no rosto me diziam o contrário , mas talvez não  cause mal dizer meu nome a ele .
- sou Akira , princesa Akira – respondi olhando para ele – e qual é o seu ?
- sou Izuna ... Uchiha Izuna  - ele me estendeu a mão , eu me encolhi com medo – calma ! É só um aperto de mão – olhei desconfiada pra ele – assim ó ! – ele veio até mim e pegou a minha mão direita e apertou com a sua esquerda – é assim que a gente se comprimento aqui – ele sorriu pra mim , seu sorriso era tão puro que me fazia a quere acreditar nele  , e esse pensamento me deu um ideia .
- que reino é esse que estou ? – perguntei
- reino ?! – ele me olhou com a sobrancelha direita erguida – bom ... Você acabou de despencar bem no meio de um reino em guerra – olhei assustada para ele .
- de onde eu venho não existe guerra – ele me olhou curioso , logo em seguida segurou minha mão e começou a caminhar me levando com ele – a onde está indo ?
- pra casa – ele parou e me olhou nos olhos – a princesa talvez queira sair da chuva – olhei em volta .
- mas não está chovendo – assim que terminei de falar uma chuva grossa começou a cair sobre nós .
- vem – gritou Izuna correndo , corri atrás dele sem saber para onde estava indo  .
- olha você pode vestir isso aqui – Izuna me entregou um quimono azul turquesa com flores desenhadas – você não se importa de fixar aqui até contar pro meu pai ? – perguntou , ele havia me trazido para uma casa abandonada perto da sua , ele disse que a casa estava abandonada porque os antigos donos morreram na guerra .
- não , pode ir pra casa – falei pra ele – eu preciso organizar minha mente , entender oque está acontecendo , e canalizar chakra .
- acho melhor não mexer no seu chakra aqui – olhei curiosa pra ele – é que ... Minha família tem uma habilidade especial – eu ainda estava sem entender , e ele percebeu isso – outra hora eu te explico , mas oque você precisa saber é que , não deve fazer jutsus e nem nada aqui , eles vão perceber e viram até aqui pra matar você – o olhei apavorada – calma ! Isso só vai acontecer se você fizer qualquer movimentação do chakra , então ... Nada de chakra ! Tá bom ? – concordei com a cabeça – ótimo ! Vou falar com meu pai – ele se levantou indo até a porta – eu já volto ...
Se passou 5 dias desde a última vez que vi ele , sei que ele me mandou não mexer no meu chakra , mas eu estava sem comer a dias , tinha que me alimentar de alguma coisa . Eu estava na sala da pequena casa , calma , sem mexer se quer um músculo , e sugando o chakra da natureza . Quando Izuna foi embora e eu  por a cabeça no lugar  percebi oque tinha acontecido no meu reino , eu havia sido banida , pois é a princesa e futura rainha foi banida , só queria saber o porquê , no meu reino quando você quebra as regras é punido , mas não com violência ( no meu reino nem existe trevas para haver violência ) eles banem você , mas antes de ser banido eles tiram a sua memória , e aí você vai para um outro  reino sem saber o porquê está lá ! Eu devi ter feito algo muito ruim para esta aqui , em um lugar onde o ódio domina .
Estava tão concentrada na minha meditação que só acordei quando senti algo frio na minha garganta e alguém atrás de mim  ‘ deveria ter escutado o Izuna  ‘

- quem é você ? E oque faz aqui ? – perguntou de forma ameaçadora , antes que eu pudesse responder , Izuna entra pela porta .
- Madara não faça isso – ele veio correndo em nosso direção, largando algumas coisas no chão
- oque você pensa que está fazendo Izuna  ? Como pode trazer alguém de fora !? – Madara apertou ainda mais a kunai no meu pescoço .
- irmão ! Não é isso que está pensando – izuna se ajoelhou em nossa frente puxando a mão do irmão , para tentar livra meu pescoço – ela é minha amiga , eu tô ajudando ela a char o caminho pra casa  - izuna consegui me tirar dos braços do seu irmão , eu me agarrei ao seu pescoço o abraçando , de início ele não retribuiu o abraço , mas logo em seguida me circulou com seus braços me puxando pra mais perto dele .
- por que você demorou tanto pra aparecer de novo ? – perguntei baixo , mas tenho certeza que seu irmão escutou .
- eu estava no campo de batalha – ele me libertou do abraço e olhou nos meus olhos – depois que te deixei aqui os Senjus atacaram  , foi uma batalha muito tensa – izuna  olhou triste para o irmão que estava atrás de mim prestando atenção em tudo .
- por que está contando isso a ela ? – perguntou Madara já mais calmo
- eu já falei !- izuna olhou novamente pra mim – ela é minha amiga e podemos confiar nela .
- vem ... Por aqui Akira – izuna me guiava pelos corredores de sua casa , seu pai queria me conhecer , saber mais sobre mim , ou em outras palavras saber se sou confiável .
- izuna , vá com calma ! – puxei minha mão do seu aperto , ele parou de caminhar e virou pra mim , eu sabia que ele está ansioso e feliz , mas eu estava muito nervosa .
- akira – izuna segurou meu rosto com as duas mãos – vai da tudo certo , meu pai vai deixar você ficar , eu tenho certeza – alguns dias atrás contei tudo sobre mim e meu reino para ele , em troca ele contou tudo sobre esse reino , esse tempo que estamos juntos não pude deixar de reparar em como ele é bonito , o modo como ria , falava , ou até mesmo quando segurava a minha mão ... Só queria que minha mãe estivesse aqui para que ela me explicasse oque está acontecendo comigo .  Assim que entramos no corredor vimos uma porta dupla e uma serva ajoelhada ao lado da porta , quando ela viu izuna fez uma sutil reverência .
- uchiha-san , seu pai o aguarda – ela abriu uma das portas duplas sem os menos levantar de onde estava , assim que a porta abriu completamente , vi um homem sentado atras de uma mesa de madeira , ele tinha o rosto sério , suas feições eram parecidas com as do izuna  . Nos aproximamos da mesa , fizemos uma referência em questão de respeito e logo nos sentamos .
- pai – chamou izuna – essa é Akira , a princesa de ... Eu não sei de onde você veio – izuna olhou pra mim , ele pareceu confuso , e brabo ( talvez ?? )
- você trouxe pra dentro da minha casa alguém que pode ser muito bem um espião ! IZUNA ! – gritou , ele puxou izuna pelos cabelos e o fez ir para frente , izuna fez uma expressão de dor – estamos em meio a uma guerra , e VOCE me trás uma cadela abandonada pra dentro do nosso clã  - ele aperta mais izuna , isso fez ele gemer  de dor , ver ele sentir dor meu coração apertar , sem pensar duas vezes avancei pra frente e puxei izuna do aperto do pai , nos dois caímos para trás ,e eu o abraço querendo proteger ele do pai .
- garota insolente – ele avançou pra cima de mim , mas um escudo se formou em volta de mim e o izuna , apertei ele mais contra o meu corpo , o pai de izuna me olhou de cima com seu ar de superioridade – parabéns izuna ! – começou a falar – vocês ganharam meu voto de confiança .
Olhei para izuna sem entender oque estava acontecendo , ele me abriu um sorriso de ponta a ponta .
- oque acabou de acontecer ? – perguntei olhando pra ele
- você pode ficar aqui ! – ele avançou pra frente me abraçando , retribui o abraço mesmo sem entender .
Os dias com os uchiha's se tornaram semanas , meses , anos , meus sentimentos por izuna eram fortes , eu estava apaixonada por ele , mas ele não me amava dessa forma , ele amava outra pessoa , na qual ele já pensava em construir uma família quando a guerra acabasse . Essa guerra não tem fim , achei que ela acabaria quando Madara e Hashirama se tornaram amigos , mas ela só tomou uma proporção maior , ate hoje não entendi o porquê que fui banida para esse lugar , mas depois de um tempo aqui as lembranças do meu reino foram se apagando , me restavam apenas fragmentos de memórias . Eu olhava para a grande árvore de Sakura que havia na frente da minha casa quando avistei Madara e seus companheiros chegando da batalha , fui até eles , quando cheguei perto vi que izuna não estava entre eles.  Olhei para madara , seu olhar era triste e raivoso ao mesmo tempo , ele se afastou para que eu passasse entre os   uchiha’s até chegar em uma maca improvisada , izuna estava deitado nela , ele estava sangrando muito , meu coração falhou , ficou difícil até de respirar .
- oque vocês está esperando ? – perguntei para os homens que seguravam a maca – levem ele pra enfermaria – eles se entreolharam – AGORA ! – gritei , eles foram em direção a enfermeira  , eu estava preste a seguir ele quando Madara segurou meu braço .
- não tem nada que você possa fazer agora – ele falou olhando nos meus olhos
- eu vou salva-lo – retruquei .
- você não pode ressuscitar os mortos , e meu irmão já está com o corpo dentro da fossa – ele apertou mais o meu braço .
- você não tem esper...
- NÃO ME DE ESPERANÇA ! – ele gritou – eu já perdi minha esperança a muito tempo Akira – acho que tinha visto Madara ... Chorar .
Entrei na enfermaria onde estava izuna , me agachei ao lado de seu corpo é comecei a cura-lo , não pode salva-lo , mas pude adiar sua morte .
- Akira – me chamou – quando essa guerra acabar ... Prometa-me que você vai – ele respirava com dificuldade – achar sua felicidade – ele segura a minha mão , minhas lágrimas caiam sem pudor – não chore ! Acho que vou finalmente conseguir dormi – ele deu um sorriso fraco .
- eu te amo – falei em um suspiro .
- então faça um favor para mim – acenei  com a cabeça , sem desviar o olhar dos seus olhos – seja feliz – me surpreendeu seu pedido – por mim – acenei novamente , com meu coração praticamente fora de mim – chame meu irmão por favor , quero me despedir . Me levantei e fui para fora do quarto , Madara estava encostado na posta , bom ... Ele ouviu tudo .
- quem fez isso com ele ?- perguntei baixinho para que izuna não ouvisse
- tobirama Senju – falou antes de entrar no quarto .
Estava em frente à lápide de izuna com Madara os meu lado , eu sentia me coração ficar negro , e foi aí onde eu finalmente entendi o porquê eu fui banida doeu reino .
- fui banida porque a trevas mim – falei , Madara olhou para mim como se tentasse entender oque eu estava falando .
- a trevas em todo mundo Akira – rebateu
- não no meu reino , antes mesmo de nascermos , os anciãos retiram todas as trevas de dentro de você , e por algum motivo não tiraram de dentro de mim , e quando o teu e a rainha morreram , não tinha mais nada que impedisse eles de me banir .
- como você sabe que há “ trevas “  em você ? – perguntou virando-se para mim , nesse momento virei lentamente para ele .
- porque quero vingança – vi um pequeno sorriso nascer em seus lábios – eu quero matar Senju tobirama .
Sarada
Abri meu olhos lentamente , a Luz era forte  e isso fez meus olhos arderam , alguém segurava minha mão , olhei para o lado para ver quem era e vi Shikadai  me olhando com um olhar cansado .
- você está bem ? – perguntou
- sim – suspirei – a onde estão todos ? – perguntei assim que vi que só tinha nós dois dentro do quarto .
- bom a Chōchō deve  estar comendo alguma coisa em algum canto , Boruto deve está brigando com a Himawari e o Inojin , Lee e Minay devem estar com os   Inuzukas cuidando da Yuuki   e o  Mitsuke festejando por aí como sempre – concluiu se esgotando na caseiro pondo os braços atrás da cabeça .
- você por um acaso ... Não tem um tabuleiro de  shogi contigo aí ? – olhei para ele com esperança , mas ele me olhou com cara de tedio
- não – respondeu – mas conheço alguém que tem – se levantou da cadeira – vamos – me estendeu a mão   , não pensei duas vezes e a segurei .
Fomos caminhando pelas ruas de konoha , não conseguia acreditar em como esse lugar mudou tanto , tá tudo bem que agora ela está sendo reconstruída , mas mesmo assim , a tecnologia avançou muito em pouco tempo aqui . Quando paramos de caminhar estávamos em frente à uma casa simples com o símbolo do clã Nara na porta , Shikadai bateu duas vezes antes dala ser aberta por   Shikaku , ele nos olhou com desconfiança .
- oque querem ? -  perguntou com cara de cansado .
- queremos conversar com você e com o inochi , que eu sei que está aí dentro – falou shikadai olhando para o avô  , Shikaku nos olhou desconfiado , mas deixou a gente entrar , a casa era simples igual a do shikamaru-sama , só que menos moderna , Shikaku nos guiou até uma sala onde estava inochi , ele estava sentado no chão tomando  chá , assim que entramos na sala ele nos olhou sem entender oque acontecia , fiz uma reverência diante dele é me sentei na sua frente , Shikaku voltou ao seu lugar na ponta da mesa , olhei para Shikadai esperando que ele sentasse , mas ele foi até um armário que tinha no quanto da sala e o abriu , tirou de dentro uma caixa e veio até a mesa se sentando ao lado do inochi , ficando na minha frente
- Como você  sabia oque tinha dentro do armário ? – perguntou Shikaku , olhando para Shikadai
- já vasculhei muito essa casa quando era pequeno – respondeu abrindo a caixa e tirando as peças de shogi de dentro dela . . . Depois de montar o jogo em silêncio Shikadai olhou para mim  .
- agora está na hora de contar tudo – falou mexendo a primeira peça , olhei para Shikaku e Inochi e mexi minha primeira peça .
- você já sabe a história do kou ? – perguntei
- sim- mexeu outra peça – seu amigo que morreu e voltou do submundo .
- ele nunca morreu – mexi outra peça – Kakashi me fez acreditar que ele havia morrido .
- por que Kakashi isso ? – perguntou Shikaku , respirei fundo e comecei a contar
- havia uma nova facção surgindo , agindo pelas sombras , e o Kakashi sabia quem era o fundador dela e oque eles queriam – shikadai mexeu sua peça comendo uma minha – o fundador dessa facção é um cientista louco da aldeia da nuvem , ele foi banido depois que o Raikage descobriu sobre seu experimentos malucos , ele foi embora e deixou o filho ainda pequeno pra trás , então esse cientista invadiu o cofre do Raikage e roubou um pergaminho , e nesse pergaminho tinha instruções sobre Akira – mexi minha peça -   então ele começou a juntar uma facção , bandidos , assassino , nukins , prometendo a eles vingança – Shikadai mexeu outra peça – e foi aí onde ele achou o primeiro pergaminho da Akira , o pergaminho da névoa , depois ele achou o da pedra , nuvem , mas antes que ele achasse o da areia ,meu pai o achou e trouxe pra konoha .
- se esses pergaminhos são tão poderosos porque foram perdidos dessa forma ? – perguntou inochi .
  ‘ um trato entre os ninjas que me selaram foi feito , depois de me selar os ninjas tinham que escolher um lugar que só eles poderiam achar , um lugar bem escondido ‘ falou Akira surgindo atrás do inochi .
- um trato foi feito , depois de salgados os pergaminhos tinham que ser escondido , e nunca mais ninguém tocar no assunto – respondo , mexi outra peça o comia torre do Shikadai .
- tá e onde o garoto ... Kou  entre. Na história ? – perguntou Shikaku
- ele é filho o fundador da facção , Kakashi sabia disso é me levou até a aldeia da nuvem  para que pode-se achar o garoto , depois disso com a confiança já ganha ele forjou o morte do kou , para que eu não ficasse sabendo de nada – Shikadai “comeu “meu cavalo – depois de forja a mostrar dele , kou se infiltrar na facção é começa a coletar informações , o plano era que quando chegasse a hora kou passaria as informações pra mim .
- você tem as informações ? – perguntou Shikaku .
- sim – movi minha rainha – a facção e separada em esquadrões e cada um deles tem um capitão , o primeiro capitão e especialista em genjutsu , o segundo Taijutsu , o terceiro ninjustu , o quarto  kekkei genkai , e o último é o fundador , oque enfrentamos agora pouco não foi um esquadrão inteiro foi apenas  20 % da força do esquadrão de kekkei genkai .
- porque eles vieram atrás de vocês ? -perguntou inochi
- porque esse esquadrão ao tem um pergaminho , eles queriam o pergaminho da areia que foi roubado pelo meu pai quando ele matou o antigo capitão . – movi minha torre .
- e onde nos entremos nessa história ? – perguntou Shikaku se referindo a ele o inochi .
- você inochi – falou shikadai – tem amente mais bem protegida de konoha , voce vai esconder o pergaminho que  temos , você vai esconder e vai deixa uma pista que só o seu neto entenderia .
- e como vou fazer isso se eu nem conheço ele ? – perguntou  inochi .
- a ino e meu pai vivem dizendo que ele pensa igual a você – inochi concordo com a cabeça – e nos sarada vamos entrar no jogo deles .
- como assim ? – perguntei  movendo a minha rainha .
- vamos fingir que estamos “ aproveitando  “ a nossa estadia aqui , e quando eles vierem , que eu já tenho certeza de quando vai ser , nos vamos está preparados e cheque mate – olhei para baixo e vi que ele tinha ganhado o jogo .
**
Chōchō
Eu estava em um lugar escuro e úmido , meus braços estão presos por correntes , tento me soltar mas não consigo , me sinto fraca , depois de um tempo percebo que estou em uma caverna ,as agora aonde ?
Começo a ouvir passos vindo em minha direção , ele sai da sobra e consigo ver seu rosto era um homem alto com várias cicatrizes no rosto .
- hora , hora , hora , me desculpe o atraso estava ocupado demais vendo seus amiguinhos acharem que venceram – ele se ajoelhou em minha frente e segurou meu rosto com sua mão – já vai fazer quase dois dias que nossa espiã está lá no meio deles , e eles nem perceberam que não é você , parece que você querida – ele chega perto do meu pescoço e da uma mordida , só consegui sentir nojo de um ser como aquele – é um grande peso morto para eles – sorri de lado .
- você acha que eles vão cair realmente no truque da duplicata – meu sorriso aumentou mais – quando chega a hora sua amiguinha vai virar pó – cuspi na cara dele .
- sabe você e o seu clã ganham chakra comendo , então imagina como vai ser doloroso a sua morte com você ficando sem comer e com essas belezinhas – apontou para as correntes nos meus pulsos – sugando todo o seu chakra – meu corpo gelou e minha respiração ficou falha – tenha uma boa morte Chōchō 
   


Notas Finais


Bom gente ... Espero que vocês tenham gostado desse capítulo .
Um beijo
Um queijo
E até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...