História O primeiro amor do Maknae (VKOOK) - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Bts, Namjin, Taekook, Vkook
Exibições 1.913
Palavras 1.253
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


~Com amor, aos Vkook shippers.

Capítulo 8 - Nós somos um Puzzle


Fanfic / Fanfiction O primeiro amor do Maknae (VKOOK) - Capítulo 8 - Nós somos um Puzzle

" Eu poderia ficar acordado só para ouvir você respirar

Ver o seu rosto sorrindo enquanto você dorme

Enquanto você está longe e sonhando

Eu poderia passar minha vida nessa doce redenção

Todo momento que eu passo com você é um momento precioso

Não quero fechar meus olhos

Não quero pegar no sono

Porque eu sentiria a sua falta

E eu não quero perder nada

Porque mesmo quando eu sonho com você

O sonho mais doce nunca vai ser suficiente

E eu não quero perder nada

Deitado perto de você

Sentindo o seu coração bater

E imaginando o que você está sonhando

Imaginando se sou eu quem você está vendo "

(I don't Want To Miss A Thing - Aerosmith)

                         #########

  - Hyung? -pergunto descrente no que ouvi.

Aqueles dedos delicados apertaram ainda mais minha mão. Confirmando que o que ouvi estava certo:

"Não vai"

  -Você está se sentindo muito mal hyung? - indaguei em busca de um motivo para aquela reação dele.

  -Só fica aqui -sussurrou fraco sem abrir os olhos - fique sempre onde eu possa alcançar você. 

Taehyung não largou minha mão nem por um segundo. Olhei para sua silhueta despojada na cama. Olhos fechados com o corpo de lado, tinha uma das mãos embaixo da cabeça e a outra segurava a minha, tão firme quanto um bebê recém nascido quando agarra seu dedo indicador.

A sensação era a mesma. Adorável.

Ainda estava confuso quanto ao estado do hyung. Ele estava dormindo? Aquilo era sonambulismo ou o quê ? Não sei.  Mesmo assim obedeci.

Sem soltar da sua mão, sentei no chão e encostei minha cabeça em um pedacinho livre da cama, próximo a cabeça dele.

  - Você vai passar frio -resmungou de olhos fechados.

  - Tá tudo bem hyung - respondi baixinho.

Não estava nada bem. Eu usava uma bermuda preta e uma camiseta fina azul escuro. O piso era frio. Frio ao ponto de me arrepiar.

  - Quer ficar doente? -ouço aquela voz abafada perguntar.

  - Olha quem fala -retruquei.

Ouço um riso fraco.

Senti sua mão começar a acariciar a minha.

  - Vai ficar no chão mesmo?

  - Você vai me deixar voltar para minha cama? -pergunto 

Ainda sem abrir os olhos, meu hyung afunda a cabeça no travesseiro, e com um sorriso meigo nos lábios, balança a cabeça de um lado para outro.

  - Un, un -diz confirmando minha suspeita da maneira mais fofa que alguém pode imaginar.

Sua mão ainda estava me segurando.

  - Tá certo - digo me redendo - o chão está bom até, vou ficar por aqui. -Dei um sorriso de tolo apaixonado.

O silêncio tomou conta do lugar por cerca de 40 segundos.

  - Você realmente fica triste quando não estou sorridente?

Engasgo de leve. Pensei que V já estivesse dormindo. Fui pego de surpresa.

  - Sim, fico.  - respondo.

O castanho suspira fundo. Seus olhos ainda estavam fechados.

Mais 15 segundos de silêncio constrangedor.

  - Por que me deu sua coberta?

  - Você estava com frio.

  - Quer dizer que você passaria frio por mim?

Demoro uns segundos para responder.

  - Sim.

  - Não acho justo.. -diz

 
  - ..... Você pode dormir aqui se quiser. - sua fala saiu rápida e de súbito V hyung  larga minha mão  se virando para o outro lado da cama, agora ficando de costas para mim.

Não sei explicar, mas fiquei ali parado com a expressão que julgo ser igual dessas pessoas que pegam um filme pela metade e se esforçam para tentar entender o que está acontecendo.

Mirei ele por uns segundos. Acho que só optei por desligar meu cérebro, -se é que isso é possivel- e apenas fazer o que o momento pedia, sem me perguntar o por quê.

Fui devagar pegar meu travesseiro, e ainda meio desnorteado, me acheguei a cama.

Puxo as cobertas com cuidado, e me deito  em posição de soldado. Mirava o teto, mexendo o pé constantemente pelo nervosismo.

A cama não era tão pequena, mas mesmo assim podia ouvir a respiração dele bem próxima.

Já tive milhares de pensamentos envolvendo um momento como esse e nas minhas fantasias eu era seguro e ousado, mas sempre soube que a minha essência tímida nunca havia me abandonado.

Senti os braços dele envolver minha cintura.

Meu coração acelerou.
Tentei me acalmar respirando fundo.

O castanho mexeu seu corpo se aconchegando a mim, ao mesmo tempo que fazia do meu peito um travesseiro macio para sua cabeça.

Mirei-o.

Seus olhos estavam cerrados, e sua aparência era serena e confortável, como se aqui fosse o melhor lugar do mundo.

Não sabia ao certo se ele estava dormindo ou não, mas coloquei um dos meus braços sobre sua cintura e com o outro alcancei sua cabeça, agora afangando lentamente seus cabelos.

Nunca percebi como eu era muito mais encorpado que V hyung. Ali nos meus braços ele parecia uma criança pequena e indefesa.

Ainda acariciando seus cabelos, mantive fixo meu olhar no teto, como se todas as respostas das minhas dúvidas estivessem ali. Me perguntei o que tudo isso significava.

V hyung gostava de mim também? Seria só um carinho por ter cuidado dele hoje? Ou ele me via como uma irmão mais novo que precisava tomar conta?

Sinto uma pontada na cabeça. Odeio pensar demais.

Posso ser prepotente em dizer isso, mas talvez V hyung estivesse confuso, assim como eu estava. Talvez estivesse assustado por sentir algo diferente, ou  com medo do preconceito.

Talvez aos poucos eu o estivesse cativando. Ou ele já gostava disso há muito tempo antes de mim. Se for isso, entendo a razão dele estar escondendo.

Eu também tenho medo hyung.

Eram tantos "ou" e "se" que julguei desnecessário perder aquele momento me preocupando com isso.

Puxei-o para mais perto naquele abraço acolhedor.  Nossos corpos se encaixavam tão perfeitamente, ao ponto de me fazer jurar que nascemos um para outro. Como se fossemos duas peças de um jogo puzzle que se perderam pelo caminho e agora se reencontravam em um abraço perfeito. 

Virei mínima coisa para o lado, afim de que minha mão pudesse alcançar o rosto dele. Tinha certeza que agora V estava dormindo, só pela forma como respirava. Passei meu dedo indicador  na sua sobrancelha, seguindo o  formato curvado e bem feito que tinha. Fiz isso com seus olhos, seu nariz...

Como seu rosto é lindo hyung.

Sorri.

Voltei a fitar o teto.

Agora já não importava mais o fato de que, eu não tinha certeza nenhuma sobre os sentimentos e opções do Taehyung. No entanto, eu esperaria.

Se tem algo que aprendi desde a época de Trainee -que não foi nada fácil- É que quando as coisas têm que acontecer, elas acontecem. Naturalmente.

Meus olhos começaram a pesar. Estava tão aconchegante! Aquele abraço, aquele cheiro, tudo cooperava para o sono me vencer.

Talvez seja exorbitância de minha parte, mas desejo desesperadamente que o tempo pare aqui.

Fechei os olhos me rendendo ao sono.

No meio da noite fiquei muito agitado. Me mexi na cama tentando desvencilhar-me do que parecia uma carícia em meus cabelos.

- Eu te amo Jungkook..

Ainda refém do sono e completamente desnorteado, tentei abrir os olhos. Só tentei mesmo.

Deve ter sido a minutos atrás, mas tive a impressão de ouvir alguma coisa.

O que era?

Humm..

  - Ai Ai.. - me espreguiçei

Virei para o lado e voltei a dormir.

Acho que foi um sonho.

Com certeza foi.


Notas Finais


Peço desculpas pois eu tinha muito mais para escrever e esclarecer neste capítulo. Vocês não sabem (nem você Liewtz minha bias maravilhosa que provavelmente vai ler isso) Eu tenho transtorno de ansiedade e Sindrome do pânico devido há um trauma que vivi aos 14 anos de idade. Antes que perguntem, tenho 19 anos (sou velhinha no Kpop já minha gente) Hoje minha noite foi terrível, pois pela primeira vez em meses voltei a ter os pesadelos novamente. (Graças a Deus Omma me socorreu pois é extremamente assustador reviver algumas lembranças) Estou voltando a me tratar. Passei a noite sem dormir, e tentei escrever um pouco. Devido ao cansaço extremo consegui apenas isso. Vou postar mais cedo pois estou na esperança de dormir hoje. Prometi postar todo o dia, mas caso acontecer de eu faltar um dia, compenso postando 2 cap no outro. Mas pretendo continuar postando todo dia pois escrever me diverte, e me deixa muito feliz.
Obrigada pela leitura! E mil beijos no kokoro. 💓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...