História O raio de sol.


Escrita por: ~


Sinopse:
[Setembro Amarelo]

Uma singela contribuição para a maravilhosa iniciativa do Setembro Amarelo, campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo direto de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção.

Falar é a melhor solução.
Iniciado
Atualizada
Idioma Português
Categorias Originais
Tags Augusto Cury, Depressão, Luz, Originais, Original, Prevenção, Problemas, Psicologia, Setembro Amarelo, Suícidio
Exibições 87
Comentários 6
Palavras 719
Terminada Sim

Fanfic / Fanfiction O raio de sol.
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Seinen, Shounen, Suspense

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Lista de Capítulos

Capítulo
Palavras
1.
Capítulo Único - Lute pela sua luz.
6
87
719

Gostou da História? Compartilhe!

Comentários em Destaque

Postado por ~Henti
Capítulo 1 - Capítulo Único - Lute pela sua luz.
Usuário: ~Henti
Usuário
Me identifiquei até certo ponto. Porque eu sou esse tipo de pessoa que rir é uma opção, e sorrir é uma questão de talvez. Todos têm o seu lado ruim. E comigo não é diferente, entende? Sei que não sou capaz de ser um sol... pois sou só um planeta que se alimenta de uma grande estrela. Mas até onde somos iluminados? E até onde achamos que somos. Acho que todos estamos numa eterna busca pelo intenso brilho, e aquele que acha que encontrou, talvez, apenas tenha se perdido no reflexo de um espelho que reflete e refrata a luz de uma lâmpada que um dia se apaga, e o que sobra se não a própria escuridão? E por esse maldito medo, faço minha capa, construo meu sorriso, tento mostrar a todos o que eu penso, o brilho tépido de meus olhos e rezo, para que um dia, vejam que é de coração. Mas com esse texto me senti mais motivado à vagar neste mundo cada vez mais caótico e egocêntrico, esquecendo daquela pessoa que um dia me fez mal. E vamos rumo à luz. Obrigado por sua arte. Obrigado por existir.

Ah, sim! Não deixarei de ressaltar: você tem um fôlego para escrita impressionante. Me senti lendo uma carta de dissertação de pura sinceridade. Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência, ou não? Seu texto é uma personificação. E. Não. Não irei desistir!