História O primeiro amor do Maknae (VKOOK) - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Bts, Namjin, Taekook, Vkook, Yoonseok Jihope
Exibições 1.792
Palavras 2.894
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ANTES DE LER ESTE CAPÍTULO você precisará (caso não tenha notado) voltar para o capítulo anterior. Mas pq tia? Eu sou uma pessoa que deixa coisas subentendidas a Fic toda. (Notaram? Sou meio do mal) PORÉM, no capítulo anterior a tia foi boazinha e deu uma colher de chá, deixando uma frase chave em negrito.
Chega de bad né não?
Aproveitem esse capítulo pois não conseguia parar de escrever. Quase que vira um capítulo infinito. To de folga hj e super empolgada. Talvez até poste mais um se der tempo. Vou tentar escrever.
Com amor, aos Vkook shippers.

Capítulo 15 - Ah, meu primeiro beijo! Pera, quê?


Fanfic / Fanfiction O primeiro amor do Maknae (VKOOK) - Capítulo 15 - Ah, meu primeiro beijo! Pera, quê?

Eu quero o que não posso ter

Eu quero te fazer meu

Não me importa o que é preciso

Sou destemido com meu coração

Vou conseguir em qualquer lugar

Não me importo se infringir

Eu quero te dizer coisas que nunca disse à mim mesmo

Estes segredos machucam como o inferno

Me chame de louco, talvez eu seja insano

Fora da minha mente, mas nunca me mudará

Não estou com medo de guardar meu coração para você

Sou um rebelde mesmo se for problema

Estou te puxando para fora dos cascalhos

Não estou com medo de guardar meu coração para você

Me diga que estou errado

Eu sei que você também me quer " 

(Save My Heart — Jason Reeves)

~Escreveram essa música pro Taehyung,  só pode.

                      ##########

O corpo de Taehyung estava imóvel, ele parecia surpreso e indeciso ao sentir minha boca na dele.

Mas em milésimos de segundos, notei seus lábios amolecerem. Ele se rendeu a mim. Sua boca abriu e Taehyung agora me guiava com seus lábios ao beijo que nós dois tanto esperamos.

Sua mão foi até a minha nuca, e a outra puxou meu corpo para perto.

Tá, eu não sei o que fazer.

Onde eu coloco minha mão?

Tremendo de nervoso, coloquei as mãos nas costas dele, no braço, no ombro, tentei colocar na nuca também e acabei acertando o rosto dele sem querer.

Que vergonha!

Ele começou a rir, mas não parou o beijo. Pude sentir seus dentes pressionados contra os meus lábios.

Nem Freud conseguiria explicar a sensação que é receber um sorriso e um beijo de Taehyung ao mesmo tempo.

Tentando me ajudar, ainda me beijando, ele segura minhas duas mãos e coloca em volta da sua cintura. Como quem diz: " Pode deixar aqui ó "

Me sinto um bobo e envergonhado por isso. Aah, mas estou nem aí! Sou o bobo mais sortudo do mundo. Não é qualquer um que beija Kim Taehyung.

Agora já sabendo onde deixava minhas mãos, puxei ele pra mais perto.

Sentia seu nariz tocar o meu cada vez que virava sua cabeça para o outro lado. O gosto salgado da água do mar era perceptível, e se misturava com a doçura daquela boca avermelhada. Fechei os olhos com força e só me deixei levar pelo ritmo. Era como uma dança nova que eu deveria aprender os passos. Concentrei minha atenção na sensação que era a língua dele passeando pela minha boca.

O ritmo do beijo foi diminuindo, a força da mão dele em minha nuca agora era leve. Sua língua parou, ele abriu os olhos e me deu um selinho.

Não soltei da cintura dele.

Taehyung encostou sua testa na minha suspirando :

— Me perdoa Jungkook.. — fechou os olhos — Me perdoa mesmo.

Uso uma das mãos para levantar o rosto do dele.

— Abra os olhos — Peço

Ele obedece.

— Perdoar pelo o quê? Por você não querer estragar minha vida? Por você ter medo de decepcionar seus pais, sua família, seus país? Por eu ser inconsequente e não ter parado pra pensar em tudo que eu poderia perder se alguém descobrisse? Por ter jogado minha pulseira fora mesmo você mesmo sofrendo com isso? 

— Aah Jungkook — Ele sorri — obrigado, você não tem id....

— Óbvio que isso me magoou — interrompi.

O hyung me olha assustado e confuso.

— Se você tivesse falado tudo isso antes,  esse momento de agora já teria acontecido.. mas não — Imito a voz dele — " Não posso, preciso esconder, não devo dizer que sou apaixonado pelo Jungkook.. Oh céus como sofro! " — coloco a mão na testa dramatizando.

Ele me olha de boca aberta.

— " Aah não, mas ao invés disso, eu vou fazer o Jungkook sofrer, vou me fazer sofrer também, porque não tenho escolha.. —  crispo meus olhos encarando-o —  É né, você não tinha escolha, mesmo sabendo que eu faria qualquer coisa por você e a gente daria um jeito de esconder isso de todos. Jamais faria sua familia ter vergonha de você, eu esconderia isso de tudo e de todos, se fosse necessário pra você ficar feliz, era só falar    — Balanço a cabeça em negação — Eu não te perdoo V hyung, e agora...Humm  — coloco a mão no queixo com ar pensativo, debochando  — Você vai ter que passar o resto da sua vida comigo me recompensando pelos traumas irreparáveis que me causou! —  digo apontando o dedo para o rosto dele.

— Jungkook — me lança um olhar de injustiçado  — Que mané traumas irreparáveis! Para de ser fingido..

— " Quem você pensa que eu sou Jungkook?  Eu não quero essa porcaria" — Imito a voz dele — Ashiii... Como dói, como dói  — coloco a mão no peito — Traumas irreparáveis, viu!

Ele me dá um tapa no ombro.

— Idiota, não teve graça. Foi horrível ter que fazer isso.

Sorri.

— Pode começar a recompensar — Digo estendendo a mão.

— Não tenho dinheiro seu tolo. —  Ele ri e coloca a sua mão sobre a minha.

Seguro ela.

— Hum.. temos um problema sério aqui então.. — Olho para ele, ainda segurando sua mão  — Vai ter que me dar outro beijo, até eu aprender essas manobras aí direito.

— Manobras? — O hyung ri.

— É.. tipo.. como é que você faz aquele negócio com a líng..

— Jungkook!  — Me interrompe super tímido dando gargalhadas. Seu rosto estava vermelho — O que aconteceu com a timidez do Maknae?

Começo a rir. Agora fiquei com vergonha de verdade.

— Desculpa hyung. Perto de você eu , sei lá, é você! Não é qualquer pessoa. — Sorrio — Mas eu ainda fico tímido. Não se engane.

— Eu sei —  o castanho sorri — Vem cá aprender as manobras, seu baka. — Ele me puxa.

— Que sexy você falando japonês hyung.

O mais velho me olha assustado.

— Sério, o que fizeram com o Jungkook? Quem é você? — Ri.

— Eu tô brincando hyung — Sorrio já ficando com o rosto vermelho.

Ficamos em silêncio. Agora só o mar, o vento e os pássaros sonorizavam a noite.

As mãos do mais velho agora são colocadas sobre meu rosto. Cada uma próxima de uma bochecha.

Ele me encara.

— Não sei como vamos lidar com isso Jeon, mas eu não quero que acabe.

Ele me beija.

Um beijo de medo, de perdão, de amor, de aceitação, de liberdade... Tudo misturado.

Puxei-o pela cintura. Nosso corpos se colaram.

Suas mãos que até então carinhosamente seguravam meu rosto, agora estavam em volta do meu pescoço.  Senti o peito dele encostar no meu, nosso corações quase batiam no mesmo ritmo.

O beijo ficou mais forte. Sua mão pegou com força meu pescoço. Ele bagunçava meus cabelos no mesmo ritmo que seus lábios molhavam os meus. A boca de Taehyung era quente.

Ele parou um segundo para recuperar o fôlego. Puxou minhas mãos colocando-as em volta do pescoço dele e agora era o castanho quem agarrava minha cintura.

Voltou a me beijar. Era um beijo urgente, desesperado. Como se quissese recompensar mesmo todo o sofrimento que achava ter me causado.

As mãos dele subiam e desciam pelas minhas costas, amassando minha camiseta.

Entrei no ritmo dele e o beijei com mais vontade. Desci minhas mãos pelo pescoço dele.

O mais velho mordeu meu lábio inferior...

Senti um arrepio.

Minhas mãos foram até o cós da sua calça. Minha intenção era só de segurar nas pregas da costura onde se usa o cinto, para manter o corpo dele por perto.

Mas V hyung estremeceu.

— Acho melhor pararmos. — pigarreia—  Daqui a pouco amanhece. — Ajeita a roupa meio desconcertado.

— Vamos ficar aqui mais um pouco. — Seguro nos dedos gelados dele e o puxo para deitar na areia.

Deitamos um do lado do outro. Ambos colocamos as mãos atrás da cabeça e fitavámos o céu:

— Aquela é o Suga — O hyung aponta sorrindo para uma estrela pequenininha,  mas super brilhante que estava sozinha, e parecia repousar na nuvem, deitando seu brilho sobre ela.

— Aquela é o Jin — Apontava — Olha, olha Kook! Parece o Jimin aquela ali — exclamava Sorrindo

Virei meu rosto para olhar para ele.

Ele estava falando e falando.. Parece coisa de filme, mas eu não ouvia nada do que ele dizia. Tudo ficou mudo. Só conseguia enxergar ele sorrindo, apontando para o céu..

Taehyung está feliz. Feliz de verdade.

Me aproximo dele.

O castanho para de falar e me olha com carinho.

Ele esta de costas para a areia e eu estou de lado, apoiado em um dos meus cutuvelos, bem próximo ao seu corpo.

— Seu sorriso é diferente quando não pensa em manter sua imagem. Quando você só é você. É mil vezes mais lindo. — Digo

Ele me encara.

— E Eu vou te beijar de novo. — Aviso já colando meus lábios nos dele.

Oras, se eu quero ficar bom nisso preciso treinar! E que cobaia seria melhor que Kim Taehyung, o cara que amo?

— Não é a toa que te chamam de Maknae de ouro — O hyung diz em meio ao beijo, fazendo nossos dentes se baterem de leve — Você aprende rápido a fazer as coisas  —  ele diz, e eu ainda mantenho o beijo.

— Aprendi rápido? — As palavras saem estranhas, eu ainda não tinha desgrudado dos lábios dele.

Eu não quero!!

— Aham — Concorda me dando um selinho.

Volto a deitar de costas para a areia. Estico as pernas,  deixo as mãos servindo de travesseiro para cabeça..

— Então não foi nada mal para um primeiro beijo — penso alto.

— Falou alguma coisa Kook?

— Nada.. — Nego,  mas acho desnecessário e conto — Na verdade, eu disse que foi meu primeiro beijo hyung, mas você já sabia, acho.

— De língua? — Pergunta com uma cara de quem só quer me ver sem graça.

— Também. — respondo tímido — Mas foi meu primeiro beijo mesmo, de qualquer jeito.  Tipo, até um selinho..

Ele cai na gargalhada..

— Hyung! —  chamo, ficando bravo com o deboche — Não tem graça V..

Ele continua rindo.

— Hyung! — puxo ele pelo braço, balançando-o.

— Para com isso.. não tem graça — continuo puxando.

Ele diminui as gargalhadas, e me olha com uma cara de: " Tadinho.. Tadinho.. "

— Por que está me olhando assim? — pergunto sério.

— Jungkook — ele ri — então esse não foi seu primeiro beijo.

Olho confuso.

— Foi sim hyung. Eu juro, nunca dei um selinho em ninguém antes.

Ele me encara colocando a mão em minha cabeça dando tapinhas.

— Mas alguém te deu. — Tira a mão.

O hyung volta a fitar o céu e ri.

— No dia em que você deitou comigo, lembra que logo pela manhã veio me perguntar se falei algo durante a noite.. — ele faz uma pausa e eu presto atenção — Bom, eu disse algo aquele dia, mas não vem ao caso agora. Talvez você se recorde, teve uma hora que você sentiu alguma coisa fazer cócegas no seu rosto, e mexer no seu cabelo, não teve? Nesta hora você ate se mexeu na cama.

— Sim,  lembro de ter coçado o rosto depois, mas não vi nada — afirmo.

— Eu beijei você.

Ergo as sobrancelhas.

Pera, quê?

— Como assim hyung?

Ele dirige o olhar para mim.

— Isso que você ouviu. Eu beijei você.

Acho que ele notou meu olhar surpreso e desentendido, então de prontidão decidiu me explicar.

— Eu abri meus olhos e enxerguei você do meu lado  — Diz se aproximando de mim com um olhar profundo  — Você estava dormindo, tão calmo — Ele fecha minhas pálpebras com as pontas dos dedos — Sua boca estava entreaberta, deixando parte dos  seus dentes de fora — seus lábios se aproximam, sinto o calor do seu hálito quente passear pelo meu rosto — Então para me despedir daquele momento, eu me inclinei — se inclina — E beijei você.

Sinto seus lábios juntarem os meus, lentamente.

O castanho muda o rumo da sua boca, agora se aproximando da minha orelha. Eu ainda estava de olhos fechados.

Foi só isso — diz rouco, ao pé do meu ouvido, me fazendo arrepiar com o calor da sua respiração.

Demoro 3 segundos para abrir os olhos.

Ainda estou arrepiado.

Olho rápido para ele e sento na areia.  Estava acontecendo algo com o meu corpo, e eu não quero que o V  hyung veja. Não agora.

Ele ainda deitado , cai na gargalhada.

—  KKKKK  Você ficou sem graça! — Ele aponta pro meu rosto vermelho e assustado. — Fiz isso de propósito, só pra te provocar, você é fofo quando está com vergonha. — diz rindo mais ainda.

Idiota! Isso não se faz!

Não foi só com vergonha que eu fiquei não.

— Vamos embora Kook? — pergunta — Eu preciso tirar essa roupa molhada, recém melhorei. Não posso ficar doente de novo.

Olhei para minha situação.

Bom, está escuro. É, vai ficar tudo bem.

— Vamos então.

Levantei e fui caminhando devagar na frente. Ele vem correndo desajeitado e agarra meu braço.

Meu coração acelera.

— É diferente né? — Diz me dando o sorriso mais feliz da noite. Foi lindo, não consigo explicar.

— O quê? — Sorrio mesmo sem saber.

— Isso. — Ele entrelaça os dedos nos meus —   Já tinhamos dado as mãos, mas agora é diferente, eu sinto isso Kook — Sorri

— É sim — ergo nossas mãos entrelaçadas até minha boca,  dando um beijo na parte em que estava a mão dele.

— Como vamos fazer a partir de hoje? — pergunta

— Não faço idéia, mas vamos conseguir. — aperto a mão dele. — Confie.

— Que loucura estamos fazendo...

Concordei.

— Bom, estamos loucos, mas felizes, certo?

O castanho concorda.

— Então o resto a gente dá um jeito. Desde que fique comigo.

Ele sorri.

— Vou sim.

O mais velho me da um selinho.

Eu sabia que teria que soltar da mão dele quando estivéssemos perto das cabanas. Eu sabia que não  poderia beija-lo quando quisesse. Que íamos ter que esconder, omitir, fingir.

Mas naquele momento ali, de mãos dadas, olhando esse sorriso, vendo ele  finalmente feliz por ser como é..

Ah, não importa os sacrifícios!

Valeria a pena.

Por ele tudo vale a pena.

Já estávamos próximos a cabana. De surpresa o agarro..

— Não quero ir.

Ele ri.

— Mas precisamos. Eu estou todo sujo. Preciso tomar banho, trocar de roupa...

Parei de ouvir ele aí. Mesmo sem querer, comecei a imagina-lo tomando banho, trocando de roupa.. Fico vermelho.

Merda de Hormônios!

Taehyung para de falar e fica me olhando.

Tenho absoluta certeza que ele percebeu o que se passava comigo, pois me veio com essa:

— Jungkook, não sou desses que se aproveitam. — Ri

Ferrou, ele lê pensamentos...

Não Jungkook você que é óbvio demais!

Burro! Burro!

— Como.. co.. eu .. Como assim? — Disfarço.  O nervosismo estava estampado na minha cara.

— Sou assim desde que me conheço por gente, e você só quer isso a pouco tempo Jungkook.. Melhor ter certeza de algumas coisas e procurar saber como funcionam  — Sorri

— Eu sei,  e eu já tenho certeza hyung. — Afirmo.

— Então.. — Sorri me encarando — daqui há 3 semanas vamos marcar de sair uma noite dessas.

Olho confuso.

— Daqui 3 semanas? Por quê? 

— É.. além de querer que você tenha certeza, não quero me aproveitar da inocência de um menor de idade. — Ri me puxando pela camiseta.

— Nada a ver hyung. — reviro os olhos.

Meu aniversário de 18 anos é daqui a 3 semanas.

— Tudo a ver sim Jungkook — Ri como um bobo.

— O que vamos fazer? Onde vamos ir?

Não pergunto em sentido travesso. Eu realmente queria saber se primeiro íamos a algum lugar legal por conta do meu aniversário.

— Humm.. nós vamos comemorar seu aniversário primeiro, vou escolher um lugar ainda. Mas sobre o outro lugar que vamos, só discuto isso com maiores de idade.

Beija meu pescoço, o que me arrepia e se afasta.

— Não marque nada no seu aniversário — Diz apontando pra mim, já distante.

— Não vou. — Sorrio.

O castanho vira de costas e corre em direção a sua cabana.

— Eu te amo hyung. — Digo, mas ele não escuta.

Tudo bem, eu vou ter outra oportunidade de dizer isso.

Chego na cabana, tomo um banho e saio secando o cabelo com a toalha.

Mal posso esperar pelo meu aniversário... Falando nisso..

Pera, eu não..

Acho que a adrenalina passou e agora caio em mim.

Daqui a 3 semanas! Eu não vou saber o que fazer... Caramba! Caramba! Taehyung vai rir de mim.

Eu.. eu n.. Eu quero muito, muito mesmo, tenho certeza disso.. mas é que.. Não sei o que fazer!  Eu não sei..

CARAMBA Jungkook, você não sabia nem onde por a mão na hora de beija-lo,  e agora.. 3 semanas?

Vou passar vergonha, não vou saber o que fazer.

Ele vai rir de mim.

3 SEMANAS?!

Me jogo de costas na cama.

OK. Já Posso começar a surtar.

   


Notas Finais


Gostaram? Eu me diverti escrevendo por causa do Jungkook.(Eu ri em algumas partes enquanto escrevia, Jk é só por Deus as vzs) Eu sei como um tímido pensaria porque eu sou a timidez em pessoa. A gente ta ali e a cabeça tá matutando um milhão de coisas. ( Mas assim como JK, os tímidos quando estão com alguém que se sentem bem, - coisa rara - tem suas ousadias. Uuui TIA 🌚🌚)

Eu sei que vocês devem estar sentindo cheiro de Limão depois desse capítulo.

Vou dizer nada, mas esperem com carinho.

E como sempre, se chegaram até aqui, muitoo obrigada pela leitura.
E aí, gostaram?
Conte pra mim.
Indique pros amigos.
Beijos no pâncreas! ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...