História O Prazer por trás dos Contos - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, A Bela e a Fera, A Rainha da Neve, Branca de Neve, Cinderela, Delírio
Personagens Personagens Originais
Visualizações 137
Palavras 697
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 11 - Capitulo 2


Os sete anões, na verdade, eram sete belos príncipes sob a maldição de uma bruxa demoníaca. A maldição, além de torná - los bem pequenos, também atingiu cada um com uma enfermidade que gerava crises de espirros, sonolência, mau humor etc. Sem ver solução para sua situação, os príncipes deixaram a sociedade para viver juntos na floresta, onde afinal se 
tornaram conhecidos pelas características que receberam em consequência da maldição, passando a se chamar Atchim, Soneca, Zangado, Feliz, Dengoso, Dunga e Mestre. Essas eram as circunstâncias dos anões quando chegaram para encontrar Branca de Neve naquela noite.

Desde o primeiro encontro, Branca de Neve ficou encantada com os anões e se sentiu um 
tanto segura com eles, em sua pequena cabana na floresta. Quanto aos príncipes-anões, eles se apaixonaram profundamente por Branca de Neve. Nada que ela dissesse deixava de agradá- 
los, e eles faziam tudo que ela pedia. Eles se tornaram melhores amigos em pouco tempo.

Mas, numa noite, os anões entreouviram Branca de Neve chorando em sua cama. 
Alarmados, correram para o seu lado e imploraram para que ela contasse a causa de sua 
aflição. Após muito insistirem, Branca de Neve confessou sua solidão e lhes contou seu 
profundo desejo de ter um príncipe para amar. Essa declaração os entristeceu profundamente, mas Mestre subitamente anunciou que conhecia o remédio para Branca de Neve.
- como assim. Disse ela.
- você confia em seus anões. Disse o mestre.
- claro que sim. Ela respondeu.
- então deite se, feche os olhos e relaxe. Disse ele.

Assim ela fez o que ele disse e começou a sentir as mãozinhas dos anões tocando seu corpo entrando por baixo de sua camisola, branca de neve se assustou pulando da cama e cobrindo se com o lençol.
- o que vocês estão fazendo. Perguntou ela.
- você não confia na gente então há como ajuda lá. Disse o mestre.
Em seguida todos os anões deitaram se cada um em sua cama deixando branca de neve sozinha. Os dias passaram e branca de neve deixou de lado o acontecido, com o passar dos meses e a chegada dos ventos frios à floresta, Branca de Neve e os sete anões ficaram mais próximos do que nunca, em sua cabaninha aconchegante. Ainda assim, a pobre Branca de Neve lamentava a ausência de um 
príncipe só seu para amar, pois todas as princesas não podem deixar de querer um príncipe. E 
logo os anões foram novamente perturbados pelo som de seu pranto. Eles logo se apressaram até ela, como haviam feito na outra vez. Ela voltou a lhes contar sobre seu desejo de um príncipe. E novamente Mestre disse que sabia como ajuda lá, mas ela precisava confiar nos anões.
- sim eu confio. Disse ela deitando e fechando os olhos.

Então ela sentiu os leves toques das mãos dos anões, como sopros leves, passando por seu rosto e corpo. Dessa vez ela não pulou, mas confiou que eles não lhe fariam mal. Branca de Neve deixou seu corpo relaxar e, ao fazê - lo, o calor a tomou, envolvendo - a numa quentura, e uma estranha sensação de formigamento começou a revolver dentro dela. Os 
dedos logo foram substituídos por lábios úmidos e macios que buscavam os seus. Ao primeiro 
beijo que tocou seus lábios, Branca de Neve abriu os olhos e viu diante de si o mais lindo 
príncipe que seus olhos já haviam visto. Ele segurou sua mão e buscou seus lábios para um segundo beijo. Ali, diante de seus olhos arregalados, apareceu outro príncipe, ainda mais 
bonito, depois outro, até que todos os sete anões haviam recobrado sua forma de príncipe, um mais magnífico que o outro. Cada príncipe era mais singular que o anterior, com uma 
masculinidade arrebatadora e uma perfeição física. Um tinha cabelos louros e olhos azuis, 
outro era ruivo de olhos castanhos. Um tinha o peito coberto de pelos, enquanto outro era liso como seda. Até a cor de sua pele era singular e única, com um príncipe negro como carvão, outro de cor amendoada. Resumindo, não havia uma característica masculina que faltasse
dentre os sete homens.

Branca de Neve estava tremendo de choque e deleite.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...