História O Que Não Podemos Evitar - Capítulo 9


Escrita por: ~

Exibições 30
Palavras 3.140
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpe a demora gente, de verdade!
Gostaria de expressar minha satisfação com vocês, são mais de 400 visualizações, juro pelos deuses novos e antigos que eu não esperava tudo isso, 6 leitores favoritaram a fic e eu quero gritar!!!!!!
Obrigado mesmo, aqueles que comentaram, favoritaram e visualizaram todo meu amor a vocês.
Não vou demorar muito, então está é a festa de noivado da Sansa a primeira parte, pois logo, espero eu, teremos o desfecho dessa festa que vai dá o que falar!
Boa leitura.

Capítulo 9 - Capítulo XVIII - Parte I


Fanfic / Fanfiction O Que Não Podemos Evitar - Capítulo 9 - Capítulo XVIII - Parte I

A Festa

Part. I

 

 

Sansa estava uma pilha de nervos, ela não devia ter embarcado nas ideias malucas da Margaery, ela devia ter seguido o conselho de Garlan agora ela está em uma festa gigantesca e era apenas seu noivado, bastava um jantar mais íntimo com suas famílias e só. Ela estava tão tensa que mesmo a conversa descontraída com os Targaryens fez com que sua ansiedade diminuísse.

Com os olhos varrendo cada canto do jardim ela percebeu que a mansão da família estava cheia e amigos, quando viu Cercei e Joffrey pensou, que nem todos são amigos afinal, percebeu que Margaery se aproximava e sorriu para a cunhada.

―Então como está se sentindo a nossa noivinha? – Margaery sorria. – Está maravilhosa, meu irmão é um desgraçado sortudo, e por falar nele, onde aquele idiota se meteu?

―Não exagera Margaery, estou aqui pensando onde eu estava com a cabeça em seguir os seus conselhos e fazer do meu noivado um evento digno da realeza. – A cunhada bufou em resposta. – Sério acho que ficou demais, eu nem quero imaginar como será o casamento.

―Ah tá, o seu casamento vai abalar as estruturas de Westeros, aguarde! – Sansa sentiu vontade de chorar, mas quando iria passar um sermão na cunhada sentiu um braço lhe envolver e ela reconheceria aquele abraço, e nunca confundiria aquele cheiro.

―Deixe-a em paz Marg! – Disse Garlan à irmã que apenas ignora e vai em direção à mesa onde estavam seus pais e de Sansa. – Já disse que está linda essa noite? Você é linda sempre, mas hoje está especialmente linda. – Realmente ela estava em seu vestido verde que destacava seus cabelos vermelhos e seus belhos olhos.

―Já, mas pode dizer novamente. – Sansa se vira dentro do abraço do noivo ficando de frente para ele. – Nem acredito que estamos fazendo isso!

―Quer desistir? – Sorriu.

―Nunca! Eu te amo Garlan, nada me faria mais feliz do que ser a senhora Tyrell. – beijou seu noivo de forma apaixonada.

―Pelo amor dos deuses, alguém pode me fazer o favor e explicar para o Robb que ele não tem que ser tão chato e implicante? – Rickon aparece do nada interrompendo o momento entre Sansa e Garlan, fazendo o casal suspirar. – Eu e a Lyanna não namoramos.

―Para com isso maninho, eu sei o que está rolando, eu até acho os dois fofos! – Disse Sansa por fim, fazendo Rickon a encarar com cara de poucos amigos.

―Vou procurar a Jeyne, ela pelo menos não me enche como vocês. – Decretou chateado. – Ah, já ia me esquecendo, Robb você é um idiota!

―Não façam isso com ele chega a ser maldade. – Se pronunciou Garlan.

―Só para você saber, aquela cara de anjinho que ele tem é pura enganação, ele é uma peste, tenho medo do que será dá humanidade se Lyanna Mormont e Rickon Stark ficarem juntos, seria o fim do mundo como conhecemos. – Disse Robb.

―Quanto exagero! – Rebateu Garlan as gargalhadas.

 

 

####################

 

 

Caminhando entre as mesas, Jeyne procurava o seu namorado que prometeu comparecer e até o momento nem sinal de vida, até que avistou seu tio Robert e sua esposa que estava a todo custo tentando evitar.

―Jeyne querida está maravilhosa essa noite. – Robert abraçou a garota tão forte que ela pensou que fosse sufocar. – Onde está o Jaime?

―Tio Robert, Cercei. – cumprimentou sem graça. – Ele deve está chegando. – Se voltou para Myrcella e Tommen lançando um sorriso. – Nossa Cella você está linda! E Tom você está um gato. – Depois com um sorriso falso acenou para Joffrey.

―Realmente está maravilhosa está noite Jeyne, se eu fosse o tio Jaime não deixaria você sozinha um minuto. – Que garoto insuportável, pensou Jeyne. – Talvez eu te faça companhia até ele chegar.

―Não precisa querido sobrinho seu tio Jaime foi bem claro quando me pediu para que eu fizesse isso, porque ele vai demorar um pouco mais do que o esperado. – Tyrion surge do nada afastando o moleque insolente.

―O que será que meu irmão está aprontando? Sabe Jeyne, o Jaime é ótimo em dá umas escapadinhas. – Jeyne olhou para Cercei e depois para Tyrion que apenas a levou para longe daquela mesa.

―Vamos Jeyne tem algo que eu preciso que você saiba. – Seguiu em direção a um canto afastado da festa.

―O que está acontecendo? Onde está o Jaime? – Tyrion pede para que ela se sente e então começa a falar.

―Ele estava se preparando para vir junto comigo, em defesa do meu irmão, posso dizer que ele estava se empenhando bastante em ficar bonito para você. – Disse rindo para Jeyne que não sorriu de volta. – Tá legal, não está para brincadeira então vou logo ao assunto, o Jaime está na empresa. – Fez uma pausa e Jeyne pediu para que continuasse. – Ele recebeu uma ligação da Briene de Tarth, a auditora que ele contratou, acho que ela descobriu alguma coisa e eles foram para a Lannister. – Terminou por fim

―Ele está com a Briene de Tarth neste exato momento? – Jeyne concentra o olhar no pequeno palco montado no jardim, onde em alguns estantes será ocupado por uma banda. – Porque não me ligou? – Perguntou um pouco impaciente.

―Olha só isso, eu já vi várias facetas sua Jeyne, acredite é por isso que eu gosto tanto de você, mas essa faceta ciumenta é a primeira vez. – Tyrion rir fazendo a garota olhá-lo feio. – Garota ele incumbiu a mim, o anão mais carismático e charmoso de Westeros para pessoalmente lhe fazer companhia e ser o garoto de recardo dele. – Jeyne sorriu aliviando um pouco a tensão.

―Desculpe, eu estou realmente honrada. – Tyrion faz uma mesura na direção de Jeyne. – Você conheceu a senhora Tarth? Eu fiz uma pesquisa sobre ela. – Tyrion se surpreendeu com a revelação. – Ela é linda, tem dois metros só de pernas. – Fez uma careta engraçada que provocou no anão uma gargalhada. – Não ria ok, ela foi contra todas as progressões por ser mulher e transformou a empresa do pai em um sucesso, foi responsável por Walder Frey perder o cargo devido o envolvimento em negócios ilícitos a frente das Gêmeas, ou seja, ela é super engajada, até eu estou interessada nela. – Dito isso Tyrion simplesmente volta a gargalhar fazendo Jeyne fazer o mesmo.

―Você é minha pessoa favorita sabia garota? – Tyrion pega a mão de Jeyne entre a sua e a beija. – Não se preocupe com a mulher de dois metros de pernas, até eu quero conhece-la agora, Jaime te explicará tudo ok? – Ela assente

―Ele não vem não é? – Disse por fim.

―Creio que não querida. – O anão se levantou a beijou no rosto e foi em direção a Ned que estava em uma conversa animada com Rhaella Targaryen.

Ainda sentada Jeyne aproveita para admirar como a festa de noivado da irmã, estava linda, logo o Garlan faria o pedido formal, neste momento ela avistou Margaery Tyrell praticamente pendurada no pescoço do Robb, ele sentiu uma pontada no peito com aquela cena e novamente ela era a mesma adolescente que sofria cada vez que via Roslin Frey ao lado do irmão. Jeyne se sentiu incomodada com este sentimento e tratou de se levantar e sair dali.

 

####################

 

Tudo corria lindamente, o pedido do foi Garlan emocionante, Sansa estava radiante, a banda contratada por ela com a ajuda de Ygrette estava neste exato momento tocando no pequeno palco montado, em um canto Rickon estava olhando a movimentação dos convidados quando Lyanna se aproxima.

―Estava te procurando, onde você se enfiou moleque? – Lyanna parecia aborrecida. – Esta me evitando a noite inteira, isso é por causa das brincadeiras de seu irmão Robb?

―Primeiro não estou te evitando, segundo o Robb é um filho da mãe idiota e está realmente me irritando. – Respondeu irritado.

―Quer saber de uma coisa Rickon Stark? Você que é o idiota. – O garoto a olhou surpreso com o surto da amiga. – Eu nem preciso que me faça companhia, afinal estava agora mesmo conversando com Tommen e ele se mostrou uma companhia muito mais agradável que você. – O garoto olhou pelo salão procurando pelo filhinho da mamãe que Lyanna se referia o encontrando sentado ao lado dos pais e dos irmãos.

―Faça-me rir Lya, até parece. – O garoto riu com deboche da garota. – Estou realmente curioso sobre o que você e o Baratheon ali têm em comum.

―Nós gostamos de cavalgar, e ele até me convidou para conhecer o haras da família.

―E você vai? Por que iria? Sua família também tem um, isso não é nenhuma novidade para você! – Rickon queria torcer o pescoço daquele almofadinha loiro.

―E porque eu não iria? Acho que pode ser divertido, pelo menos ele não está me evitando só porque o irmão sem noção dele está fazendo gracinhas sobre nós. – Disse já saindo.

―Aonde vai? – Rickon quis saber. – Tá desculpe, já que cumprimos nosso papel aqui quer ir à festa que está rolando no campus para os calouros? – Falou apontando para Lyanna e ele. – Vamos?  

―Tá vamos, mas que tal chamarmos o Tom, acho que seria legal, vamos? – O garoto fechou a cara quando ela se referiu ao outro pelo apelido.

―Vamos deixar umas coisinhas claras aqui, o nome dele é Tommen e não Tom. – Falou com desdém. – E eu chamei você e não ele. – A garota apenas ergue a sobrancelha fazendo o amigo suspirar. – Ok, mas vamos chamar a Myrcella também, olhando daqui acho que ela quer se livrar do irmão mala dela. – O garoto fala olhando em direção à mesa onde a família Baratheon estava Lyanna concorda.

A chegarem à mesa dos Baratheon Rickon começa a se arrepender de ter proposto tal coisa. – Então eu a Lya vamos até o campus para a festa dos calouros querem ir? – Perguntou a Tommen e Myrcella que ficaram animados com a ideia e olharam para os pais como uma suplica. – Não vamos demorar, prometemos deixar os dois em casa em segurança. – Rickon falou para Robert.

―Por favor, pai, vamos ser responsáveis e prometemos não beber. – Foi a vez de Myrcella pedir e ela sabia que seu pai jamais seria capaz de lhe dizer não, Joffrey podia ter Cercei, mas ela e Tommen tinham seu pai por eles.

―Claro que podem querida, mas por favor cuidado. – Cercei queria contestar, mas o marido não permitiu. – Se cuidem e divirtam-se.

―Acha prudente deixa-los irem sozinhos? Devia mandar pelo menos o Joff ir com eles. – Cercei fala contrariada.

―Eles estão indo para se divertir mulher e não para passarem raiva com o Joffrey, apenas seu primo Lancel o suporta e o segue como um cachorrinho. – Joffrey levanta da mesa e lança um olhar de raiva para o pai que sustenta seu olhar como se estivesse o desafiando a contestá-lo.

―Ele também é seu filho sabia? – A mulher vai atrás do filho para consolá-lo.

―É eu sei, por isso o conheço muito bem! – Gritou para a esposa que já está na metade do caminho.

 

 

####################

 

 

―Arya quer parar, por favor, seus pais estão olhando. – Disse Gendry que era atacado pela namorada.

―Nossos pais? Cara nós estamos aqui ao lado, será que dá para os dois fingirem que são pessoas normais. – Bran que estava sentado ao lado com o braço em volta do ombro da namorada chama a atenção e a irmã apenas os ignoram. – Arya eu vou chamar o pai!

―Deixa ela Bran, eles estão apenas namorando. – Disse Meera rindo da reação do namorado.

―Nós estamos namorando, eles estão quase transando e o pior na nossa frente. Quer saber? Vamos sair daqui! – Segurando Meera pela mão, Bran se afasta do casal.

―Viu o que você fez? Seu irmão está irado e com razão!

―Esquece o Bran, que tal seguirmos o exemplo deles e irmos para outro lugar? Meu quarto por exemplo. – Desse ou pé do ouvido do namorado que fica tenso com a investida da garota, eles iriam se encrencar.

―Foda-se, vamos sair daqui! – Gendry levanta da cadeira arrastando Arya com ele até ser parado por alguém.

―Opa! O que temos aqui? Um casal fujão. – Arya se vira para voz e corre na direção do recém-chegado. – Calma garota, você sabe que não faz meu tipo!

―Domeric Bolton isso são horas de chegar? Perdeu metade da festa! – Arya estava agarrada ao rapaz o que fez com que Gendry chamasse a atenção dos dois.

―Calma tá legal? A Sansa já descarregou toda sua raiva em mim, então você está dispensada da função, já você lindinho, como eu disse antes sua namorada não faz meu tipo, mas você faz! – Arya não conteve i riso deixando Gendry vermelho. – Agora vão que eu dou cobertura pra vocês, onde acho a Jeyne? – Arya apontou na direção onde a irmã se encontrava sozinha enquanto arrastava o namorado para dentro da casa.

Domeric olhou por um tempo a amiga e percebeu que tinha algo que a incomodava e ele iria descobrir. – Por que a garota mais linda que eu conheço está aqui sozinha? – Jeyne abriu o seu melhor sorriso para receber seu grande amigo e levantou para abraçá-lo. – O que acontece com vocês mulheres dessa família? Quando me veem querem me agarrar?

―Ai seu bobo, pensei que não viria, eu já fui abandonada essa noite não suportaria ser largada por você também. – Falou entre risos. – O Jaime teve problemas na empresa e não pode comparecer e então pediu para o Tyrion me fazer companhia, mas ele sumiu acho que ele conseguiu arrastar a garçonete do buffet para algum lugar e agora estou sozinha já que o Rickon foi com a Lya para uma festa. – Despejou tudo em um folego só.

―Hey, hey, hey! Calma amor espera um pouco acho que fiquei tonto com tanta informação em tão pouco tempo. Vamos focar no mais importante o gostosão do Lannister não veio? – Ela acena que não com a cabeça. – E você está chateada?

―Um pouco, mas sei que ele teve seus motivos. – Droga ela odiava bancar a sensata, as vezes só queria bancar a louca de vez em quando. – Mas vamos deixar isso de lado e me fale de você, disse que tinha novidades?

―Estou com alguém! – Jeyne pensou que sua cara devia está bem engraçada agora! – E não podemos assumir nada agora, pelos menos até ele abrir para a família sobre ele, estou tão feliz Jey quero que o conheça quando puder!

―Eu estou tão feliz por você! Espero que ele resolva o quanto antes todos esses problemas, você merece! – Jeyne abraça o amigo que retribui, era importante para ela que Domeric fosse feliz ele é muito especial para ela.

―Vem quero apresentar a família do Jon, Ygrette finalmente dobrou o teimoso. – Disse apontando para a mesa onde o irmão estava com sua família. – Acho que chegou mais um pelo que posso ver, vamos rápido. – Jeyne puxou Dom que estava um pouco indeciso se iria ou não.

―Olha quem está aqui? – Jeyne puxava Domeric pelo braço. – Domeric Bolton, esses são, Rhaella vó do Jon, Aegon e Rhaenys irmão do Jon e Daenerys e Viserys tios de Jon. Que bom que conseguiu vir Viserys seja bem vindo. – Viserys agradeceu a Jeyne pela gentileza.

―Que bom que veio Dom, como estão as coisas em Dorne. – Jon perguntou, mas Domeric parecia incomodado o que não passou despercebido por Jeyne que lançou um olhar do amigo para o tio recém-chegado de Jon e ficou surpresa com sua conclusão.

―Está indo bem Jon, Ygrette você está linda esse vestido está encantador. – A namorada de Jon agradeceu o elogio, mas Jeyne resolveu tirar a história a limpo.

―Dom vamos comigo quero que você veja algo. – Arrastou o amigo para longe da mesa e viu que Dany fazia o mesmo com o irmão, ao chegar a um lugar afastado ela o inqueriu. – É ele não? O cara com quem você está saindo? È o Viserys Targaryen, pelos deuses! Como isso aconteceu? – Perguntou por fim ao ver que o amigo não negara.

―Sim é ele, entende agora porque é tão complicado, o escândalo que seria se da noite para o dia o irmão do presidente se assume gay? – Ele tentou esconder o nervosismo com um sorriso.

―Entendo, mas escute uma coisa ele vai ter que enfrentar isso, mais cedo ou mais tarde Dom, e é melhor que seja agora.

―Quando isso acontecer a vida dele será devastada pela imprensa você sabe disso, lembra-se do que fizeram comigo? Ou com você quando começou a namorar o Lannister? – Ela assentiu. – Vou precisar dos meus amigos, vamos na verdade, eu mais do que nunca vou precisar de você Jey. – Ela estava vulnerável e ela sabia e teve pena do amigo ele era uma pessoa extraordinária.

―Você sempre pode contar comigo e sabe disso. – Que tal a gente curtir a festa? Nós dois, a banda está arrasando. – Ele sorriu e olhou para a pista de dança.

―Seria bom já que a rosa da campina assanhada está a ponto de violar o pobre lobo do norte. – A amiga o olhou sem entender nada até que olhou na direção que ele apontava e viu Margaery agarrada a Robb e fez uma careta.

―A noite toda ela fez isso. – Falou revirando os olhos. – Só uma coisinha? Rosa da campina assanhada e lobo do norte? De onde tirou isso? – Não conseguiu evitar e riu dos apelidos dado pelo amigo.

―Acho que ando lendo demais aqueles romances de banca de jornal sabe? Sei que não são obras primas da literatura, mas quem pode me condenar? – Colocou a mão sobre o peito de forma dramática, fazendo a sua amiga rir mais alto.

―Ah eu até gosto... – Disse pensativa, mas depois ficando em alerta. – Do que estávamos falando mesmo? Ah sim, vamos dançar e nos divertir. – Puxou o amigo pela mão até a pista de dança, sendo acompanhados por Ygrette, Jon, Aegon, Rhaenys que também se levantaram para dançar.

Ainda sentados na mesa Ned observa seus filhos e seus amigos se divertirem, ele e Catelyn tinham feito um bom trabalho com sua família, era bom ver que Jon estava tentando passar a limpo seu passado, Sansa estava para se casar, sua garota agora era uma mulher por mais que odiasse admitir, Arya e Jeyne eram independentes e responsável cada uma a seu modo, Robb resolvera voltar para casa, Rickon e Bran eram bons meninos, ele estava feliz como as coisas estavam caminhando.

―Pensando na vida, amigo? – Robert chegara sem ser notado.

― Estava pensado que se fossemos mais jovens estaríamos ali. – Apontou para a pista de dança. – Mas estamos velhos, meu amigo. – Robert faz um sinal de desaprovação com as mãos.

―Fale por você, eu ainda coloco esses pirralhos no chinelo. – Disse enquanto fazia um passo de dança desengonçado causando riso nos presentes. – Eu faria isso agora se não estivesse indo embora neste exato momento. – Se despediu dos presentes e acompanhado de Cercei e Joffrey foram embora.

―Acho que podemos dá uns passinhos o que acha? – Catelyn estendeu a mão ao marido e seguiram para se juntar aos outros que aplaudiram o casal.

―Olhem e aprendam. – Ned falou girando Catelyn em seus braços.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Espero que gostem, me deixem saber! Beijinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...