História O Primeiro Amor - Capítulo 12


Escrita por: ~ e ~FuuMonga

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Bêh, Rio, Romance, Salvador
Visualizações 20
Palavras 1.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oie meus loves! Mais um cap! Boa leitura!

Capítulo 12 - Despedida final/ Nova vida, nova escola, novas pessoas.


Fanfic / Fanfiction O Primeiro Amor - Capítulo 12 - Despedida final/ Nova vida, nova escola, novas pessoas.

P.O.V Luísa

Chegamos em casa e meus pais não estavam:

- Pedro, fica aqui comigo? Meus pais vão demorar e eu não quero ficar sozinha...

-Fico sim! Só vou em casa pegar uma roupa.

-Ok.

Vou para o banheiro e ligo o chuveiro no mais quente possível. Estou perdida entre pensamentos e sentimentos que inundam minha mente. Eles só param quando ouço a voz mais reconfortante do mundo:

- Lu, voltei! Tá aonde?

-No banheiro!

-Ah, eu vou esperar na sala então!

-Não, pode vir aqui, se quiser.

-OI?- Ele pergunta assutado.

- Você já me viu assim.

-Ok.

Ouço o abrir da porta, mas não o vejo, tem muito vapor no banheiro. Assim que ele entra, eu desligo o chuveiro e me enrolo na toalha. Passo por ele sem dizer nada, mas lanço um olhar malicioso em sua direção. Ele me parece ter entendido.

Eu vou para o quarto e visto a blusa dele (ele já me disse que acha sexy quando eu uso as blusas dele). Me deito, pego um livro qualquer, abro ele em uma página qualquer e começo a ler. Depois de alguns minutos, ele entra no quarto. Estava só com sua calça de moletom preta, com o cabelo meio bagunçado. Aquela imagem foi a gota que faltava pro copo transbordar. Fechei o livro e o botei de volta na cabeceira, fui em sua direção e ele disse (com uma voz rouca e totalmente sensual):

- Você ama essa camisa, né?

-Ela tem seu cheiro...

P.O.V Autora

Ele a interrompeu com um beijo, que já começou intenso e fervente. Ela começou a empurra-lo na direção da cama. Quando ele caiu na mesma, puxou a amada para cima de si. Eles continuaram com os beijos e as caricias por um bom tempo. Ele tirou a blusa dela, ela tirou a calça dele, tiraram as roupas intimas e continuaram a explorar o corpo um do outro com as mãos. Ele se deita por cima dela, a olha e espera ela consentir. Assim que ela o faz, ele introduz o membro na intimidade dela, que morde o lábio inferior. Ele vai aumentando a força e a velocidade dos movimentos, e morder o lábio já não é mais suficiente para abafar os gemidos (quase gritos) dela. O ato continua por um tempo, relativamente longo, até que ambos atingem o ápice juntos. Após o momento íntimo, eles se vestem (porque eles não são trouxas e sabem que os pais dela podem chegar a qualquer momento), Pedro deita de barriga pra cima e Luísa põe a cabeça em seu peito, e ali, adormecem.

Os dias passaram extremamente rápido para a infelicidade dos dois. O dia da despedida final havia chegado. Eles estavam sentados no banco de pedra, que ficava perto do parquinho do condomínio. Não haviam se desgrudado um segundo sequer naquele maldito dia. Estavam chorosos, quando a mãe de Luísa saiu do prédio e fez sinal pra ela se despedir, ela DESABOU. Ela começou a chorar e ele também. Antes de ir pro carro, ela o beijou, pela última vez (pelo menos seria por um tempo). Ela vai pro carro, ainda chorando, entra no mesmo e põe seus fones de ouvido. Escolhe uma música triste qualquer e volta a olhar pela janela, e só para quando Pedro some de vista:

-Luísa, para de chorar! É só um garoto!- Pai de Luísa

-Você não entenderia o que eu tô sentindo. Aliás, você nunca entende! A pessoa que você ama, tá bem ai do seu lado, enquanto eu estou sendo afastada do meu amor.

-Ailton, não perturba ela. Ela já tá bem mal pra você e ela ficarem brigados!

-Ok. Desculpa, filha.

Ela não diz nada e bota o fone de volta

P.O.V Luísa

Cá estou eu, nesse carro onde vou passar pelo menos 1 semana. Não tô com a mínima paciência pra viajar, mas fazer o que, né? Vamos lá.

#QUEBRA DE TEMPO#

Finalmente chegamos no RJ. Meus pais decidiram me mandar pra um colégio interno, pois acham que vai ser melhor de me adaptar. Bom, quem sou eu pra falar alguma coisa? Meu primeiro dia é amanhã. Minha colega de quarto e guia é uma tal de Isabela.

Bom, malas prontas, coisas prontas, roupas prontas. A única coisa que não está pronta sou eu. Eu e o Pedro nos falamos todos os dias. Estamos tentando manter uma relação à distância. Acho que pode dar certo.

No dia seguinte

Acordei, fiz minhas higienes pessoais, me vesti (A/N: Roupa na capa), tomei café e fui pro novo colégio, o Zubumafu High (A/N:só quem é coruja entendeu essa). Chegando lá, vejo uma garota um pouco mais baixa que eu, cabelos cacheados presos em um rabo de cavalo bagunçado, calça jeans, tênis da adidas, óculos preto com laranja e uma blusa preta escrito “I Love Shipps”. Ela se aproximou e disse:

- Você é a Luísa?

- Sou sim. Prazer!

- Sou a Isabela. Sua guia e colega de quarto. Prazer.

Apertamos as mãos e ela foi me mostrar o colégio. O lugar era incrível! Tinha enormes pátios com fontes, árvores e bancos. O chão de pedra estava incrivelmente intacto, por mais velho que fosse. Por fim, ela me levou ao nosso quarto e disse:

-Esse é o quarto que vamos dividir.

O quarto era relativamente grande. Tinha duas camas de solteiro aparentemente confotáveis, um frigobar, duas escrivaninhas, um armário de 6 portas, banheiro, uma cômoda, uma mesinha de centro um sofá cinza:

-Eu que trouxe esse sofá. No meu primeiro ano aqui, foi sofrido não ter um sofá, hehehe.- Isabela.

- Bom, eu trouxe uma TV. Podemos botar ela em cima da cômoda e fazer meio que uma sala.

- Gosto de como você pensa.

Ela parece ser bem louca, mas legal.

- Vou desfazer minhas malas, depois você poderia terminar de me mostrar o colégio?

- Claro! Vou te apresentar pras pessoas.

- Ok.

Desfiz as malas, enquanto o fazia a Isabela perguntou:

-Você me parece triste? O que deixou pra trás? Amigos, namorado..?

- Os dois. Eu e meu namorado Pedro estamos tentando manter um relacionamento à distância.

-Interessante. Depois me conta a história de vocês? É que eu gosto de histórias de casais, dá pra ver pela minha blusa eu acho.

-Não vejo problema algum.- Digo sorrindo.

Termino de desfazer as malas, nós instalamos a TV e saímos. Ela me apresentou pra praticamente o colégio todo, ela parecia ser bem popular:

-Nossa, todo mundo te conhece. Você é do tipo “famosinha”?

-De certo modo sim. Eu tenho um canal no youtube chamado “Veja seu shipp”. Onde eu filmo e posto todas as cenas de beijo ocorrentes em festas e no dia a dia. Depois, faço uma votação pra saber qual é o shipp favorito da galera.

-Nossa. É estranho, mas legal.

Ela abriu um sorrisinho e continuamos andando. Ela foi me apresentando pra mais e mais pessoas, até que chegou num menino que ela dizia ser um de seus melhores amigos e o garoto perfeito:

-Ow, Miguel! Essa é a Luísa, ela é aluna nova e chegou hoje. Sejam “abiguinhos”.-Isa.

-Oi, Luísa. É um prazer te conhecer.- Ele estende a mão pra mim.

- O prazer é todo meu.



Notas Finais


É isso ai, aguarde o próximo cap pra mais! (Esse cap teve um dedinho da FuuMonga, ela tbm tem perfil no spirit. Vão lá!)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...