História O que sobrou de mim - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 22
Palavras 587
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Famí­lia

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Capítulo único


1 ano e 9 meses.

Hoje faz um ano e nove meses que fui preso, mas me lembro como se fosse ontem da polícia invadindo a Sussekind  e matando meu melhor amigo.

Prendendo todo mundo.

Agora eu estou aqui de frente ao meu advogado imaginando o que ele quer comigo, logo hoje que estou atormentado pela morte do meu parceiro.

-- Bom dia David. Como está hoje?

Não me dei ao trabalho de responder.

-- Surgiu uma oportunidade de você ser solto pelo seu bom comportamento.

-- Bom comportamento?

Coitado não sabia o que acontecia lá dentro.

-- Você tem apenas que seguir alguns procedimentos.

Eu sabia que não seria fácil.

-- O que eu tenho que fazer?

-- Precisa de uma residência fixa.

-- Eu não tenho para onde ir no momento. Todo mundo em quem eu confio está preso.

-- Você tem uma opção. - ele disse, hesitante. -- Seus pais.

-- Eu não volto para aquela cidade. Nem eles iriam querer isso. - praticamente cuspi as palavras.

Minha vontade era de levantar e voltar para minha cela.

-- Não é uma questão de querer. Você prefere ficar aqui?

Pensei seriamente se era melhor ficar preso.

-- David, é uma chance única.

-- Tudo bem. Eu vou. - eu disse em voz baixa.

-- E tem mais. Você não vai poder sair da cidade.

-- E as coisas só melhoram.

***

Os meus pais terem me aceitado de volta foi um alívio, eu não teria que passar mais tempo preso afinal. Eu não os via há anos e qualquer intimidade que tivemos algum dia se perdeu com o tempo e a distância.

O fato de estarem odiando minha volta era um detalhe. Eu também estava odiando ter voltado. E todas as pessoas que moravam por ali me odiavam. Éramos uma grande bola de neve de puro ódio.

-- Mãe. Pai.

-- Que bom que voltou... filho. - a voz do meu pai saiu rasgando entre dentes.

-- Vem comer. - a voz da minha mãe saiu baixa quando ela se virou e entrou na cozinha.

Tomei um longo banho e fui me juntar a eles.

Eu estava tenso e meu estômago não estava ajudando. Eles ficavam me observando, era irritante.

***

Ficar sozinho era um saco. Puta que pariu.

Eu não estava acostumado a solidão, nunca. Nem preso. Sempre tinha alguém para jogar conversa fora. Mas ficar sozinho traz pensamentos e pensamentos podem deixar você louco.

Principalmente se o que gira em sua mente seja algo como: o que fiz da minha vida? E o que o fiz para parar aqui?

Eu não tenho motivação além de querer sair daqui. Eu preciso trabalhar mas ninguém vai me dar emprego. Acho que meus pais querem me ver pelas costas.

Acordei assustado, com um sentimento desesperador. Sonhei que voltava para a prisão.

Como se um ano e nove meses preso não fosse o suficiente para me fazer perder a cabeça, minhas mãos estavam suadas.

Eu não posso pirar agora.

Levantei e saí de casa para caminhar.

Não sabia que horas eram mas não tinha ninguém na rua para me olhar atravessado. Bem melhor assim.

Ao dobrar a esquina eu a vejo, era a única pessoa na rua naquela madrugada fria, mas eu acho que mesmo que não fosse a única pessoa, meus olhos teriam encontrado ela.

Meu primeiro pensamento foi: -- Eu me perderia nessas curvas fácil.

Mas a medida que eu me aproximava dela, mais de um milhão de pensamentos desse tipo passou pela minha cabeça.


Notas Finais


Mais uma One.
David é um personagem da minha fic
"No que eu me tornei" que sempre teve um lugar no meu coração.
Bjss. ❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...