História O Príncipe Do Mar - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Pequena Sereia
Personagens Ariel, Personagens Originais, Príncipe Eric
Tags Ariel, Disney, Genderbend, Pequena Sereia, Saga
Visualizações 2
Palavras 1.303
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Slash, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Homossexualidade, Mutilação, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - O som da flauta


Fanfic / Fanfiction O Príncipe Do Mar - Capítulo 13 - O som da flauta

Ariel olhava distraidamente a paisagem por uma das janelas do palácio, observando os passarinhos voando pelo céu adormecido. o garoto havia passado boa parte do dia andando sem rumo pelo castelo na esperança de encontrar Eric, mas o rei não parecia estar em lugar nenhum. o príncipe suspirou derrotado

                Ele estava prestes a ir embora quando um som distante chamou sua atenção. ele olhou na direção do barulho curioso. o dia dele havia sido totalmente monótono e o garoto estava realmente curioso para saber o que era aquilo. sem pensar duas vezes ele seguiu na direção do som

                 O garoto abriu uma porta de vidro e andou pela praça do castelo. ele andou por um tempo até avistar rei Eric apoiado em uma muretinha tocando um instrumento estranho ao lado de Max que abanava a cauda feliz ao seu lado. antes que Ariel pudesse sequer pensar em tentar anunciar sua presença, o cachorro se virou animado e correu na direção do ruivo antes de derrubá-lo no chão e começar a lamber seu rosto

                   O cão pulava animado no garoto que, por sua vez, estava tentando se livrar da animação exagerada do animal

                    - Max! - Eric puxou o cachorro de cima do príncipe parecendo irritado com o cão

                    Assim que Max saiu de cima do garoto o rei o ajudou a se levantar  

                  - desculpa, eu realmente não sei o porque dele sempre fazer isso quando te vê, normalmente ele é bem reservado com estranhos

                  O ruivo limpou o rosto molhado. assim que terminou ele olhou para Eric, feliz de tê-lo encontrado enfim. foi então que o garoto se lembrou de como chegou lá, ele apontou curioso para o instrumento na mão do homem na esperança que ele pudesse dizer algo sobre aquilo

               Eric olhou para o objeto e pareceu surpreso de o estar segurando. o homem guardou o instrumento em seu cinto rapidamente parecendo meio envergonhado, o que só deixou Ariel mais confuso ainda. será que ele não devia ter ouvido ele tocando? o rei parecia um pouco desconfortável com o garoto encarando-o:

                 - então, você me ouviu tocando? - o ruivo concordou - ….eu não sei o que dizer…. eu não costumo deixar as pessoas me ouvirem tocando

              O garoto olhou para ele se sentindo mal por ter invadido a privacidade dele de modo tão rude. ele tentou pedir desculpas, mas o rei falou antes tentando acalma-lo:

                - não! você não precisa se desculpar, é que eu só toco quando preciso pensar muito, e normalmente não deixo as pessoas ouvirem porque eu toco muito mal

              O rei se sentou em um banco e logo Max pulou em seu colo pedindo cafuné. enquanto o homem estava ocupado com o cachorro, o garoto os encarava pensativo. por que Eric estava tão nervoso sobre tocar mal? ele nunca tinha ouvido um instrumento como aquele antes, mas achava que o som era lindo

             Ele se sentou ao lado do rei. assim que ele se sentou o cachorro pulou em seu colo querendo carinho dele também. vendo que o garoto estava nervoso perto do animal Eric disse, incentivando-o a tocar em Max:

            - está tudo bem, ele só quer carinho

             Dizendo isso ele começou a passar a mão na cabeça de Max. Ariel tomou coragem por um tempo antes de começar a fazer carinho timidamente no animal. depois de um tempo o garoto começou a fazer carinho mais animado quando notou que o pelo do cachorro era muito fofo

           Mas ele ainda estava preocupado com Eric. o garoto tocou gentilmente no braço do homem que encarava o horizonte tristemente, tentando perguntar o que estava de errado e principalmente o que ele podia fazer para deixar o rei feliz. o homem continuou olhando para o horizonte, mas sorriu:

            - sabe, você passa uma sensação boa de confiança, como se eu pudesse contar tudo para você, e isso é uma sensação esquisita vinda de outro cara

             Por um tempo os dois ficaram em silêncio até que o rei se virou para o garoto novamente:

              - acabei de me lembrar que amanhã eu irei resolver algumas coisas na vila, quer vir comigo? eu ainda te devo um passeio apesar de tudo - o garoto concordou enquanto massageava a orelha de Max - ótimo, sairemos amanhã cedo, para conseguir ver tudo no reino antes do anoitecer

                O garoto sorriu, nessa hora Grimsby apareceu chamando Eric para avisar algo que Ariel não entendera direito. logo o rei havia sumido deixando o príncipe para trás com Max. mal o garoto já voltara a fazer carinho no animal uma voz o chamou da praia:

                - Ariel! aqui! - o ruivo se levantou e correu até a muretinha. Sebastião estava parado abaixo da sacada da praça encarando aliviado - finalmente te encontrei! venha, desça aqui!

              Ariel fez um sinal para ele esperar e correu pelo castelo pelo mesmo caminho que ele tinha feito com Eric no dia em que o homem o trouxera para o castelo. alguns criados olharam curiosos para o garoto enquanto ele passava por eles

             Assim que ele chegou na praia, ele seguiu até onde Sebastião estava. o sereiano encarava-o com uma mistura de raiva e alívio:

             - você tem ideia de como você me deixou preocupado? e antes que você pergunte, não, não contei nada para sua mãe, mas você tem ideia de como ela está preocupada? todos estão procurando por você em todos os cantos! Linguado não consegue parar de se culpar achando que você estava em apuros!

            Sebastião respirou fundo antes de finalmente terminar:

            - ao menos você pode me dizer que conseguiu? - o ruivo respondeu negativamente - O QUÊ? o que que você andou fazendo? dormindo?  

           Ariel balançou a mão significando “mais ou menos”. o homem suspirou irritado:

             - bem, será que você poderia se apressar? eu ouvi parte da conversa de vocês lá em cima, então amanhã vocês vão passear? - o garoto concordou - perfeito! essa é sua chance, é só ir lá e conquistar o humano

            O garoto olhou irritado para Sebastião. conquistar alguém não era assim tão fácil, ele precisava de tempo com o rei. sem contar que o conselho amoroso de um homem solteiro que nunca nem tivera ninguém em um sentido romântico, não parecia muito confiável para ele. Sebastião, porém, continuou falando:

            - ….é bem simples, você pisca os olhos assim - o homem começou a piscar os olhos como louco - sorrir assim e quando ele estiver preso na sua rede, fazer um biquinho assim

            Sebastião prosseguiu fazer um biquinho enquanto piscava os olhos exageradamente. o garoto teria rido da cena em qualquer outra ocasião se não estivesse um pouco irritado com o conselho. o que Sebastião pensava que ele era? uma garota? ele não ia ficar piscando os olhos como se tivesse pego uma doença ocular ou coisa parecida. o homem parou com sua interpretação:

          - ou então para os exigentes como certas pessoas…. vamos fazer assim…. - o homem pareceu pensar por um tempo - linguagem corporal? é a única maneira que consigo pensar agora, e não me olhe assim, foi você que resolveu entrar nesse jogo do flerte sem a voz

            Ariel gemeu irritado. Sebastião era quase tão ruim naquilo quanto ele. o garoto estava começando a desejar que Linguado estivesse ali, o loiro já teve muitas namoradas e namorados, ele saberia o que fazer. Sebastião olhou para o céu e disse:

            - está ficando muito tarde, é melhor eu voltar, mas amanhã bem cedo eu volto com Linguado, então nem se atreva a sair daqui

             Dizendo isso o homem se virou e foi embora. assim que viu que ele já tinha ido, Ariel virou e andou de volta até o castelo. chegando lá Carlotta estava esperando-o. ela o escoltou para seu quarto dizendo para ele não sair daquele jeito e para avisá-la se queria sair.

 

            

              

                                         

                     

  

                      

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...