História O poderoso artefato - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Star Wars
Personagens Anakin Skywalker (Darth Vader), Leia Organa, Luke Skywalker
Exibições 4
Palavras 1.214
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Ficção

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - O poderoso artefato


Após Luke Skywalker derrotar seu pai, Darth Vader e tomar seu lugar como soberano da galáxia, ele acaba se tornando obcecado em conseguir mais poder para governar com mãos de ferro e ter controle absoluto sobre qualquer população do universo. Então, com esse objetivo em mente, sai em uma jornada que dura anos para encontrar o tão desejado artefato, enquanto isso a aliança rebelde dobra os seus esforços para localizar e capturá-lo.

— Senhora, nossas últimas pesquisas apontam que Luke seguiu para um planeta desconhecido, não se sabe ao certo o por quê, pode ser que seja uma armadilha do império para nós, o que deveremos fazer? - relatou um comandante da Aliança à Léia.

— Mande um drone para o planeta para fazer uma busca completa, caso ele achar algo suspeito que valha a nossa atenção iremos investigar pessoalmente. - disse Léia determinada em achar seu irmão e salvá-lo do lado negro da força.

Léia sabia que mesmo mandando um drone seria uma missão de alto risco, já que com o império cada vez mais forte, o comércio para os rebeldes se tornou mais difícil e agora, com poucos recursos, eles não poderiam usar algo que não fosse extremamente necessário.

No planeta desconhecido, após muito esforço, Luke finalmente chega ao seu objetivo e consegue encontrar o que tanto desejava, um aparelho que ascenderia a força nele e que além disso, daria controle e visão de qualquer parte do universo bastando apenas um único toque. Então, com o aparelho em mãos Luke solta uma risada baixa sem fazer muito ruído, enquanto grita a si mesmo:

— Consegui! Eu finalmente consegui! Mesmo depois de muito esforço eu consegui e agora nada poderá me parar!!!

O que ele não esperava era que o drone que a Aliança rebelde enviou atrás dele estava por perto e por sorte, conseguiu captar, gravar e enviar tudo à base, onde estava Léia e seus aliados escutando tudo.

— O que faremos agora, princesa? Caso isso que Luke falou for verdade, pode ser o fim da Aliança e o fim da esperança de ter uma galáxia livre das garras daqueles tiranos. - disse apavorado um dos generais do local.

— O que faremos agora, general? Mandaremos um esquadrão para detê-lo enquanto ainda está cansado, fraco e sozinho graças a sua longa viagem. - respondeu Léia.

Sendo assim, os pilotos preparam sua nave para partir ao planeta o mais rápido possível antes que Luke consiga atingir o poder máximo do aparelho e alcançar as informações sobre a localização da base rebelde.

Após uma rápida viajem a toda velocidade o esquadrão rebelde finalmente chega ao planeta e vão ao encontro do Luke.

— Lembrem-se, a missão aqui é destruir o aparelho e capturar Luke Skywalker. - disse Scott, o capitão do esquadrão.

— Sim, senhor! - respondeu o resto do esquadrão.

— E não abaixem a guarda para um Jedi. Mesmo que esteja sozinho, fraco e cansado, continua sendo muito perigoso. - acrescentou Scott.

O esquadrão já iria concordar com o que foi dito quando o droide de exploração VH-IXGH soltou um leve assovio com leituras de calor estranhas, indicando que estavam perto de algo. Quanto mais eles se aproximavam do local, mais frequente ficava o assovio. Ao chegaram tão próximos, o assovio parecia um som continuo ao invés de ter pausas, mas isso não durou muito tempo, já que Luke assim que sentiu a presença deles não hesitou, sacou seu sabre de luz e entrou em posição de batalha.

Após ambos os lados se estudarem por um tempo, a briga teve início pelo lado dos rebeldes, uma vez que começaram a disparar contra Luke, não para matar, apenas para ferir e desarmá-lo. Porém, isso não adiantou, com apenas um movimento com a mão Luke foi capaz de parar todos os tiros de energia que vinha em sua direção; e com outro movimento, os mandou de volta para onde vieram atingindo os soldados menos atentos e forçando o resto a sair de posição para desviar:

— Como podem ver, já é tarde demais para vocês. Eu já estou utilizando o poder do aparelho. – Luke explica calmamente.

 Agora com todo o esquadrão espalhado seria fácil para ele atacar e matar um por um. Luke faria isso se o capitão Scott não tivesse pensado rápido e jogado uma granada de fumaça que atrapalhou a sua visão por tempo o suficiente para eles recuarem e se reagruparem. Novamente, em posição os soldados voltaram a disparar, mas dessa vez não em Luke e sim no terreno ao redor dele para distrai-lo. Assim, o droide VH-IXGH foi rapidamente roubar o aparelho de Luke, de modo que ele percebeu e foi correndo irracionalmente atrás do robô como se sua vida estive-se naquele dentro do equipamento.

Foi quando VH-IXGH deu um pequeno tropeço no terreno irregular da beira da montanha, o derrubou e consequentemente, levou o aparelho ao chão. Scott mirou e atirou em direção ao aparelho, enquanto Luke reuniu os restos de sua energia para correr e entrar na frente do tiro, protegendo o aparelho. Esse gesto surpreendeu Scott, que por um momento se indaga:

— Até onde o homem vai para conseguir o que quer? O que ele é capaz de fazer para proteger cegamente seu objeto mais precioso?

— Você não entenderia, depois do que eu fiz essa seria a única salvação para mim. Não me restou nada, meu pai morreu, Han está desaparecido e minha irmã provavelmente me odeia. Aumentar meu poder é o único jeito de preencher o vazio que eu sinto e bem, esse aparelho conseguiu fazer isso, e é por isso que eu o protegerei com unhas e dentes. – Luke respondeu ofegante.

Luke sacou seu sabre pronto para o que seria a última batalha dele ou a de Scott, que pegou um Bo eletrificado, pois sabia que com Luke cansado, fraco e ferido, teria alguma chance no combate corpo a corpo.

Após um breve estudo do oponente, Luke avança em direção a Scott e disfere um ataque, Scott consegue desviar com facilidade e contra-ataca na direção da ferida que o tiro causou. Luke consegue interceptar por pouco o ataque se protegendo do golpe e então, usando a força, arremessa Scott para o outro lado. Luke sai correndo para o aparelho, mas felizmente o droide VH-IXGH consegue alcançar o artefato e arremessá-lo para fora da montanha. O que o droide não pensou é que Luke estava atrás do artefato, deixando Scott espantado e triste, já que completou apenas metade de sua missão e provavelmente, Luke não sobreviveria à queda.

Após retornar a base rebelde o capitão do esquadrão, tinha que passar o relatório à princesa Léia:

— Princesa, conseguimos destruir o artefato, mas infelizmente Luke morreu tentando salvar o aparelho. - disse Scott.

Léia faz uma cara de espanto, pois nunca esperaria isso de seu irmão:

— Infelizmente Léia, ele já estava totalmente dominado. - disse Scott.

— Pelo lado negro da força? - perguntou Léia.

— Não, pior ainda, ele se tornou prisioneiro do aparelho que achou que controlava. Por fim, deu a própria vida para tentar salvar aquilo. - respondeu o capitão.

Então, os dois se abraçaram por um breve instante, o que deveria ser um momento feliz, pois o universo estava cada vez mais próximo da liberdade do governo opressor do império, foi tomado pela tristeza da morte de Luke.

Rian Gomes e João Vitor Mendes



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...