História O Plano - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Charlie, Erza, Fairytail, Fanfic, Gale, Gruvia, Happy, Laxus, Lily, Magia, Mira, Nalu, Romance, Sting, Wendy
Exibições 40
Palavras 2.627
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Aventura, Crossover, Fantasia, Hentai, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura!

Capítulo 3 - Igneel


Fanfic / Fanfiction O Plano - Capítulo 3 - Igneel

Mamãevocê estará sempre comigo?

Indaguei, enquanto ela passava a mão pela minha cabeça. Mamãe me olhava confusa, ela certamente não entendia o porquê de uma garota de apenas cinco anos lhe fazer uma pergunta tão intensa e repentina, mas era fato que eu já percebia o que havia em meu entorno, como se de alguma forma, sentisse que algo estaria para acontecer. E esse 'algo' mudaria toda a minha concepção de 'vida'.

Claro que sim pequenaeu sempre estarei ao seu ladoesteja você me vendo ou nãoEu estou no brilho dos seus olhos Lucye em toda estrela que brilhar no céu.

Ela me abraçou. Embora para ela, tudo isso só estava me confortando, eu sabia, que até mesmo seu abraço dizia algo que eu não conseguia entender. E eu só fui entender que Dois anos mais tarde, em uma noite de neve, corri para vê-la em seu quarto, aproveitei que todos estavam dormindo, e a casa completamente silenciosa, porém, antes que chegasse, vi uma luz piscar vindo do escritório do papai, como qualquer criança curiosa, corri até lá, deixando a possível visita a mamãe para mais tarde.

Me esquivei para que não fosse notada, e vi que meu pai estava conversando com um homem, alto, usando um fino terno branco e trajado de forma bem clássica, exceto pelo cachecol quadriculado em seu pescoço, mas no fim esse adereço combinou bem com seu rosto de traços finos, e os seus exóticos cabelos róseos esbranquiçados. O homem parecia encurralado, meu pai dizia algo bem rígido, e mesmo que ele não concordasse com o que era dito, tinha que aceitar.

- Você não vai fugir, seu filho precisa se casar com a Lucy!

Meu pai bufou, jogando alguns papéis em cima do homem, que lançou um suspiro, colocando a mão no bolso do terno. Eu não sabia o que era 'casar' na época, mas quando contei a Virgo, ela me disse que ele não podia fazer isso, e que apenas eu poderia escolher o meu futuro. Mas o senhor Jude não desejava apenas isso.

Me desculpe Heartfilia, assim como você, possuo dois garotos, gêmeos, e não acho que eu possa decidir o destino deles dessa forma.

Não importa o que caralhos vai acontecer! Eu quero que essa garota sirva para algo além de machucar a minha mulher, eu quero poder Drag, poder, e você vai me proporcionar isso!

- Até onde vai a sua ganância Jude?

- Ou um dos seus filhos cuida da garotinha, ou eu cuidarei.

Me assustei na hora, Jude lhe lançava um sorriso e olhar completamente malicioso, me fazendo estremecer por completo. Eu não estava acreditando, meu pai seria um... pedófilo?

- Você não faria isso...

O homem também estava em choque, mas o senhor Jude riu, na verdade, gargalhou, enquanto rodeava a cadeira que o rosado estava sentado, passando uma mão em seus cabelos extremamente lisos e bagunçados.

Talvezninguém sabeÉ fato que Layla não possa permanecer junto a mim por muito tempoe eu realmente preciso de uma diversão.

Tudo bem, me dê logo o contrato, mas serei justoela irá conhecer os dois e escolher qual fará como esposo.

Como quiser.

***

Ahh, odeio ter sonhos como esses.

Abro os olhos, e em um borrão percebo Sting me encarando, pisco algumas vezes tentando melhorar a visão, e pouco a pouco sua imagem vai se formando. Solto um suspiro, realmente odeio quando tenho lembranças que remetem a Jude, não o considero como pai e não quero nada que venha dele. Mas uma coisa me é estranha, esse homem, Drag, vem aparecendo repetidas vezes nos meus sonhos, e eu nem mesmo o conheço, o que isso poderia significar?

Balanço a cabeça, retirando esses pensamentos da cabeça, me preparando para encarar Sting. Ele me olha com uma cara de 'você fez merda', mas, espera um pouco, como mesmo vim parar aqui?

- Sting, o que houve?

Olhei em seus olhos. Sting sempre soube se comunicar muito bem na linguagem facial, isso quando ele não queria simplesmente me mandar uma mensagem telepática. Porém, dessa vez, sua expressão demonstrava uma espécie de mistura entre dor e pena, uma feição tão confusa, que eu não soube identificar o porquê de ela estar em seu rosto.

- Você se envolveu em uma grande enrascada - Ele sorri fraco, e repentinamente me abraça - Mas saiba que sempre estarei com você.

- Sting... me diga, o que aconteceu?

Repeti, dessa vez elevando o tom. Ele alternou o olhar para mim e para a saída do quarto, me fazendo virar no mesmo momento. Notei uma coisa que ainda não tinha visto. Um homem estacionado na porta, velho, de longos cabelos, um estranho tapa olho e barbas bem brancas, apesar disso no conjunto estava trajado de forma cortesa. Ele se aproximou, no momento que viu que eu o havia notado. Me virei para Sting novamente. O que esse homem faz aqui?

- Espero que cumpra com o nosso acordo senhorita Lucy.

O homem diz, com um largo sorriso no rosto. Droga, eu ainda não sei como cheguei até aqui, e não me lembro de nada da noite anterior. As dores em minha cabeça, minha total falta de coordenação motora, junto com a minha aversão a luz do sol que emana da janela, me revelam algo que eu espero que não tenha acontecido. Eu posso ter sido dopada.

- Que acordo?

Indago, mesmo que esteja totalmente receiosa. Ainda não sei o que esperar dele. Sting segurou minha mão, e o homem me entregou um papel. Comecei a analisá-lo antes mesmo de abrí-lo, é um contrato mágico, mas o que isso tem a ver comigo?

"EuLucy Heartfiliaafirmo e digoque conquistarei Natsu Dragneele assimdescobrirei o seu ponto fraco"

 

Encarei o papel, escrito claramente com a minha letra, e sendo um contrato mágico, sei que é legítimo.

- Como raios isso está assinado por mim?

Bufei, me levantando do sofá, completamente exaltada. O homem riu, enquanto esboçava um sorrido cínico. Fiquei tentada a cortá-lo ao meio, e arrancar seu coração com as mãos. Se tem uma coisa que todos sabem é que embora sejam doces, os dragões se irritam muito fácil, e esse velho estava prestes a saber disso da pior forma. Me projetei pronta para socá-lo, mas Sting segurou a minha mão, assim que percebeu minha inquietação. Se tem uma coisa que minha mãe diria nesse momento é, estou empolgada.

- Você foi a escolhida, e aceitou ser nossa parceira.

Continuou a sorrir. Tentei forçar minha mente para lembrar de qualquer coisa que pudesse me ajudar a contradizê-lo e gritar 'Ei, eu não fiz isso!', mas nada me veio a cabeça. Santo Metalicana, eu mereço.

- Antes de tudo, quem é você?

- Eu sou Hades.

Meu coração começou a ficar cada vez mais agitado, eu me lembro bem desse nome, me lembro de ouvir mamãe gritar para que ele a deixasse em paz. Me lembro de Jude enfiar sua língua nojenta na boca dela para poder acalmá-la, e ela cedia, e como cedia. Mas, por que esse cara está aqui?

*Stingesse não seria o Hades que conhecemos?*

*Espero que não seja*

- Tudo bem, o que esse contrato significa?

O encarei, olhando-o fixamente para poder descobrir alguma falha em sua conduta. Mas tudo estava impecável, seu tom de voz, suas roupas, seu olhar superior, mesmo estando diante de dois dragões, mas ele não deve saber disso. Não há escapatória. Se é um contrato mágico, minha vida depende do meu sucesso nele.

- Basicamente nada de especial. Você, no período de um ano, ficará com o senhor Natsu, e só então será liberada. A regra é simples, você deve conquistá-lo, do jeito que preferir, e então descobrir o paradeiro de alguém muito importante pra mim. O grande Dragão de Fogo, Igneel, que é o ponto fraco do garoto.

Encarei Sting novamente. Se esse for o Igneel que conheço, ou melhor, ouvi falar, já que nunca o vi de fato, seria o melhor amigo de mamãe, que pelo jeito que ela dizia, o brilho em seus olhos, e sua tristeza ao ficar longe dele, era quem ela amava, e não a Jude. Não consigo culpá-la, ela deveria ter algum motivo por ainda estar com ele, mas, qual seria? E, se eu encontrasse Igneel, ele poderia me dizer mais sobre minha mãe?

- E onde esse tal Natsu está? Preciso de uma ficha completa.

Disse, lançando um sorriso, que causou leve espanto no velho. Eu sei, estou ficando louca se acho que posso tirar algum proveito dessa situação, mas, se eu estou presa, que eu saiba usar minha falta de liberdade.

*Lucyo que pensa em fazerVai mesmo aceitar?*

*Não se preocupeestá tudo sob controle*

- Acho bom que você não conteste sobre essa situação. E sobre o rapaz não se preocupe, olhe no verso da folha.

Voltei minha atenção novamente a folha, virando-a, e encontrando coisas que ainda não havia reparado, estou mais sonsa que o normal ou o que?

Nome: Natsu Dragneel

Idade: 19 anos

Magia: Dragon Slayer do Fogo

Filiação: 

Mãe (desconhecido)

Pai (desconhecido), tendo apenas como tutor Igneel, que o deu uma identidade

Guilda: Fairy Tail

Residência: Magnólia

Amigos mais próximos: Gray Fullbuster, Erza Starlet, Mirajane Strauss, Lisanna Strauss, Wendy Marvell, Levy McGarden e Gajeel Redfox

Possível relacionamento com Lisanna Strauss

Inimigo: Zeref, o mago da morte

 

Me virei para Sting, lhe entregando o papel para que ele pudesse ver e tirar suas próprias conclusões. Olhei novamente para Hades, que observava tudo atentamente. Ao menos esse Natsu não é velho demais, e Igneel pode me ajudar com algumas perguntas não respondidas sobre minha mãe. Porém, o que terei que abrir mão para que isso ocorra?

- Tudo bem, tenho tudo que preciso. Agora peço que se retire do meu quarto, e que me deixe arquitetar o meu plano.

Sorri, empurrando-o para fora do quarto. Ele não pôde responder, já que em poucos segundos eu já havia fechado e trancado a porta, aproveitando para escrever meu telefone e coisas do tipo em um papel e jogando-o por baixo da porta, não deixando de ser irônica em escrever 'me liga baby'.

Sting se aproximou, e por um momento não deixou de me fitar. Essa cara não é a melhor que ele poderia fazer. Eu sei, tudo isso aconteceu por eu não saber bem o que bebo, mas ainda assim não tenho culpa. E sua feição, me corrói, e me deixa mais mal do que se ele realmente tivesse dito algo.

- Sting, por favor, não se cale.

Abaixei a cabeça, deixando que as lágrimas caíssem. Eu não entendo, ninguém consegue me machucar, exceto ele, ninguém me deixa mal, exceto ele. Sting é meu irmão, meu amor e minha tristeza ao mesmo tempo. Eu tive que crescer, crescer para cuidar daquele pequenino garotinho loiro, e ainda sinto que não sou o suficiente para ele.

- Ei, você sempre foi suficiente pra mim maninha. Foi por você que eu ainda estou aqui, você me ajudou a crescer sem a mamãe. Me perdoa Lucy, me perdoa por nunca ter te agradecido.

Sting me abraçou, e eu pude sentir suas lágrimas descerem por minhas costas, se misturando com as minhas. Droga, odeio isso de ele poder saber o que eu estou pensando.

- Senta aqui loirinho, vou lhe contar uma história.

Sorri, puxando-o para a cama, de modo que ele ficou deitado com a cabeça apoiada em meu colo. Comecei a massagear seus cabelos, nenhum de nós cessou o choro, é claro, mas sei que uma das histórias de mamãe vai nos ajudar nessa situação.

- Lembro-me de uma história que mamãe contava da mitologia grega, Ícaro era filho de Dédalo, um famoso inventor, que em um dado momento teve que fazer um labirinto para o rei Minos: o labirinto de Creta, local no qual ele iria aprisionar o Minotauro. Porém quando Dédalo ajuda a esposa de Minos, recebe como recompensa ser preso em seu próprio labirinto juntamente de seu filho Ícaro. Depois de muito tempo preso, ele encontra uma maneira de fugir, pegando penas de aves e as grudando com cera, para que os dois possam voar e então sair do local. Desse modo, os dois foram tentar escapar, porém Dédalo advertiu Ícaro, dizendo que ele não podia voar nem tão alto para sua cera não ser derretida e nem tão baixo para não ser puxado para o mar, mas o jovem Ícaro, maravilhado com o céu, foi voando cada vez mais, até ter suas asas serem derretidas e cair no mar. Eu não soube administrar minha liberdade, e acabei levando você comigo Sting. Mas ainda não caímos ao mar, estamos no ar loiro, e faremos de tudo, para além de cumprir com o contrato, descobrirmos qual a relação entre Igneel e a mamãe.

***

Assim que o dia seguinte amanheceu, saímos da pousada e nos dirigimos a cidade de Magnólia, onde fica a famosa guilda, Fairy Tail. Sting permaneceu o caminho inteiro calado, de forma pensativa, ele sabe assim como eu que teremos que enfrentar muita coisa para conseguir a nossa tão esperada liberdade. Um filme acaba rodeando por minha cabeça, e sua trilha sonora toca em minha mente, até que começo a cantarolar.

É hora de lutar 
Eu vou correr sob o luar 
Ouça bem, 
Veja bem 
Eu não pretendo me entregar 
Preciso resistir 
Me libertar tentar fugir 
Tudo bem não há ninguém, pra me prender como refém

 

Não vá pensar que eu estou acabado 
É bom ter cuidado 
Não vou desistir 
Eu não pretendo desistir não 
Se você acha que vou ser domesticado Está muito enganado 
Não vou desistir 
Eu não pretendo desistir não 
Ninguém vai me prender 
Sou livre!

 

O que me aconteceu? 
E que destino será o meu? 
Por que estou aqui? 
Lugar que eu nunca vi 
Chegou a hora de lutar 
Eu vou fugir, eu vou tentar 
Escute bem e veja bem 
Eu não sou seu e não sou de ninguém Legal!

 

Não vá pensar que eu estou acabado 
É bom ter cuidado 
Não vou desistir eu não pretendo desistir não 
Se você acha que vou ser domesticado Está muito enganado 
Não vou desistir 
Eu não pretendo desistir não 
Ninguém vai me prender 
Sou livre!

 

Terminei de cantar, com um estranho sorrisinho no rosto. É realmente engraçado como a música de um Corcel se encaixou pra mim, e agora, eu tenho que lutar. Vou conseguir reverter a situação, vou ser livre. Assim como o Spirit conseguiu. Vou descobrir tudo que é necessário sobre minha mãe.

- Lucy?

Sting chama minha atenção e eu começo a observá-lo. Ele não deixou de dirigir, e ainda estava focado no trânsito, mas sua feição não está tão pesada quanto antes. Está... leve.

- Que foi maninho?

Digo receiosa, tentando acalmar meus pensamentos antes que eles fiquem tão altos que ele paosa ouví-los. Embora saiba que ele pode ouvir sempre que quiser. Sting soltou um riso, finalizando com um daqueles lindos sorrisos de canto.

- Pense pelo lado positivo, agora, não teremos que escolher uma guilda.

Ele diz brincalhão, começo a rir. Esse é o jeito que gosto de vê-lo. Prosseguimos com a viagem, conversando e dessa vez mais calmos e descontraídos. Fiquei dessa forma, até chegar em uma grande instalação. Assim que vi a placa bem enfeitada, escrito em tons vermelhos 'Fairy Tail', gelei. Meu coração começou a bater em total descompasso, e minha respiração estava cada vez mais rápida. Qual o motivo desse nervosismo todo? Estou com medo, muito medo, embora já tivesse colocado em minha mente que tudo vai ficar bem, isso não deu muito certo. O que fazer? Sting pega minha mão e então bato na porta, o que será de nós agora?

Continua...


Notas Finais


Oissss! Então, curtiram? Espero que sim! Genteeen! Essa fic tá meio musical não é?! Eu sempre estarei dando Algumas dicas sobre filmes! Esse é Spirit, o Corcel Indomável, super recomendo!

Eu sei que estou reescrevendo/revisando, mudando muito sobre a história, mas achei necessário, mas a parte principal está intacta.

Quero que comentem sobre essa mudança, digam o que acham dela, ficarei imensamente feliz com isso <3 Obrigada a todos que estão lendo, votem e adicionem à sua biblioteca, para sempre saber quando sai um novo capítulo! Obrigada mesmo! Milhões de beijinhos e até o próximo :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...