História O roubo das joias - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~BottomNochu

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Nanjin, Taeyoonseok
Visualizações 16
Palavras 2.369
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Capítulo 5 - Flecha


Fanfic / Fanfiction O roubo das joias - Capítulo 5 - Capítulo 5 - Flecha

Jungkook vestiu calça de moletom preta bem justa, camisa segunda pele também preta, calçou os tênis da mesma cor e por último as luvas. Pegou o pequeno tubo de spray que estava em cima da mesa e o prendeu em seu cinto, em seguida colocou no bolso um pequeno saco de veludo vermelho, guardaria o diamante ali dentro. Com tudo terminado apenas saiu do quarto e desceu as escadas. 

Na sala toda a família já estava pronta, todos vestidos de preto, os cabelos cobertos por toucas para evitar que qualquer fio caísse no local. Lisa tinha uma mochila nas costas, ali dentro estava o notebook, como ela e Jeon iriam de moto ela precisava guardar as coisas. Rafael e Karen vestiam tênis próprios para corrida, pois eles iriam fazer isso e muito, e Mark, este era o mais equipado, mochila nas costas, cinto preso na cintura e nas coxas, com uma argola de aço bem no centro da cintura.

- Hoje a noite faremos um grande serviço. – Rafael começou, sua voz tranquilizava a todos ali. – Lembrem-se, se o mundo não muda nós fazemos nossa parte. – O homem sorriu de forma doce, ele era sempre daquela forma, sempre gentil e doce. – Nós nunca deixamos ninguém para trás, então se alguém ficar entrem em contato e voltaremos, se algo der sinal de dar errado queremos os três fora, para garantir no escritório tem uma bolsa com dinheiro e identidades falsas, assim como em todas as vezes que fizemos isso, se algo der errado vocês três vão pegar tudo e ir para a casa de seus avós, não voltarão para nos buscar, não tentarão, apenas irão e vão seguir com suas vidas.

- Vocês sabem que nunca faremos isso. – Mark reclamou como sempre fazia. – Somos uma família, lembra?

- Precisam, se formos presos queremos que suas vidas sigam bem. – Karen olhou para os filhos, ela estava séria. – Prometam.

Os três irmãos abaixaram a cabeça, eles jamais deixaria os pais para trás, nunca, eram uma família, não uma equipe, se fosse o contrário sabiam que Rafael e Karen jamais os deixariam para trás, iriam lutar até o último segundo então eles fariam exatamente a mesma coisa. Eles não prometeram, pois não cumpririam e promessas são cuisas sérias demais para serem jogadas ao vento.

Rafael e Karen caminharam até Mark, a mulher tinha uma touca em mãos, ela colocou na cabeça do rapaz e a deslizou até a altura do pescoço do filho mais velho, na parte de trás da mesma tinha uma flecha bordado em branco, era a marca da família Back.  A mulher abraçou o filho assim como Rafael também o fez.
Ambos andaram um pouco para o lado, até onde estava Lisa, o processo se repetiu, a touca que cobria o rosto foi colocada na garota e os pais a abraçaram. O último foi Jungkook e assim, finalmente a família estava pronta.

A televisão foi ligada e todos saíram da casa, trancaram a porta e foram caminhando lentamente pela rua, sempre longe dos postes, as luzes acesas da casa dariam a impressão de que estavam lá, e caminhar nas sombras os ocultaria por conta das roupas escuras, foram precisos caminhar por três quadras até chegarem no carro e moto estacionados em frente a um comércio sem câmeras. 

Lisa subiu na moto e Jungkook logo atrás, envolveu a cintura da irmã e em seguida olhou para os pais e Mark, era um último olhar antes de tudo acontecer.
Sem mais demora a moto foi ligada e a garota acelerou, pelo retrovisor eles podiam ver o carro os seguindo a toda velocidade.
                                                                                  - - -

O carro e a moto estacionaram em frente ao museu, em uma área cega das câmeras e sem luz, assim estavam ocultos pela noite. Jungkook desceu da moto e esticou o corpo, ele precisava ser rápido e tudo daria certo. Lisa abriu o notebook e rapidamente invadiu o sistema de segurança do museu, ela era boa, todos ali eram, mas a garota era a melhor. 

Rafael e Karen acenaram para os filhos e correram para a parte de trás do museu, Mark tirou o celular descartável do bolso e esperaram.

- Estou me sentindo um traidor. – Jungkook falou baixinho.

- Por que? – Mark perguntou

- Sai com o Jimin ontem e hoje estou aqui, roubando o lugar que ele protege, sabe, é como se eu fosse um duas caras. – O garoto continuava sussurrando. – Ele me chamou para sair de novo.

- E o que você respondeu? – Dessa vez a garota quem perguntou.

- Que não sabia, disse que teria que perguntar para a mamãe, mas é óbvio que não vamos sair de novo, afinal, amanhã estaremos bem longe daqui.

- Sobre isso. – Lisa se pronunciou. – Iremos conversar mais tarde.

O celular na mão de Mark apitou, uma mensagem simples e clara  “Começou” , poucos segundos depois eles ouviram o alarme disparar, tocou por vários segundos e em seguida parou. Com o silêncio da noite foram capazes de ouvir passos rápidos, a caçada tinha tido início. 

- Agora é comigo. – Lisa falou enquanto teclava rapidamente. – Alarme desligado, temos trinta minutos a partir de agora.

Mark fez um sinal positivo com a cabeça, ele foi caminhando calmamente pelos pontos cegos da câmera, esperando elas moverem-se, demorou cerca de cinco minutos para que ele chegasse  até a porta, tirou os grampos do bolso, colocou na fechadura e trinta segundos depois a porta se abriu. O rapaz entrou.

Chegar até o terceiro andar foi complicado, pois haviam muitas câmeras ali, ele precisou caminhar calmamente, escondendo-se, desviando, se fosse pego por uma das câmeras tudo estaria completamente perdido.

Mark demorou dez minutos para chegar no terceiro andar, seu rosto já estava soado e ele estava mentalmente exausto, não era fácil desviar das câmeras daquela forma. Tirou os ganchos de aço a mochila, abriu a janela e prendeu os ganchos nos puxadores da mesma, seria arriscado e ele poderia cair, mas era o plano e deveria ser seguido, seus pais deviam ter calculado cada detalhe muito bem, jamais colocariam um dos filhos em um risco desnecessário.  Prendeu a corda nos ganchos e em seguida no gancho do próprio sinto.

Agora Já estava ali a dezessete minutos, seu irmão teria apenas treze, Kook era rápido, mas tudo aquilo era arriscado demais. Caminhou até uma das câmeras e acenou ali, demorou um minuto até ouvir os sons de passos correndo escada acima, então subiu na janela e foi descendo lentamente, assim que chegou no andar de baixo mandou uma mensagem para Jeon.
                                                                                      ---

- Pode fazer Lisa. – jeon falou guardando o celular no bolso.

A garota assentiu, e rapidamente fez as trocas das imagens, tudo que os seguranças iriam ver pela próxima meia hora eram filmes de segurança antigo, ou seja, Jeon estariam oculto ali dentro.

O garoto atravessou a rua correndo, tinha apenas oito minutos, abriu a porta sem medo e correu o mais rápido que conseguia, virou na primeira entrada a esquerda e continuou correndo, agradecia mentalmente por seus tênis não fazerem barulho quando entravam em contato com o chão. Seus pulmões já ardiam e imploravam por ar, mas não parou, virou na entrada a direita e finalmente deu de cara com o vidro onde estavam os diamantes. Cinco minutos. Verificou se o alarme estava mesmo desligado, e constatou que a irmã era realmente boa. Levantou o vidro e o colocou no chão, tirou o saco de veludo e pegou um dos três diamantes, colocou dentro, fechou o saquinho e o enfiou no bolso da calça. Voltou a colocar o vidro no local, este quase caiu porque o garoto estava tremendo, mas por fim ele conseguiu firmar. Tirou o spray do cinto e rapidamente desenhou uma flecha no chão, aquela era a marca dos Back, de todos, eram uma família enorme e grande parte dela eram de ladrões que gostavam de bancar Robin Wood. A flecha tinha sido escolhida a muitas gerações atrás e era pintada em todos os cenários de crimes, a flecha foi escolhida por representar um objetivo final alcançado ou até mesmo a eternidade. O símbolo trás também a ideia de foco de uma pessoa que corre atrás de seus objetivos. 

O garoto terminou o desenho, guardou o spray e correu para fora, assim que estava atravessando a porta ele pode ver Jimin entrar no lugar, assim como o restante de sua família, eles estavam ofegantes e pareciam extremamente cansados, isso era algo notável. Kook não esperou para ver mais, apenas correu em direção a moto, onde Lisa já esperava com a mesma ligada. 

- Achei que iria ter que te buscar lá dentro, moleque.

Ela acelerou a moto e saíram dali bem a tempo de ver os alarmes disparando, haviam notado o diamante sumido.
                                                                          - - -

- Parem, isso é uma ordem. - Um agente do governo gritou.

Rafael e karen corriam em disparada pela rua escura tendo os agentes do governo em seu encalço, precisavam correr por mais algumas ruas e tudo ficaria bem, eles confiavam nos filhos assim como confiavam em toda a família. 

Assim que ambos chegaram na esquina combinada um carro parou ao lado deles, abriram as portas e entraram e finalmente o carro saiu em disparada, deixando os agentes do governo com expressões indignadas e raivosas para trás.
                                                                                   - - -

Jimin foi o primeiro a entrar no museu, seus pulmões pareciam que iriam explodir de tanto que ardiam, ele podia jurar que viu um vulto preto passar pela porta, mas devia ser apenas impressão.

- Bando de arruaceiros. – Yoongi falou irritado.

- Eu cai, droga, machuquei meu joelho. – Hoseok reclamou.

- Burro. - Jimin falou debochado.

- Tadinho dos meus bebês. – Tae acertou um soco no braço do irmão e em seguida abraçou os dois namorados.

- Todo  treinamento e vocês conseguem fazer esse vexame, vão treinar mais duro a partir de agora.– Jin falou irritado.

- Appa, você também fez vexame. - Jimin comentou.

- Repita isso e não terá mais dentes para sorrir, Park Jimin. - Jin falou irritado.

- Vamos checar as joias, não esqueçam que já tentaram roubá-las. – Namjoon falou sério.

Os seis foram caminhando pelos corredores até o local onde as joias estavam localizadas, era sem duvida o lugar mais seguro de todos, afinal ali encontravam-se as joias da coroa. 
De longe eles puderam ver os desenhos no chão, o que fez todos correrem até lá, Jin e Nam arregalaram os olhos, já tinham visto aquele símbolo diversas vezes, não pessoalmente mas vária vezes em investigações criminais.

- Jimin, confere as joias. – Jin falou sem tirar os olhos dos desenhos.

O ruivo caminhou até o pedestal onde estavam, seus olhos se arregalaram tanto que chegaram a doer, faltava uma, tinham apenas dois diamantes ali, uma das joias havia sumido.

- Appa... 

- Falta um diamante? – Nam perguntou, este também tinha o olhar fixo no desenho.

- Sim. – Jimin falou preocupado. 

- Yoongi, vai verificar as filmagens com os seguranças. – Jin mandou e o mais novo logo saiu correndo.

- O que isso significa? – Tae apontou para o desenho.

- É um verdadeiro mistério, tudo que sabemos que são ladrões, provavelmente uma família, ou um grande grupo, porque isso acontece em todo o mundo as vezes em épocas muito próximas, é  algo que passa de geração para geração, porque esses desenhos são registrados a muito tempo, sempre no local de crimes, eles entram, roubam, e ninguém consegue explicar como fazem isso, nem quem são eles. – Namjoon respondeu o filho. 

- Então essa é a assinatura deles? – Hoseok perguntou.

- Tem sido a muito tempo. – Jin cruzou os braços.

Todos ficaram em silêncio, estavam tão frustrados, tinham deixando uma joia ser roubada, mesmo sendo para os sagitários, apelido dado pela própria polícia, ninguém conseguia se defender doa ataques deles, um deles foi preso uma vez e este ficou meses na cadeia sem falar uma única palavra sobre os outros, quando foi solto, seis meses depois a pessoa sumiu do mapa, a polícia não conseguiu mais rastrear.

Yoongi voltou correndo, tinha a expressão assustada e os olhos arregalados, era evidente a confusão estampada em seu rosto.

- Eu verifiquei as filmagens três vezes e não tem nada, não mostra nada, apenas a sala, sem ninguém. 

- Acionem o alarme. – Jin e Nam falaram ao mesmo tempo.
                                                                              ---

O carro e a moto foram abandonados próximo a um local onde eles com certeza seriam roubados, os cinco Back saíram de lá com apenas as mochilas de Mark e Lisa, andaram por cerca de uma hora até chegar em casa, entraram na mesma como tinham feito para sair, andaram pela área escura, longe dos postes, por isso as roupas pretas, assim se ocultavam. 

Entraram em casa e rapidamente cada um foi para seus quartos, precisam trocar de roupas e em seguida iriam comemorar o roubo bem sucedido, mais um dia em que os Back conseguiam mudar um pouquinho do mundo. 

Vários minutos depois desceram, Lisa trazia o notebook em mãos e Jungkook um saquinho de veludo, se encontraram na sala, Rafael tinha em mãos uma garrafa de champagne e Karen as taças, uma foi entregue para cada pessoa e em seguida elas foram preenchidas pelo líquido borbulhante. 

- Um brinde a mais uma vitória. – Karen levantou a taça e todos fizeram um brinde. 

Beberam o líquido e em seguida o mais novo da família esticou o saquinho para os pais, este foi pego por Karen que subiu para o escritório e guardou no compartimento secreto de um livro. 

- Vamos conversar. – A matriarca falou descendo as escadas.

Antes que alguém pudesse falar algo Lisa jogou o notebook no chão e quebrou o mesmo, seu IP poderia ser rastreado e aquilo não seria nem um pouco bom. Ela pisou com força em cima dos cacos apenas para garantir que tudo seria despedaçado.

- Recolha tudo depois. – Karen falou séria.

- Nós ficaremos na cidade por mais tempo. – Rafael explicou o assunto. 

- Por que?  -  Jeon perguntou enquanto sentava-se.

- Vou fazer faculdade. – Lisa explicou. – Já fiz a prova e passei.

- Ei, parabéns maninha. – Mark puxou a garota e a abraçou com força.

- Parabéns mesmo. – Jungkook bateu palminhas.

- Parece que alguém poderá ter mais um encontro. – Lisa olhou sapeca para Jungkook.


Notas Finais


Perdão pelos possíveis erros.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...