História O Professor - Justin Bieber - Capítulo 57


Escrita por: ~

Exibições 716
Palavras 2.458
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 57 - Você me dá esperança


Fanfic / Fanfiction O Professor - Justin Bieber - Capítulo 57 - Você me dá esperança

- Briana On -

Fazia-se quase dois meses que eu não via as pessoas transitando pelas ruas, por eu não poder sair do hospital. O meu corpo parecia uma pena de tão leve que eu me sentia, talvez por eu ter emagrecido muito. Os meus lábios estavam poucos machucados do frio, nada que eu não pudesse resolver com o meu gloss de morango ao chegar em casa. Brian estava sentado na cadeirinha ao meu lado, no banco de trás do carro e puxava o meu gorro, enquanto eu ria das caretas dele por não conseguir arrancar o gorro de minha cabeça.

- Brian se comporte. -Mamãe chama a atenção do pequenino enquanto mexe em algo no porta luvas do carro.

- Brian é o melhor irmão do mundo. -Digo e o pequeno sorri como se tivesse entendido o que eu acabará de dizer.

Esse é o meu irmão.

Quando a vovó Pattie estaciona o carro na garagem de casa Brian começa a se debater na cadeirinha. Até parece que ele é quem não voltava a muito tempo pra casa. Mamãe desce do carro e em seguida abre a porta ao meu lado. Tiro o cinto de segurança e ela me ajuda a descer do carro.

- Eu pego o Brian. -Vovó Pattie diz e minha mãe sorri em forma de agradecimento.

Em passos lentos e com a ajuda de minha mãe entramos em casa. 
O meu sorriso foi enorme ao ver todos reunidos naquela sala. Uma grande volta para casa. Talvez a melhor despedida que eu pudesse ter. Amigos e familiares. A casa está cheia de pessoas que eu tanto amo e que me fazem felizes. Em meio a todas as pessoas reunidas ali na sala, estava faltando uma. O Professor. O meu querido e eterno professor, que se tornou meu grande amigo e papai.

Cada um fez questão de me abraçar e dizer palavras motivadoras.

Fico surpresa quando meus olhos são tapados por mãos masculinas.

- Espero que não tenha se esquecido de mim. -A voz que tanto conheço diz me fazendo sorrir.

- Nunca, bobo da côrte. -Digo e ouço risos baixos.

- Certo, você demonstrou o quanto me ama agora. -Finge drama.

- Desculpe-me, mas você sabe que eu te amo. -Digo e ele tira as mãos do meu rosto.

- Então, eu mereço um abraço. -Papai Justin diz quando me viro para olhá-lo.

Um abraço... Poderia não resolver tudo, mas pelo menos me ajudaria a esquecer o sentimento ruim que habita aqui dentro do meu coração.

Às vezes é preciso um abraço, um olhar compreensivo e um sorriso acolhedor. Certas dores precisam ser compartilhadas, mas sem cerimônias e hipocrisias, não há necessidade de gritos e dramas, sofrer em silêncio faz a dor parecer menor. Não precisamos de discursos elaborados, só de ouvir um "eu acredito em você" já faz toda a diferença e estamparia um pouco da ferida que enciste em sangrar. Insegurança e medo não deveriam doer tanto, mas enfrentar isso tudo sozinha torna tudo mais difícil, mais insuportável. Não quero estar cercada por uma multidão de gente aparentemente preocupada. Eu quero ao meu lado pessoas que realmente se importe de verdade comigo, com quem sou. Eu sou a Briana, uma pequena menina, que horas está bem e outras não, horas resolve os problemas de outras pessoas e os seus não. Eu sou a Briana e faço uma pequena diferença no mundo. Eu sei amar e me importar com as pessoas.

Aqueles olhos cor de mel, que quando eu vi pela primeira vez, fez com que eu tivesse uma incrível brilhante ideia e me sentisse protegida, me encaravam mostrando uma certa felicidade.

Quando esses olhos cor de mel se encontraram com os olhos de esmeralda de minha mãe, eu tive a certeza de que eu teria uma missão a ser cumprida. O que? Claro que eu desacreditei ser apenas bobagem de minha cabeça, mas não há nada que eu não resolvesse!? Certo, não foi fácil, mas também nem um tanto difícil.

- Nos deixe contar a novidade!!! -Tia Samantha diz dando um pulo do sofá.

- Conte-me mais sobre a novidade. -Digo e ela assenti um pouco confusa.

- Mas... Eu nem comecei. -Ela diz arqueando as sobrancelhas e eu reviro os olhos. Ela percebe que eu estou tirando uma com a cara dela e resolve continuar. - Primeiro, eu e o tio Ryan iremos nos casar em dois dias. Segundo, você será a dama de honra. Não aceito um não mocinha. -Ela diz e o tio Ryan rir.

- Não aceitamos um não. -Ele diz ficando ao lado de tia Samantha em minha frente.

- Claro que eu aceito. -Digo e eles me abraçam rapidamente. - Vocês adiantaram a data do casamento por minha causa? -Pergunto e eles se entreolham.

- Huh... Um pouco. -Tia Samantha diz tristonha.

- Está tudo bem, pelo menos vou poder degustar da festa, acho. -Digo e alguns olhares de "não diga isso nunca Briana" me fuzilam.

Muitas pessoas não gostam de ouvir a verdade. 

 

- Katherine On -

Briana estava de volta ao quarto dela e já chegou bagunçando tudo com Brian. Bom, a qualquer momento ela poderia ter um retorno para o hospital novamente. Depois de tanta bagunça no quarto de Briana, a mesma organiza um pouco e cai no sono com Brian.

Brian dormiu enrolado na coberta junto a Briana. A cena me faz chorar de alegria. Alegria por ver os dois juntos.

- Uma noite de descanso? -Justin surge no corredor enquanto eu fecho a porta do quarto de Briana.

- Não totalmente. -Murmuro para ele que me abraça desajeitado. 

 

• Dia do Casamento •

Tudo está muito bem organizado para a festa de casamento. Ryan e Samantha se casam em poucas horas, isso me faz lembrar do dia do meu casamento, sendo incrível, tirando oque aconteceu na locadora.

- Você está divina. -Digo para a Samantha que acabará de terminar a maquiagem.

- Eu nem estou pronta. -Ela diz risonha. - Estou pensando em Ryan, ele deve ter ficado bravo sem a despedida de solteiro.

- Você sabe que eu também não apoiei isso, aliás, Justin iria participar da festa, então, foi melhor não. Não entendo o porque dessas bobagens.

- Bem que eu queria um homem alto, sarado, moreno... Dançando em minha frente. -Samantha diz pensando alto.

- Eu estou aqui, okay? -Briana diz revirando os olhos.

- Desculpa meu anjo. -Digo e ela sorri sem humor.

- Vamos terminar de nos arrumar. -Samantha diz espontânea.

Briana volta a encarar sua imagem no espelho e passa o batom vermelho sangue em seus lábios extremamente pálidos. Às maçãs de seu rosto estão um pouco rosadas, os seus olhos transmitem felicidade, mas nem tanta.

- Não vai terminar de se arrumar mamãe? -Briana pergunta me tirando dos devaneios.

- Vou sim. -Respondo e me sento novamente na cadeira.

Alexander continua a me maquiar, enquanto isso Alicia termina de fazer as unhas de Samantha.

A felicidade de Samantha é imensa, impossível de não notar-se. Ela merece este tão sonhado dia e Ryan também. É uma honra ser a madrinha deste casamento. 

 

[...]

 

O abraço é acompanhado de lágrimas e sorrisos. Estamos no aeroporto, Justin, Ryan, Samantha e eu. Os recém casados ficarão por duas semanas fora do país. Às férias e comemoração particular será em Milão.

- Vocês já sabem, qualquer coisa que precisarem é só ligar. -Ryan diz dando um último abraço em Justin.

- Pode deixar. Agora, peça para a sua mulher largar a minha mulher. -Justin diz apontando para Samantha ainda grudada em mim.

- Eu amo muito vocês, meus queridos amigos... Padrinhos de casamento. -Samantha diz e junta Justin conosco.

- Samantha, vamos perder o voo, meu amor.

Bastava Ryan pronunciar um "meu amor" para Samantha ficar toda melancólica e derretida. Os dois caminham juntos para fazer o devido check-in e acenam, assim sumindo de nossas vistas. 


 

• Uma semana depois •

Justin estava no trabalho, enquanto eu ficava louca com Brian bagunçando toda a casa. Briana passava o dia todo assistindo filme ou séries na TV, isso quando, não se juntava com Brian.

- Podemos fazer um piquenique este fim de tarde? -Briana surge na cozinha ainda de pijama.

- Você ainda está de pijama, Briana?

- Mãe...

- Okay, temos que esperar o Justin chegar. -Digo e ela sorri.

- Ele vai.

- Como você sabe? -Pergunto pela resposta rápida dela.

- Eu liguei para ele. -Diz revirando os olhos.

- Ah! Nem um pouco esperta. -Murmuro e ela sorri indo para a sala.

Continuo a organizar a cozinha, enquanto Briana brinca com Brian na sala. 


 

- Justin On -

Ao som de Rihanna estamos a caminho do parque, para um longo piquenique. Estaciono o carro e descemos do mesmo. Katherine carrega Brian em seu colo, enquanto eu as sacolas e uma cesta.

- Briana, não corra por favor! -Katherine grita para a garota que tem um sorriso estampado no rosto enquanto corre em nossa frente.

- Deixe ela, você sabe que faz muito tempo que ela não saí de casa. -Digo e Katherine suspira colocando Brian no chão.

- Eu sei, Justin, ela parece estar tão bem, tão certa de si, e isso me parece estranho, um sentimento dentro de mim, que não, não está tudo bem. -Katherine diz forrando o grande pano no gramado.

- Entendo. Mas, aproveite o momento, temos que viver sem medo. Leve Brian para balançar no balanço com Briana, eu organizo tudo aqui. -Digo e Katherine assenti com a cabeça.

Termino de organizar todas as coisas por ali e fico observando, Katherine, Briana e Brian, eu posso ouvir as gargalhadas das três incríveis pessoas. Briana acena me chamo para a próxima brincadeira e eu nego com a cabeça. Briana corre até mim e me puxa, não aceitando minha resposta.

- Vamos brincar de pega-pega. -Ela diz fazendo bico.

- Tudo bem, você venceu garotinha. -Digo e ela comemora.

- Então... Está com você. -Ela diz rapidamente e sai correndo.

Katherine segura na mão de Brian e começa a correr também, raciocínio um pouco também e começo a correr atrás dos três que riem da minha cara. Corro um poco mais rápido e consigo alcançar Katherine, puxo a mesma pelo braço fazendo com que nossos corpos se juntem.

- Peguei você. -Digo e ela sorri me beijando.

Separamos nossos lábios por causa de nossas respirações ofegantes e Katherine esconde o rosto na curvatura do meu pescoço.

- Hey!? Isso não existe na brincadeira. Credo, vocês não sabem brincar? -Briana pergunta irritada segurando a mão de Brian.

- Menos Briana, muito menos. -Katherine diz rindo.

- Brian, diga eca. Eca, repete comigo. -Briana dizia para o pequeno.

- Eca. -Ele disse fazendo com que Briana desse pulinhos com ele no colo.

- Ah! Você disse, eu vou chorar de tanta emoção. -Briana dizia.

- Isso não está acontecendo. -Katherine murmura.

- Acredite. 

 

[...]

 

Chegamos em casa exaustos, já era tarde da noite, tivemos um grande dia juntos, e registramos tudo na câmera em que Alfredo deu para Briana. No caminho de volta para casa Brian até dormiu no colo de Briana. Fazia-se muito tempo em que não nos divertíamos tanto assim, a vontade era de não voltar para casa.

- Filha vai tomar um banho.

- Eu não estou me sentindo bem, mamãe. -Briana responde com a voz cabisbaixa.

- Você estava tão espoleta minutos atrás. -Katherine diz se abaixando na altura de Briana.

- Vou deixar Brian, no quarto e já volto. -Digo e subo as escadas com Brian.

Precisamos de um bom banho.

Deixo Brian em seu berço e vou até o banheiro encher a banheira. Ouço os gritos de Katherine pedindo por socorro e fecho a torneira rapidamente. Os gritos vem do quarto de Briana, corro até lá e encontro Katherine com Briana no colo. Briana encontra-se desmaiada. O choro de desespero de Katherine me deixa a cada segundo mais nervoso e em choque. 

- Eu levo ela para o carro. -Digo pegando Briana dos braços de Katherine. - Pegue o Brian no quarto dele. 

 

 

[...]

 

 

Fazia-se uma semana em que eu e Katherine passávamos ao lado de Briana no hospital novamente. A cada dia que se passava Briana se demonstrava cada vez mais fraca. Suas falas eram poucas, mas era motivo para me fazer sorrir. Katherine acabará de deixar o quarto com Brian e então resolvo fazer companhia a Briana enquanto Katherine vai na cantina.

- Como se sente? -Pergunto ao me aproximar da cama de Briana.

- Eu me sinto feliz, em paz... 

Eu olho pra sua cara sorridente.

Você é tão fraca e ainda tem tanta força.

- Conversamos tanto essa manhã. -Digo e ela sorri fraco.

- Você chorou feito um bebê. -Ela diz revirando os olhos.

Você dá luz à esse lugar.

E você faz o melhor de tudo.

- Sério? Eu não me lembro. 

- Me desculpe, então, devo ter me confundido.

Você me dá esperança apesar de tudo.

Você me mostra o amor mesmo com tanta dor.

Então eu vou viver essa vida como se eu tivesse outra chance.

- Você é o meu grande anjo, Briana. 

- Você é o meu professor, o meu amigo, o meu papai, cara! Você é incrível!

Nós rimos, nós choramos.

As vezes estamos tristes e não sabemos o por quê.

E eu fico cansado e me perco no caminho, mas você me ajuda a achar a fé.

- Voltei. -Katherine diz entrando no quarto.

- Olha só, esse é o meu casal. Um é a base do outro. -Briana diz olhando para mim e Katherine. - Eu amo muito vocês. 

 

Horas Depois...

Estava no corredor com Brian enquanto Peter e Katherine estavam no quarto com Briana. O anúncio no corredor surpreende a todos no corredor, que aguardavam notícias boas de Briana. 

Doutor Peter informa uma grande emergência no quarto 27.

Quarto de Briana.

Em seguida é possível ouvir os gritos de desespero de Katherine, a mesma é tirada do quarto com a ajuda de enfermeiros. 

- É a minha filha! Deixe-me ficar com ela. -Katherine grita em prantos.

- Se acalme. -A enfermeira pede a katherine que se ajoelha no chão.

- Katherine, se acalme minha filha. -Elisabeth se abaixa para abraçar Katherine.

As lágrimas descem descontroladamente sob minhas bochechas quando Peter aparece na porta do quarto e balança a cabeça em negação. 

- Fizemos o possível. Infelizmente. Ela se foi. -São as únicas palavras de Peter.

Porque pessoas boas tende partir Deus? 

Ela se foi. Ninguém tem muito a dizer agora.

Se ela tivesse asas, ela voaria para longe.

E algum dia Deus lhe dará algumas...

Katherine no momento se encontra inconsciente e eu busco manter a calma como todos os outros que estão aqui presentes.


Notas Finais


Buá buá buá, eu estou arrasada... Pois bem, aqui nos despedimos de Briana e seguimos em frente para os cinco últimos capítulos. Espero que vocês estejam gostado do capítulo e peço que não desistam da fanfic genty... Muitas leitoras falaram que se Briana morresse iriam parar de ler, então, desde quando eu comecei a fanfic eu já tinha esse propósito em mente, infelizmente.

Músicas citadas no capítulo: You Give Me Hope e Carry you Home.

>>> Leiam: TOXIC LOVE <<<

Até Breve!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...