História O Que Não Podemos Evitar - Capítulo 10


Escrita por: ~

Exibições 44
Palavras 2.154
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá queridos, acho que a partir de agora acho que as coisas vão ficar um pouco tensas e se o Jaime não quiser perder, vai ter que correr kkkkkkk

Capítulo 10 - Capítulo XVIII Parte II


Fanfic / Fanfiction O Que Não Podemos Evitar - Capítulo 10 - Capítulo XVIII Parte II

Festa

Parte II

 

 

A festa estava quase no fim, muitos convidados já tinham ido embora, da família do noivo apenas Margaery e Willas ainda estavam na pista de dança, já que seu pai e sua avó já tinham ido embora. Apesar do relógio de Ned marcar 01h00min da madrugada ele permitiu que as poucas pessoas que ainda estavam na pista de dança, isso incluem seus filhos, continuassem a festa, ele pode notar que alguns casais se formaram a essa altura, Willas e Rhaenys pareciam se entender, Margaery pelo que parece desistiu de Robb e resolveu investir em Aegon e estava tendo sucesso.

―Que tal nós nos retirarmos, acho que já chega para nós dois. – Catelyn abraça o marido, que assenti. – Rickon já chegou? – Quis saber.

―Não, mas acabou ligar avisando que vai deixar os filhos de Robert em casa e então virá para casa junto com Lyanna, acho que vamos ganhar mais uma nora. – Riu para esposa e foi para o interior da casa.

Enquanto isso Dany se prepara também para ir, sua mãe estava cansada, Rhaella não tinha costume de dormir tão tarde, ela se aproxima do irmão para avisar que já está de saída. – Eu e a mamãe já estamos indo, você vai ficar com os garotos? – Ela segue o olhar do irmão e ver Domeric dançando com Jeyne. – Você sabe que precisa enfrentar isso, se quiser ser feliz irmão, ele me parece ser uma boa pessoa.

―A melhor. – Respondeu Viserys. – Eu vou Dany, e vou precisar de você, sei que tivemos nossas diferenças, mas você tem sido minha rocha neste momento. – A irmã o abraçou com lágrimas nos olhos, sabia que eles formavam uma família cheia de problemas, mas era uma família afinal. – Vem, eu vou levar você e a mamãe para casa, vamos deixar os garotos curtirem um pouco mais o irmão e seus novos amigos. – Eles se despediram dos demais e partiram para casa e Viserys decidiu que não adiaria mais a sua vida.

 

 

####################

 

 

Rickon estava a caminho da casa de Myrcella e Tommen, a companhia dos irmãos tinha sido muito boa, para sua surpresa, ele e Tommen se entenderam muito bem, a Cella era uma garota muito doce, pensou que talvez eles se tornassem bons amigos afinal, apesar de se conhecerem a algum tempo, pois seus pais eram grandes amigos.

―Estão entregues. – Rickon estacionou nos portões da casa dos novos amigos. – Nos vemos na segunda no campus.

―Obrigado por nos livrarmos do Joffrey, meu irmão pode ser um idiota às vezes. – Disse Myrcella.

―Você quer dizer o tempo todo não é Cella? – Tommen protestou. – Ele é um imbecil em tempo integral, o que me faz lembrar que sua irmã Sansa foi muito esperta em dá um pé na bunda branca do Joffrey. – Todos riram.

―Certo, certo que tal vocês entrarem antes que a mãe de vocês apareça e nos matem, acho que aquela luz que acabou de acender é do quarto de seus pais eu suponho. – Foi a vez de Lyanna. – Tchauzinho, nos falamos na segunda!

Rickon tomou o caminho para a casa enquanto Lyanna ligava o rádio do carro e cantarolava uma canção, a festa da universidade tinha sido agradável, como prometido ele não bebeu, pois seria o motorista da vez, em contra partida Myrcella, Tommen e Lyanna enfiaram o pé na jaca, mas olhando a garota agora parecia que ela estava bem.

―Bom agora é a sua vez, vou te deixar em casa.

―Na sua casa você quer dizer, porque é lá que eu estou hospedada. Sabia que a Cella está apaixonada pelo filho de Doran Martell? Não consigo lembrar o nome do garoto, mas ele vai está na mesma turma que ela de ciências políticas. – Lyanna ria lembrando-se da cara de boba que Myrcella fazia cada vez que via o garoto.

―Não sabia que gostava de fofoca Lyanna Mormont, essa é nova. – Riu da amiga. – Que tão um hambúrguer gigante antes de irmos para casa, estou morto de fome. – Falou já estacionando em uma lanchonete 24hs.

Desceram do carro e Lyanna segurou na mão de Rickon que ficou surpreso com a atitude dela, caminharam até chegarem à porta da lanchonete quando Lyanna parou.

―Aconteceu alguma coisa? – Rickon não entendeu o porquê de a garota ter parado de repente.

―Quando vai criar coragem Rick? Quando vai me beijar? – Perguntou de um supetão, fazendo Rickon arregalar os olhos.

―Acho que você ainda está bêbada, vamos pedir um café forte para você e depois vamos comer, acho que isso também pode ser fome... – Rickon foi interrompido por Lyanna que o beijou de surpresa, ele não pode deixar de corresponder, ela tinha razão lhe faltava coragem, mas Lyanna Mormont tinha de sobra.

 

 

####################

 

 

Robb estava neste exato momento sentado ao lado de Bran que estava como sempre se queixando, agora era seus pés que o incomodava, antes era a Meera que o forçou a dançar, de certa forma ele entendia o irmão, Bran era muito reservado e não gostava muito de dançar ou qualquer evento social.

―Eles não se cansam, até a banda já se cansou e foi embora. – Bran apontava para o palco que agora estava vazio, apenas o som mecânico estava tocando, neste momento começou a tocar uma das músicas favoritas da Jeyne de uma de suas bandas favoritas então decidiu tirar a irmã para dançar.

―Bom eu vou dançar uma última, por que não faz o mesmo com a Meera, acho que ela iria gostar. – Robb se levantou e foi em direção a irmã que estava em pé do outro lado abraçada a Domeric. – Minha vez, vamos dançar, sei que gosta dessa música. – Ela olhou para sua mão estendida e para Domeric que fez sinal para que ela fosse.

Robb guiou Jeyne para a pista de dança onde os outros também estavam dançando, envolveu a cintura de Jeyne com seus braços a mantendo bem perto de si, e ela envolveu seu pescoço e então começaram a se movimentarem no ritmo da música.

 

I'll use you as a warning sign
That if you talk enough sense then you'll' lose your mind
i'll use you as a focal point
So i don't lose sight of what i want
I've moved further than i thought i could
But i missed you more than i thought i would

 

Jeyne viu Aegon e Margaery dançando e riu internamente.

―Acho que você perdeu seu par desta noite. – Robb ergueu a sobrancelha em confusão e Jeyne continuou. – Margaery, ela passou praticamente a noite inteira pendurada em você. – Ela soltou o riso.

―Graças aos deuses ela conseguiu outra pessoa que lhe causasse maior interesse. – Ele a olhou nos olhos e notou que ela parecia mais aminada com a chegada de Domeric, tinha ficado chateada com o fato do Lannister não ter aparecido. - Você se animou após a chegada do Dom, aconteceu alguma coisa com o Lannister? – Resolveu perguntar.

―Problema com a empresa parece ser grave dessa vez.

―Algo sobre a auditoria que ele está fazendo? – Ela o olhou surpresa. – Eu ouvi a conversa de vocês hoje de manhã no seu apartamento, acho que ele está fazendo a coisa certa.

―Quem é você? O que fez com o Robb? – Fez piada. – Está concordando com Jaime? Nossa por essa eu não eperava.

―Ok, vamos deixar o Lannister de lado e vamos aproveitar a música. – Estreitou ainda mais Jeyne em seus braços e ela apoiou a cabeça em seus ombros e deixou a música tomar conta dos dois, Robb começou a cantarolar a música ao ouvido de Jeyne e foi quase impossível que o corpo da garota não reagisse a isso, além de está ciente de suas mãos em suas costas fazendo carícias quase imperceptíveis.

O que estava acontecendo? Por que ele estava fazendo isso? Porque ela estava sentindo essas coisas que há tempos não sentia? Jeyne parecia que estava sendo transportada para Winterfell quando passava horas tentando se convencer que o que sentia por Robb nada mais era do que coisa da sua cabeça. Ele continuava cantando em seu ouvido e o ar dos seus pulmões foi sugado, ela não conseguia respirar.

 

I found love where It wasn't supposed to be
Right in front of me, talk some sense to me
I found love where It wasn't supposed to be
Right in front of me, talk some sense to me

 

―Com licença, eu preciso de... eu tenho que ir. – Jeyne se soltou dos braços de Robb e saiu correndo em direção a casa ela precisava se acalmar, mal ouviu quando Dom gritou seu nome, ela apenas correu para se esconder, chegando a seu quarto ela ficou olhando para sua imagem projetada no espelho gigante no meio do quarto, ela estava uma bagunça, assim como seu interior neste momento, fechou os olhos e foi impossível conter as lágrimas que começavam a cair.

―Jeyne, por favor o que aconteceu? – Robb entra devagar tinha medo de assustá-la. – Você saiu correndo eu não estou entendendo.

―Eu não sei, Robb eu não sei. Eu estou um pouco zonza agora acho que é por causa das margueritas, estou cansada eu acho é melhor eu dormir. – Riu tentando passar uma tranquilidade que estava longe de sentir.

Robb se aproximou e colocou as mãos em cada lado de seu rosto, e ela sorriu para ele, então em um momento que ele poderia chamar de loucura total a beijou, em seguida foi empurrando Jeyne até prendê-la entre a porta do quarto e seu corpo, Jeyne resistiu no começo, tentou abrir a boca para protestar e era tudo o Robb precisava para aprofundar o beijo introduzindo sua língua na boca de Jeyne que acabou cedendo a investida do irmão, Robb explorava cada canto da sua boca e Jeyne parecia que iria se desmanchar a qualquer instante.

Quando o ar lhes faltou Robb interrompeu o beijo e encostou sua testa na testa de Jeyne que continuava com os olhos fechados, ele admirou o rosto que sempre o perseguiu mesmo estando longe.

―Eu te amo! – Disse com uma mistura de alívio e medo ao mesmo tempo. – A minha vida toda eu tenho te amado. – Jeyne apenas olhava para ele sem nenhuma reação, ainda estava encostada na porta na mesma posição. – Pelos deuses Jeyne, fale alguma coisa.

―Eu não sei. – Ela disse por fim. – Eu não sei mesmo. – Girando nos calcanhares ela abre a porta e sai correndo novamente, Robb a segue tentando pará-la, mas ela chega a garagem entra no carro de Jon e em uma arrancada deixa a mansão para trás.

Robb fica parado olhando o carro se distanciar, quando Jon chega ao seu lado. – Aquela era a Jeyne? O que aconteceu? – Robb estava em silêncio ainda olhando para a estrada. – Robb! – Gritou – O que você fez?

―Eu disse a ela, pelos deuses, eu disse a ela, eu a beijei Jon. – Olhou para o irmão buscando alguma ajuda.

―Você não está fazendo nenhum sentido Robb, você disse o que a quem? Beijou quem? – Jon se aproximou de Robb ficando de frente para ele. – Irmão fale comigo.

―Eu disse a Jeyne que eu a amo, não como você a ama, mas como você ama a Ygrette e eu a beijei e agora ela fugiu. – Disse de uma vez, fazendo Jon perder a cor do rosto.

―Você está apaixonado pela nossa irmã? Você ficou doido? Se nosso pai souber está morto sabe disso? – Jon gritou, ele não podia acreditar.

―Ela não é bem nossa irmã, você sabe disso? Nossos pais a adotaram. – Robb tentou justificar.

―É isso que você diz para você mesmo? Para tentar diminuir a culpa? Não interessa nada disso, ela é nossa irmã Robb, foi como fomos criados, ela não é diferente de Sansa ou de Arya. – Jon falava enquanto tentava ligar para Jeyne, mas provavelmente ela nem levou o celular. – Droga! Droga! Eu vou atrás dela e você fica aqui, caso ela volte.

―Não, eu vou procurar por ela, eu tenho que fazer isso. – Jon riu sem humor.

―O inferno que você vai. – Jon iria continuar quando Domeric apareceu do nada.

―Parem já os dois, Jon você vai ficar e dá cobertura junto comigo caso alguém pergunte por ela, Robb você vai procurar a Jeyne e caso não a encontre vá para o apartamento dela e de Jon, se ela voltar eu ligo avisando e se você a achar primeiro nos ligue. Resolvido? – Os dois irmãos olhavam para Domeric com cara de espanto, até Jon tentar falar novamente. – Jon lindinho, por favor, volte para sua namorada e seus irmão que ainda estão aqui sem discutir comigo, acho que temos que por fim a festa não acha? Ela já deu tudo por hoje. – Virou-se para Robb. – Péssima hora para expor seus sentimentos gênio. Acho que o Rickon tem razão, ele é o único que sabe usar a massa cinzenta. Anda logo garoto vai atrás da minha amiga! – Volta para onde os outros estão ainda alheios ao que acontecia.

Robb corre até seu carro e sai pela cidade atrás de Jeyne. – Onde você está Jey?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


E ai me digam o que acharam, o que precisa melhorar, sou toda ouvidos!!!!
Beijinhos amores!
Amores, sabe quando você está com a cabeça nas nuvens? Essa sou eu , esqueci de postar qual a música do capítulo.
https://www.youtube.com/watch?v=rO7iNjRo9qk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...