História O Rumo De Um Fracassado. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Exibições 344
Palavras 2.041
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Ecchi, Fantasia, Harem, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shounen, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Faz tempo que penso em criar essa fic, espero que acompanhem o desenrolar dessa história. :3

Capítulo 1 - O Fracassado.


Fanfic / Fanfiction O Rumo De Um Fracassado. - Capítulo 1 - O Fracassado.

A lâmpada daquele poste produzia uma pequena luz branca que conseguia transpassar a pequena abertura da janela, iluminando minimamente uma  parte daquele quarto escuro, com um filete de luz pousando exatamente sobre as pálpebras do garoto loiro.

Ele se espreguiçou uma ou duas vezes antes de abrir os olhos.-Mais um dia...-Seus pés tocaram o chão causando um pouco de arrepio pelo corpo, afinal, o gélido da madrugada se instalava no solo daquela precária casa.

No trajeto de seu quarto até o banheiro ele pôde notar uma sombra fraca em forma de pessoa que refletia naquela parede devido a pouca iluminação. Paralisou por um momento, afinal, não era a primeira vez que invadiam a sua casa.

-Dormiu bem?-A voz rouca daquele ser entrava pelos ouvidos do loiro como mil kunais fincando em seu peito. Com o corpo extasiado de medo começou a virar a cabeça lentamente, até conseguir ver que a origem da voz se dava a um homem de pelo menos uns dois metros de altura que usava o fluxo de chakra nos pés para manter-se preso ao teto daquele ambiente.

-Por favor... Não me machuque...-O pequeno garoto dava alguns passos para trás, consequentemente batendo de leve as costas contra a parede.

O ser desprendeu-se do teto com uma pequena mortal e pousou suavemente no solo com apoio de sua mão direita, enquanto que com a esquerda já desembainhava uma katana.-Você poupou minha esposa naquela noite? Acho que não.-Ele começava a se aproximar em passos lentos.

"Aquela noite", uma noite que amaldiçou a vida do Uzumaki para sempre onde uma raposa que resídia em seu corpo havia devastado metade da vila.

-Mo-moço, eu não sei do qu...

Ele era interrompido por uma joelhada na boca do estômago, que o fêz urrar de dor e logo depois cair no chão com falta de ar. O garoto tentava enxugar a saliva que escapara para poder explicar pela milésima vez sua inocência, mas aquele homem o agarrava pelo colarinho da camisa.-Você matou ela sem nenhuma piedade.

-EU NÃO FIZ NADA!-Ele juntava todas as suas forças para exclamar aquilo.

Com a palma da mão o homem desencadeava uma corrente de chakra forte o suficiente para afundar o Uzumaki no concreto da parede, que por ser apenas um garoto acabara desmaiando.

-Pague pelo seus pecados.-Ele encostava a ponta da katana na garganta do corpo desmaiado e quando ia colocar força ali, um vórtice de fogo o atingiu em cheio que pelo impacto fez com que fosse arremessado a alguns metros daquela casa, quebrando e transpassando as paredes da mesma parando somente na rua deserta de konoha.

Com o corpo flamejando o homem se debatia no chão e urrava de dor por ter suas entranhas invadidas por chamas.

Um Anbu aparecia ali e apenas sibilava.-Pague você pelo seus pecados.

Com a sua consciência desaparecendo, o homem conseguiu ver pela última vez os olhos daquele ninja mascarado, e pôde admirar em desgosto o vermelho sangue de suas íris.

****

-Acorda!

Naruto sentia seu corpo boiar. "Estou morto?" Lentamente abrira os olhos e fitava o extenso teto daquele ambiente. Parecia estar dentro de um esgoto, com canos grandes por todos os lados e uma goteira que caía exatamente no centro da testa do loiro.

Ele se encontrava perdido em seus devaneios enquanto tentava entender que lugar era aquele, até que se lembrou de uma voz que o mandava acordar. Levantara apenas metade do corpo enquanto a água escorria de sua cabeça até a cintura.-O-o quê?-Um arrepio se alastrou por toda sua espinha quando se deparou com a criatura colossal presa apenas por grades.

-Assustado?-A raposa gigante ria em deboche.

-O que é você?-O Uzumaki dizia enquanto esfregava seus olhos, para ter certeza do que via.

-Sua maldição.-Disse em um tom sereno.

Naruto fazia uma cara de curiosidade, e com o apoio de suas pernas se levantava.

-Eu sou o motivo das pessoas te odiarem, tentarem te matar, de quererem vingança.

-Isso não faz sentido.

-O mundo não faz sentido. Chegue mais perto.

Ele hesitou por um momento, mas escolheu obedecer. Com passos lentos e curtos fora se aproximando até a imensa jaula e faltando apenas alguns centímetros de distância, com a pata, a imensa criatura golpeava uma das grades, ecoando um barulho estrondoso por todo aquele ambiente.

Com o impacto daquele golpe, o garoto teve que se segurar com as duas mãos no solo para não ser arremessado, e mesmo assim fora arrastado alguns metros para trás. Sua cabeça tilintava pelo barulho causado e alguns segundos depois do ato, assustado, ele se afastava cada vez mais da jaula.

-Assim que funciona o mundo em que você vive, você confia nas pessoas, e elas te apunhalam pelas costas.-A raposa dizia, mostrando suas imensas presas.-Mas se você me libertar daqui, tudo pode mudar, VOCÊ vai mandar nas pessoas, e elas terão que te obedecer.

Naruto parou com sua sequência de passos para refletir naquela frase, lembrou do ataque que ele havia sofrido antes de acordar nesse lugar. Olhou para baixo e seus punhos se fecharam.-Não quero que me obedeçam, quero que me reconheçam!

A raposa soltou uma risada maliciosa como se o que acabara de ouvir fosse algo ridículo.

-Uma hora ou outra você vai ver que precisa de mim, ou vai continuar apenas sendo um fracassado.

O garoto pensava no que falar quando sentiu seu corpo estremecer, e em um piscar de olhos se viu em uma maca do lado de uma enfermeira que com cara de nojo, terminava de enfaixar as costelas do mesmo.

-Cadê a raposona?-Ele perguntava desesperado para a mulher.

-Não fale comigo.-Com rispidez ela respondia.

Novamente ele se sentia desolado, e a situação piorou depois de ficar sabendo que suas costelas haviam sido fraturadas. Mas mesmo assim ele apenas pensava naquela conversa de antes, e se perguntava se havia sido apenas um sonho.

Ele havia passado aquela tarde toda em repouso. O sol estava para se pôr, os passarinhos já se ajuntavam em seus ninhos, e os civis saíam de seus respectivos trabalhos. A porta abria e um velho entrava no local.

-Vovô Sandaime.-Ele dizia com um sorriso alegre.

-Naruto...-O Hokage era possuinte de um olhar de pena.-Sinto muito, sei que você não entend..-

-Eu entendo!-Ele interrompia.-É tudo culpa da raposona não é?

Os olhos do velho esbugalhavam.-Como sabe sobre isso?

-Eu conversei com ela.

-Como assim!?

-Ela me disse que por causa dela, todos me odeiam.-Ele dizia de uma forma serena.-Sendo assim, eu não sou uma pessoa ruím né Vovô?

O velho suspirava pesarosamente.-É claro que não... Você é uma ótima pessoa.-Ele se levantava.-Continue descansando.-E se retirava da sala.

-Senhor Hokage, precisamos colocar novas leis em pró do garoto, já é o terceiro ataque que ele recebe esse mês. E punir as pessoas não está sendo mais suficiente.

-Eu sei disso Yamato.

Eles foram caminhando hospital a fora, lado a lado.

-Me perdoe, Minato, as pessoas não o reconhecem como um herói, e sim, como um demônio.-O velho sibílava para si mesmo.

****

TRÊS MESES DEPOIS

-Estão prontos? Sasuke? Naruto?

Iruka perguntava aos dois estudantes que estavam frente a frente, enquanto dezenas de menininhas gritavam histericamente para um deles.

Naruto olhava para uma rosada com um sorriso no rosto, mas esse sorriso desapareceu quando ele ouvira "acaba com esse monstro!" vindo da boca dela. Seus olhos fitaram o chão por um momento, e quando deu por si a fala de Iruka havia se cessado.

-Comecem!

O Uchiha iniciava uma pequena corrida até o loiro que se posicionava. Faltando cerca de um metro de distância entre os dois, Sasuke tentava desferir um chute lateral na altura da cintura, mas não obteve sucesso, pois o outro acabava bloqueando o impacto com uma kunai de madeira.

-Tsc.-O moreno ainda com o pé apoiado na kunai girava o corpo em torno de si com o máximo de força possível, jogando o objeto letal longe que acabara fincando em um tronco de madeira por ali.

Naruto se abaixou e tentou desferir uma rasteira, mas acabara recebendo um soco bem no meio da face. Caíu pelo impacto mas se levantou em um pulo, iniciando uma sequência de tentativas de acertar o oponente de alguma forma. Um soco ia pelo lado direito de Sasuke que conseguia segurar o punho do loiro com sucesso, mas não conseguiu agir contra o pontapé que recebera na canela. Com a dor ele se abaixava por um momento, e em resultado disso, uma joelhada lhe era desferida bem no meio da cara.

Novamente Naruto direcionava seus olhos para Sakura que agora o olhava com nojo.

Ele se sentia vazio por dentro, ainda mais com todos naquela roda torcendo pela sua derrota. Distraído, acabara levando uma sequência de golpes certeiros que o fizeram ser arremessado para trás.

Ele tentava se recompor mas Sasuke era mais rápido, realizou uma mortal em volta do loiro e desferia um chute em suas costelas recém recuperadas. Caído no chão ouvia todas as garotas gritando de euforia. Porém, surpreso, se deparava que seu oponente possuía olhos vermelhos agora. O Uchiha se aproximou e estava pronto para dar o golpe final em seu rival, quando Iruka anuncionou o final da batalha.

 

****

Naruto caminhava nas ruas de konoha com um ar de derrotado. Seus olhos fitavam o chão, a única coisa que ele desejava era um banho frio e sua cama.

-É ele!

Uma mulher exclamava com um tom de desespero, foi então que Naruto se deparou com algumas dezenas de civis em sua frente.

-É ele mesmo! Foi ele que roubou meus vasos.

O loiro não entendia nada.

-Tinha que ser esse monstro, PEGUEM ELE!

Os moradores começaram todos ao mesmo tempo a perseguir Naruto, que passava a correr desesperadamente.

NARUTO POV's

De novo essa mesma história! Sempre! SEMPRE! Comecei a correr o máximo que conseguia, enquanto os moradores praguejavam e desejavam minha morte. De relance consegui ver alguns com bastões e outros com pedaços de madeira, eles realmente querem me matar.

Aproveitei um amontoado de caixas de saquê que estavam no caminho e as derrubei com uma mão, mas mesmo assim eles não paravam de correr atrás de mim. Virei em uma esquina e para minha surpresa me deparei com um muro gigante. Maldito seja os estudantes que não aprendem a subir em paredes.

-Parece que ficou cercado.-Um dos homens dizia, rindo de uma forma maléfica para mim.

-Cuidado, ele pode te matar com apenas um dedo.-Uma mulher falava, lançando um olhar de nojo em minha direção.

Eu não sabia o que fazer, mas a única coisa que eu poderia fazer naquele momento era me desculpar por algo que não fiz, se não, eu provavelmente iria morrer. Rapidamente me deitei no chão e coloquei as mãos atrás da nuca.-Me perdoem se fiz alguma coisa, por favor! Eu nunca quis o mal de ninguém!-Na minha cabeça as palavras pareciam se encaixar, mas acho que por conta do medo, acabei engolindo algumas.-E-eu, quero ser Hokage! E proteger todos voc...

Naquele momento percebi que os humanos são a personificação própria do ódio, não sei qual deles, mas senti o impacto de um bastão se chocando contra minhas mãos, no mesmo momento percebi que elas se quebraram e na hora só conseguia gritar. As lágrimas caíam, e de repente, todos aqueles que viam a cena começavam a me espancar de algum modo, seja por chutes, seja por socos, ou por algum objeto que encontrassem pela frente.

Sinto que meus sentimentos foram se esvaindo junto com o meu sangue que começava a tingir o chão e as paredes, minha humanidade ia se esgotando perante todos ali, eu já não gritava, já nem mesmo sentia meu corpo, apenas conseguia ver a feição de maldade e até mesmo de satisfação das pessoas que ali me viam sofrer.

-Eu te falei.-Pisquei e estava ali novamente, mas dessa vez era o melhor lugar que eu poderia estar.

Não falei nada, apenas comecei a andar em direção à jaula, e ao chegar perto, toda aquela àgua passou a se aglomerar debaixo de mim e me elevou até a àltura do selo. Repousei minha mão no mesmo e o retirei de vez.

Não percebi que lágrimas percorriam todo o meu rosto, mas algo começou a me rodear, era macio e peludo, podia jurar que era uma das caudas daquele ser na minha frente.


Notas Finais


Espero que gostem! >.>


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...