História O Prazer por trás dos Contos - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, A Bela e a Fera, A Rainha da Neve, Branca de Neve, Cinderela, Delírio
Personagens Personagens Originais
Visualizações 14
Palavras 606
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 38 - Capitulo 4


Por favor, desça de seu cavalo e me traga um pouco de água. 
Mas a criada se recusou, dizendo: 
-Você mesma pode pegar. 
Aquilo chocou a princesa, mas ela se sentia muito afeiçoada à garota para levar a questão 
adiante como deveria e, portanto, desceu do cavalo e foi até o córrego beber água. Mas 
Falada, o cavalo da princesa, marcou tudo que acontecera. 
Um pouco mais adiante, na estrada, a princesa novamente sentiu sede e, esquecendo do 
incidente anterior, mais uma vez solicitou ajuda da criada, dizendo: 
-Por favor, desça de seu cavalo e me traga um pouco de água.
Novamente a criada se recusou a ajudar a princesa com uma resposta grosseira, e a 
princesa foi obrigada a pegar sua própria água. Mas depois de beber, ela se levantou e viu que 
a criada também havia descido do cavalo. 
A expressão nos olhos da criada fez com que o coração da princesa se enchesse de terror. 
Parecia que ela iria matá-la, mas, em vez disso, ela ordenou que a princesa tirasse todos os 
seus trajes reais e vestisse os seus, de criada. Aquele pareceu um pedido estranho, mas a 
princesa obedeceu silenciosamente, mesmo vendo a criada vestir seus robes. Depois a criada 
montou em Falada, deixando seu cavalo para 
que a princesa montasse. A princesa ficou imaginando o que teria acontecido, mas não 
disse nada, pensando que seria mais prudente esperar até que elas chegassem à segurança do 
reino antes de questionar 
o seu comportamento bizarro. Quanto à criada, ela continuou postergando o momento de 
concluir seu plano, pois, na verdade, não teria prazer em executar a tarefa que tinha pela 
frente. 
Elas viajaram assim por um tempo, com a princesa temerosa demais para falar e a 
serviçal ponderan do o destino solenemente. Quando finalmente chegaram a uma bifurcação na estrada, que 
marcava a entrada do reino do noivo da princesa, a criada sabia que não podia esperar mais. 
Parou o cavalo da princesa e a fez descer. Antes que a princesa tivesse tempo para falar, a 
serviçal rapidamente mostrou um punhal. Apontando o punhal para o coração da princesa, ela 
lhe deu um ultimato: jurar jamais revelar sua verdadeira identidade ou seria morta. A princesa 
estava chocada demais para falar, mas a criada projetou o punhal à frente, dizendo: 
-Eu sei que você não irá quebrar um juramento real, portanto, jure agora, ou morrerá! O 
que a princesa poderia fazer? Para salvar a própria vida, ela fez conforme a serviçal mandou. 
E tudo correu exatamente como a criada planejara, quando as duas mulheres chegaram ao 
destino, a criada foi imediatamente tomada pela princesa, sendo recebida no castelo do 
príncipe com muita alegria e comemoração. Quanto à verdadeira princesa, ela foi obrigada a 
agir como uma serviçal. Ficou trancada no ex-quarto de sua criada e forçada e desfazer suas 
próprias malas, que agora pertenciam a ela. A criada concluiu esse feito demoníaco ao mandar 
uma ordem dizendo que toda a caravana fosse mandada de volta ao antigo reino. 
Com seu plano tão bem conduzido, a princesa impostora não perdeu tempo em se casar 
com o príncipe, que não suspeitou de nada. Mas a verdadeira princesa se recusou a servir a 
criada traidora e, sem ter qualquer treinamento ou habilidade para o emprego, não encontrou 
nenhuma posição melhor do que cuidar dos gansos reais. E foi assim que ela ficou conhecida 
como a Garota dos Gansos. 
Dessa forma, o príncipe e sua noiva viveram felizes para sempre, mas, por outro lado, a 
garota dos gansos sofreu uma vida de pobreza e solidão, na qual seus únicos companheiros 
eram os gansos de quem cuidava no quintal.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...