História O porque de eu te amar- Charisk - Capítulo 17


Escrita por: ~ e ~YoriBronken

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asriel Dreemurr, Chara, Error Sans, Flowey, Frisk, Grillby, Ink Sans, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Tags Aus, Charisk, Undertale, Universos Alternativos
Visualizações 74
Palavras 1.078
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Escolar, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OLAAAAAAAAAA

Voltei depois de dois meses gente :3

Sim sou eu marshallon!!!!
Marsh ou deliça :3

Felizes?

Não...

;-; nosfa

BORA COMEÇAR O Cap

Capítulo 17 - Apenas um sonho ruim


Pov Chara

Vazio da mente 

19:06

De repente tudo ficou parado e sem cor, eu estava novamente em memórias congeladas no tempos 

Mas dessa vez era diferente...

Pov Frisk 

Hospital emergencial de antitale 

20:26

Nesse momento apenas sinto o clima pesado do hospital. O chão é gelado e as cores em volta são mórbidas, é possível ouvir os passos agitados dos médicos em outras alas do hospital. A luz que ilumina o corredor onde estamos é fraca e está falhando, enquanto o antivírus fala com o flowey dando a notícia dos estado de chara e bredley, as lágrimas de Asriel são visíveis de longe, flowey por sua vez já está em desespero. Ao lado tem uma família que acabou de ter um parente morto... e por mais que eu esteja aqui esperando por notícias, só de pensar que chara pode morrer já me destrói por dentro, tudo o que eu sei é que estou perdendo sentido das coisas, talvez seja o que está acontecendo com chara também.

E quase robótico como os médicos respondem, eles dizem "não se preocupe vai dar tudo certo", isso só aumenta o meu desespero, quando finalmente um médico sai do quarto de chara e diz:

Médico: ela está estabilizada, já podem vê-la, somente um de cada vez por favor 

Com um frio na barriga, pele pálida, nervosismo e muito medo eu entrei no quarto de chara. 

E lá estava ela, um rosto quase angelical, ela estava usando aparelhos para respirar, havia um soro injetado nela, sua pele estava pálida, ela estava deitada sobre a cama, completamente adormecida, sua alma flutuava constantemente sobre sua cabeça.

Tudo que eu mais queria era abraça-la e dizer " está tudo bem, eu estou aqui..." mas não podia toca-la, os médicos disseram que ela tem que acordar por conta própria, se alguém a acordar ela pode ter graves problemas psicológicos. Ela deve estar passando pela mais inimaginável dor, disseram que toda vez que ela vomita essa gosma sai, junto dela sai muito sangue. Ela vai precisar de uma doação... 

Frisk: é trágico pensar que tudo de certa maneira acabou assim... antes de eu entrar aqui nessa sala recebi notícias do seu irmão, seu irmão está bem sabia? 

Silêncio....

Frisk: flowey e asriel estão aos berros lá fora... eu também estava...

Eu odeio o silêncio....

Frisk: eu nunca devia ter te deixado... Se eu não tivesse sido menos ingênua... eu queria salvar alguém, mas acabei ferindo outros 

No silêncio é possível ouvir soluços 

Frisk: Você consegue me enlouquecer... eu te odeio tanto...

No silêncio e possível ouvir os sussurros

Frisk: porque eu tive que te conhecer? Você tem ideia de como é horrível e ao mesmo tempo incrível amar? 

É possível ouvir os loucos 

Frisk: Você tem um incrível dom de manipulação, eu sinto tanta raiva e depois eu sinto tanta felicidade e logo depois eu sinto tristeza

É possível ouvir os insanos 

Frisk: eu estou ouvindo vozes chara, risadas, choros, sussurros, ordens, conselhos, gritos, incentivos e críticas. Eu juro que se você não acordar eu me mato 

O silêncio é a pior tortura que existe 

Frisk: eu sou louca chara! Eu sou insana! Eu sou doente! Eu sou sociopata! Sou apenas o que me mandaram ser, não tenho controle sobre meus sentimentos, eu sinto todos ao mesmo tempos e ao estremo! 

Apenas os mentirosos recebem o castigo do silêncio 

Frisk: ainda tem tantas coisas que eu não contei ora você... eu nunca vou ter coragem para contar todas. Eu nunca cumpri o nosso pacto de nunca contar mentiras! 

Eles vivem em um mundo sombrio e de dor... um mundo escuro

Frisk: eu nunca mereci piedade! Bredley tinha razão, eu sou um monstro. Eu sou inútil chara! EU NÃO PRESTEI NEM PRA ME MATAR NO MONTE EBOTT 

Muitos nomeiam esse mundo, alguns chamam de inferno, outros de submundo, poucos de paraíso inverso, mas eu prefiro chamar de... void ou pra ser mais exata o escuro entre desenhos e estrelas 

Frisk: é minha culpa...

Pov Bredley 

Quarto de recuperação 

20:40

Eu acordei em uma cama de um lugar que eu não sabia onde era. Eu estava sem o casaco, sem camisa e sem minhas luvas sem dedos. O casaco estava pendurado em um suporte próximo a porta e a camisa dobrada sobre uma mesinha, com as luvas em cima que também tinha algumas flores e um copo de água. Eu pisquei os olhos duas vezes e me sentei na cama, no meu peito tinha várias faixas amarradas. Minha alma estava na frente de meu peito, só que sem danos (cinzenta, contornos negros e uma rachadura vermelha no meio, como sempre foi) eu coloquei a mão no peito, acima das faixas. Eu olhei ao redor e vi: minha foice estava encostada na parede, de forma vertical. E por um flash algumas lembranças passando em minha  mente.

Em meus olhos... se passavam memórias... imagens.... projeções. Eu me lembrei a que ponto minha insanidade e egocentrismo chegaram. Eu vi minhas antigas lembranças: No laboratório, eu com meu casaco cinza, segurando minha foice na frente de Sans, que tinha lágrimas nos olhos e o esquerdo brilhando azul. Em Waterfall, a frente de Undyne a Imortal. No último corredor.... com Papyrus, que segurava um osso em uma das mãos. Com seu olho direito brilhando laranja. Na sala do trono, com Asgore e Flowey, e as seis almas humans flutuando ao redor deles. E então.... Chara... a minha frente e com medo... chorando.

Logo as mesmas cenas passaram outra vez... só que diferentes. Sans agora estava em pé, mas tinha um grande buraco no centro de seu crânio, seus olhos perderam o brilho e derramavam sangue. Na Waterfall, eu me vi segurando a cabeça ensanguentada de Undyne. No último corredor, Papyrus estava caído no chão, sem cabeça. Na sala do trono, as almas viraram estilhaços, Asgore estava caído com sua armadura destruída e múltiplos cortes em seu corpo. Eu agora segurava Flowey nas mãos, que chorava de medo enquanto eu apenas sorria. E por fim..... me vi sentado no chão, com Chara sentada em meu colo com vários cortes. eu a abraçava com lágrimas em meus olhos, atrás de mim, Error flutuava com um sorriso.

Eu já  não conseguia mais saber a que ponto chegara... Então apenas fechei meus olhos afastando aquelas memórias. Ao abrir.... eu vi.... a minha frente, uma grande névoa vermelha com chão negro. Frisk estava deitada lá, com cortes e lágrimas. Em seguida minha visão voltou a sala.

Bredley: .... Frisk..... Não....

Eu rapidamente me levantei, arrebentando os tubos que me injetavam soro em meus braços. Peguei minha foice, e sai do quarto."



Notas Finais


SIM EU VOLTEI

Não eu não troquei vocês pelo wattpad, não se desesperem

Eu apenas havia quebrado meu celular

ENTÃO NÃO TENHAS PÂNICO

A marsh voltou :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...