História O primeiro amor do Maknae (VKOOK) - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Bts, Namjin, Taekook, Vkook, Yoonseok Jihope
Exibições 1.734
Palavras 696
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Terá mais um capítulo hj. A continuação desse. Calme.
Eu estava enrolando, para postar, mas dane-se, quanto antes melhor.
Apenas uma prévia rápida. Aaah e gostaram da foto montagem? Foi a primeira que fiz pra fic.
Beijos.

Capítulo 17 - Uma garantia para Kim Taehyung


Fanfic / Fanfiction O primeiro amor do Maknae (VKOOK) - Capítulo 17 - Uma garantia para Kim Taehyung

" Ele faz os pêlos da minha nuca se arrepiarem

Com apenas um toque, e eu entro em erupção

Garoto você me faz dizer

"Oooooh"

E eu apenas não posso pensar

Depois de ouvir você cantar (cantar meu nome do jeito que você faz)

Oh, quando nós fazemos as nossas coisas

Garoto você me faz dizer..." OooOOoh"

Meu amor sexy

Garoto, as coisas que você faz

Me deixa louco

( My Sexy Love - Neyo)

                             ########

" Fecho os olhos, minha respiração está rápida, meu coração acelerado.

— Nunca mais peça desculpas — ele coloca minha mão no meio de suas pernas me fazendo agarrar sua ereção — não é só você que fica assim! "

                         — X —

Apertei de leve minhas mãos sobre seu volume, ainda escondido atrás da calça de moletom cinza.

A mão dele pressionou a minha com força, o que me fez encher a palma com aquilo.

Na hora senti uma pontada, e doeu pelo atrito contra a minha calça jeans.

As mãos do hyung foram até as minhas coxas.

Respira Jungkook, respira!

O salão vazio e meio iluminado estava silencioso. Nós nunca fizemos isso. Eu estava com vontade dele.

Meu corpo todo tremia.

Suas mãos subiram, senti seus dedos, mesmo que sobre o tecido grosso, acariciar aquilo que por dias tentei esconder.

— Eu amo o efeito rápido que causo em você. — Sua voz rouca, ainda ao pé do meu ouvido veio acompanhada com um aperto forte em meu membro.

— Aaah... Hyung.. — Torci os pés arrastando-os pelo piso, fazendo barulho pelo atrito do tênis com o chão.

Esse toque me pegou de surpresa.

— Você queria isso desde aquele dia né? — Sinto sua língua percorrer um ponto atrás da minha orelha.

— Aah... aham, aham   — Gemi baixinho

Nossas respirações estavam rápidas.

O hyung vai engatinhando até os meus pés, ainda estou meio desconcertado, mas o encaro, me perguntando o que ele vai fazer.

Ele fica muito diferente quando está assim.

O castanho prende minhas duas pernas entre as deles e se inclina, ficando com a boca a centímetros do meu quadril.

Mesmo apenas com a iluminação da lanterna, vejo ele lamber os lábios, como se fosse devorar algo.

Ergueu um pouco minha camisa, deixando metade do meu abdômen de fora.

Meu coração está muito acelerado.

Suas mãos espalmadas se apoiam na minha barriga ainda a mostra.

— Lindo — ele diz baixinho admirando o resultado dos meus meses malhando.

Sua boca desce até o cós da minha calça.

Não sei por que isso aconteceu, mas minhas pernas começaram a tremer involuntariamente.

Seus lábios já molhados por tanto morde-los, começam a deslizar devagar em volta do meu ventre. 

Minhas pernas não param de tremer.

Sua boca vai até minha ereção ainda sobre o jeans. Ele passa seu rosto ali devagar, alternando entre beijos e carinhos firmes com as mãos.

Doía. Eu sentia o sangue circular quente,  fazendo meu pênis endurecer mais.

— Hy.. Hyung.. Ah, ah.. Che..chega estar doendo. — Minha voz falha a cada palavra — Faz alguma coisa por favor... —  Jogo a cabeça para trás com os olhos fechados.

Meu sangue está fervendo agora.

Ele saí de cima do meu corpo.

Abro os olhos na hora.

Não! Não! Pode voltar pra lá, caramba!

— Taehyung? — Franzo as sobrancelhas, ainda com a voz falha.

Ele estampa um sorriso travesso nos lábios, dos quais jamais vira antes.

— Se você quiser mais, não ouse me dar o bolo amanhã. — Morde os lábios, levando as mãos a minha barriga para abaixar a blusa.

DESGRAÇADO!

— Hyung, eu não vou te dar o bolo amanhã, eu juro — digo tentando puxar o braço dele para o castanho voltar para o lugar de antes.

Ele ri afastando minha mão com carinho.

Volta aqui merda!

— Isso é só pra eu ter um garantia. —  Manda um beijo de longe e desliga a lanterna do celular.

— Taehyung! Eu juro, se você não voltar aq..  — olho pro lado. Já estou falando sozinho. Fui abandonado daquele jeito, no escuro.

Jogo os braços com força no chão, suspirando.

— EU VOU TE MATAR KIM TAEHYUNG !!


Notas Finais


Até o início da noite sairá o outro. (Oremos) Apenas uma prévia da minha escrita nessas situações, que mudará -talvez- alguns palavreados de leve. É difícil de escrever pois não é o narrador que descreve a situação e sim o personagem (Jungkook) parece bem mais difícil assim, mas tô indo. Vamos ver se irão gostar. Até o fim da noite posto.
Se chegaram até aqui então muitoooo obrigada!
Gostaram?
Conte pra mim.
Indique pros amigos.
Beijos na nuca.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...