História O Prazer por trás dos Contos - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, A Bela e a Fera, A Rainha da Neve, Branca de Neve, Cinderela, Delírio
Personagens Personagens Originais
Visualizações 108
Palavras 564
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Medo ou Prazer


Capitulo 4


Durante o tempo em que fiquei ali, que me pareceram horas, apesar de terem sido provavelmente meros segundos, fui tomada por uma excitação que aos poucos crescia dentro de mim, sem admitir que não estivesse nem um pouco desesperada pelo fim daquela situação.
Com um movimento súbito, tirei a camisola, antes que mudasse de ideia. Muito agitada, fiquei aguardando pelo próximo passo da Fera, mas ela permanecia em silêncio por um tempo que pareceu interminável. Eu me perguntava se ele poderia ouvir meu coração frenético e seu eco ruidoso em meus ouvidos.
A Fera lentamente ergueu sua mão enorme e acariciou levemente meu rosto. Gemi de susto ao sentilo. Sua mão era tão áspera que quase provocava dor ao toque.
Os olhos da Fera momentaneamente faiscaram de raiva, mas logo se aquietaram enquanto me estudavam, confusos.
– Não quero machucá-la, Bela -sussurrou ele. -Você é quem controla o destino de nós dois.
Não consegui compreender o significado de suas palavras, mas sua presença lentamente me dominava, me envolvendo e encurralando em sua força perigosa.
Como se ele estivesse me alertando sobre algo.
Teria-ele dito que eu estava no controle?
Será que eu deveria detê-lo?
Eu me perguntava: eu poderia detê-lo?
Eu me sentia fraca demais para me mover.
Por outro lado, suas mãos, um tanto grandes, como comentei, afagavam rudemente a minha pele, abrindo caminho até os meus seios.
Para minha surpresa, meus mamilos reagiram imediatamente, enrijecendo ao toque. Quando ele os apertou, um gemido escapou dos meus lábios; a força bruta de suas mãos, junto com meu desejo crescente, era agonizante.
Ele continuou a me tocar e, ao chegar no meio de minhas pernas, senti-me levemente envergonhada, pois minha excitação se tornou evidente. A Fera agora estava mudando rapidamente -a cada instante se tornava mais fera e menos homem.


-De joelhos -rosnou ele, por entre a respiração pesada.
Encarei-o, calada. A realidade do que estava se passando subitamente me assolou. Ele me possuiria da mesma forma como o faria com um animal. Era tarde demais para mudar de ideia, uma vez que ele já estava manobrando meu corpo na posição que ordenara, bem ali, no chão. Ele o fez com tanta destreza e habilidade que não tive dúvidas quanto à sua força, ou à futilidade que seria tentar fugir.


Por alguns instantes permaneci imóvel onde ele me posicionou. Enquanto isso a Fera se ocupava em livrar-se de suas roupas, atrás de mim. Ainda muito amedrontada para me arriscar a olhar a Fera e enfurecê-la, limitei-me a imaginar a indumentária tão dolorosa sob a qual ele se escondia. Mas minha curiosidade acabou vencendo o medo e, quase sem querer, minha cabeça se virou em sua direção.
Um gemido involuntário saiu dos meus lábios, o corpo dele lembrava o de um leão, com imensas patas no lugar dos pés e um longo rabo pendurado até o chão.
Era de uma coloração vermelho-arroxeada, de um tamanho sobre-humano. Tive certeza de que meu corpo jamais seria capaz de acomodá-lo.
A Fera ouviu meu gemido e viu-me encarando-o horrorizada. Ele soltou um rugido terrível e pronunciou algo apenas parecido com "Vire-se!"
-Você vai me matar! -gritei, realmente horrorizada, apesar de obedecer à sua ordem rude.


-Prometo que você sobreviverá -respondeu ele, com a súbita recuperação de sua gentileza anterior. Sua voz tremia ao esforçar-se para falar.
-Terá de ser assim até que você nos liberte dessa maldição.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...