História O retorno da princesa desaparecida - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Princesa, Romance
Exibições 2
Palavras 1.320
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Se você quer jogar...


Ao chegar a porta do salão o esperei até que me alcançasse, ele parou do meu lado em silêncio, um pouco perdido, não parecia de modo algum entender o que havia acabado de acontecer.

-Amélie, por qual motivo você não quer se casar com...

-Cale a boca por favor, não estou afim de escutar sua voz, ela não é muito atraente. -Disse revirando os olhos e o deixando chocado.

Eu estava mentindo é claro, nunca ouvira uma voz tão atraente e sexy antes, parecia entrar pela alma e marcar cada pedaço dela.

-Não entendo...- Ele começou novamente e eu o interrompi novamente.

-Não entende o que? Porque eu não te quero? Porque não me curvo a você? Porque não sou igual a todas as outras que você olha e elas já vêem correndo? -Eu falei e ele abaixou a cabeça.- Sabe o que você é? Sinceramente? Um mimado, você não passa de um principizinho mimado que não aceita um não como resposta, que achar que pode ter tudo e quem quiser por é bonito e rico, só que tem um problema príncipe, eu também tenho auto estima, e sabe o que mais? Também sou rica! Poxa não? Acho que não colou essa comigo.

Eu sabia que estava certa assim que acabei de falar pois ele estava calado e havia desistido de dizer o que quer que se passava na sua confusa cabecinha.

Ofereci meu braço para que ele pegasse e ele o fez, em seguida abri a porta para o salão e dei de cara com dois guardas nos olhando assustados por pensar que não havia ninguém de fora do salão.

Fiquei andando por um tempo com o príncipe Benjamin e cumprimentando pessoas que eu não conhecia e nunca tinha visto antes na vida e depois me separei dele dizendo que ia atras de meu irmão.

Encontrei meu irmão conversando com algumas pessoas que pareciam ser importantes ali, ele me apresentou a eles que fingiram estar encantados em conhecer a princesa e em seguida tirei meu irmão dali dizendo ter algo importante para lhe falar.

-Graças ao bom Deus você me tirou de lá, Ame, pensei que não iriam se calar nunca mais. -Ele disse me agradecendo e eu ri de sua expressão.

-Foi tão chato assim?

-Muito, mas e então o que tinha de tão importante a me dizer?

-Nada só queria companhia.

-Mas e o seu noivo?

-Pelo amor de todos os deuses nem me lembre desse ser.

-Foi tão ruim assim? -Ele me perguntou rindo da minha reação.

-Ele é horrível! Se acha! É o senhor importunância real!

-Não exagere, Ame ele é uma boa pessoa.

-E o que você pode saber sobre ele?

-Eu o conheço, é um ótimo amigo, um pouco problemático, devo admitir, mas uma boa pessoa.

-Seu traidor! -Disse dando um murro em seu braço.

-Ai!

-Como você pode ser amigo daquele ser humano?!

-Passamos muito tempo juntos em viagens e acabamos nos conhecendo.

-Ah é? Conte-me mais sobre isso.

Dylan me falava sobre como havia conhecido Benjamim quando vi Ruby vindo em nossa direção.

-Uou, desde quando sua amiguinha ficou tão bonita? -Meu irmão disse antes que Ruby chegasse.

-Para tudo, eu ouvi direito? Você disse que ela é linda?

-Olha não aumente as coisas eu disse que ela está bonita...

-Ruby! -O interrompi quando a vi mais perto.- Porque não dança com o Dylan? Olha só acabaram de abrir a pista de dança!

-O que? -Ela me olhou de cara feia- Está louca? Eu dançar com esse ai? Por que faria isso?

-Ei estou te ouvindo!

Sai dali na mesma hora deixando os dois discutindo sobre quanto se odiavam e avistei Tyler em uma mesa atras da minha irmã de guarda.

-Olá senhor, você poderia me dar a honra dessa dança? -Disse baixinho ao seu lado e ele rio de mim.

-Não deveria estar dançando com seu noivo?

-Por que todo mundo me pergunta daquele ser humano?

-Por que ele é seu noivo?

Revirei os olhos e o puxei para a pista de dança.

-Vamos dançar e vou fingir que não ouvi o que você disse.

-Não sei se eu deveria...

-Deveria sim.

Ficamos dançando por mais de meia hora e eu não me aguentava de rir das gracinhas de Tyler, ele era uma pessoa incrível, e por um momento até esqueci a onde estava e o motivo de estar ali, pude sorrir verdadeiramente sem me preocupar com o depois.

Estar com Tyler fazia com que eu me sentisse livre, como se eu pudesse sair dali e ter uma vida normal como qualquer outra pessoa, e então eu poderia me apaixonar e fazer amigos, ter pessoas que gostassem de mim por que eu era e não por ser uma princesa, aquilo sim é felicidade, a liberdade, o direito de escolha.

Mas infelizmente não durou muito tempo porque minutos depois fomos interrompidos por um Benjamim que desejava dançar com sua noiva.

-Por que caralhos você está fazendo isso?

-Olha a boca princesa, vou contar a sua mãe, acho que ela não iria gostar muito. -Ele disse franzindo as sombrancelhas.

-Você não ira contar porra nenhuma, agora me responda.

-Teríamos que dançar alguma hora da noite querida Amélie, olhe só em volta, todos esperam por isso.

Ele tinha razão, assim que olhei em volta notei que todas as outras pessoas presentes ali haviam parado para nos ver.

Começou a tocar uma bela música com intenso som de piano e violino e logo em seguida senti as mãos de meu noivo sobre minha cintura, meu corpo se enrijeceu por inteiro enquanto um arrepio involuntário passou pelo mesmo, coloquei minhas mãos sobre seus ombros e senti seu olhar intenso sobre o meu, giramos pelo salão sem desviar o olhar durante toda a dança, seus olhos feito do puro azul mais bonito do paraíso encaravam os meus de modo que era impossível desviar, sentia minha respiração involuntária completamente desregulada como se o ar dali estivesse sumindo.

Quando a dança acabou ficamos nos encarando por um longo tempo e o salão todo explodiu em uma salva de palmas, não conseguia me mexer e ele também não se mexia, ordenava meu corpo que saísse daquela posição, mas ele não parecia nem um pouco afim de me obedecer.

Enquanto dançava com Benjamim só conseguia pensar na tensão que ele me causava e como ele conseguia me tirar do sério com um simples olhar, fazer meu corpo transbordar de ódio, mas também de... Desejo.

Mas que porra eu estava pensando? Não havia desejo ali! Apenas raiva! Ódio por aquele príncipe mimado e idiota que pensava que podia fazer o que quiser.

Quando pensei que finalmente ia conseguir me mover ele o fez primeiro, se aproximou do meu ouvido e disse-me algo.

-Se é esse seu jogo, então que vença o melhor, quer me irritar? Então vamos ver quem irrita mais, mas ha! Princesinha, você mexeu com fogo! E agora não tem por onde você sair.

Ele se afastou de mim piscando e indo em direção a saída do salão, me deixando estupefata no mesmo lugar onde eu estava.

Minutos depois Ruby me tirou dali me perguntando o que ele havia me dito, mas eu insistia em lhe dizer que não era nada, por fim ela desistiu e foi me contar como odiava mais ainda meu irmão que a deixou falando sozinha e foi dançar com a primeira moça quer achou pela frente. Em outro momento aquilo seria interessante e eu com certeza tiraria sarro do meu irmão depois.

Minutos mais tarde chamei Tyler para me levar ao meu quarto, ele perguntara varias vezes como eu estava, e porque estava tão calada, mas eu não sabia como lhe responder.

Entrei em meu quarto e Luma e Dara me esperavam, elas me ajudaram a tirar toda aquela coisa preparam um banho para mim e depois as dispensei, estava cansada e dormiria rapidamente.

Vesti uma lingerie preta com detalhes em azul e um roupão de seda por cima, o deixei aberto pois era somente o tempo de achar uma camisola quando escutei a porta batendo as minhas costas e me virei rapidamente.

-Hum, até que não foi uma má ideia vir aqui. -Disse Benjamin enquanto eu fechava o roupão desajeitadamente.

-Mas que porra você está fazendo aqui?!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...