História O Príncipe e o Plebeu - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Kai, Personagens Originais, Sehun
Tags Baekyeol, Chanbaek, Exo
Visualizações 24
Palavras 1.261
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Seis


            A chegada dos novos trabalhadores no palácio foi calma. Ao sair da carruagem, o rei lhes desejou as boas-vindas brevemente, ao terminar seu curto discurso, entrou com sua família no castelo, enquanto os outros ficaram lá fora, esperando que alguém viesse instruí-los do que fazer.

            Logo um homem da guarda se aproximou, acompanhado de uma mulher com um avental um tanto sujo.

— Olá a todos os novatos, eu sou Oh Ji Hoon, responsável pelos guardas do palácio, e essa senhora ao meu lado chama-se Ye Da Reum, ela cuida das cozinheiras. — Ambos se curvaram brevemente, os novatos fizeram o mesmo.

— Antes das devidas divisões, há regras gerais cujas quais devo torna-los conhecedores.

            A mulher desdobrou um pequeno papel meio amarelado que tirou de seu bolso. Olhou atentamente para o mesmo, como se tentasse enxerga-lo melhor, e logo passou a falar:

- O terceiro e quarto andar é proibido para todos os não autorizados. Neles estão os aposentos reais, sendo o quarto do Rei e da Rainha no terceiro e o quarto do Príncipe no quarto.

- Os horários devem ser seguidos à risca, sem desculpas para atrasos.

- Em festividades, é proibida a entrada de qualquer empregado mais baixo. Os únicos com passe livre para adentrar no palácio em tais eventos são os garçons e os guardas.

- Contendas e agressões físicas entre os empregados são proibidas, quem desobedece esta regra, passa um dia em receber qualquer alimento ou bebida, além de estar propicio a castigos físicos. Geralmente chibatadas.

- O servente que for pego armando algo contra a família real será sentenciado a morte em praça pública.

            Naquele momento Chanyeol sentiu falta de ar e seu corpo todo gelou. Ele pode se ver naquela situação. Sendo decapitado ou condenado a forca na frente de Sehun e sua mãe. Não deixou que ninguém visse seu desconforto.

— Estas são as regras gerais, quanto as regras adicionais, estas serão lhe dadas pelos seus devidos tutores. Agora faremos as divisões. Mulheres, me sigam. Enquanto aos homens, sigam o Guarda Jihoon. — Concluiu a mulher, virando-se rapidamente e seguindo para dentro do castelo, com todas as outras novatas atrás.

            Por sua vez, o guarda seguiu caminho, e assim fizeram os outros homens. Chanyeol olhava para dentro do castelo através das grandes e altas anelas. O lugar era realmente muito lindo, com várias pinturas nas paredes e vários artefatos de ouro que enfeitavam as mesas.

            Ao chegar em uma escada, o guarda passou a descer a mesma, acompanhado de todos os outros. No final da escadaria, uma pequena porta foi aberta, revelando uma sala, não muito grande, com vários lençóis e almofadas no chão.

— Este será os seus aposentos a partir de hoje. Devem escolher seus colchões imediatamente.

            Rapidamente cada homem tomou seu devido lugar, assim também fez o moreno, escolhendo um dos últimos colchões, no fundo da sala. Depois de todos acomodados, o guarda continuou:

— Bem, vocês já devem saber que a guarda do castelo não condiz somente aos guardas externos, que protegem o palácio durante a noite. Há várias divisões neste cargo. Portanto, quando chamar seus respectivos nomes, venham até mim que lhes direi a qual área você está designado.

            Todos assentiram, e em seguida o lugar fez-se silencioso. O homem alto e de armadura prata clamava nomes em voz alta, enquanto um por um, os novatos se levantavam ao serem chamados. Chanyeol não prestou muita atenção nos nomes chamados, até que viesse a sua vez.

— Park Chanyeol.

            O mesmo levantou-se de sua pequena cama, seguindo o corredor formado graças aos colchões extremamente ligados até chegar no tutor.

— Você foi direcionado como guarda interno. Cuidará da segurança do castelo por dentro. Durante o dia, deve ficar no térreo, e pela tarde, a sua vigia será no segundo andar. Esteja ciente de que haverá trocas de postos. Amanhã, o tutor dos guardas internos lhe dará instruções mais específicas. Compreendido?

— Sim, senhor! — Exclamou Chanyeol, voltando para o seu lugar em seguida.

            Ao sentar de volta em seu devido colchão, o moreno deu uma olhada mais detalhada pelo pequeno quarto. As paredes eram sujas e o chão não muito limpo, deixando claro que as arrumadeiras daquele lugar cuidavam apenas da limpeza onde a família real passava. Havia apenas uma janela pequena, por onde entrava a pouca luz do sol de fim de tarde.

Lembrou naquele momento que sua mãe deveria estar em casa preparando a sua sopa de frango, que o mesmo adorava. Sentiu-se culpado por não avisar a mesma todo o seu plano, mas sabia que jamais permitiria que ele fizesse tal coisa se soubesse. Também pensou em Sehun, e seu coração acelerou, pensando onde seu único amigo estaria naquele momento. Provavelmente ainda em seu trabalho.

O moreno saiu de seus devaneios quando escutou a voz do Guarda Jihoon.

— O sol já está se pondo, o que indica que o jantar está quase pronto. Os empregados do castelo tomam suas refeições todos juntos, que consistem em café da manhã, almoço e jantar. Tomem um banho antes de se dirigir ao refeitório.

            O homem virou-se para sair, mas fora interrompido por um dos novatos. O mesmo estava na cama ao lado de Chanyeol. O rapaz era alto, sua pele era um pouco mais escura que o habitual, também era forte.

— Sim, Jongin? — Respondeu o guarda, olhando para o novato.

— Onde fica o refeitório? — Perguntou o rapaz.

— Vocês devem seguir essa escada que descemos. Ao chegar no topo, virem à direita e entrem na segunda porta. Lá é o refeitório dos serventes. Mais alguma pergunta?

            Fez-se o silencio e então o guarda virou-se novamente, dessa vez, saindo do quarto e fechando a porta atrás dele.

            O falatório começou poucos segundos depois, os homens conversavam sobre as coisas mais variadas possíveis. Sobre como conseguiriam dinheiro para ajudar sua família, sobre as pessoas que deixaram para trás, esposas, filhos... Chanyeol não estava interessado em expor sua vida tão rapidamente para tais desconhecidos.

Até porque seria estranho dizer que o que ele queria ali era provocar um motim contra a família real e tirar todos do poder.

            Preferiu afundar novamente em seus pensamentos.

..o0o..

            Uma fila formou-se no grande refeitório. Os vários homens e várias mulheres recebiam a comida do dia. Uma sopa de legumes com ovos. Chanyeol surpreendeu-se a pegar seu prato, era realmente o dobro do que costumava comer em casa, além de não lembrar da última vez que comera ovo.

            Procurou o lugar mais vago possível, ao achar, sentou-se, voltando toda a sua atenção para a comida.

— Oi...

            O moreno tirou os olhos de seu prato quando viu o novato vizinho a sua cama puxar assunto.

— Oi. — Respondeu seco.

— Como se chama?

— Chanyeol... Park Chanyeol.

— Eu sou Kim Jongin, mas todos me chamam de Kai. Prazer em conhecer.

            Chanyeol o olhou confuso, o que Kai tinha a ver com Jongin? Com preguiça de escutar uma explicação muito longa, deu-se o benefício da dúvida o voltou a atenção para sua sopa.

..o0o..

            Todos os outros homens já dormiam, o que deu a Chanyeol liberdade para analisa-los. Eram 11 homens, contando com ele. As idades eram variadas. O moreno tinha 19 anos, ouviu Kai dizer em uma das tentativas falhas de puxar assunto que tinha 19 também. O restante ali parecia ser mais velho, entre 24 a 35 anos, mais ou menos. A característica que todos ali tinham em comum era altura. Pelo escuro do lugar, não pode ver muita coisa, então voltou a deitar-se, fixando seus olhos no teto.

— O primeiro passo já foi dado. Em breve, o meu povo estará livre.

            Cochichou ele, sendo vencido pelo sono em seguida.


Notas Finais


E chegamos ao sexto capítulo postado nesta fanfic!
O que acharam da entrada deste personagem secundário chamado Kim JongIn? Ele não aparecerá sempre, mas de vez em quando aparecerá na história. Espero que gostem dele.
Estou sentindo falta do retorno de vocês para que assim eu fique ciente e estão gostando do decorrer da narrativa, então não deixem de comentar.

Nada mais a declarar,
BreeBye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...