História O Psicopata e a Suicida - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel
Tags Amor Doce
Exibições 24
Palavras 1.810
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Hentai, Luta, Mistério, Poesias, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Se um dia alguém fizer com que se quebre 
a visão bonita que você tem de si, 
com muita paciência e amor reconstrua-a. 
Assim como o artesão 
recupera a sua peça mais valiosa que caiu no chão, 
sem duvidar de que aquela é a tarefa mais importante, 
você é a sua criação mais valiosa. 
Não olhe para trás. 
Não olhe para os lados. 
Olhe somente para dentro, 
para bem dentro de você 
e faça dali o seu lugar de descanso, 
conforto e recomposição. 
Crie este universo agradável para si. 
O mundo agradecerá o seu trabalho.

Capítulo 8 - Amigos de verdade


Fanfic / Fanfiction O Psicopata e a Suicida - Capítulo 8 - Amigos de verdade

(despertador ? ah, é mais um dia , um dia longo , me levanto , abro os olhos lentamente apalpando a cômoda procurado o celular para desligar o despertador, me levanto e vou para o guarda roupa , procurei uma roupa "boa" , fui para o banheiro , fechei a porta e me despi entrando no boxe , liguei o chuveiro e senti a água caindo em minha cabeça e meus ombros , fui relaxando aos poucos , levantei um pouco meus braços e os olhei , havia algumas cicatrizes e outros cortes bem recentes)

FLASHBACK ON


(minha mãe veio me pegar na escola hoje, isso é muito legal porque ela nunca tem tempo , sempre tá no trabalho e muitas vezes não vem para casa, eu estava indo para o bebedouro que ficava no corredor da escola , andei  saltitando como se tivesse ganhado um doce , mas logo fui impedida por duas garotas da 7 série, elas se aproximaram , eu dei um sorriso, pois queria fazer algumas amigas ,já que eu não tinha nenhuma porque todos me achavam estranha e ninguém quer ser amigo de uma estranha, mas logo tratei de tirar o sorriso do rosto quando uma delas me deu um tapa, coloquei a mão no rosto com os olhos cheios de lágrimas, porque ela tinha feito isso?  o que eu fiz? eu fiz algo errado? )

garota 1- sai da frente pirralha

(Eu estava imóvel, não conseguia falar a única coisa que fiz foi abaixar minha cabeça, a segunda garota me empurrou me fazendo cair no chão)

garota 2- a gente disse pra sair da frente , nunca mais sorria pra nós, sua estranha , imunda .

(comecei a chorar, tentei me levantar, a primeira garota puxou meu cabelo enquanto a outra me dava chutes no estômago, minha respiração já começava a falhar , foi quando elas pararam de me bater e começaram a rir me deixando para trás, cada vez que eu  respirava meu estomago doía , fiquei deitada por um tempo até a dor passar um pouco , assim que eu consegui levantar fui para o banheiro , me olhei no espelho e tinha sangue nos meus lábios, fui até a pia e me limpei, continuei me olhando no espelho )

eu- eu sou tão estranha assim ? porque isso acontece comigo ?

(sussurrei deixando as lágrimas caírem novamente , olhei para o lado esquerdo e vi algo pontiagudo , parecia um caco de vidro, o peguei e observei por um tempo, olhei para meu braço esquerdo levantando a manga do casaco e apontei o caco de vidro para o meu pulço, continuei assim por alguns segundos , apertei devagar o caco de vidro contra a minha pele e o sangue começou a escorrer , fiz quatro cortes em meu braço , depois joguei o caco de vidro fora e lavei meu braço o cobrindo de novo com a manga do casaco , saí do banheiro passando as mãos no rosto , eu não queria que minha mãe me visse assim quando chegasse, fui em direção ao portão da escola e lá estava ela, aquela mulher linda de cabelos curtos , pretos e ondulados em um vestido cumprido com um casaco por   cima , era ela minha mãe, que bom que você veio me tirar daqui mãe, fui ao seu encontro, ela estava segurando minha mochila com um sorriso encantador no rosto , peguei sua mão e caminhamos até em casa conversando sobre nosso dia, mas claro que eu não falei pra ela sobre o que aconteceu , eu menti , falei pra ela que meu dia tinha sido normal como qualquer outro e que fiz mais amigos , mentiras e mentiras , eu saí da sala porque eles ficavam jogando coisas em mim e dizendo várias coisas horríveis , não queria preocupar ela , ela já é ocupada demais , chegamos em casa e entramos , fui até meu quarto e joguei minha mochila na cama como de costume, peguei um roupa qualquer e tomei banho, fui para a cozinha ajudar minha mãe a fazer a janta , mas comemos e eu fui estudar no meu quarto, umas horas depois já estava de noite , ouço a porta da frente de casa bater , era meu pai com certeza , tenho pressentimento ruim quanto a isso, ele sempre chega bêbado em casa e briga com a minha mãe, sempre bate nela , mas ela não faz nada , nunca fez e provavelmente não vai fazer, eu acho que sou a culpada por ele beber tanto é bater em minha mãe, gritos ecoavam pela casa , fiquei tão assustada que comecei a chorar e me encolher no canto da cama, joguei meus livros no chão e fui ver o que estava acontecendo , meu pai estava batendo na minha mãe sem dó, ela pedia para ele parar, mas ele continuava aos gritos , eu entrei na frente da minha mãe, mas ele não parou , ele me jogou na parede e disse para eu não me meter , eu não me importava mais com as dores que eu sentia ,  só queria tirar minha mãe dali , ela não merece isso, peguei um vaso de flores que estava em cima de uma mesinha ao lado da porta no corredor e bati com força na cabeça dele , eu não me importo se machucar ele , na verdade ele nem é meu pai , ele é meu padrasto , minha mãe não podia ter casado com ele , ela nem queria , ela só se casou com ele porque foi obrigada , pois ele nos ameaçava, ele me olhou com tanta raiva que partiu para cima de mim , ele me deu um soco , que me fez cair super tonta no chão, mas mesmo assim ele continuou me dando vários pontapés na barriga , minha mãe gritava tanto e dava socos nele , ele se virou para minha mãe e a jogou na parede , Minha visão começou a ficar turva , então desmaiei ,  no dia seguinte acordei na minha cama , achei que tudo aquilo tinha sido um grande pesadelo, mas logo afastei esses pensamentos quando senti uma forte dor na barriga , na cabeça, resumindo , em todo meu corpo , me levantei lentamente e me olhei no espelho , eu estava cheia de ematomas enormes pelo corpo e com algumas faixas na barriga e na cabeça , aquilo não foi pesadelo , será que minha mãe está bem? logo corri ela casa procurando ela, mas não a achei , mãe me desculpa , eu não pude te defender , eu sou fraca , me perdoa)

FLASHBACK OFF      


(senti as lágrimas descerem , mas logo as limpei e desliguei o chuveiro, hoje não, hoje eu não vou chorar , eu vou tentar mudar , Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário.... Perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos que já se acabaram. As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas possam ir embora. Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se. Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: Diga a sí mesmo que o que passou jamais voltará. Vesti minha roupa (saia rodada vermelha até os joelhos,blusa de manga longa preta e meu all star cano médio preto , arrumei minha mochila , comi qualquer coisa, escovei os dentes, peguei meu celular coloquei os fones e fui pra escola , todos estavam me olhando , será que eu tô pior ainda assim ? Rosa e alexy me puxaram para um abraço apertado)

Rosa- você tá linda
(Disse com os olhos brilhando)

alexy- concordo, tá MARA, olha quem tá olhando pra cá, disfarça

(Vi virei devagar e vi o castiel me olhando, ele veio hoje , que bom ,sorri pra ele e o mesmo devolveu o sorriso e virou a cabeça entrando na escola e se sentando em um banco de baixo de uma árvore, conversei um pouco mais com a rosa e o alexy até o sinal bater e irmos cada um para suas respectivas salas , entrei e me sentei no lugar de sempre,logo em seguida vejo o castiel entrar atrás do professor , ele me olhou e veio em Minha direção, ele se sentou do meu lado )

Castiel- melhorou o visual tabua

eu- tabua ?

(Castiel deu uma risada e eu me virei para o quadro copiando as atividades que o professor passava.)

eu- castiel.

castiel- diga
(Ele não parava de me olhar desde que cheguei na escola , hmm )

eu- porque faltou esses dias?

castiel- Tava resolvendo uns problemas

eu- que tipo de problemas?

castiel- não te interessa

(Disse ele em um tom frio que deu um arrepio na espinha , acho que não era pra eu ter perguntado isso, fique calada e continuei copiando , mas castiel não parava de me olhar e resmungar algo que eu não entendia, depois de três aulas chatas o sinal finalmente bateu para o intervalo ,coloquei meus fones , vi castiel sair da sala junto de lysandre que parecia meio chateado , rosa e alexy apareceram me dizendo que minha sala e a deles não iria mais ter aula por hoje, agradeci mentalmente por isso , eles me arrastaram até um shopping? o que eu tô fazendo aqui?)

rosa- aaaah olha esse short e essa blusa , vai ficar perfeito em você

alexy- concordo você vai experimentar ele agora

eu- n-não eu nã...

(Não consegui terminar minha fala porque eles me puxaram para dentro da loja e pegaram o conjunto pra eu experimentar , eu não queria pois iria aparecer certas marcas , que eles não precisam e não podem ver , mesmo assim eles insistiram, eu acabei experimentando e eles viram os cortes , colocaram a mão na boca assustados e pediram explicações, por algum motivo eu sabia que podia confiar neles , acho que vou contar , posso confiar neles certo? sim posso, eles me deram a roupa de presente eh tentei negar mas eles insistiram , fomos para minha casa e eu tentava sempre me esquivar das perguntas deles, mas eles não desistiram , eu contei tudo pra eles , comecei a chorar muito e eles me abraçaram, disseram que se eu precisar de um ombro amigo, podia confiar neles , eles foram embora , eu troquei de roupa , comi qualquer coisa, escovei os dentes e dessa vez fui dormir tranquilamente , posso confiar neles , agora eu tenho amigos de verdade mãe....)

Notas Finais


Não tente adivinhar o que as pessoas pensam a seu respeito.
Faça a sua parte, se doe sem medo.
O que importa mesmo é o que você é.
Mesmo que outras pessoas não se importem.
Atitudes simples podem melhorar sua vida.
Não julgue para não ser julgado...
Um covarde é incapaz de demonstrar amor
- isso é privilégio dos corajosos.

Mahatma Gandhi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...