História O primeiro amor do Maknae - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Bts, Namjin, Taekook, Vkook
Exibições 5.899
Palavras 2.029
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Com amor, a todos os Vkook shippers.

~Vocês vão começar a conhecer um outro lado do Jungkook.

Capítulo 5 - Três centímetros distante dos seus lábios.


Fanfic / Fanfiction O primeiro amor do Maknae - Capítulo 5 - Três centímetros distante dos seus lábios.

"Tudo está como deve ser, eu assumo.

Exceto pela distância entre eu e você "

                          ~MyVkook


                   ®®®®®®®®



      

  "New message from Taehyung hyung"

Nunca cliquei em uma notificação tão rápido.


" Saltstraumen"


Não consigo explicar a confusão em minha expressão.


Saltstraumen? O que ele queria dizer com isso?


Juro que por um segundo me levantei com tamanha vontade e curiosidade, a ponto de me ver indo para o quarto dele perguntar o que aquilo significava.


Ele tinha errado na hora de digitar?

Vou ir!

Não. Melhor não.

Vou ir sim!

Não, não vou.

Voltei para cama.

Às vezes cansa ser bipolar.


Larguei o celular no móvel ao lado da cama, respirei fundo,  dizendo a mim mesmo, como um sussurro:


  — Você já tomou sua decisão. Ele é seu amigo e vai respeitar. Isso acaba hoje, então esqueça!


Afundei o rosto no travesseiro, fechei os olhos com força, estava tão cansado que logo pegaria no sono. Volta e meia meus pensamentos me indagavam:


"O que ele quis dizer com aquilo?" 


"O que foi aquela mensagem?


Não importa. Não quero saber, e nunca vou querer.

Senti meus olhos pesarem.

Não vi mais nada.

                            


(......)



  —Namjoon, me ajuda aqui.. Eu não consigo abrir — Jin hyung resmungou com uma voz tão dengosa, que até eu estranhei.


Soube que ele ralou a mão ontem à noite na hora que voltavam para casa, foi coisa pequena, mas nosso líder cuidou dele ontem, e agora o está ajudando na cozinha.


  — Bom diaaa! — Taehyung disse animado — Jimin, estou indo naquela cafeteria que você disse que gostava. Quer ir junto?


Sei que estou louco, mas aquilo me pareceu muito uma provocação.


"Saltstraumen"


Isso ainda estava na minha cabeça.


  —Claro V, podemos ir sim — Respondeu Jimin —  Vou ir trocar de blusa.

  —Tá bom — Resmungou — Hyungs, todos vocês estão convidados, vamos? — Disse sorrindo  — Você também Maknae  — O castanho sorridente virou seu rosto em minha direção. Seu sorriso parecia mais brilhante que antes. Tudo nele parecia mais lindo que antes. Não sei como isso foi possível, mas estava. Seus olhos me fitavam firmes, como se propositalmente ele quisesse enxergar a minha alma e assim descobrir todos os meus segredos — Ah, quer dizer, desculpe. Acho melhor você ficar em casa.
— Replicou baixando o olhar em uma expressão de lembrança e tristeza. Talvez por instantes o hyung tivesse esquecido do meu pedido. Ou não. Ele é uma incógnita para mim.


Ouvimos um grito do Jin hyung vindo da cozinha:


  — Nem pensar! Eu acabei de fazer o café da manhã. Aaah, mas vocês vão ficar aqui e comer tudo. Quero nem saber!

  — Jin, mesmo que ninguém coma em casa, não vai sobrar comida. Você mesmo come isso tudo sozinho — Retrucou Namjoon provocando-o enquanto passava a mão no ombro do hyung comilão.

  — Aishi, por que está esquecendo de usar hyung para o membro mais velho? Desde quando pode chama-lo só de "Jin"  Aishi!   — Resmungou Yoongi com o olhar fixo naqueles dois.

Jin hyung desviou o olhar, e nosso líder afastou a mão.


Silêncio total.


Hoseok quebrou o gelo quando chegou cantando aos berros uma música ridícula, que por sinal, Suga hyung odiava.


Todos rimos. O clima já  estava melhor.


— Vamos então? — Taehyung perguntou

— Vamos. — responderam em coro. Exceto Yoongi,  que provavelmente estava com o pensamento em outro lugar.

  —  Vai ficar? — Ouço Jin hyung perguntar enquanto ajudava nosso líder com o casaco.

Afirmei que sim.

Por uns segundos o olhar de Taehyung e os meus se cruzaram. Doeu no mais íntimo da minha alma ve-lo dar de costas, sem um tchau, sem um sorriso, sem as brincadeiras de costume. Mas não poderia me entristecer, fui eu quem pediu por isso.

Passei as próximas duas horas ensaiando freneticamente. Dançar me ajudava a espairecer, a esquecer, a melhorar.

Estava suado, fedido e grudento, quando ouço passos vindos do corredor, como de uma manada de búfalos:


  — JUNGKOOK! JUNGKOOK!


Olhei assustado para aquelas seis figuras extasiadas parando em minha frente.

  — Que foi? Quem morreu? — Pergunto confuso.

  — Eu tô morrendo é de alegria — Sinto Hoseok me erguer em um abraço desajeitado.

  — Hyung, eu estou suado e fedido — Disse tentando me desvencilhar dele.

  — Nós vamos viajar. Eles estão pensando em fazer um concept mais natural para o comeback, então o primeiro dia será o ensaio fotográfico na natureza, não lembro o nome da floresta, mas é seguro, e então nos darão os outros seis dias de folga por lá mesmo — Explicou Yoongi feliz por poder ganhar uma folga. Ele era um dos melhores hyungs dali, sempre atencioso, apesar de deixar todo esse carinho subentendido.

  — E vamos ficar em cabanas, vai ter cachoeira,  marshmallows, quem sabe uma fogueira, bebidas  —Jimin disse com os olhos brilhando. Nunca os vi tão entusiasmados.

Ainda meio surpreso, mas feliz, respondi:

  — Nós estávamos precisando disso.

Aquelas seis figuras sorridentes me envolveram em um abraço, sem se preocupar com meu suor, ou mau cheiro. Eu estava feliz. 

Eu amo muito meus hyungs.

Sem perceber, minhas mãos e a do dono do meu coração se encostaram naquele abraço em grupo. Era surreal o que um simples toque dele conseguia fazer com o meu corpo. Posso estar enganado,  mas por um milésimo de segundo, senti que ele entrelaçou seus dedos nos meus.

Mas como sou daqueles que se iludem fácil, não posso acreditar em tudo que minha mente acha que viu.

  — Quando vai ser? — Perguntei ainda meio desconcertado com minhas ilusões.

  —  Amanhã mesmo. Vamos voltar para o dormitório e fazer as malas — Namjoon respondeu.

  — E você e o Taehyung, nem adianta pedir para dividir o quarto, como sempre, a resposta é não. Aishi, eu não dou conta da bagunça desses dois juntos não. Tenha dó  — Jin hyung disse rindo.

No fundo ele gostava das nossas brincadeiras infantis.


  — Não precisa se preocupar com isso. — Taehyung respondeu — Não vai mais acontecer.


Concordei.


Nunca mais seríamos tão próximos como antes.

Mas queria muito que acontecesse. Queria abraça-lo por trás como sempre, sentir o cheiro doce que vem dele, me perder no seu sorriso. Quero descobrir como é um primeiro beijo, que até então só vi em filmes. Como é beijar os lábios de Taehyung, ter a pele dele encostando na minha, sentir sua língua passear pela minha boca.

Só de imaginar, senti algo percorrer  cada parte do meu  corpo. Conhecia bem essas sensações, afinal, já havia passado pela famosa puberdade. Sabia bem o que acontecia comigo e com meu corpo quando pensava no castanho de sorriso retangular.

Tesão.

Isso era tão bom e asustador ao mesmo tempo.

Sei que sou novo, mas não sou tão santo quanto pensam.

Lembro de uma entrevista que fizemos, o assunto comentado era pornografia. Não me meti na discussão, olhei para os lados, disfarcei como se estivessem falando grego. Sou o mais novo, então na visão deles, eu não deveria saber sobre coisas assim. Foi aí que meus hyungs assumiram o tema, e eu quase não disse nada durante toda a entrevista. Mas no fundo, todos eles sabiam que eu não era tão inocente como pensavam. Tímido sim, mas não inocente.


  — Jungkook, vamos! — Ouvi a voz de Jimin, que já me puxava para fora do estúdio de dança — Está dormindo em pé garoto?

Por quanto tempo eu fiquei viajando?

Preciso parar de me iludir.



    (.....)




  — Aigoo!  Alegria de pobre dura pouco! — Resmungou Hoseok —  Ou melhor, pobre nem tem alegria! — Se jogou na cadeira dramatizando.


J-Hope hyung tinha ficado tão entusiasmado com a viagem.


  — Hobi, mas só foi transferido para semana que vem. A série que nos chamaram é mais importante, e pense o quanto isso vai alegrar nossas armys mais tarde — Falou o nosso líder, sendo líder. Como sempre.

  — Tudo bem, você tem razão hyung —  Respondeu Hobi.

  — Mas qual vai ser o tema da mini série? Tem alguma coisa a ver com escola?  Vai ser coisa rápida pelo jeito— Perguntou Yoongi.

  — Estou esperando o produtor ligar para.. — Namjoon nem terminou de falar quando seu telefone tocou.

  — Alô? .. Sim, sim. — falou nosso líder — Com certeza, estávamos curiosos mesmo. Obrigado por avisar.  Até amanhã.

  — Era o produtor Namjoon hyung? — V perguntou enquanto mexia nos cabelos.

  —  Sim — Ele respondeu virando a cabeça em minha direção — A história vai girar em torno de você Jungkook — Sorriu — Vão lhe retratar como se estivesse vivendo seu primeiro amor, e cada um dos seus hyungs encenará com você, te dando uma ideia diferente de como se declarar à sua pessoa amada.

Arregalei os olhos.


Era tudo que me faltava. Deve ter alguma escuta dentro de mim. Só pode.  Eles sabem, todos sabem! 


  — Que fofo!  — Gritou Hoseok hyung.


  — Não vejo a hora disso acontecer de verdade — Replicou Jin hyung apertando minhas bochechas.

Todos estavam empolgados.

Olhei para V

Ele estava com a cabeça para trás, apoiada no sofá, de olhos fechados e usando seus fones de ouvidos.

Foi o único que não deu a mínima.

  — Já esta tudo no roteiro. A opção que você irá aceitar na encenação, será a do Taehyung — Continuou depois de uma pausa para ler o roteiro que lhe enviaram no e-mail — Jimin vai lhe dar uma flor, então o Taehyung vai tirar da sua mão e lhe dar um buquê.


Hum. Até aí tudo bem.


  — Então você vai fazer uma cena com o Jin hyung,  vai segurar nas mãos dele, frente a frente. Tempo depois, você vai estar sentando na cadeira, e Taehyung — disse apontando pra ele no sofá — vai puxar você com força, com uma mão na sua nuca, e a outra apoiada na mesa, e vai ficar cerca de três centímetros dos seus lábios. Isso vai servir para mostrar como você deveria fazer com a garota, que na série, é seu primeiro amor. Antes que o V enconste os lábios dele nos seus, obviamente, vocês serão interrompidos por um membro, que no caso, será você Jimin. — Apontou para o baixinho


Eu estava imóvel.


Como eu ia fazer aquilo sem pirar na frente das câmeras? E se os membros, a equipe ou as armys percebessem? Será que eu era transparente assim?


Merda! Eu vou é acabar beijando ele, isso sim.


Senti- lo agarrar meu pescoço e ter que fingir não sentir nada?


Quase uma missão impossível.


Só de pensar em sentir as mãos dele no meu pescoço, seus lábios tão pertos.. Ah, como quero  agarra-lo pela gola daquela camisa duas vezes maior que seu tamanho, puxa-lo pela cintura com força.. Caramba! Eu quero muito morder aqueles lábios, segurando  firme suas pernas, que estariam ao redor da minha cintura, enquanto encho de chupões aquele pescoço lindo que cheira a cerejas, e não pararia até ve-lo todo arrepiado e gritando meu nome.

Nunca beijei, mas como a maioria dos adolescentes, tenho minhas maneiras de me aliviar, e agora, já com quase dezoito anos, eu sei bem o que quero. Mesmo sem ainda ter feito nada, dentro da minha cabeça já fiz tudo.

Talvez sejam os hormônios da idade, mas eu fico louco só de pensar nele.


  — Jungkook? Está ouvindo? — Namjoon hyung estava olhando para mim.


  — Ããh? — Respondi perdido.

Tenho mania de morder os lábios toda vez que olho para Taehyung. Espero que ninguém tenha percebido.

  — Você e o Tae vivem brincando de encenação — Jin hyung falou enquanto assistia alguns vídeos no celular — Deve ser fácil.

Antes que eu pudesse responder, V abriu os olhos e veio como um flash em minha direção —Não nos sigam. É assunto meu e dele — Senti uma de suas mãos agarrarem meu pulso com força, me arrastando até o seu quarto.

Eu não entendi nada.

O hyung me jogou para dentro do lugar  com força, o que me desequilibrou, fazendo-me ter que agarrar a cama.

Seus olhos me fitaram, logo depois de trancar a porta.

Se ele soubesse as coisas quero fazer,   teria pensado duas vezes antes de ter feito isso.


Notas Finais


Chegaram até aqui? Muitooo obrigada! 💓 Jungkook está com os hormônios a mil. Tragam um calmante para esse menino.
Começamos a conhecer um ladinho do #JungkookOusado mas isso não vai afetar o lado tímido e apaixonado dele. Os dois lados vão ficar em harmonia. Acreditem.
E falando em ousadia..
E o Tae? Hummm.. Esperem para ver.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...