História O primeiro amor do Maknae (VKOOK) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Bts, Namjin, Taekook, Vkook
Exibições 1.870
Palavras 1.026
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Lembram da foto anterior?
Vamos lá!

Com amor, aos Vkook shippers.

Capítulo 12 - Eu, você, o mar e a lua.


Fanfic / Fanfiction O primeiro amor do Maknae (VKOOK) - Capítulo 12 - Eu, você, o mar e a lua.

" A Lua se apaixonou perdidamente pelo mar" 

Era o que dizia mamãe quando eu era criança.

                            #######

Tiro dali de dentro duas pulseiras que mandei fazer a mão no dia em que viajamos.

Elas eram vermelhas, feita de material artesanal com duas tiras em pontos macramê. No feicho de uma foi usado um pingente de lua e no feicho da outra tinha um formato de : ~~

Era para simbolizar as ondas.

Não sei  se foi  sorte ou se o destino já tinha planejado, mas aquele lugar era perfeito para o que eu tinha a dizer.

— Segura hyung — Estendo a pulseira com o feicho de mar.

Ele pegou meio receoso.

— Vou te contar uma história. — Apertei a pulseira que segurava em minha mão tentando aliviar o nervosismo. — Preste atenção, tudo bem?

O hyung balançou a cabeça positivamente, mas sem tirar os olhos do mar. Parecia se negar a olhar para mim.

Respiro fundo.

— A lua sempre foi solitária. Não tinha ninguém com quem conversar. O sol prepotente com sua própria luz não se misturava com a lua. Sempre quando ela estava para chegar, ele ia embora. Ela se sentia rejeitada. Chorou escondida por dias, enquanto iluminava a escuridão. Sendo que a parte mais escura do mundo, habitava dentro do seu próprio coração. Mas quem iria ilimina-la? Pobre coitada! Nem luz própria ela tinha! — acaricio a imagem da lua em minha pulseira — Ela continuou chorando por dias, e dias.. Até que um dia ela avistou algo, imenso e azul,  que com  suas próprias lágrimas tinha criado. Quando o mar surgiu diante dos olhos dela, a primeira impressão foi um pouco assustadora,  já que eles eram tão diferentas um do outro. Mas o mar era amigável, e brincava, fazendo cócegas na lua com o vai e vem das suas ondas. Pela primeira vez, a lua tinha encontrado alguém que a fizesse sorrir. Quando a Lua contou para o mar como ela era tímida e desajeitada e o quanto o sol a tinha ignorado por toda sua vida. Nesta hora a lua pensou: " O mar vai notar que sou um zero a esquerda, e logo vai me ignorar também" Mas ao invés disso, sabe o que ele fez? — Olho para o Hyung  que ainda mantinha os olhos no horizonte, mordendo os lábios como se quisesse prender suas emoções. Ele dirige o olhar para mim sem dizer nada e eu continuo:

— Ao invés de achar ela uma perdedora, ele acalmou suas águas. A lua se perguntou: O que ele está fazendo? Foi nessa hora que percebeu: O mar simpático tinha tentado acalmar suas ondas para que ela pudesse enxergar seu reflexo. Ela não conseguia acreditar no que via, ah se antes soubera como era bela e brilhante! Nunca teria chorado! Se não fosse ele, talvez ela tivesse se apagado. Desistido da missão de iluminar a noite dos apaixonados. Que desastre seria, não?  E então, o mar disse para lua naquele dia: Sempre que você se esquecer do quanto vale a pena, do quanto é útil e bela, é só olhar para mim.  Aaah! Nessa hora a lua ficou tão feliz que se partiu em alguns pedacinhos e adivinha? Estes pedacinhos seriam seus novos amigos, e os chamou de estrelas. A lua não era mais sozinha, graças ao mar, que em meio dor, refletiu a beleza dela. E até hoje eles estão juntos — aponto para o reflexo da luz que irradiava no mar e o hyung seguiu meu dedo com os olhos — Sabe por que a lua nunca mais foi triste? Porque ela ama o mar, com todas as suas forças. E mesmo que o mar não a amasse de volta, ela só precisaria que ele estivesse ali. Já seria o suficiente. Porque o amor que a lua dá, não exige recompensas. É puro. Puro como a sua luz.

Me inclino e pego a pulseira da mão dele amarrando ela em seu pulso.

—Sabe hyung, você é o mar para mim. Eu era tímido,  sozinho e muitas das vezes não tinha ninguém para conversar. Como o sol, muitos me ignoravam. No começo do grupo eu tinha dificuldades de me relacionar, não acreditava em mim,  mas aí você chegou: Tão diferente de mim, tão nem aí pro que pensam. Você fez  eu enxergar o meu reflexo através do seu olhar. Conhecer a felicidade através do seu sorriso. Me mostrou o quanto eu era especial, eu acreditei ! Eu acreditei no meu talento porque você você me pediu para acreditar! Por causa de você, hoje eu fiz os meus amigos, que são os outros membros: Eles são as minhas estrelas. — Sorrio com os olhos marejados —  E assim como a lua se apaixonou pelo mar, eu me apaixonei por você. Espere, mas não pense que é qualquer amor não! É um amor puro e verdadeiro. É meu primeiro amor. E espero que último. Sei que eu sou homem, e deve ser diferente para você ter que amar outro homem. Mas a lua ela é feita de rochas e Poeiras e  está a quilômetros de distância. Já o mar é líquido e salinizado. Coitados! Coisa estranha formariam juntos as pessoas diriam. Agora olhe para eles — ergo o queixo em direção a lua — são uma das coisas mais belas do mundo quando estão juntos. Porque o amor não olha para isso. Ele não olha para o seu gênero, ele não olha do que você é feito,  o que você tem, ou que você faz. Ele é simples e puro. Quando você ama, você ama e acabou! Sem rótulos, sem padrões. — Pego na mão dele — Eu não espero recompensas. E talvez você não queira ficar comigo, mas eu precisava tentar.  Então decidi e fiz isso. Se você aceitar essa pulseira, mesmo que não diga nada, será como se tivesse aceitando meus sentimentos. E eu vou entender, que mesmo que demore, que é para eu continuar te esperando, pois você virá para mim um dia. Você a aceita hyung?

Olho nervoso pra ele. E confesso que ainda não sei de onde tirei coragem para dizer tudo isso.


Notas Finais


Dedico esse capítulo a um amor antigo, q foi o meu mar. Me inspirei nele, e no que minha mãe me disse quando era criança.
Beijos para vocês.
Tem mais 1 cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...