História O Pior Pecado Do Pastor - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Alfredo Flores, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Pattie Mallette, Personagens Originais
Visualizações 141
Palavras 1.476
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 35 - Help Me


Angel Collins

Point Of View

Los angeles- California- Estados Unidos

Justin cozinhava alguma coisa na cozinha, já que minha ideia de pedir algo para comer foi recusada porque ele disse que  não era para ele usar celular ou telefonar para qualquer lugar que fosse, que tinham sido ordens do FBI. Passamos a noite toda conversando sobre isso e o que iriamos fazer embora eu nao faria nada além de me esconder em uma mansão maravilhosa com Justin e eu não achava essa ideia ruim mesmo vivendo essa situação complicada.

Me sentei na bancada de marmore observando Justin cozinhar, e foi inevitavel não rir com ele todo atrapalhado e com medo do fogo, eu até poderia o ajudar mas estava concentrada demais em ver ele apenas de cueca no fogão, e ele não era o unico a estar semi-nu, eu estava apenas de roupas intimas também.

- Sabia que eu arrumei uma amiga na escola?- disse o contando, já que agora seria o unico momento que não estariamos falando da situação que estamos vivendo no momento.

- Sério?- disse fugindo das faiscas da frigideira e eu comecei a rir -  amiga mesmo? Mulher?

- Sim Justin - revirei os olhos 

- Nome?

- Alyssa

- Não me fale que é a irmã do Liam?

- É ...- eu deveria imaginar que ele saberia quem era, já que a familia dele era da igreja e o Liam era conhecido pelos seus problemas. - O que tem?

- Devo te dizer que ela é igual a ele então.... Outra perdida - Resmungou desligando o fogo e suspirando pesado, realmente cozinhar era uma guerra para Justin.

- Sendo perdida ou não ela gostou de mim, depois de 3 anos as pessoas me vendo como um monstro,vi nela interesse em mim, ela me fez rir e sei lá, foi bom ter uma amiga de novo e me sentir normal de novo- disse por fim e agora ele me olhava com pena e eu via arrependimento em seus olhos.

- Tudo bem, e como vocês se conheceram?- Disse pegando os pratos

- Liam veio falar comigo ...- me interrompeu

- Ele ainda fala com você? Serio angel? 

- Fala - disse já com tédio sabendo que ele não me entenderia- ele bufou

- Não adianta eu te proibir né?

- Eu só queria ter amigos Justin, que mal tem nisso? Eu e o Liam não temos mais nada além disso fora que eu amo você, e parece que esse amor nunca vai passar.

Ele me olha sério colocando os pratos na bancada já com a comida, e me da os talheres.

- Se esta se referindo ao fato de um dia você ter que ir e o amor continuar, você não será a unica. O amor que sinto por você também não vai passar.- respirei fundo.

Falar disso era doloroso, sentia que eu ia morrendo aos poucos sem perceber, eu melhorei muito depois que começamos com isso, porque o amor me transformou, clichê mas é verdade, mas o amor tem sua parte ruim, e essa parte ruim é a pior coisa que você pode sentir.

- Depois ela chamou o Liam e ele nos apresentou- conclui a historia de como eu e Alyssa nos conhecemos.

- Entendi, e sobre o que conversaram?

- Muitas coisas, ela me apelidou de rapunzel- ri e ele fez i mesmo, a comida estava realmente boa, para o meu espanto,porque achei que ele queimaria tudo já que fugia do fogo o tempo todo. - e eu apelidei ela de Ally.

- Gostei mais do seu- pausou para comer- Sabe o que eu queria fazer?- o olho esperando sua resposta- ver um filme

- Aqui tem algum?

- Muitos- apontou para uma pratileira cheia de filmes e eu me senti meio besta por não ter visto antes uma coisa tão grande.

- Então vamos ver- Terminamos de comer e colocamos os pratos na pia. 

Fomos para o sofá que virou uma cama, quando Justin abriu sua parte de baixo, ele escolheu um filme e colocou na televisão, eu já estava deitada o esperando e ele se deitou ao meu lado me aconchegando em seu peito.

Senti meus olhos pesarem um pouco então os fechei,seria bom dormir em seu colo novamente, mesmo querendo ver o filme, o sono falava mais alto.

Senti seu cafune em minha cabeça, e um beijo que ele depositou na mesma.

- Sabia que quando eu te vi pela primeira vez, eu desejei que te ter na mesma hora.

Abri meus olhos, sentindo meu coração acelerar um pouco.

- Eu desejei que você morresse - rimos- mas no fundo eu estava mais irritada com a atração que eu sentia por você do que pelo tratamento.

- Então era essa a grande a verdade?

- O tempo todo

Ele me puxou para levantar e me pois em seu colo, e começou um beijo lento e gostoso, minhas mãos foram para sua nuca a aranhando com força. Ele desgrudou nossos lábios, e foi descendo seus beijos lentamente pelo meu pescoço, apertando minha coxa com força.

Puxei sua cabeça com força o beijando com ferocidade, mordi seu labio inferior que o fez arfar baixo.

Suas mão apertaram mais minhas coxas, e subiram lentamente pelo meu corpo, pousando em minha cintura.

Me deitou no sofá com delicadeza, e começou a fazer uma trilha de beijos pela minha barriga até chegar em minha calcinha, a tirando lentamente,já sentia que meu corpo estava se arrepiando por inteiro.

Me levantei, me sentando e tirando meu sutiã e ele se apressou com a cueca.

- Apressada- disse vidrado em meu corpo

- Seu corpo não me da escolha- riu e eu me posicionei em seu colo, pegando na base de seu pênis, e sentando lentamente.

Seus gemidos foram altos assim como os meus, suas maos apertavam muito forte minha cintura, mas logo foram para meus seios, os massageando e os chupando ao mesmo tempo. Joguei minha cabeça para trás sentindo o prazer que aquilo me proporcionava. Era incrivel como eu sentia tanto prazer com ele e eu não me imaginava fazendo isso com mais ninguém.

-  Você ....- gemi- Disse que largaria tudo não disse?

Ele abriu os olhos e segurou meu corpo no seu tão forte que eu achei que fosse quebrar e logo entendi o porque, senti seu gozo dentro de mim e logo o meu liquido escorrer sobre a extensão de seu pênis.

- É ...- pausou ofegante- Eu disse que largaria tudo

- Como?- me deitou em seu peito, tirando seu membro de dentro de mim

- Simplesmente largaria tudo, indo embora com você.

Me levantei e fui ao andar de cima para preparar um banho para a gente, enquanto isso coloquei uma blusa de Justin e uma calcinha,fui no banheiro e comecei a encher a banheira colocando espumas.

Do nada as luzes se apagam e eu quase caio no banheiro, nao consigo enxergar muito bem, mas estava de dia assim que eu abrisse a porta conseguiria ver mais coisas.

Abro a mesma e sinto uma pancada em minha cabeça muito forte, caio no chão vendo tudo embassado e turvo até que sinto minha consciencia se esvaindo aos poucos.

Mandy Wells

Point Of View

Batia na porta sem parar, eu fiquei horas procurando o endereço e quando achei quase voltei, a rua era escura e pouco movimentada, mas não poderia esperar outra coisa de pessoas como eles.

Assim que a mesma se abriu, uma mulher abriu fumando um cigarro e jogando a fumaça em minha cara, ela olhou atras de mim e disse.

- Entra- sua voz era rude e grossa assim como sua aparencia.

Antes que eu pudesse entrar sinto alguém me puxar com força, e olho assustada e vejo Ryan com o FBI. O olho confusa e meu coração acelerado.

- Tem escutas na sala de visitas Mandy- Ryan começou enquanto a tal da Faby e o Lucky prendiam Abby- com a turbulencia das ameaças nem vimos quando Abby fugiu do banco. - o olhava ainda um pouco zonza

- Vagabunda- Abby cuspiu em minha cara- Trouxe eles até aqui, vai pagar caro por isso.- a levaram para o carro a prendendo no porta-malas.

Limpei meu rosto com minha blusa sentindo as lagrimas virem de uma vez, Ryan me abraçou e eu desabei, não me importei se estava parecendo fraca, ou molhando sua camisa toda, eu precisava colocar aquilo para fora.

- Nunca mais faça isso Mandy- Ryan disse tentando me acalmar- Justin vai ficar bem, você tem que se proteger- Assenti e ele me levou até o carro - Você podia ter morrido.

Narrador:

O lugar era escuro, e umido, a unica luz era uma vela que já estava no final, o lugar era bem fechado e pequeno. Correntes espalhadas pelo chão, onde Angel se encontrava, ela ainda esta inconsciente enquanto as correntes machucam seus punhos.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...