História O Pássaro Agourento - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Exibições 30
Palavras 1.989
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Ecchi, Fantasia, Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Sim, eu voltei mais cedo.
Explicações lá em baixo.

Capítulo 10 - Capítulo IX: Os Pássaros Alheios


Capítulo 09

“O coração, minha filha, é um imbecil”.

 

† Natsu †

Existem dias em que nós simplesmente nos perguntamos algo assim:

“Por que caralho? “

Talvez essa indagação surja em momentos com o qual você está tendo de lidar com dois vampiros doidos (Mukami Yuma-san e Kou-san), que discutem neste exato momento sobre que tipo de jogo eles devem começar na sala na qual estávamos.

Mari-san e Maeda-san estavam jogando cartas, um pouco mais afastadas de nós. Ayato insistia em tentar ensinar Fuyuki a sinuca enquanto a mesma apertava as pernas contra si, encolhida no mesmo sofá que eu.

Eu usava um short preto com uma blusa longa branca e meias três quartos cinzas, e estava com todo o meu digníssimo cabelo preso em um alto rabo de cavalo. Mari-san usava um vestido negro de alcinhas que era bem soltinho, junto de uma meia-calça preto com detalhes em flores rosas, e estava descalça. Yukiko estava com um vestido azul escuro acinzentado, de mangas, e que depois ia até o punho com outro tecido negro cobrindo os braços. Dois laços prendiam um de cada lado de sua clavícula coberta um colar, e a saia ia até um pouco acima do joelho, com rendas negras enfeitando a barra, e completava tudo com uma bota preta que ia até seus joelhos.

E Fuyuki usava uma saia de cintura alta escura, que tinha um suspensório que passava por cima da blusa branca de botões, e na gola um laço meio vitoriano terminava o visual. A mesma usava meias brancas três quartos, e andava sem sapatos.

Era de tardezinha, e Haname tinha saído com Tsuyoshi-san e Emi para comprar, se eu não me engano, coisas básicas de necessidade feminina. E lógico, com Laito-san de quebra, o que fez a feição de Haname ao sair daqui não ser a das mais agradáveis.

-Nee Mari-san, por que hoje não teremos aula?

-Hoje terá um evento para os alunos veteranos, envolvendo a presidente e o vice. Estão organizando um baile.

-E não era para irmos também? –Maeda-san perguntou, enquanto descartava uma carta.

-Sim.... Mas nem eu, Reiji ou Shu estávamos interessados. Mas Ruki vai ter que ir por ser o representante da nossa classe.

A morena resmungou, fazendo-me sorrir um pouco.

Mesmo com toda a tensão dali, ela conseguia descontrair tudo com o jeito espalhafatoso dela e os ciúmes pelo irmão.

Logo, um Subaru não muito bem-humorado (como se ele fosse) atravessou a porta, fazendo um estrondo enorme ecoar.

-O que foi Subaru? Parece até que viu o capeta caralho! –Mari-san reclamou alto, fazendo rir baixinho junto de Kou-san.

-Cale a boca mulher estúpida. Mas a figura lá na sala parece quase isso.

-Quem? –Perguntou Shu, que estava largado em uma poltrona perto de Maeda-san, anteriormente alheio a conversa.

-Uma menina, e eu ia logo já que quem ficou lá com ela foi o Kanato e ela... digamos.... Parece o tipo ideal de boneca dele.

Um sorriso ladino se abriu no rosto de Mari-san, que saiu tão rápido que apenas um borrão passou diante de nós.

-Uma menina.... Outra noiva? –Se perguntou Kou-san, enquanto sentava perto de mim.

-Eu vou ver lá. Ajisai está mais animada do que o normal.

Logo, Yuma-san sumiu como fumaça, fazendo até mesmo a minha curiosidade aflorar.

Quando eu vi que Subaru estava saindo, me levantei e resolvi lhe seguir, queria ver quem era a tal cria do Satanás.

-O que você acha que está fazendo?

-Quero ver quem é.

-Tsc, e por que veio junto de mim?

-Porque só fiquei curiosa agora. –Declarei, por fim me calando e indo junto de si.

Quando chegamos no hall de entrada, nos deparamos com Mari-san e Yuma-san perto de uma menina pequena (mesmo, mesmo), de rosto de bebê, com os cabelos castanhos presos por dois elásticos meio soltos, e iam até abaixo do busto. E foi aí que eu entendi o que Subaru quis dizer com demônio.

Ela tinha os olhos frios, sem vida.

Usava um moletom branco, um short preto e meias cinzas que iam até o meio de suas coxas. Tinha um fone escuro com o formato de orelhas de gato acima da cabeça, e uma máscara cobria seu rosto até o nariz.

Olhando por este lado.... Ela dá certo medo.

-Yamaguchi Yasu, certo? –Mari-san perguntou, examinando a menina de cima a baixo, mantendo a voz fria.

Ela concordou com a cabeça, enfiando as mãos no bolso do moletom.

-Quem é Ajisai?

-Uma encomenda de Karl. É para vocês.

Ela sorriu minimamente, indo na direção da menina e ficando a um passo perto dela.

-Sabe por que está aqui?

-Sakamaki-san não especificou para o meu pai sobre o que vim fazer aqui, apenas me mandou.

-Are, então por que você está aqui?

-Ele me disse que era para eu testar meus limites aqui. Foi um acordo com meu pai.

A morena ficou pensativa por alguns instantes, logo depois ouvimos outra batida na porta. Resolvi abrir e dei de cara com uma menina de longas cabelos rosas, mas meio ruivo também. Ela é meio pálida, e tem os olhos parecidos com os de Tsuyoshi-san.

-Quem é?

A garota ficou lá, parada no vão da porta. Senti um puxão no meu ombro e então Mari-san a puxou para dentro, deixando as duas uma perto da outra.

Ela usava um boné sobre os cabelos longos, virado para trás, junto do vestido meio cinza claro e escuro, e usava uma meia-calça preta, e carregava uma mala verde clara.

Sem querer ficar implicando nem nada, mas a tal menina não abria um sorriso, pelo amor hein.

-Tsukimya Haruka?

Ela concordou com a cabeça, mantendo o rosto sério.

-Você, no caso, veio para receber um tratamento aqui, não é? –A morena perguntou, e a rosada tornou a manear com a cabeça.

-Certo. Pode descer, Azusa-kun.

Logo, o irmão de Mari-san apareceu, e eu pude ouvir o resto do povo resolver aparecer também.

-Nee... Quem são? –Perguntou Kou, interessado repentinamente.

Na minha mais sincera opinião, ele não podia ver um rabo de saia que já ia atrás para encher o saco.

-Eu andei fofocando com o Karl, e falei que não era justo vocês ficarem sem noivas também. Ele me mandou mais duas. Mas ele disse que só seriam mais duas.

-AH? E como fica o resto de nós? –Perguntou Kou, olhando indignado para Mari-san.

-Você e Ruki me tem. Deixe as duas.

-Mas eu quero uma M Neko-chan.... –Então senti um sopro no meu pescoço. –Nacchan, você não quer ser minha noiva? Juro que não vai doer.... Muito.

Subaru apareceu entre nós, me puxando para longe de Kou rapidamente.

-Quer ficar longe do que não é seu?!

-E nem seu.

Ouvi o albino bufar e então, só ouvimos o estrondo e de repente, tinha um buraco enorme na escadaria.

As duas estranhas olharam aquilo assustadas, mas eu meio que havia me acostumado com os ataques do vampiro bipolar.

-Subaru-kun....

Mari-san parecia estar o repreendendo, mas logo se voltou para Reiji-san, que tinha aparecido agora.

-Não posso leva-las para minha casa, porque senão alguém vai ter que vigiar meus irmãos por lá também. Ficaremos aqui até pelo menos o despertar das seis ocorrer, após isso eu vou para a mansão.

Despertar?

-Ainda não entendi porque apenas duas.

-Karl disse que tem um limite de pessoas que ele pode escolher sem que ninguém desconfie. Por esse motivo alguém fica sem suquinho por aqui.

Repentinamente, Yuma-san chegou na filha do Satanás e a pegou pela cintura, sentando ela (com uma força inumana) em seu braço esquerdo.

Apenas nele.

E antes que Kou-san pudesse avançar sobre a outra, Azusa-san seguiu até ela, pegou a mala da mesma e a puxou pelo pulso, desaparecendo consigo pelos corredores escuros da mansão.

Voltamos nossa atenção para Yuma-san, que simplesmente havia perdido a menina de vista. Ela havia dado um salto de seus braços, de modo que havia sumido na escuridão dos corredores da mansão.

-Ah, Yuma, uma coisa: Yasu é ótima em estratégias, não há local o qual ela não escape. Não importa a situação. E a Haruka.... Bem, digamos que é delicada como a Fuyuki, só que menos preocupante.

Me virei para olhar a albina, que estava encolhida nos braços de Maeda-san.

Ah sim, antes que eu esqueça de comentar, dentre todas nós, essas duas foram as que ficaram mais próximas. Parecia que, de alguma maneira, Maeda-san havia adotado Fuyuki como sua filha, e só quem chegava perto era Emi e olha lá.

Ao que eu me lembre, durante esses dias, Ayato só havia conseguido ficar perto da albina mais nova quando Maeda-san se distraia muito, ou quando estava ocupada tendo o saco cheio pelo Sakamaki mais velho.

Shu-san conseguia tirar toda paciência de Maeda-san. Mas de algum modo era divertido ver a interação dos dois. Ao contrário da minha....

Olhei de relance para Subaru-kun, que neste meio tempo, nem tentar manter um diálogo havia conseguido.

Eu passava a maior parte do tempo na defensiva, mas não como se eu não quisesse a presença dele, apenas não sou de falar muito.

Mari-san me lançou um olhar silencioso, logo saindo para o andar superior.

Maeda-san se voltou para Fuyuki, sorrindo amigavelmente para a mesma e saindo dali, sendo perseguidas pelo olhar do loiro e do ruivo-mor, este último parecendo querer pular no pescoço da albina.

Ri baixo, escutando a porta ser aberta e logo a voz em tom alto e bem perceptível de Nakamura-san entrou em meus tímpanos.

-‘Tá caindo o céu lá fora. Não há esgoto que suporte tanta água. Eu sinto como se eu tivesse acabado de ser resgatada do meio do oceano após o naufrágio do Titanic. E olha que eu não digo que congelei até a morte como o Jack porquê.... O que está acontecendo. –A ruiva tagarela parou assim que viu que todos os presentes encaravam ela, segurando os risos pelo seu falatório sem fim.

-Estamos achando interessante essa sua aventura, continue. –Falei, sem conseguir conter o riso.

-Cadê a Nee-san?

-Está com a Maeda-san.

Antes que Emi pudesse ir até o encontro de sua irmã, Kanato apareceu, aparentemente “feliz” com sua chegada.

-Emi-san.... Podemos conversar?

-Sim.

Sem se importar por estar molhada, a menina seguiu o Psicopata do Ursinho, seja lá para onde eles estiverem indo.

Rezarei pela alma dela.

-Alguma novidade, você parece tensa.

-Ah, duas noivas chegaram hoje Tsuyoshi-san. Uma delas, de acordo com Subaru-kun, parece cria do Satanás, porque nem passar uma imagem amigável ela passa. Embora pareça ser fofa. A outra era bem.... Taciturna. Mari-san disse que ela lembra um pouco Fuyuki.

-Sério?!

-Sim, e tem mais. Mari-san disse que elas foram as últimas.

-Como assim?

-Aparentemente, Karl tem um limite de pessoas que ele pode inserir dentro da mansão, e ele decidiu que as duas foram as últimas.

Nakamura-san usava um blusão enorme sobre um outro quadriculado, ambos em tons de azul água, bem claro, beirando ao verde. Vestia um short jeans escuro meio desfiado, e usava um all star cano longo cinza. Os cabelos presos em um rabo de cavalo, com algumas mexas caindo sobre seus olhos.

Tsuyoshi-san estava usando uma blusa longa marrom, de botões com a gola meio bege, junto dos punhos, com um enfeite vermelho no pescoço, junto da saia preta e as meias três quartos da mesma cor. Calçava uma sapatilha preta delicada e tinha dois prendedores em formato de “x” em uma de suas mechas.

-Quem escolheu elas.

-A cria de Satã ficou com o Yuma-san e a outra com Azusa-san. Kou-san não tem noiva.

-Ah, do jeito que aquele loirinho parece ser o que mais tem fogo, duvido que ele não vá arranjar alguma caixinha de sangue portátil por aí.

-Haname!

-Estou mentindo Akemi?

Eu sabia que Kou-san não pararia quieto enquanto não tivesse uma presa.

Minha única preocupação era que eu me tornasse ela.

Naquela época, eu jamais admitiria que pensava assim, mas era tudo por causa daquele sorriso.

O lindo sorriso de Sakamaki Subaru.

 

 


Notas Finais


Ficha
Nome: Yamaguchi Yasu
Significado de seu nome: Yasu (Calma ou Tranquilidade) Yamaguchi (Abertura para a montanha)
Idade:15
Aniversário:19/10
Signo:Libra
Aparência:Cabelos castanhos escuros um pouco abaixo dos seios com uma franja reta, pele morena e olhos castanhos escuros e tem um corpo mediano.Tem 1,53 de altura.
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/22/71/3d/22713d1288d10d546b915aa3dcab48bc.jpg
História:Seus pais nunca pensaram em ter algum filho então quando sua mãe descobriu que estava gravida quis aborta-la , já seu pai ficou feliz e não deixou mulher abortar. Quando sua mãe estava com sete messes acabou sofrendo um acidente de carro e não resistiu, Fuyuki teve que nascer as pressas se não iria morrer, seu pai quando soube da noticia foi correndo para o hospital.Quando tinha 8 anos seu pai foi assassinado, a menina teve que ir para um orfanato e em três meses foi adotada por uma homem um pouco velho com 50 anos, o mesmo era bem rigido e serio a ensinou a sempre ser educada e a respeitar a todos mais tambem a ser fria e as vezes sem sentimentos.
O que gosto:Ler, ouvir musica, desenhar, dormir, fazer pegadinhas, observar o céu a noite, as vezes praticar um pouco de luta, pintar, mexer no celular e fazer doces.
O que não gosta: Maus tratos aos animais, Lugares com muitos barulhos e que mecham em suas coisas sem pedir.
Hobbies:Pintar, desenhar, praticar artes marciais, tocar piano e Observar o céu a noite.
Habilidades: Saber fazer estrategias,ter um raciocinio rapido e conseguir sempre escapar de algum lugar.
Objeto de valor: Um colar que seu pai a deu quando tinha 5 anos (http://i01.i.aliimg.com/wsphoto/v0/524146609_1/10-pairs-lot-Fashion-Alloy-Metal-Yin-Yang-Pendant-40mm-For-Valentine-s-Day-Gift-On.jpg)
Poque Karlheinz escolheu você?
Quando descobriu que ela é uma otima estrategista e conseguia sair de qualquer lugar sem ser percebida, ele quis testar isso a prendendo em um lugar cheio de vampiros, a mesma não consegui sair até por que eram vampiros, mesmo que ela não soube-se, mas ela não ficou com raiva ou chateada isso só fez ela querer melhorar mais.Ele também testou para ver se ela era mesmo tão boa com estrategia e raciocinio, nisso ela conseguiu surpreender ele.
Qual o seu par ?
Mukami Yuma
Qual a sua relação com ele ?
No inicio ela queria o mais longe possivel não só ele como qualquer pessoa, mas Yuma parecia querer irrita-la e tira-la de sua calma. Ele sempre irritava ela mas como não conseguia nada começou a ficar irritado até que ele tocou na ferida dela, que era seus pais biologicos, ela acabou gritando com ele e ficou trancada por dois dias seguidos sem sair do quarto, e ele por se sentir culpado então decediu pedir desculpas mesmo sendo orgulhoso, estava com saudades da companhia dela quando ele estava na orta, acabou que ele se tornou o primeiro amigo da menina.
Qual sua relação com os outros meninos?
se da bem com Azusa pois ele e bem quieto e gosta de conversar com ele.
Qual a sua relação com as outras noivas?
Preferi ficar afastada de todas, mas tem um grade respeito por todas.
Qual sua música tema: Lupe Fiasco & Guy Sebatian-Battle Scars https://www.youtube.com/watch?v=_mPd_SDAryQ
Qual sua Frase?
"Nunca deixe ferem suas fraquezas pois podem ser usadas contra você"
Algo mais ?
As roupas que ela usa no dia a dia:
https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/9b/21/4b/9b214b15003e9877ed6688c17ddaf87d.jpg

https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/24/c6/d9/24c6d9e008d7ec224244b22ed560dafa.jpg

https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/a3/71/a2/a371a2eb71cfb582e019006bb03e97af.jpg

https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/c9/dc/2f/c9dc2fbe4954d6204280865821e977b7.jpg

Pijama:https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/564x/36/c8/96/36c896908bfd6e4bf170373c505750d5.jpg

Sabe que se ficar sem comentar três capítulos desaparece?
Sim.

Eis a Yasu e a Haruka está destacada nos comentários, Ok?
Eu tive a ideia de fazer o par do Kou separado, para não ficar só aquele estereótipo de noiva, então o par do Kou vai ser alguém sobrenatural, algo como vampira, bruxa, lobo, etc. Vai ser conhecido da Mari e dos Sakamaki, mas os Mukami não conhecem.
E para dar um tchan, eu decidi por um rival no amor para o Ruki, mas isso apenas se vocês quiserem.
Ele vai ser criado por vocês, mas caso eu veja que não vá acontecer muito comoção, vou retirar a ideia e o formulário dele. Este aqui só pode ser vampiro, ok? E se quiserem, pode ser irmão ou amigo próximo a personagem do Kou, dou liberdade para criarem mais de uma ficha e participarem dos dois, mas se quiser mandar só para um deles, não tem problema.
Caso tenham se interessado, escrevam no início da ficha "Cantarella" para a par do Kou e "Romeo e Cinderela" para o rival do Ruki.

Beijos!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...