História O Prazer por trás dos Contos - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, A Bela e a Fera, A Rainha da Neve, Branca de Neve, Cinderela, Delírio
Personagens Personagens Originais
Visualizações 11
Palavras 732
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 40 - Capitulo 6


A esposa do príncipe lentamente despiu a Garota dos Gansos. Ao olhar para seus olhos 
solidários e seu rosto sujo, ela corou de vergonha. Subitamente lembrou como esta sempre 
fora boa para ela. Lamentou seu tratamento à princesa, mesmo antes de seu segredo ser 
descoberto, mas, oh, como ela amara ter sido uma princesa! 
Quando a Garota dos Gansos estava totalmente despida, a criada a conduziu a uma imensa 
banheira, cheia de água e espuma. A garota abaixou na água, e a esposa do príncipe se curvou 
para banhá-la. 
-Será mais fácil se você tomar banho com elainterrompeu o marido. -Não foi assim que 
você fez no córrego? 
Relutante e com dedos trêmulos, sua esposa tirou a roupa e entrou na banheira. Apesar de 
seus medos quanto ao futuro incerto, ela podia sentir um formigamento se formando nela. No 
entanto, em sua atual circunstância, era tão perturbador quanto prazeroso. De pernas abertas 
ao redor da Garota dos Gansos, com um joelho de cada lado, ela começou a lavar os seus 
cabelos. Lágrimas de arrependimento corriam por seu rosto ao cruzar o olhar gentil da 
verdadeira princesa, que simplesmente olhava de volta para sua criada, sem qualquer traço de 
raiva. O príncipe observava silenciosamente, enquanto a Garota dos Gansos teve a ousadia de 
começar a lavar os cabelos de sua ex-criada, da mesma forma como fizera no riacho, naquela 
noite, tempos atrás. 
De cabelos limpos, e mechas brilhantes coladas ao corpo, as mulheres pegaram o 
sabonete e começaram a espalhar espuma no corpo uma da outra. O príncipe olhava perplexo, 
enquanto as mulheres se banhavam intimamente, como haviam feito na floresta. Usando apenas 
sabão e as mãos, elas se lavaram inteiramente, sem deixar parte alguma intocada. A Garota 
dos Gansos ficou tão comovida pela amabilidade de sua ex-criada que, esquecendo totalmente 
do príncipe, ela passou os lábios nos dela, num beijo rápido. Oh, como ela havia agonizado 
pelo que a outra fizera, enquanto ela era a Garota dos Gansos! Mas, acima de tudo, ela tinha o 
coração partido, por ter sido sincera sobre cada palavra de amor que pronunciara naquela 
noite, na floresta. 
Sua ex-criada estava atormentada por tantos sentimentos conflitantes para retribuir o 
beijo, e subitamente se levantou e saiu da banheira. 
O príncipe deu à esposa uma toalha macia e a instruiu a secar o corpo da Garota dos 
Gansos. Ela obedeceu, e novamente a garota retribuiu o favor ao fazer o mesmo por ela. 
Agora o príncipe conduziu as duas mulheres à sua cama, dizendo numa voz casual-apesar 
de tremer de absoluta instigação: 
-Por favor, senhoras, mostrem-me como se acariciaram ao lado do córrego. -As mulheres 
hesitaram, constrangidas. A pele, rosada pelo banho, formigava e queimava numa mistura de 
consciência e excitação. 
No entanto, o príncipe estava muito impaciente para saber tudo que se passara entre a 
esposa e a princesa. Sua relutância era como tortura para ele, 
que se dirigia às damas à sua frente, impacientemente, 
dizendo: 
-Vocês duas me traíram, uma com infidelidade e a outra por malandragem. Segundo a lei, 
posso puni-las como eu quiser. Portanto, vocês podem pagar a dívida para mim, aqui e agora, 
integralmente, ou sofrer a punição integral da lei. -Ele disse isso a elas apenas por estar 
altamente excitado e desejar induzi-las à ação por qualquer meio necessário. Na verdade, o 
príncipe já perdoara completamente a ambas, ao vê-las no banho. 
As mulheres seguiram para a cama meio esquisitas, e se acomodaram uma ao lado da 
outra, como haviam feito anteriormente, com as cabeças viradas em direção oposta ao nível 
do olhar diretamente em frente aos quadris. O príncipe observava silenciosamente enquanto as 
mulheres se esforçavam para superar o constrangimento. Ele nem piscava por estar tão 
absorvido com a visão delas, que se tocavam sobre os corpos macios, suavemente 
provocando as partes mais íntimas sob seu olhar e tocando suas fendas com a língua. Ele 
lentamente caminhava de um lado ao outro da cama, querendo testemunhar tudo, de todos os 
ângulos. Estava hipnotizado pela imagem da língua rosada da Garota dos Gansos e a forma 
como ela a usava nos lugares mais íntimos de sua esposa -lugar onde ele pensou ser o único a 
penetrar. E estava igualmente envolvido pela visão de sua esposa fazendo o mesmo ritual com 
seus lábios e língua, até que ele não pôde resistir e beijou seu lábios, saboreando a evidência 
do que ele estava vendo ali.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...