História O Proibido - Capítulo 17


Escrita por: ~

Visualizações 317
Palavras 1.957
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Pansexualidade, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 17 - Memories


Fanfic / Fanfiction O Proibido - Capítulo 17 - Memories

POV ANNABETH 

 

— Fada? – Perguntei chocada e depois apertei a mão da garota. Ela franziu as sobrancelhas, provavelmente sentiu minha temperatura – O que uma fada ta fazendo aqui? 

 

— Quem são vocês? – Ela perguntou desconfiada – Não são feiticeiros 

 

— Somos – Piper falou com tanta convicção, usando charme, que eu quase achei que éramos realmente feiticeiros 

 

— Não tente usar charme em mim! – Silena disse. Mas para a surpresa de todos, ela estava rindo

 

— C-como sabe? – Piper perguntou e Silena arqueou as sobrancelhas

 

— Porque eu também tenho charme na voz – Ela disse e olhou pra mim – Ajoelhe-se 

 

Geralmente o charme não funcionava em mim mas o dela foi tão poderoso que eu quase cai de joelhos

 

— Pode levantar – Foi quase como se um peso tivesse saído dos meus ombros, olhei pra ela – Venham, aqui não é um bom lugar pra conversar sobre isso, mas primeiro, vocês vão me falar o que são 

 

Pra minha surpresa, ela não tinha usado charme, pensamos alguns minutos mas não tínhamos escolha e de algum modo, eu sentia que podia confiar nela. Olhei pros outros e eles assentiram

 

— Ele é um demônio – Apontei pro Leo e ela assentiu – E nós três somos vampiras 

 

— O QUE?! – Ela berrou mas depois colocou a mão na boca – O que vocês estão fazendo juntos? O que...?

 

— Não podemos falar nada aqui – Thalia disse e cruzou os braços. Silena mordeu os lábios. Me puxou e nos levou silenciosamente para o andar de cima, passamos em frente a uma sala que tinha enormes portas brancas fechadas e um falatório no lado de dentro, entramos em um quarto enorme que parecia um floresta. O chão era grama, tinha flores por todo lado, um tronco de uma árvore que atravessava o quarto para o andar de cima, a única coisa que fazia parece um quarto era a cama completamente rosa e florida 

 

— Você mora aqui? – Piper perguntou

 

— Não – Ela disse e apontou a mão para o outro lado do quarto, dali cresceram quatro flores gigantes, maiores que quaisquer flores que eu já tinha visto – Podem se sentar 

 

Nos sentamos na flores e ela sentou na cama nos olhando 

 

— O que estão fazendo aqui? – Ela perguntou de novo

 

— Viemos buscar Calipso, precisamos dela – Falei e ela arregalou os olhos depois caiu na gargalhada

 

— Vocês são malucos? Depois que os dois feiticeiros dos cinco desapareceram e roubaram o cordão estão mantendo-a em total segurança. Ela é poderosa demais pra simplesmente sair da sociedade, ela fica presa no quarto o dia todo, chega a ser crueldade

 

— Ela está aqui? – Leo perguntou e ela assentiu – Mas o que uma fada está fazendo aqui?

 

— Vocês são azarados – Ela disse – Hoje é dia do conselho 

 

Leo arregalou os olhos 

 

— Que isso? – Thalia perguntou

 

— Quando os líderes dos clã se reunem, menos os vampiros, porque sabe... vocês comem pessoas dos nossos clãs – Leo disse e eu revirei os olhos – O líder dos demônios está aqui?

 

— Sorte sua que não – Silena disse – Ele está ocupado demais preparando-se para a guerra e esse conselho esta sendo especialmente pra discutir isso, se os outros clãs vão participar 

 

— Quais líderes estão aqui? – Thalia perguntou

 

— Dos gigantes, das fadas, dos humanos e dos feiticeiros, são humanos também mas vocês entenderam, só eles trouxeram os príncipes e princesas, por isso que eu estou aqui

 

— Mas por que não esta no conselho? – Perguntei

 

— Porque eu não tenho paciência – Ela disse e nos rimos 

Contamos pra ela sobre Frank, sobre o lobisomem que ela não ficou surpresa, porque segundo ela, sempre acreditou que não tinha como seres tão poderosos estarem extintos, contamos sobre os feiticeiros e como estão criando lobisomens através de magia e mortos, ela ficou boquiaberta, depois de um tempo, ela se pronunciou 

 

— Vou ajudar vocês – Ela disse por fim e nós nos olhamos surpresos

 

— Só? Não esta nem desconfiada, nem nada? – Perguntei e ela negou

 

— Nós fadas conseguimos ouvir o coração das pessoas então podemos saber quando estão mentindo ou não 

 

— Cade seu bracelete? – Perguntei e ela olhou pra o braço, ela tocou e um bracelete verde claro apareceu, ela tocou novamente e ele se misturou com a roupa

 

— Não gosto de deixar ele exposto – Ela disse depois falou – VOCÊ! VOCÊ É A ANNABETH! AI MEU DEUS!

 

— Por que está tão surpresa? – Perguntei

 

— Porque falam que você tem grandes poderes – Ela disse – Falam que você é quase uma lenda, na verdade, você é bem procurada pois te consideram uma ameaça

 

— É... acho que não – Falei e ela pareceu desapontada

 

— Nenhum poder? – Ela perguntou e eu contei pra ela sobre o que eu conseguia fazer – Annabeth, tem noção que você é temida? Entrar na mente é uma coisa tão perigosa quanto poderosa

 

— Não quero ser temida!

 

— Tarde demais! – Ela disse – Pode entrar na minha?

 

— Hã... eu acho meio falta de educação – Falei e ela revirou os olhos 

 

— Vai logo – Ela disse e eu levantei, ela continuou sentada como se estivesse ansiosa. Levantei seu rosto colando seus olhos com os meus, coloquei minha mão na sua cabeça e meu dedão em sua testa e tudo ficou escuro

 

Eu estava em uma floresta, duas crianças corriam e escalavam os galhos das árvores, apenas uma tinha orelhas pontudas, a outra era perfeitamente normal. A de pele mais escura, a que era normal, parecia uma índia e não possuía orelhas pontudas, desceu da árvore rindo e a outra, de pele mais clara, desceu voando com suas asas visíveis atrás da garotinha. Elas tinham cinco anos no máximo. O cabelo da fada que a essa altura eu tinha deduzido que era Silena, era liso escorrido e muito bem arrumado, já o da outra que eu ainda não conseguia ver o rosto por completo tinha cabelos lisos bagunçados cheios de tranças 

 

— Piper! – Silena gritou, sua voz era de criança – Vem aqui, mamãe não quer que você saia de perto da árvore 

 

Olhei para a árvore e era maior que o normal e mais no alto, uma parte do tronco ficava plana e ali tinham comidas e flores exatamente como Silena tinha criado para sentarmos só que maiores, como se servissem para alguém deitar ali. Percebi que era ali que Silena morava. Olhei pra criança que ela havia chamado de Piper e tomei um susto. Era Piper. As duas não se pareciam em nada, apenas os olhos que eram exatamente iguais e com as mesmas cores e mudanças de cores e a cor de seus cabelos, castanhos. Silena voou até Piper e a pegou pelos braços levantando-a e levando-a para a parte plana da árvore. Escalei a enorme árvore e sentei no chão observando a cena. Um ruído atrás de mim e um cara subia com a mesma dificuldade que eu. Olhei para seu rosto familiar e percebi que era o amigo do meu pai, Tristan McLean, mas era o Tristan McLean humano. Depois, uma linda, e quando eu digo linda, é linda mesmo, mulher pousou do lado do homem e o abraçou

 

— Mamãe! Papai! – As duas crianças foram em direção aos dois e os abraçaram. Silena voando e Piper correndo. Piper também era humana 

 

A cena mudou e estava escuro, Silena estava olhando Piper dormir em uma das flores e voou até a parte de cima dos galhos, até o topo da árvore, onde a mãe costumava ficar observando a floresta junto com Tristan. Silena voou em silêncio e percebeu que eles conversavam a sussurros e decidiu ouvir a conversa deles. Novamente eu tive que escalar a árvore e ficar cara a cara com o casal de uma fada e um humano, mas eles nem se quer olhavam pra mim. Silena estava escondida atrás deles 

 

— Silena pode não ser minha filha mas eu a criei e a amo como uma – Tristan disse abraçado a mulher

 

— E eu tenho muito orgulho de você por causa disso – A voz suave da mulher falou – Mas precisa partir com Piper, ela não pode crescer nesse mundo onde ela não vai se adaptar. Ela é humana e esse é o reino das Fadas, cedo ou tarde, Piper vai perceber que não pode voar como Silena ou controlar a natureza

 

— Afrodite, não vou deixar você – Tristan falou e Afrodite assentiu 

 

— Mas vai, pela nossa filha – Ela falou – Ela não vai se adaptar, vai sofrer nas mãos de outras fadas, Tristan. Eu conheço meu clã

 

Eles ficaram um tempo calados enquanto Silena observava a cena e chorava baixo escondida 

 

— E Silena? Como vamos simplesmente tirar Piper da vida dela? – Tristan perguntou e Afrodite suspirou

 

— Terei de esconder as memórias dela, fazer com que elas fiquem presas dentro do seu coração, nas suas memórias mais profundas, por hora. Quando for a hora certa, irá se lembrar ou alguém irá lembrar para ela

 

O mais estranho, foi que eu sabia que Afrodite não podia me ver mas olhou diretamente pra mim. Silena se afastou chocada com as palavras da mãe mas acabou batendo em um dos galhos. Afrodite e Tristan olharam para ela assustados e tudo ficou branco

 

POV PERCY

 

 — Rachel, saia! – Eu gritei. Dessa vez eu pouco me importava se alguém do corredor podia escutar 

 

— Desculpa Percy, você não é meu príncipe, não obedeço ordens suas – Rachel rebateu. Eu me aproximei de Jason e o levantei, Nico e Hazel ficaram do meu lado

 

Rachel criou uma esfera verde de poder na palma de sua mão e atirou contra Bianca que fez um pequeno movimento para desviar, onde a esfera atingiu começou a derreter. Bianca andava em direção à Rachel lentamente. Rachel lançou mais quatro esferas que Bianca desviou facilmente, todas elas derretiam o lugar em que batiam. Bianca correu e em segundos estava cara a cara com Rachel, Bianca levantou a mão e deu um tapa no rosto de Rachel, o tapa foi tão forte que Rachel caiu alguns metros dali

 

— Rachel! – Hazel gritou mas a ruiva levantou. Seus braços se incendiaram em magia verde até os ombros, uma rajada de vento passou por nós e acertou Bianca que apenas deslizou um pouco para trás, os bebedouros do corredor estouraram e água foi em direção a Bianca que se abaixou mas água continuava a tentar acerta-la. O único problema era que Bianca não estava usando nem metade de sua força. Bianca correu e quando eu vi, ela estava atrás de Rachel, ela chutou a ruiva que foi de cara no chão. Bianca se adiantou e parou do lado de Rachel que estava caída, por um minuto achei que Bianca não fosse fazer nada. Cara, como eu estava errado. Névoa preta começou a emanar de Rachel, então eu percebi. Bianca iria matar Rachel. Uma raiva explodiu dentro de mim. Corri até Bianca e a peguei pelo pescoço, a névoa preta parou e eu joguei-a para o final do corredor, corri até ela e a chutei. Ela cuspiu sangue. Peguei-a pelo pescoço e a olhei nos olhos, névoa preta começou a sair do meu corpo e do corpo dela. Ela parou de rir e me olhou quase surpresa mas sua expressão logo se tornou de triunfo 

 

— Como você ia dizendo, nos vemos amanhã – Falei e a soltei, a névoa se dissipou e ela me olhou se levantando

 

— Esse é o Percy que eu gosto – Ela se levantou sorrindo e desceu as escadas. Nico e Jason pararam do meu lado vendo Bianca descer, Nico apertou meu ombro e deu tapinhas 

 

— Pensei que tivesse conseguido controlar essa parte em você – Nico disse sussurrando para Hazel e Rachel não ouvirem. Hazel estava do lado de Rachel que estava caída no chão mas estava consciente 

 

— Também pensei – Murmurei. Pessoas começaram a sair dos seus dormitórios de pijama, acordaram por causa da barulheira, elas olhavam a cena de Rachel se levantando com curiosidade, algumas olhavam para os bebedouros. Hazel pegou Rachel e levou rápido para dentro do dormitório, eu, Nico e Jason entramos no nosso fechando as portas 


Notas Finais


Continuo!???? Beijos ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...