História O perdão deles! - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~Nandacchin

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Personagens Originais
Tags Gale, Gerza, Gruvia, Nalu
Visualizações 80
Palavras 647
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OLHA QUEM VOLTOOOOOOOU
espero que gostem do capitulo

Capítulo 4 - Sabia desde o começo


Fiquei alguns segundos parada na porta do quarto encarando o rosado sentado em minha cama, palavras não saiam e meus músculos não se mexiam. Deve ser normal acontecer isso, afinal faz três anos que não vejo o amor da minha vida não é mesmo?

Seus olhos da cor ônix me encaravam de uma forma inexplicável, seus cabelos rosas estavam um pouco maiores do que a anos atrás, seus músculos poucos maiores me chamavam para os braços dele.

Sem perceber algumas lágrimas que segurava começar a cair de meus olhos cada vez mais, e o que me surpreendeu foram as deles caindo também. Ele levantou e veio em minha direção puxando-me para um abraço apertado, ah como eu senti falta de seu abraço. Quando finalmente consegui me mexer, retribui o abraço e disse em meio a uma voz chorosa.

-Tadaima...

-Okaeri... –Responde me apertando mais em seus braços.

Ficamos um tempo assim no maior silencio, eu escutava sua respiração descompassada e ele a minha, seu coração batia rápido e o meu mais ainda, o fato de estar finalmente em seus braços ainda me mantia surpresa, mas não posso mentir dizendo que não fiquei bem com isso, na verdade me senti maravilhada com isso, havia me esquecido de como isso era tão bom.

Ele me afastou um pouco e segurou minha cabeça em suas mãos, com um brilho intenso no olhar, como se estivesse observando uma miragem.

-Não acredito que é realmente você... –Disse deixando cair finas lágrimas de seus olhos.

-Deixa eu te provar então. –Digo e o puxo para um beijo.

Nossa, como senti saudade de seu beijo, sua boca encaixada perfeitamente na minha me deixava nas nuvens. Ele ficou surpreso no começo, mas de cara retribuiu o beijo colocando suas mãos em minha cintura e me puxando mais para ele, coloquei minhas mãos em seu pescoço e o puxei mais para mim é claro, ele é só meu. Transmitimos amor, carinho e saudade, muita saudade na verdade. Mas tudo que é bom dura pouco não é mesmo? A maldita da falta de ar veio à tona e nos pegou obrigando-nos a separar. Juntei minha testa na dele com os olhos ainda fechados e respirei fundo.

Quando os abri novamente ele me encarava, pedindo uma explicação rápida.

-Eu tive que ir... –Comecei a dizer e comecei a andar sentando na cama logo em seguida.

-Sem me avisar? –Ele perguntou se encostando na porta.

-Não podia contar para ninguém Natsu. –Disse triste.

-Nem para mim? –Perguntou triste.

-Se eu contasse você iria vir atrás de mim. –Disse séria, ele abriu a boca para dizer algo, mas o cortei. –E não suportaria te perder.

-Mas eu pensei ter perdido você. –Ele disse aumentando o tom de voz me deixando com raiva, ninguém aumenta o tom para mim não.

-MAS EU VOLTEI PRA VOCÊ, ESQUECEU? –Ele se assustou. –SE VOCÊ FOSSE, IRIA PARA SEMPRE, MAS EU NÃO. EU VOLTEI PRA VOCÊ E ESTÁ PARECENDO NEM LIGAR. –Comecei a chorar.

-Por que fez isso? –Perguntou também chorando.

-Foi preciso. –Respondi chorando.

-Por que?

-Tinha uma força maior vindo... –Abaixei o olhar começando a encarar o chão. –Descobri que Zeref é na verdade meu pai, e antes que você diga mais alguma coisa, não, ele não é seu irmão. –Disse quando ele abriu a boca para falar merda. –Enfim, meu tio, no caso o verdadeiro END, foi para o reino dos dragões e só eu conseguiria impedi-lo. Passei dois anos treinando com os dragões e mais algumas magias perdidas até que esse ano saímos a sua procura. Consegui derrota-lo a um mês atrás.

-Por que não voltou antes? –Perguntou sério.

-Tinha que arrumar os estragos que ele fez... –Disse e ele suspirou.

Ele nada disse, apenas suspirou e saiu do quarto. Comecei a chorar quando ouvi a porta principal ser fechada.

Desde o começo sabia que ele não me perdoaria tão fácil... 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...