História O Proibido - Capítulo 18


Escrita por: ~

Visualizações 238
Palavras 2.880
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Pansexualidade, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


VAMO QUE ESSE CAP TA GRANDE

Capítulo 18 - We're back


Fanfic / Fanfiction O Proibido - Capítulo 18 - We're back

Abri os olhos e encarei os enormes olhos azuis de Silena que estava chocada demais pra falar alguma coisa. Olhei pra Piper que conversava com Leo e Thalia mas parou quando me viu a encarando

 

— Já tava na hora – Ela falou – Você sempre demora séculos pra sair da mente de alguém

 

— Eu me lembro – Silena murmurou de olhos arregalados – Eu me lembro de tudo

 

Ela percebeu que Silena também a olhava 

 

— Que foi? – Ela perguntou. Eu sabia que Piper riria de Silena se ela falasse então eu andei até Piper, ela percebeu o que eu ia fazer e resmungou um "ah não" mas eu já tinha entrado em sua mente. 

 

Chegar nas memórias escondidas de Piper foi mais difícil que eu pensava. Mas eu sabia que estava nas memórias mais profundas, cenas passaram, ela com Jason rindo no campus, eu, ela e Thalia escalando árvores e correndo pelo norte onde era nossa casa, ela fazendo penteados no cabelo de Hazel, ela correndo de mãos dadas com Silena pela árovre, ela nas costas de Leo rindo, abraçando o pai, até que parou numa memória que ela era e Silena pequenas em cima da árvore, Silena voando ao seu lado com cara de preocupada enquanto Piper escalava a árvore animada, infelizmente eu tinha que escalar a árvore também pra ver o que estava acontecendo. Piper chegou ao topo e gargalhou com o vendo batendo no seu rosto enquanto Silena olhava pra ela serena

 

— Meninas – Olhei para baixo e lá estava Afrodite, a rainha das fadas – Jantar! 

 

Silena desceu voando rápido mas Piper ficou observando a vista, depois de um tempo desceu e se sentou no chão florido ao lado de Silena

 

— Mamãe – Piper chamou colocando um pedaço de alface na boca – Por que eu não posso sair da árvore e a Silena pode? E por que ela tem asas e eu não?

 

Tristan que se encontrava parado ao lado de Afrodite olhou para a mulher como se tivesse avisado que um dia Piper faria essa pergunta. Afrodite se aproximou de Piper e ajeitou seu cabelo, Piper sacudiu a cabeça bagunçando-o novamente 

 

— A floresta lá fora não é segura para humanos, filha – Afrodite disse – Agora coma 

 

Piper olhou para Silena que sorriu para ela enquanto Afrodite se afastava 

 

— Acredite em mim – Silena pequena sussurrou – Aqui é muito mais legal e voar nem é tão legal assim

 

Piper sorriu e olhou para a floresta, ta ai uma coisa que nunca mudou nela, a vontade de ser livre. A cena mudou e era Piper correndo atrás de flores que Silena criava, mudou novamente e era ela sendo colocada pra dormir com Afrodite cantando uma canção e então a cena mudou. Era um dia chuvoso, Piper agora estava na área urbana, não estava mais na floresta das fadas e estava apenas ela e Tristan. Piper estava doente e Tristan apenas segurava sua mão. Então eu me vi e vi meu pai, era eu pequena segurando a mão do meu pai e olhando para Piper. Meu pai olhou para Tristan e sorriu

 

— Meu velho amigo – Eles se abraçaram. Percebi que Tristan ainda era humano. Ele contou que Piper estava doente e não que provavelmente não tinha muito tempo, meu pai perguntou pra ele se ele tinha certeza e depois meu pai mordeu Piper e Tristan

 

Abri os olhos e olhei pra Piper que não tinha reação. Ela encarou Silena e depois me olhou. Mas a única coisa que Piper falou foi

 

— Foi falta de educação ter recuperado as minhas memórias, podia ter avisado

 

Revirei os olhos e ri, Silena se levantou e Piper também, as duas se encararam e depois se abraçaram, Silena começou a chorar e Piper a rir. Leo e Thalia olhavam confusos e eu expliquei, também falei pra Silena porque Piper não era mais humana

 

— Você recuperou as memórias delas? – Thalia perguntou franzindo as sobrancelhas 

 

— Nunca foram perdidas, na verdade, mas sim – Falei e Thalia sorriu em aprovação 

 

— Será que você consegue ver as minhas? – Thalia perguntou esperançosa 

 

— Não sei nem se você tem um cérebro pra isso – Falei e nós rimos com ela me mandando ir a merda 

 

— Silena, eu te trouxe aqui para participar da reunião e você fica trancada nesse quar... – A mesma mulher das memórias de Piper e Silena entrou no quarto e encarou todos chocada. Ela era ainda mais bonita de perto, os cabelos loiros caíam sobre seus ombros e ela tinha enormes olhos azuis, ou verdes... ou castanhos? Ela usava uma roupa similar a de Silena, feita de folhas só que folhas pratas e a parte mais bonita e estranha de sua aparência eram suas asas, enormes asas transparentes com alguns detalhes bem visíveis de várias cores. Ela encarou cada um parando em Piper e Silena que estavam de mãos dadas, lembrei de algumas memórias de Piper que passaram rapidamente, em algumas ela andava constantemente de mãos dadas com Silena. Sorri

 

— Oi – Piper disse, mas ela não sorria – Mãe 

 

A mulher encarava Piper estática, não se mexeu durante minutos, depois se aproximou com lágrimas nos olhos, senti medo do que ela poderia fazer porque as fadas sentiam muito mais do que os vampiros, então qualquer reação de Piper podia acabar com os sentimentos de Afrodite. A rainha das fadas se aproximou e tocou no rosto de Piper que apenas a encarava, era incrível a semelhança dos olhos 

 

— Piper? Como pode estar viva? 

 

Piper sorriu sem jeito para Afrodite que abraçou as filhas. Olhei pra Thalia que sorriu pra mim e Leo mexia em seu martelo desinteressado 

 

— Você é uma... – Afrodite olhou para Piper e respirou fundo, estava sentindo seu cheiro

 

— Sim – Piper falou se referindo ao fato de agora ser uma vampira 

 

— Precisam sair daqui – Afrodite mudou o semblante de chocada para preocupada 

 

— Bom ver você também – Piper disse irônica

 

— Você não tem noção do quanto eu quero abraçar e beijar você agora, filha – Afrodite pegou na mão de Piper – Mas aqui não é seguro, o que passou pela sua cabeça em vir aqui?

 

— Meu amigo está morrendo – Piper falou se aproximando da gente – Precisamos de ajuda, precisamos da Calipso

 

Afrodite nos encarou desconfiada depois virou pra Silena que assentiu 

 

— Calipso está no último andar – Falou – Mas o quarto tem feitiços poderosos, ela está fraca, consigo senti-la. Ela precisa ser tirada daqui, mas não vão conseguir sem ajuda 

 

— Vou chamar Clarisse, vamos precisar dela – Silena falou e saiu do quarto 

 

— O que um demônio está fazendo com três vampiras? – Afrodite virou para nós, eu ia abrir a boca mas ela levantou a mão mandando eu me calar – Na verdade, não quero saber. Mas não podem ser vistos juntos, estão querendo morrer? 

 

— Estou namorando um demônio – Piper falou e algumas flores no quarto explodiram virando pólen

 

— O QUE?! – Afrodite gritou mas depois se acalmou – Eu não criei minha filha pra ser tão rebelde assim

 

— Na verdade, você só me criou até os dez anos – Piper colocou a mão na cintura – Estou com 120. Não nos vemos há 110 anos

 

Afrodite não pareceu se importar com o comentário mas viu nossos rostos e soltou um risada pelo nariz 

 

— Acreditem – Ela falou – Recebia piores dela quando ela tinha dez anos

 

Contamos somos os lobisomens, o exército, os feiticeiros mas ela não se surpreendeu 

 

— Sabemos que os lobisomens voltaram – Ela falou 

 

— Sabem?! – Perguntei e ela assentiu

 

— Obviamente, não sabíamos sobre os feiticeiros mas estamos ouvindo uivos constantemente e não são lobos, são uivos diferentes – Ela disse – Mas estou surpresa sobre os feiticeiros, duvido que eles vão acreditar em mim. Vou tentar e se eles acreditarem, vamos entrar em guerra contra os lobisomens, mas não será fácil e só vai atrasar a guerra entre os vampiros e demônios 

 

— Quanto mais tarde, melhor – Piper disse. Silena entrou no quarto com ao lado de uma garota alta e forte, com feições duras e cabelos castanhos e do seu outro lado, um cara alto negro com expressão mais amiga do que a da garota, era extremamente forte e enorme 

 

— Charles – Leo falou sorrindo e se adiantou. Eles se abraçaram forte e depois Leo bagunçou os cabelos de Clarisse que desferiu um soco no braço de Leo

 

— Contei a história pra eles – Silena disse 

 

— São realmente vampiras? – O garoto negro perguntou e nós assentimos – Uau, nunca tinha visto nenhum de perto

 

— Clarisse la rue – A garota forte se adiantou e apertou nossas mãos um pouco forte demais – Princesa dos gigantes 

 

Agora que ela falou, percebi o bracelete vermelho sangue e marrom no seu braço

 

— Annabeth – Falei – Sucessora dos vampiros 

 

— O que?! – Afrodite falou – Você é a princesa? 

 

— Não tenho grandes poderes – Falei rápido mas Silena riu irônica 

 

— Ah tem sim, ela que recuperou minhas memórias e as de Piper

 

— De onde se conhecem? – Thalia perguntou pra Leo que conversava com Charles e Clarisse. 

 

— Charles e Clarisse são gigantes, Frank nos apresentou algumas décadas atrás – Leo disse depois ficou sério – Frank esta morrendo

 

Eles assentiram 

 

— Vamos ajudar – Charles disse

 

— Vou leva-los ao último andar, vou tentar quebrar os feitiços – Silena disse e Afrodite assentiu – Clarisse, Charles e minha mãe distrairão os outros clãs. Quando entrarmos teremos pouco tempo para fugir, provavelmente eles vão perceber que quebraram o feitiço

 

— Vamos – Clarisse disse e Afrodite e Charles a seguiram saindo do quarto. Silena olhou para nós e sorriu

 

— Fazia anos que eu não me divertia assim – Ela falou e de repente asas saíram de suas costas, eram asas menores que a de Afrodite e de um rosa transparente. Ela voou e saiu do quarto olhando para os lados – Vamos

 

Ela voava mais rápido que eu pensava, tivemos que correr com supervelocidade para acompanha-la. Chegamos ao um corredor branco e elegante, apenas com duas portas grandes no final, as portas eram brancas. Nos aproximamos, Leo tocou na porta e foi arremessado para o final do enorme corredor, ele voltou até nós, massageando a cabeça. Silena tocou e uma magia azul começou a sair da porta e a envolver o braço dela, de repente Silena estava toda envolta por magia azul, o nariz dela sangrava

 

— Não vou conseguir segurar a magia por muito tempo, entrem logo – Piper olhou para ela com medo – Vou ficar bem, a magia foi projetada para matar apenas seres não-mágicos. Esses feiticeiros são tão nariz empinado que pensam que nenhum ser de outro clã vai tentar contraria-los. Meu amor, isso é porque eles não me conhecem 

 

Assentimos e empurramos a porta com força, sentada no chão e tremendo, tinha uma garota extremamente magra, com cabelos cor de âmbar, ela nos olhou como se tivesse acabado de acordar, seus olhos eram da cor de seus cabelos, pratos cheios de comida fresca e podres estavam espalhados pelo quarto, ela estava se recusando a comer. Ela não se mexeu. Corremos até ela 

 

— Calipso? – Perguntei e ela nos olhou

 

— Não sei onde está o cordão – Ela disse como se já esperasse a pergunta. Lá embaixo começamos a ouvir uma gritaria 

 

— VOCÊS NÃO TEM MUITO TEMPO, ELES PERCEBERAM – Silena berrou 

 

— Rachel precisa de você – Leo disparou e Calipso o olhou surpresa 

 

— Rachel? A minha Rachel? – Ela olhou pra Leo como se só tivesse ele na sala, ele assentiu 

 

— Nosso amigo está morrendo e ela disse que você consegue salva-lo, por favor – Ela o olhou – Ela precisa de você e nós também

 

Calipso continuou a encara-lo, ouvimos barulho no final do corredor e Charles e Clarisse apareceram no final do corredor completamente sujos de comida e seguidos por alguns feiticeiros, eles olharam para nós no final do corredor e arregalaram os olhos e começaram a correr e a usar seus poderes. Calipso ainda fraca levantou um braço e atirou uma chama branca na direção deles, eles congelaram na mesma posição. Os pelos do meu braço se arrepiaram, aquilo era pouco do poder dela. Mas eu conseguia ouvir mais chegando. Charles falava com Silena, ele franzia as sobrancelhas preocupado, Calipso estendeu os braços e Leo entendeu, ele a pegou no colo

 

— E agora? – Ele perguntou com ela no colo. Silena entrou no quarto ainda envolta por chamas azuis, Charles e Clarisse estavam atrás dela. Calipso apontou pra parede e Leo se aproximou, ela tocou ali e a parede toda desapareceu 

 

— Por que não fez isso quando estava presa aqui? – Leo perguntou

 

— Não valeria a pena – Ela disse e encostou a cabeça no peito de Leo e adormeceu. Charles se aproximou onde há poucos segundos tinha uma parade e olhou pro chão

 

— É meio alto aqui, não? 

 

— Não temos tempo – Leo pulou e aterrissou, começou a correr entre as casas pobres, os guardas começavam a sair da casa e ir ao vilarejo. Thalia o seguiu 

 

— Nos vemos em breve – Piper olhou pra irmã que riu – Que foi?

 

— Acha mesmo que eu vou deixar você sair da minha vida de novo? – Ela perguntou e deu a mão para Piper – Eu vou

 

— Silena, é perigoso demais – Piper disse e Silena se livrou da magia azul, as portas se fecharam com um estrondo. Ela abriu as asas e voou atrás de Thalia. Piper olhou para Charles e Clarisse

 

— Ah, mas eu não fico aqui mesmo – Clarisse disse e pulou junto com Charles 

 

— Éramos pra voltarmos apenas com a Calipso – Piper disse e eu ri

 

— Não temos muito tempo – A porta abriu com uma explosão e três feiticeiros entraram – VAMOS!

 

Pulamos e corremos, guardas corriam atrás da gente, mas eles eram humanos e não tinham velocidade. Corremos durante horas, mais de seis horas. Silena voava ao lado de Piper e Charles, Leo continuava com Calipso e Charles e Clarisse não pareciam cansados, por sorte não nos deparamos com nenhum caçador, vi de longe um enorme prédio e o famoso campus. Suspirei aliviada ainda correndo, passamos tão rápido pelo porteiro que ele nem percebeu, corremos e finalmente, entramos no dormitório onde Hazel e Rachel estavam sentadas na cama. Era final de tarde, ficamos fora por dois dias. Hazel nos encarou assustada e correu para fora do quarto, voltou com Percy, Jason e Nico. Leo deitou Calipso na minha cama. Os meninos olharam surpresos para Silena, Charles e Clarisse mas depois os abraçaram. Olhei para Percy e corri até ele que me abraçou, seus músculos relaxaram e ele suspirou. Olhei pra ele e o beijei. Ele colocou o meu bracelete no meu braço

 

— Está tudo bem? – Ele perguntou 

 

— Descobrimos algumas coisas, entramos em algumas brigas e deixamos alguns clãs com raiva mas tirando isso está tudo bem – Ele assentiu ainda preocupado – O que foi?

 

Ele suspirou e fechou os olhos, voltou a me abraçar 

 

— Nada – Ele falou 

 

Jason correu para Thalia e Piper e as abraçou, depois Nico abraçou Thalia

 

— Nunca mais se afaste de mim – Ouvi ele murmurar pra ela que riu pelo nariz 

 

— Você não manda em mim – Ela disse e ele riu. Ele olhou pra ela e finalmente, a beijou. Sorri e olhei pra Piper que comemorava enquanto Jason olhava irritado para eles. Eles se separaram e Jason socou o braço de Nico e depois riu. Thalia estava vermelha. Rachel nos cumprimentou e devolveu nossas roupas normais e se apressou se abaixando ao lado de Calipso, todos desviaram a atenção pra elas. Calipso tinha acordado mas estava deitada, Rachel tirou o colar e colocou em Calipso, aos poucos, a palidez da garota foi desaparecendo e virando uma pele saudável, os cabelos começaram a ficar mais brilhosos e ela se sentou. Estava completamente bem. Ela olhou para Rachel e as duas se abraçaram

 

— Eu prometi pra você que quando você precisasse eu viria – Calipso murmurou e Rachel a abraçou mais forte

 

— Então você é meu cunhado? – Silena perguntou desviando a atenção pra Jason que franziu as sobrancelhas. Piper explicou tudo

 

— Agora só falta eu descobrir meu irmão perdido – Falei e eles riram mas pareciam extremamente preocupados. Deduzi ser por causa de Frank 

 

Calipso se levantou e todos deram um passo para trás, ela olhou pra Leo e deu um beijo em sua bochecha

 

— Obrigada – Ela falou e Leo sorriu – Onde ele está?

 

— Calipso, não precisa fazer isso agora – Falei lembrando o quão fraca ela estava ao ponto de mão conseguir andar minutos atrás

 

— Não se preocupe – Ela disse sorrindo – O cordão tem efeito diferente em mim, ele é meu por direito então ele me da forças também. Onde ele está?

 

Rachel balançou aos mãos e o corpo de Frank apareceu em cima da cama. Clarisse e Charles se aproximaram de Frank preocupados 

 

— Me deixem sozinha com ele – Calipso pediu e nós saímos do quarto. 

 

Algumas pessoas passavam pelo corredor e olharam assustados pra Silena

 

— Esconde isso – Piper disse se referindo as asas de Silena, ela as escondeu rápido. As pessoas que viram balançaram as cabeças como se fosse apenas uma ilusão. Explicamos quem era quem pra Hazel que ficou maravilhada 

 

Olhei para os meninos que não pareciam nada bem, Leo também reparou isso

 

— O que foi?

 

— Ela esta aqui – Nico disse e eu franzi as sobrancelhas. Ela quem? Leo pareceu entender pois engoliu em seco, Percy entrelaçou suas mãos na minha e as apertou

 

— Quem? – Perguntei começando a ficar preocupada

 

— Eu 

 

Uma garota pálida e magra se aproximava de nós. Ela usava um vestido curto e solto preto e estava descalça. Seus cabelos eram enormes e pretos e lisos. 

 

— Annabeth – Ela disse sorrindo e desviando o olhar pro meu bracelete. Apertei a mão de Percy – Você não sabe o quão ansiosa eu estava pra te conhecer. Meu nome é Bianca


Notas Finais


AAAAAAAA
Oq vcs acham que vai acontecer???
Amo vcs mucho e bjsss ❤️
MEU DEUS QUASE ESQUECI
Continuo????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...