História O que acontece na balada 2 - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Henrique & Juliano
Personagens Henrique, Juliano, Personagens Originais
Exibições 154
Palavras 1.520
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vooooooltamoooooos Gente 😍😍😍
Eu juro que tentei, me segurei, queria inicia-lá mais perto do natal, mas como uma autora doida, não aguentei e o presente vai antecipado kkkkkk as idéias estão surgindo e preciso postar logo pra não esquecer kkk

PS. Não vou postar todos os dias enquanto não finalizar a Isabela (Depois que te conheci) Mas sempre que der um tempinho vou estar aqui amores!

ATENÇÃO: PALAVRAS DE BAIXO CALÃO... (AUTORA FORA DA CASINHA, QUANDO DIGO PALAVRAS DE BAIXO CALÃO ESTOU FALANDO MUITO, MAS MUITO SÉRIO... AS IDÉIAS SÃO DOIDAS, PORTANTO É MAIS QUE A PRIMEIRA TEMPORADA!
😘😘

Capítulo 1 - Eu que já tive em minha vida milhões de amores!


Fanfic / Fanfiction O que acontece na balada 2 - Capítulo 1 - Eu que já tive em minha vida milhões de amores!

Eu nunca pensei em me amarrar, nunca pensei em namorar, sempre fui de viver a vida livremente e perigosamente, sair sem ter que dar satisfação pra ninguém, sem ter que dar a mão pra ninguém! Esse papo de me envolver sério sempre foi muito surreal pra mim. 

E agora... lá estava eu, simplesmente à um ano e meio com o Henrique... Uau... Eu que não me via com alguém mais do que três meses estava perdida de amores por aquele homem. Chegava até a ser engraçado, me prometia a mim mesma, jurei ao Thiago que jamais me envolveria com alguém daquela forma, mas se um dia isso acontecesse não seria alguém da sua laia, não seria um sertanejo... Porque cá entre nós, Thiago nunca valeu o prato de comida e seus amigos não eram diferentes, claro no sentindo galinhão, porque se Thiago tinha uma qualidade, essa era ser meu amigo, meu quase irmão, meu companheiro pra todas as horas. 

Eu nunca pensei que pudesse me dar tão bem com alguém, que esse alguém pudesse ser tão parecido comigo, mas esse alguém era Henrique, simplesmente combinavamos perfeitamente... Não mudamos em nada, as brincadeiras, os deboches, as respostas na ponta da língua, eu realmente além de namorado tinha um verdadeiro amigo. A única coisa que mudamos mesmo foi no sentido farrear, não que não saiamos, porque baladas era o primeiro lugar que podiam nos encontrar nos seus dias de folga. Mas sim, no sentindo mulherengo e eu querendo pegar qualquer boy bonito que me aparecia na frente, estávamos mesmo sossegados, e eu tinha a certeza absoluta pelo Henrique. 

Conquistar a sogra que foi mais difícil, Dona Maria amava de coração a Mayara, e não era pra menos, foram anos... Mas no final ela entendeu que não dava mais certo, que se um dia existiu amor acabou de ambos, e sem julgamentos, não existia certo ou errado, todos merecem ser feliz... Então virei a princesinha da sogra, em tudo ela me defendia, me agravada, Henrique havia mesmo ficado pra trás nessa... 

 Entramos no camarim super apressadas, eu e Júlia. Henrique e o Ju já estavam prontos para subir no palco. 

- Atrasadas de novo? - Henrique arqueou a sobrancelha divertido - Eu rezo para o dia que vocês chegarem cedo porque vai chover canivete. 

- A culpa é dela - Julinha apontou pra mim. Claro, sempre era minha culpa - Não sabe o que vestir, na hora da maquiagem fica conversando - Julia se expressa com as mãos - Você precisa ver o quarto, esta do avesso. 

- Eu até imagino - Henrique se aproximou e me deu um selinho - Ficou bom? - Se referiu a roupa. 

- Prefiro você totalmente sem meu amor, mas pra subir no palco esta ótimo - Rio debochada. 

- Vocês vão assistir do palco? - Ele perguntou arrumando os últimos apetrechos. 

- Mas nem pensar - Olho-o negativamente - É segunda vez que você me traz para Salvador e você acha que vou ficar no palco como a última vez? Bora lá pra frente Julinha. 

- Ah você vai ficar no meio do povo? - Henrique me olhava debochado, com ar de diversão. 

- Vou por que? - Dei os ombros. 

- Não, nada não amor, vai lá - Riu safado e beijou meus lábios mais uma vez antes de eu e Julia sairmos em direção ao palco, mas na frente do palco... 

E tudo ocorreria normal como qualquer outro show se o engraçadinho do Henrique não tivesse a ideia de fazer uma de suas gracinhas, só pra me provocar. 

- Agora é a hora que relembramos as músicas antigas - Ele olhou pra mim com ar de deboche, mas não tinha essa "hora", ou pelo menos ele nunca precisou falar pra cantar as músicas antigas - Quero duas meninas pra dançar comigo e o meu irmão aqui no palco - As meninas foram a loucura e eu o olhei com o olhar matador, porque  sabia que ele escolheria duas meninas que pudessem me provocar...

... Apontou para duas meninas ao meu lado... filho da mãe, ainda quer escolher a dedo... Rapidamente as meninas estavam em cima do palco... 

- Eu vou matar o Henrique - Digo pausadamente ao ouvir começar a tocar "vem novinha". 

- E eu vou ajudar - Julia diminuiu o olhar do meu lado, percebendo que os dois filhos da mãe estavam arrochando colados demais nas meninas, mas claro, em provocação Henrique era professor. 

            ... 

- Eu devia te encher de tapa sabia? - Fecho os punhos na sua frente. Henrique ria alto, se divertindo. 

- Ué, não quis ir no meio do povo? - Diminui o olhar expressando raiva enquanto ele continuava rindo atoa. 

- Você me paga - Apontei o dedo pra ele e me dirigi até a mesa de doces onde Júlia estava, esperando que eles atendessem os fãs... A última a entrar que me fez perder os sentidos. Quando vi aquela morenona, toda trabalhada no silicone, em cima de um salto dezoito e com o sorrisinho safado no rosto, já vi que prometia. 

- Oi Henrique - Disse ela antes mesmo de se aproximar, a vozinha irritante - Quanto tempo, não te vi mais por aqui. 

- Como assim? E o Juliano? - Mostro as mãos, observando tudo de longe. 

- Deixa o Ju fora disso - Julia disse autoritária, me fazendo rir de qualquer forma. 

- Oi Priscila - Henrique respondeu sem muito desdém, cruzou os braços e sentou nas costas da cadeira atrás de sí... Mas então ele a conhecia. 

- Até parece que não me chamo Bianca Rios - Digo batendo uma mão na outra. Me aproximei e coloquei a mão no ombro do Henrique, um sorriso enorme no rosto... - Sua amiga amor? - Aponto para a mesma. 

- Na verdade fomos mais que amigos - Priscila respondeu expressando satisfação. 

- A que pena, ele nunca me falou de você - Continuava com o sorriso grande nos lábios. 

- Sua nova namorada? - Ela perguntou expressando nojo, olhando para o Henrique como se eu não estivesse alí. 

- Na verdade noiva - Respondi rapidamente, deitando minha cabeça em seu ombro. Henrique ria se divertindo. 

- Noiva? - Priscila perguntou com espanto. 

- É, nós vamos casar - Sorrio piscando os dois olhos - Ai amor desculpa - Coloquei a mão na boca expressando arrependimento - Você não mandou convite pra ela? - Henrique continuava rindo - Você precisa me avisar quem são seus amigos convidados pra mim não ficar passando por constrangimento - É lógico que não havia casamento nenhum, mas eu não ia ficar por baixo. 

- Ah... eu não sabia - Diz ela, toda sem jeito deixando o silêncio no ar, continuei com a cabeça deitada no ombro do Henrique e sorrindo - Acho que tá na minha hora - Ela apontou para a porta. 

- Eu te levo até a porta que é pra voltar sempre - Digo segurando em suas costas - Isso é como se fosse a casa do Henrique e já que vamos casar é minha também.- Ela sorriu forçada e não disse mais nada antes de sair... 

- Volte sempre querida - Grito assim que ela pegou uma certa distância - Vaca... - Me viro para Henrique que ria de sair lágrimas dos olhos, Julia e Juliano não estavam diferentes. - Eu vou dar na sua cara - Fechei os punhos me aproximando. 

- Saia justa - Juliano diz pegando na mão da Julia - bora pro Hotel... - Saíram depressa do camarim deixando apenas nós dois.

- Que culpa eu tenho? - Henrique abriu os braços sem conseguir desfazer o riso. 

- Se a cada vez que eu estiver no camarim entrar uma louca que você comeu eu vou surtar. 

- Que palavra feia - Henrique disse num tom de deboche me abraçando pela cintura. 

- Ah então é o que? Que você fez amor? - O olhei diminuindo o olhar - Não do conta de tanta mulherada não. 

- Boba - Henrique beijou meus lábios - Não precisa exagerar... Se bem que se começar a aparecer os caras que você saiu eu vou ganhar um infarto. - Me olhou de lado. 

- Muito engraçadinho você - Voltei a olha-lo querendo mata-lo - Mas não se preocupe, nisso os homens são melhores, talvez você esteja tomando cerveja com um e não saberá. - Digo debochada, olhando para as minhas unhas, se era pra provocar eu estava dentro. 

- Muito engraçadinha - Henrique sorriu forçado e me puxou pela cintura - Ciumenta! - Seus dedos adentraram os meus cabelos e ele sorriu gostoso dessa vez antes de me beijar feroz, pressionando meu corpo contra o seu, sentia em segundos sua calça apertar, a respiração pesar e sua mão firme na minha bunda. 

- Espera aí - Henrique quebrou o beijo ofegante, caminhou até a porta e a trancou. 

- O que vamos fazer - Pergunto com malícia, rindo. 

- Você eu não sei - Henrique me puxou com força e me jogou contra o sofá dalí me fazendo cair sentada - Mas eu vou te lamber e morder todinha.! 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...