História O Prazer por trás dos Contos - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, A Bela e a Fera, A Rainha da Neve, Branca de Neve, Cinderela, Delírio
Personagens Personagens Originais
Visualizações 26
Palavras 592
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 30 - Capitulo 4


O príncipe olhava o rosto da rainha enquanto ela 
o encarava. Suas expectativas para a noite eram mínimas, basicamente que, em meio à 
segurança da floresta, ela percebesse os sentimentos do príncipe e aceitasse seus galanteios. 
Ele não se atrevera a ter grandes esperanças e ficou chocado ao ver o desejo ardendo nos 
olhos dela. 
Notando tal desejo, ele lentamente começou a desabotoar-lhe o vestido. Ela não resistiu, 
nem tremeu de medo por não ser boa o suficiente; ao contrário, se arrepiou de expectativa. 
Com um som suave, o vestido caiu ao chão. Ela olhava seus músculos em silêncio enquanto 
ele mantinha o controle ao tirar roupas delicadas. Ela parecia hipnotizada, enquanto os dedos 
grandes do príncipe manuseavam o tecido sensível. Pela primeira vez, ela sentia-se 
verdadeira mente excitada. 
Suas peças de roupa caíam ao chão, uma a uma. Ela olhava com interesse à medida que 
seu corpo ia se revelando. Ao erguer os olhos e encontrar os do príncipe no espelho, o desejo 
que viu a deixou perplexa. Com o coração pulsando no peito, ela o olhou com a mesma 
intensidade ardente. 
Subitamente, foi como se ela estivesse assistindo a dois estranhos, tão desconhecidas 
eram as imagens no espelho, e não conseguia tirar os olhos do que" via. Ela via uma mulher 
trêmula enquanto seu amante baixava a boca morna até a parte de trás do seu pescoço para um 
beijo demorado e sensual. Ele continuava a beijá-la levemente pelos braços, descendo ao 
redor da cintura e abraçando-a ternamente. O rosto da mulher estava corado, tinha os lábios 
abertos e a respiração ofegante.
O homem no espelho ia se tornando mais agressivo, e suas mãos começaram a acariciá-la 
com uma eficácia que não deixava nenhuma parte intocada. No entanto, isso não parecia 
ofendê-la, já que ela apenas gemia suavemente, enquanto olhava à frente e permitia, em 
silêncio, total acesso ao seu corpo. A rainha olhava com grande interesse, vendo as mãos 
masculinas percorrerem cada parte do corpo da mulher. Seus olhos seguiam cada movimento, 
cada toque, cada intimidade. Uma sensação de desejo pulsante a tomou, enquanto olhava. 
Subitamente o homem no espelho se afastou da mulher para remover suas próprias roupas. 
Ela continuou olhando em silêncio para a sua frente, como se estivesse enfeitiçada. A rainha 
se perguntava porque a mulher não se virava para ver seu amante se despir, tão bela era a 
imagem, esplêndido em sua excitação. Por um instante, ele olhou para a dama que o encarava 
e depois para objeto de seu interesse. Isso o fez sorrir, e ele continuou olhando à frente, para 
ela, encontrando os olhos da rainha, enquanto passava os braços ao redor de sua dama e a 
beijava no rosto. 
A rainha se sentia trêmula de expectativa ao ver o homem agora se posicionando atrás da 
mulher do espelho. Ela afastou ligeiramente as pernas imitando a mulher, enquanto a via 
acomodar seu amante. Ela imaginou que podia sentir suas mãos fortes perfurando seus 
próprios quadris enquanto ele segurava a mulher com firmeza, e se projetava para dentro dela. 
Parecia sua própria voz enquanto a mulher gritava de prazer. A visão era tão real que ela 
fantasiou poder sentir a mesma coisa quando o homem do espelho penetrou a mulher. 
Ela estava tão completamente envolvida pela imagem diante de si que não percebeu 
quando começou a mover os próprios quadris no mesmo ritmo da mulher a que assistia. Ela se 
maravilhava ao ver a expressão intensa de prazer naquele rosto, os gemidos liberados que 
seus lábios soltavam e seus quadris ondulantes em abandono selvagem.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...