História O Proibido - Capítulo 16


Escrita por: ~

Visualizações 519
Palavras 2.568
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Pansexualidade, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 16 - Não interrompa.


Fanfic / Fanfiction O Proibido - Capítulo 16 - Não interrompa.

POV PERCY

 

Corri e prensei Bianca na parede, uma onda de raiva tinha explodido dentro de mim, meu braço estava em sua garganta

 

— Você fez o que?! – Gritei. Como previsto ela sorriu, como se esperasse aquilo mas tinha um certo perigo nos olhos

 

— Matei. o. seu. amigo – Ela falou pausadamente e eu pressionei mais sua garganta – E se gritar de novo, vai acordar os outros, olha que falta de educação

 

— Explique-se. É uma ordem – O sorriso dela se desfez. Ela era leal demais ao clã pra não obedecer à alguma ordem minha. Os olhos dela brilharam perigosamente e friamente. Ela me empurrou com tanta força que eu parei na outra parede do corredor. Ela andou até o corpo e o virou com os pés descalços. Era um garoto com cabelos cor de areia e feições rígidas, olhei pra ela que me olhava

 

— Octavian, era o nome dele – Ela disse parando do lado do corpo – Era um feiticeiro, era poderoso mas tão influenciável... Um pouco de você é o amor da minha vida, te amo e alguns beijos foram o suficientes para ele se tornar meu escravo

 

Ela suspirou, fez cara de nojo e olhou para o corpo quase como se estivesse com pena mas seus olhos diziam tudo, ela estava se divertindo

 

— A magia daquela sua amiga é tão fraca que não conseguiu atravessar o bloqueio que ele estava fazendo – Ela apontou pro corpo e sorriu 

 

— Não tinha como vocês estarem no quarto, como sabia que ela estava curando ele? – Falei 

 

— Ah não! Mas você esta olhando para um feiticeiro, é... morto mas está, estávamos no quarto do lado – Ela andou pelo corredor observando – Estávamos vendo tudo através da parede e depois dele completar o trabalho... Bom, eu estava com fome 

 

Olhei novamente pra o garoto, não eram feições rígidas, eram aterrorizadas, sua pele extremamente pálida, não como de Bianca, mas um pálido morto, que eram como ficavam todos que eram vítimas dos demônios

 

— O que você está fazendo aqui? – Perguntei

 

— Ninguém me mandou aqui se é isso que está pensando – Ela disse cruzando os braços – Estou aqui desde de manhã, precisam tomar cuidado com o que vocês falam, sabia? A mesa da cantina não é o lugar mais apropriado pra vocês falarem sobre guerra entre os clãs, descobri em cinco minutos quem eram aquelas garotas

 

— Parabéns, você não é surda – Foi a única coisa que eu consegui falar. Ela sorriu

 

— Também não sou muda, sabe o que pode acontecer se eu decidir contar pro seu pai que você está namorando uma vampira? A guerra vai estourar, seu pai vai ficar furioso, a loira vai ser...

 

— Mas você não vai contar – Me virei e Nico vinha andando na nossa direção, ele parou do meu lado e cruzou os braços. O sorriso de Bianca desapareceu 

 

— Ah, que ótimo, a família está reunida! – Ela resmungou irônica. Se abaixou e pegou o tal de Octavian pela roupa e o jogou nos nossos pés – Se livrem dele 

 

Ela saiu andando mas Nico falou

 

— Eu não acabei de falar – Ele disse e ela se virou 

 

— E eu não me importo, conversamos amanhã – Ela falou voltando a se virar 

 

— Vai ficar? – Perguntei surpreso mas não era só surpresa, era angústia 

 

— Acha que eu não quero conhecer suas namoradas? – Ela perguntou e Nico negou

 

— Não são nossas namoradas – Nico falou pegando o corpo e jogando no dormitório deles. Minutos depois Jason saiu de lá com cara de interrogação e quando viu Bianca ficou mais pálido do que já estava – E tarde demais, Bianca, elas não estão aqui

 

— Como assim não estão aqui? Estou sentindo cheiro de vampiro – Ela perguntou e todos ficaram em silêncio. Bianca andou até o quarto de Hazel mas antes que ela abrisse a porta Jason falou:

 

— Hazel virou uma vampira, ela estava morrendo então...

 

— Então, já pode morrer de novo – Depois que ela falou isso, Nico e eu nos adiantamos e ficamos de frente pra Bianca e de costas para a porta do quarto de Hazel 

 

— Não tente – Nico falou e Bianca sorriu. Depois percorreu todos nós com o olhar franzido

 

— Cade o irritante? – Ela perguntou e eu sabia que ela estava se referindo a Leo, seu ex-namorado.

 

— Com sorte, já bem longe daqui – Jason resmungou. Pelo visto, ela não sabia da ida deles pra buscar Calipso, ótimo, quanto menos ela soubesse, melhor. Mas era um viagem rápida, é errado eu estar torcendo pra que alguma coisa aconteça e elas não tenham que ficar cara a cara com Bianca? Por outro lado, Frank não tinha muito tempo

 

Mas antes que Bianca pudesse falar mais alguma coisa, a porta se abriu e Hazel olhou para Bianca. Acho que ouviram minhas preces pois Hazel não se moveu em direção a Bianca 

 

— Ah! Esta mais repugnante do que da última vez – Bianca falou e Hazel arqueou as sobrancelhas 

 

— Bom te ver também 

 

Bianca andou na direção de Hazel mas Jason segurou seus braços por trás, um erro. Bianca, acertou o cotovelo no rosto de Jason, virou rápido e o deu uma rasteira. Me adiantei mas ela chutou minha barriga antes que eu pudesse fazer alguma coisa, o chute foi tão forte que eu fui parar seis metros de distancia deles, mas continuei em pé. Nico continuava do lado de Hazel sem se mover

 

— Sabe, Percy – Ela falava, nem se quer arfava, eu estava apoiado nos meus joelhos encontrando um pouco de ar – Pra aquele que um dia já foi considerado o futuro Rei dos demônios, você está fora de forma e fraco. Imagina como seria se Hazel ou aquelas três outras vampiras descobrissem quem você realmente é

 

— Como assim? – Hazel perguntou me olhando mas eu continuei imóvel. Bianca se adiantou e pegou a garganta de Nico, Hazel gritou. Mas momentos depois, Bianca olhou para Nico que estava quase sufocando e largou, ele caiu do chão procurando ar. A fraqueza de Bianca sempre foi Nico. Uma voz interrompeu qualquer coisa que Bianca pensava em fazer. Finalmente, pensei

 

— Eu realmente não senti sua falta – Rachel estava no final do corredor, se adiantou e ficou centímetros do rosto de Bianca 

 

— E eu realmente achei que você servisse pra alguma coisa, mas depois que você deixou seu amiguinho morrer... percebi que você é inútil – Bianca deu uma risada e as mãos de Rachel começaram a ficar verdes, a névoa começou a emanar. Hazel se adiantou indo pra trás de Nico que já estava de pé, mas nada parecia intimidar Bianca. Ela desviou o olhar para a mão de Rachel 

 

— Ah, então você quer brigar, Rachel? Como alguns anos atrás, quantos anos fazem desde aquele dia que eu te derrotei? Três? – Bianca riu, o brilho em seus olhos tinha aumentado perigosamente – Isso vai ser ótimo

 

— Rachel, não, sai daqui com Hazel – Nico disse mas Bianca levantou um dedo mandando ele calar a boca. Bianca deu uma risada maléfica 

 

— Que comece a diversão – Ela murmurou

 

POV ANNABETH

 

— Com essa velocidade, vamos chegar lá em algumas horas, talvez quatro – Falei olhando pro mapa que brilhava na minha mão 

 

— Isso é bom ou ruim? – Piper perguntou. 

 

— Acho que bom – Leo disse pegando minha mão e olhando o mapa – Soube que eles moram em construções quase medievais mas porque querem 

 

Estávamos no meio de uma rua que eu não fazia ideia o nome, as lojas estavam fechadas e não tinha nenhum movimento ou sinal de qualquer pessoa. Já estávamos bem longe do internato, por causa da velocidade em que corríamos

 

— Não acham melhor chegarmos lá de tarde? – Thalia perguntou – De noite seria meio suspeito

 

— Vamos continuar – Falei – Não podemos ficar parados, da última vez que saímos do internato e passamos pela cidade fomos atacados 

 

Voltamos a correr, corremos por alguns minutos mas de repente, Leo caiu. Uma corda prendia o tornozelo de Leo. Oito caçadores se adiantaram por trás e nos prenderam, prendiam nossos pulsos com algemas. Leo puxou o pé com força, o caçador que segurava a corda, caiu de barriga no chão aos pés de Leo, ele chutou a barriga do caçador e deu uma cotovelada no outro que foi contra ele, Leo ainda estava de algemas mas eu não tinha tempo pra me preocupar com isso porque eu também estava, dei um chute em um dos que me algemaram, eram dois caçadores pra cada um de nós. O outro se adiantou mas eu dei uma cabeçada nele, olhei para minha adaga que estava presa em meu cinto e me concentrei o mais rápido que pude pois os caçadores se levantavam, ela flutuou no ar e com um golpe forte cortou minhas algemas, desferi um soco no caçador da direita mas ele segurou minha mão, eu o chutei e ele caiu de costas. O da esquerda veio para cima de mim com duas espadas mas eu segurei a adaga, no segundo seguinte eu parei as duas espadas com a katana. Lutamos até suas espadas voarem para o alto por causa de um golpe, as mantive flutuando e dei um chute em seu rosto. Ele caiu inconsciente. O outro ameaçou levantar novamente mas eu chutei seu rosto e ele desmaiou. As espadas deles caíram do ar, já que eu não usava mais meus poderes. Arfei e olhei pra Piper que estava apenas gritando coisas para os dois que a atacaram, ela tinha feito os dois brigarem entre si usando o charme, minutos depois os dois se mataram 

 

— Acho que eu não precisava mata-los – Ela falou distraída 

 

— Bom, temos refeição agora 

 

Mal terminei de falar isso e um raio caiu metros perto de nós, quando abri os olhos, Thalia estava parada com os braços ainda presos olhando para os corpos como se estivesse pensando o que faria com os dois homens que ela acabara de eletrocutar. Leo não teve problemas, conseguiu ainda algemado deixar dois caçadores inconscientes. Peguei minha katana e cortei as algemas de todos eles. 

 

— Leo, aqueles dois ainda estão vivos, pode mata-los – Falei e ele assentiu. Eu nunca tinha visto um demônio se alimentar e na verdade preferia nunca ter visto. Leo ficou em pé ao lado de um dos caçadores que estavam inconscientes mas nada fez, de repente uma fumaça preta começou a emanar do corpo do caçador e ir diretamente para o corpo de Leo, eu não conseguia ver nenhuma parte branca no seu olho, depois de alguns minutos, os olhos de Leo voltaram ao normal e ele nos olhou como se não tivesse feito nada. Tentei apagar a cena da minha mente e fui em direção a outro caçador. 

 

Voltamos a olhar para minha mão que ficou verde, estávamos quase chegando, olhei para o horizonte e percebi que estava amanhecendo

 

— Eu estive pensando – Piper falou – Como vamos saber quem é a Calipso? Rachel não nos falou nem como era ela 

Tentei pensar em uma respostas tranquilizadora mas ela estava certa. Corremos durante mais três horas, o sol batia diretamente na gente, eu estava normal pois como Hazel tinha falado, a roupa me cobria toda, já Piper estava pálida. 

Estávamos em uma cidade antiga mas graciosa, as casas eram na maioria fazendas ou cheias de bugigangas, o chão era de pedras, mais a frente e longe, tinha uma enorme mansão, era quase um castelo, aquilo parecia mais um reino, um reino extremamente pobre. Eu podia achar que era uma civilização qualquer, antiga, como se ainda gostassem de viver como na idade média, inclusive as roupas eram perfeitamente normais, diferente das nossas. Guardas percorriam o local mas não pareciam se importar com a gente, ou com as nossas roupas, inclusive pareciam ter até respeito, tentei verificar o mapa em minha mão mas ele havia desaparecido, havíamos chegado 

 

— Chegamos – Falei

 

— E o que a gente faz agora? – Leo perguntou depois gritou – CALIPSO?!

 

— Ta maluco?! – Thalia deu um tapa na cabeça de Leo. Sorte que poucos moradores pareciam ter acordado, não tinha ninguém nas ruas além dos guardas e de algumas senhoras e animais de rua – Rachel falou para não chamarmos atenção e você berra? 

 

— Atenção eu acho que já estamos chamando com nossas armas visíveis assim – Leo resmungou. Franzi as sobrancelhas, uma ideia passou pela minha cabeça

 

— Não acho que eles estejam vendo as armas – Falei – Olhem os soldados, não nos dirigem nem o olhar e quando dirigem falam "bom dia" como se estivesse tudo normal, deve ser alguma magia da Rachel 

 

— Também percebi, mas acho que alguém mais poderoso que ela vai conseguir ver – Thalia murmurou e nós concordamos.

 

— Rachel disse que a família da Calipso era respeitada, não foi? – Piper disse olhando as casas – Acho que ela deve morar em uma casa grande e não essas casas

 

Continuamos a andar, viramos algumas ruas, os moradores começavam a acordar e nos murmuravam um "bom dia" animado, no qual Piper já fraca com o sol no rosto, fazia questão de responder um: 

 

— Bom dia pra quem – Ela resmungava 

 

Depois de andarmos durante horas, paramos em frente ao castelo/mansão que deveria ser o que Rachel trabalhava, tinha guardas na frente e nas laterais, quase em todos os lugares, mas não pareciam se importar com a gente. Atravessamos o enorme jardim e paramos em frente a imensa porta, Leo tocou a campainha e nós olhamos incrédulas pra ele

 

— Não vamos entrar ai! – Falei 

 

— Acho que deve ser aqui que eles moram E atendem as reclamações do povo – Leo disse – Eu tenho reclamações

 

— Ah é?! Qual?! – Piper perguntou 

 

— Pensem, ok? Eu sei que vocês não conhecem muito sobre os clãs mas pensem. Estão vendo alguma casa que seja da elite aqui? 

 

Olhei em volta e só tinha casas relativamente pobres ou mal cuidadas 

 

— Esse castelo ou casa, sei la, divide a cidade – Ele disse – Temos que passar por ele para irmos pro outro lado, lado da elite 

 

— Mas, eu não vejo nada, só terra desmatada depois da mansão – Thalia falou 

 

— Por isso são chamados de feiticeiros – Leo falou – E eu consigo sentir os sentimentos das pessoas do outro lado, e sentimentos diferente das pessoas desse lado

 

— Ta e qual vai ser nossa desculpa pra atravessar? – Perguntei – Se ainda há moradores nesse lado é porque não pode simplesmente passar e não temos dinheiro

 

— É aí que a Rainha da beleza entra – Leo falou apontando pra Piper – Ela vai usar o charme para convence-los que temos que passar 

 

Assentimos já que não tínhamos um plano melhor, tocamos novamente a campainha e uma garota relativamente baixa abriu a porta, a roupa que ela usava parecia ser feita de folhas (N/A: foto do capítulo, novamente só a roupa que é igual, e do rosto só a maquiagem), parecia não, era feita de folhas. Olhei mais uma vez para seu rosto e seus olhos eram iguais ao de Piper, pareciam mudar de cor mas ela os deixava na cor azul e suas orelhas... suas orelhas eram pontudas como as orelhas de um elfo, seu cheiro era extremamente forte, ela tinha cheiro de rosas, seus olhos estavam contornados com uma sombra verde. Ela era uma fada. Ela era extremamente linda

 

— Oi... é... eu sou o... hã...– Leo começou a falar mas eu o interrompi. A garota olhava para nós divertida

 

— Somos Annabeth, Piper, Thalia e Leo – Falei e ela sorriu

 

— Annabeth como a princesa dos vampiros? – Ela perguntou e eu gelei

 

— Exatamente como essa – Thalia falou por mim. Então as pessoas sabiam qual era o nome da sucessora dos vampiros mas não sabiam quem eu era. Isso era no mínimo interessante 

 

A fada sorriu 

 

— Meu nome é Silena Beauregard – Ela estendeu a mão – Exatamente como a princesa das fadas


Notas Finais


Desculpa qualquer erroooo
Continuo??? Beijoss ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...