História O Professor - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha, Shisui Uchiha
Exibições 407
Palavras 1.878
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 12 - Capítulo 12- Se Esclarecendo


Fanfic / Fanfiction O Professor - Capítulo 12 - Capítulo 12- Se Esclarecendo

Mais uma vez, Sasuke se encontrava dentro de seu carro esperando sua filha sair da escola. Depois de seu encontro inesperado com Naruto e seu querido namorado, o moreno passou a tentar evita-lo o máximo que pode. Tanto que agora se encontrava em uma distancia consideravelmente segura da escola. Já tinha conversado com Sarada e falado que a esperaria no carro sempre que fosse busca-la. A menor tentou entender o porque, mas seu pai apenas desconversou e acabou pagando um sorvete para a filha. 

Se ela iria se acostumar mal, ele não ligava. Teria dinheiro para pagar tudo o que sua filha quiser, então não via problema.  

Seja lá o que o moreno estava pensando naquele momento, fora interrompido por sua filha que saiu correndo da escola com feições trises e desesperadas. Ela chegou perto de seu carro e ele abaixou o vidro para que pudesse ouvir o que a menina tinha a dizer. 

-P-Papai! - Falou com dificuldade tentando controlar sua respiração e ajeitar a mochila em suas costas. - P-Pa... - Não conseguiu falar e caiu no choro.  

Atordoado e sentindo seus instintos protetores se aflorarem, Sasuke saiu correndo do carro e deu a volta no mesmo. Pegou sua filha no colo a abraçou, tentando acalma-la.  

-Sarada, minha filha, o que houve? - Perguntou não entendendo o porque da filha estar daquela maneira.  

Se afastou um pouco da menina, para poder olhar em seu rosto, que estava completamente vermelho, lhe lembrando um tomate, acharia uma graça, se ela não estivesse chorando.  

-Shiii... - Tentou acalma-la a ninando enquanto secava as lágrimas teimosas que manchavam seu pequeno rostinho. - Quer falar para o papai o porque está chorando? 

Sasuke não sabia de onde tinha vindo esse tipo de atitude, mas não se importou de estar falando de uma forma tão carinhosa e preocupada com sua filha. 

-P-Papai o tio Naru ... ele... Ele foi embora. - Falava com dificuldade enquanto esfregava as costas da mão em seus olhinhos. 

Só pela simples menção do nome do loiro, o coração do moreno não conseguia se aguentar parado. Piorou ainda mais ao ter essa notícia. Como assim ido embora? Pra onde?  

Mesmo que ele não quisesse mais olhar para o responsável de novos e indesejáveis sentimentos agora presentes em seu coração, ele não podia aceitar o afastamento dele com sua filha. A criança havia criado um laço, uma afinação, muito grande com professor. Afinal, foi tudo graças a ele desde o início. 

-C-como assim?- O Uchiha não conseguia acreditar que havia gaguejado. Isso nunca ocorrera consigo em toda a sua vida, mas logo agora isso teria que acontecer? E por causa do outro? 

-A tia K-Kurenai disse que ele foi trabalhar em outro lugar e que ela que cuidaria da gente agora. - olhou dentro dos olhos do pai enquanto ainda chorava, fazendo o coração do pobre velho de amolecer. - P-Papai, ele me odeia? 

Essa foi bem no coração do Uchiha. Por essa ele realmente não esperava, tanto que até deu um passo para trás. Sarada e sua mania de achar que era tudo culpa dela das coisas estarem acontecendo.  

-Claro que não, Sarada! - Sasuke estava desesperado. Não sabia o que fazer para acalmar sua filha. Talvez Sakura soubesse o que fazer em uma hora dessas, mas ele não sabia. - Olha, eu vou conversar com o tio Naru e saber o porque ele foi embora, tudo bem? - Prometeu também para se aproveitar da situação e realmente saber o que aquele loiro idiota tinha na cabeça. - Eu tenho certeza que não por sua culpa. Entendeu? - a morena balançou a cabeça positivamente  e então, só então, o mais velho conseguiu voltar a respirar normalmente. - Vem, vamos te levar para casa. 

 

Assim que deixou sua filha em casa, Sasuke voltou ao seu carro e se sentou no bando do motorista. Pegou seu celular e não tardou a discar o número de Itachi. Já no terceiro toque foi possível ouvir a voz animada do irmão mais velho, fazendo Sasuke bufar em não ter outra alternativa, se não falar com o outro. 

-Sasuke! Que alegria receber uma ligação sua! Mesmo sabendo que você só me liga para pedir coisas. - Disse já sabendo o que o mais novo queria. - Diga, o que queres? 

-Que bom que assim encurta a conversa. Você sabe quando que vai ser a reunião com os representantes da empresa Namikaze? - Perguntou sem muitos rodeios. 

-Ahn, eu não sei. Não temos nenhuma reunião. Quer marcar? - Perguntou curioso.  

-Sim, o mais rápido possível.  

-E o que seria o mais rápido possível pra você? - Perguntou risonho ao perceber a ansiedade na voz do mais novo.  

-Hoje, Itachi, hoje mesmo. Se puder pra agora. - Falou agoniado. - E faça questão de deixar claro a presença de Naruto Uzumaki. - Disse e desligou o celular o mais rápido que podia. 

Ligou o carro e dirigiu em disparada para o grande prédio no qual trabalhava, não demorando muito para chegar lá, já que Sasuke nunca foi uma pessoa que respeitava o limite de velocidade ou até mesmo os sinais inúteis aonde não tinha pedestres ou carros passando. 

Passou por Karin, sua desnecessário secretária. Não sabia porque ainda a mantinha empregada já que seu irmão o ajudava com tudo. Foi até sua sala e aguardou o computador ligar e assim que aconteceu, viu logo um e-mail adentrando em sua caixa de mensagem. O abriu e viu que se tratava da reunião que ocorreria daqui a duas horas. 

Aproveitou esse tempo que teria e organizou todas as propostas que tinha para fechar o contrato com a outra empresa. Assim que terminou passou a organizar o que falaria para Naruto. 

Como ele iria abordar tal assunto sem deixar transparecer que realmente se importava de ele ter parado de dar aula pra sua filha, e não apenas por ela ser o motivo. Depois daquela noite em que não parava de pensar no loiro, ele tentava se negar o que sentia pelo outro, tanto que ele nem sabia direito. 

Só sabia que a presença do loiro o deixava mais confortável, que apensar que saber que o outro estava certo, nunca diria para o mesmo, que Naruto o fez abrir os olhos para as coisas mais importantes que ele tem, mesmo sendo apenas Sarada e a empresa de sua família. Ele também sabia que o loiro era extremamente bonito e que algumas vezes já tivera estranhos sonhos nada castos com a imagem do outro sobre si enquanto parecia ofegante e eletrizado. 

Nunca, em toda a sua vida, iria pronunciar tais palavras. Nem mesmo em seus piores sonhos. Afinal, ele não era gay, muito menos igual ao seu irmão. Ele não gosta do amor, mas sabia que era exatamente isso, ou quase perto, o que ele sentia por Naruto.  

Mesmo ele querendo negar, ele querendo não aceitar, ele sente. Mesmo ele querendo se afastar, ele não consegue. Prova disso é a exaltação ao saber que o loiro parou de trabalhar como professor de sua filha e que não o veria com tanta frequência, precisando de uma reunião para isso. Prova disso que ficou puto quando viu que o loiro se segurava de uma forma afetiva a outra pessoa. 

Isso, Naruto tinha outra pessoa. Assim como Sasuke tem. E isso, só aumentava a lista do que o impedia de continuar com aquilo.  

-Sasuke? - Itachi o chamou assim que entrou em sua sala. - Eu bati, mas não ouvi nada, pensei que tinha morrido. - Falou preocupado assim que olhou para as feições do mais novo. - Houve alguma coisa?  

-Não, não houve nada. - falou saindo de sua transe e voltando a prestar atenção no mais velho. - O que queres? 

-Ah, eu só vim lhe entregar isso. Chegou mais cedo, mas como você não estava, mandaram me entregar. - o estendeu uma carta. - Acho que é importante. 

O mais novo pegou a carta de sua mão mas logo o viu indo em direção a porta. Antes que concluísse tal ato, Sasuke chama seu irmão que vira para si com um olhar interrogativo. 

-Sim? - Perguntou. 

Sasuke não sabia como perguntar aquilo, mas sabia que era necessário ou sua mente iria explodir. Tinha que perguntar isso porque realmente necessitava na resposta, na qual ele não fazia ideia do que era. 

-Quando que a gente sabe que... - Hesitou ao perguntar achando que aquilo era uma grande bobagem. - Nada, não é nada. 

-Fale, Sasuke, agora me deixou curioso. - Perguntou incentivando seu irmão a continuar. 

-Tsc. - Fez um som de chateação com os lábios e desistiu de tentar se conter. - Quando que sabemos quando gostamos de alguém? - Perguntou já não se contendo de vergonha. Se achava patético. 

-Depende em que sentido. - Falou se reaproximando. - Se você apenas gosta, você só se agrada com a presença da pessoa, gosta de conversar. - De uma pausa pensativo para logo depois dar um sorriso anestesiado e contende. - Agora quando você ama, você só pensa na pessoa, quer passar o tempo inteiro junto a ela. Você pensa em planejamentos futuros, gosta de seu sorriso e faz de tudo para o manter em seu rosto. Gosta da companhia e não se imagina sem ela. Ah, você também passa a se dedicar a sempre melhorar. Também... 

-Já entendi Itachi. - Sasuke se apressou a dizer antes que seu irmão o importunasse mais ainda. 

O Uchiha mais novo não sabia aonde iria enfiar sua cabeça depois de ouvir tudo aquilo. Mesmo sabendo que seu irmão não lia mentes, Itachi disse tudo o que estava acontecendo com Sasuke, fazendo o menor se apavorar mais do que já estava. 

-Obrigado por responder minha pergunta, está dispensado.  

Sem dizer nada, Itachi sai da sala e deixa seu irmão atordoado e pensativo para trás. 

 

 

Depois de ouvir todas as palavras de seu irmão, Sasuke ficou mais confuso ainda. Confuso porque ele já sabia da resposta para todas as suas perguntas, mas ele tinha muito medo. Medo de seguir seus instintos e acabar perdendo tudo. Sem perceber ele se permitiu amar sua filha, já sabendo dos riscos, sabia que se a perdesse não suportaria tal fardo. Mas agora ter uma segunda pessoa em sua vida? Ele achava que já seria demais para aguentar.  

Foi então que decidiu deixar esse assunto de lado e voltar ao trabalho. Não podia perder seu tempo pensando em coisas desse assunto. Pegou a carta que lhe foi entregue por Itachi e passou a lê-la.  

Sua respiração parou por alguns segundos ao ler o conteúdo. Ele não podia acreditar. Vinha de seus administradores e pesquizadores.  

 

"A Corporação Hyuuga estará em reta final para fechar o contrato com a Corporação Namikaze daqui a duas semanas." 

 

-Mas o que... O que eu faço? - Perguntou para si mesmo antes de receber a visita de sua secretária.  

-Senhor Uchiha? Naruto Uzumaki chegou e está a sua espera.  

Seu coração acelerou de uma forma sem igual, suas mãos passaram a tremer e a suar em abundancia. Estava a ponto de perder um de seus principais colaboradores para sua empresa rival. Isso ele não poderia deixar. Usaria tudo que tem para mantes o Uzumaki debaixo de suas asas, mesmo que isso comprometa tudo o que tem. 

-Deixe-o entrar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...