História O Prazer por trás dos Contos - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, A Bela e a Fera, A Rainha da Neve, Branca de Neve, Cinderela, Delírio
Personagens Personagens Originais
Visualizações 52
Palavras 589
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 28 - CAPITULO 2


A rainha engasgou aterrorizada com as palavras do espelho, que continuaram ecoando 
baixinho em seu quarto. E seu coração tem de ser comido! Mas que coisa horrível (e 
super engordativa), pensou ela. Ela olhou mais próximo do vidro. Ali, viu duas rugas finas que 
se acomodavam abaixo de seus olhos fundos. Ela se afastou do espelho com um gritinho. 
E seu coração tem de ser comido! 
Incapaz de encarar o espelho por mais tempo, a rainha saiu de seu quarto como uma 
flecha. De repente, viu-se cara a cara com sua enteada, Branca de Neve, chamada assim por 
causa de sua pele clara e pura como a neve recém-caída. A rainha jamais gostara muito dela - 
porque nessa época não existia muita afeição entre as mulheres, mesmo para com as crianças - 
, mas ela a suportara até agora em memória do pai de Branca de Neve. 
No entanto, nessa ocasião a rainha não pôde deixar de perceber a beleza de Branca de 
Neve, e lhe! ocorreu que a criança insípida havia crescido e se' tornado tão bela quanto ela 
própria já fora um dia. Alguém como fostes tens de achar. A rainha estremeceu ao se lembrar
das palavras do espelho, e imediatamente mandou Branca de Neve afastar-se dela e ir 
trabalhar na cozinha. 
E, por um tempo, a vida prosseguiu dessa forma, com a pobre Branca de Neve forçada a 
trabalhar de empregada na casa de seu pai. E sua madrasta, a rainha, em estado de desânimo a 
ponto de não poder olhar para Branca de Neve, sem ser acometida por dor aguda. 
Certa manhã, como o prazo de validade da rainha se aproximava cada vez mais, a mulher 
desafortunada novamente se viu diante do imenso espelho de seu quarto. Logo ela estaria 
fazendo o mesmo apelo doloroso: 
Espelho, espelho meu, 
Quanto tempo até eu cair?
Minha beleza era vã? 
Ou pode a dor diminuir? 
O espelho esperara pacientemente que ela voltasse e, dessa vez, respondeu com uma 
determinação ainda mais arrepiante: 
Tua beleza, antes, sem par, 
Muito em breve sumirá, 
Veja Branca de Neve, O coração dela servirá! 
A rainha rodopiou se afastando do espelho num ataque de fúria e agarrou a cadeira mais 
próxima com o intuito de atirá-la no espelho ofensor e estilhaçá-lo de uma vez, mas desistiu; 
primeiro porque acreditava que o espelho lhe dava a única esperança verdadeira, e também 
porque, em seu estado de subnutrição, não tinha forças para levantar a cadeira. Em vez disso, 
se sentou. Ela realmente comeria o coração de Branca de Neve se essa fosse a única maneira 
de recuperar sua beleza. 
Ciente disso, a rainha resolveu acabar logo com tal infortúnio e imediatamente mandou 
chamar seu criado de maior confiança para ajudá-la. Tal criado, na verdade, era um belo 
príncipe disfarçado, pois era apaixonado pela rainha e assim podia ficar mais perto dela, 
esperando uma oportunidade de ganhar seu coração. 
O príncipe ouviu o pedido da rainha em choque I, e, em silêncio, olhou-a incrédulo com 
seus belos olhos azuis. Como o verdadeiro amor era o único antídoto contra a maldição do 
feiticeiro, o príncipe ignorava totalmente que o prazo de validade da rainha estivesse 
próximo. Na verdade, a seus olhos ela se tornava mais bela a cada dia. 
Mas o príncipe não podia recusar nada à rainha, seu amor por ela era tão imenso que ele 
logo concordou em ajudá-la. Reconhecendo que essa seria a oportunidade pela qual tanto 
esperara, ele impôs a condição de que a rainha passasse a noite com ele, longe do castelo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...