História O preço de uma amizade - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Criminal Minds
Visualizações 3
Palavras 782
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela, Suspense

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hotch e a equipe procuram por Garcia junto com a IRT depois que Hotch pede ajuda a Jack Garrett. Enquanto isso Luke começa a mostrar seus sentimentos por Garcia para os outros.

Capítulo 4 - Eu vou te achar!


Os agentes se reuniram na sala da equipe e Jack chegou com Monty e Simmons. Pegaram um lugar no sofá para acompanhar. Não haviam conseguido uma informação útil e Monty começou a ajudar a pesquisar. Entrou nos arquivos pessoais de Garcia e nada de incomum foi encontro. O arquivo de registros da equipe parecia ser o único protegido com senha.

Jack, Hotchner e Rossi foram para a sala de Garcia a fim de encontrar algo nas anotações dela. Luke os seguiu mesmo sem permissão.

- Luke. O que você quer aqui? – Hotch estava visivelmente irritado com aquilo.

- Queria estar junto com vocês. – Disse Luke desconcertado com aquilo.

- Você está próximo demais disso Luke. Vá para casa. Descanse um pouco. Volte amanhã.

- Acho que eu vou mesmo. Não durmo há muito tempo e a cafeína me caiu mal. – Luke se virou para sair mas virou de volta – Hotch! Se achar algo você me liga?

- Ligo sim. Agora vá para casa.

Luke saiu do prédio, mas dizer que iria para casa era uma desculpa para procurar pistas sozinho. Ele ligou o carro e sentiu uma brisa no pescoço. Era um dia ensolarado e com um pouco de calor.

Luke finalmente saiu do estacionamento.

- Primeira parada: Apartamento da Penelope. – Falou para si mesmo. – Segunda parada: Cafeteria. – Completou.

Alguns minutos na estrada e Luke chegou no apartamento de Penelope. Nunca havia estado ali antes mas sabia onde ela morava desde que entrou na BAU. Ele ergueu o tapete da entrada e encontrou uma chave reserva embaixo dele. O prédio era seguro e ninguém mexia em nada dos outros sem permissão.

- Primeiro erro. – Pensou consigo, - Essa chave embaixo do tapete. – Deveria ter mais cuidado. – Completou.

Ele girou a chave e a porta se abriu. O apartamento fora revirado e ele estava com um par de luvas que havia pego para sua pequena investigação. Antes que ele pudesse começar a procurar a porta que estava fechada se abriu e ele sacou a arma. Os homens da porta também sacaram as suas. Eram Hotchner e Rossi.

- Agente Alvez! – Hotchner parecia muito irritado com aquilo – Você disse que iria para casa.

- E está aqui procurando porquê? –Rossi completou a frase de Hotch com uma pergunta.

- Eu pensei que poderia ajudar, mas já estou indo embora.

- Tocou em algo? – Perguntou Hotchner.

- Eu estava de luvas o tempo todo. – Respondeu Luke. – Porque?

- Você sabe que não poderíamos usar nada comprometido né? – Perguntou Rossi.

- Sei. Desculpa. Já estou indo embora.

- Luke. Vá para casa. Casa. Chega de investigar sozinho.

 - Ok.

Luke saiu contrariado, mas não iria para casa e desistir de tudo. Ele entrou no carro e foi até a cafeteira onde Garcia foi vista pela última vez. Decidiu colocar uma música no som do carro e uma música conhecida começou a tocar. Ele começou a se lembrar do primeiro encontro dele com Penelope na BAU.

Flashback 02 – Encontro na BAU.

Era o primeiro dia de Luke na BAU e o elevador se abriu. Penelope entrou e ficou com uma cara amarrada quando viu Luke. Mal trocaram palavras naquela hora. Penelope inventou uma história para poder se livrar de Luke. Quando o elevador abriu e ela saiu em disparada ele gritou que havia feito lasanha, mas Penelope fez pouco caso.

E quando depois de ser definitivamente contratado por Hotch eles se encontraram no elevador outra vez e trocaram mais algumas palavras.

Dias atuais.

Luke chegou na cafeteria e se sentou na mesma mesa eu Penelope costumava se sentar quando ia lá. A atendente veio toda simpática e ofereceu um doce para Luke que aceitou. Ele olhou para o lado e viu o homem do retrato falado.

- Não se mexa! FBI! Agente Especial Luke Alvez. Onde está a agente Garcia?

- Em um lugar melhor eu espero.

- Vire-se! Agora! Ei. Hotch! Eu o peguei. – Disse Alvez depois de discar alguns números e Hotch atender do outro lado. – Estou com ele. Na cafeteria. Venha me ajudar. Ou eu posso leva-lo.

- Ouça Alvez. Você tem certeza que quer fazer isso?

- Tenho total consciência dos meus atos. – Disse Luke convicto.

- Então o traga para cá. Vamos interrogar e depois vemos essa sua insubordinação. Mas ele pode não falar. De qualquer jeito Jack e sua equipe vão continuar a nos ajudar.

Luke o colocou no utilitário e o levou para a sede do FBI.

- Sabe. A Agente Garcia ficará feliz em vê-lo se você conseguir encontrá-la.

- E eu vou. A única coisa é se você estará viva para ver isso. Agora cala essa boca. Já estamos chegando.

- Eu vou te achar! Eu prometo Penelope. 


Notas Finais


Onde Garcia estará? E porque uma briga numa cafeteria se transformou em sequestro?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...