História O Sabor da Paixão - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Freed Justine, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Levy McGarden, Loki, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Sting Eucliffe
Tags Cooking, Food, Lucy, Nalu, Natsu, Romance
Visualizações 386
Palavras 1.849
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Então... que é vivo sempre aparece não é? DESCULPEM O MEU SUMIÇO! Darei algumas explicações nas notas finais.

Boa leitura o/

Capítulo 10 - Capítulo X: Sabor Agridoce: Proposta Indecente


Fanfic / Fanfiction O Sabor da Paixão - Capítulo 10 - Capítulo X: Sabor Agridoce: Proposta Indecente

~I~

Mais uma semana estava se iniciando e Lucy sentia-se renovada, havia passado o domingo inteiro no spa com Juvia e Erza, é claro que foi uma desculpa para fugir de Rogue que havia sido convidado a passar o domingo na companhia da família Heartfilia. – Que belo dia! – disse alongando os braços antes de verificar o estoque de alimentos.

- De bom humor hoje Lucy? – Perguntou Jellal segurando uma caixa com alguns legumes.

- Ótimo humor – disse sorrindo.

- Erza e Juvia também estão radiantes de felicidade – ele depositou a caixa sobre a bancada de mármore.

- Com certeza o dia de spa deu ótimos resultados – ela riu.

- Devo concordar – comentou o rapaz com as bochechas levemente rosadas.

- Ah safadinho! – Exclamou brincando com o amigo – Pelo visto aproveitou bastante com a Erza hein?

Jellal ficou completamente ruborizado, por mais que não fosse visível, ele era um cara bem tímido. Bem diferente de seus amigos. – N-não sei do que está falando – rapidamente o rapaz saiu para terminar seus afazeres deixando Lucy rindo de sua timidez.

{...}

Natsu sentia-se terrivelmente cansado naquela manhã, mal conseguia levantar-se de sua cama, talvez devesse começar a dar ouvidos aos conselhos de Lissana e pegar leve com o trabalho. Com muito esforço ele conseguiu buscar o celular em cima da escrivaninha e avisar seu amigo e sou chefe que não tinha condições de ir ao trabalho hoje, depois de ouvir “melhoras foguinho” Natsu caminhou sonolento à sua cama se escondendo debaixo das cobertas voltando a dormir, talvez acordasse melhor. 

{...}

Gray reuniu a equipe para repassar o cronograma do dia e da semana. – Bom dia pessoal! Então hoje o chefe não virá devido a motivos pessoais, por isso estou no comando, qualquer coisa só falar comigo. Como todos sabem hoje é dia de limpeza e organização do restaurante, ou seja, nada de corpo mole como o nosso querido chefe – disse irônico fazendo os colegas rirem. Ele delegou as tarefas para as equipes e os liberou para serviço.

 - Gray – chamou Lissana se aproximando com uma planilha em mãos.

- Lis – ele sorriu – como vai?

- Atarefada – ela o entregou a planilha – Essa é a relação nutricional do atual cardápio. Já está tudo pronto.

- Ah sim! Obrigado. A propósito teria como você ir cuidar do Natsu? Sabe que quando ele fica doente assim ele vira um inútil por completo.

Lissana suspirou. – Infelizmente dessa vez não poderei salvar o Natsu. Estou participando de um curso que é super concorrido e não poderia me ausentar, ainda mais que foi exigência do próprio Natsu. Mas estou preocupada. – Gray entendia a situação da amiga, principalmente sua preocupação.

- Não se preocupe Lis. Vou achar uma solução! – Ele segurou amigavelmente no ombro esquerdo da amiga e sorriu.

- Bem é o que dizem: vaso ruim não quebra! – A mulher deu uma leve risada. – Qualquer coisa pode me ligar. Beijinho – disse se despedindo.

- Pode deixar – Gray logo voltou para suas atividades e nem ao menos notou certos olhares sobre si. Um pouco afastada Juvia suspirou tentando afastar pensamentos e sentimentos indevidos. Tudo o que menos queria era acabar apaixonada pelo seu superior.

Gray ainda pensava numa maneira de ajudar o amigo quando avistou Lucy que descascava algumas batatas. – Lucy! Você é minha luz no fim do túnel! – Lucy o olhou desconfiada, mas sorriu amigável.

- Em que posso ajudar chefe? – questionou levantando a bacia com muitas batatas descascadas.

- Será que você poderia fazer um grande favor para mim? – Pediu quase implorando.

Lucy despejou as batatas na pia para lavagem e enxugou as mãos. – Sem problema. O que seria?

- Preciso que cuide do – rapidamente ele pensou que se falasse o nome do amigo com certeza a loirinha não o ajudaria, então contaria uma meia verdade... – de um parente meu. Como estou responsável por aqui hoje não posso simplesmente sair. Pode ser?

- Tudo bem. Afinal de contas colegas de trabalho devem se ajudar não é mesmo? – ela sorriu amigavelmente.

- Muito obrigado! Fico te devendo essa – disse agradecido.

- Eu vou me trocar e passo contigo pra pegar o endereço – assim ela saiu deixando um Gray levemente culpado para trás.

~II~

Natsu tremia debaixo do grosso edredom quando ouviu a campainha soar teimosamente. Reunindo todas as suas forças restantes Natsu se arrastou até a sua porta a abrindo e se deparando com uma loira um tanto espantada na sua frente.

- Chefe! – Exclamou surpresa a loira que logo viu a sua frente um Natsu cair no chão desmaiado. – Ai meu Deus! – ela rapidamente o socorreu. – Você está queimando em febre – com dificuldade, devido o peso dele, ela o arrastou até o sofá.

Natsu sentia seu corpo dolorido, parecia mais que havia sido triturado no moedor de carnes. Lentamente ele abriu os olhos e se deparou com Lucy que cuidadosamente lhe enxugava o suor com um pano umedecido. – Ah finalmente acordou. Se sente melhor? – Questionou preocupada. Com certo esforço ele sentou-se.

- Não sei bem...

- Ao menos sua febre baixou – ela se afastou indo até a cozinha de estilo americano. – Fiz uma sopa de pasta de soja, espero que aprecie a culinária coreana – Lucy sorriu amigavelmente. Natsu a observava curioso, aquilo parecia um sonho estranho.

- Lucy Heartfilia é você mesmo? – perguntou com incrédulo.

- Que isso? Não esta vendo que sou o Gray?! Sinceramente – respondeu de forma irônica.

- Por que você veio aqui? – Ele foi até a bancada da cozinha pegando uma jarra de água e despejando o liquido no copo para em seguida bebê-la.

- Estou apenas seguindo ordens – ela colocou o prato de sopa para ele. – Tome isso. Vou preparar um banho com ervas medicinais para você. – sem esperar uma resposta ela saiu de perto dele.

Ele olhou duvidoso para a sopa – Por um acaso você não colocou veneno aqui né?

- Cala a boca e come! – ela gritou de algum cômodo da casa e Natsu apenas riu. Só de não está sozinho já se sentia muito melhor.

~III~

- Não se preocupe, ele já está melhor. Fiz um banho com ervas medicinais para ele – Lucy conversava com Gray no telefone. – Qualquer coisa aviso – finalizou a ligação. – Fui totalmente enganada – suspirou. Lucy observou o apartamento do seu chefe, era moderno e aconchegante, entretanto parecia solitário. – Ah! – exclamou assustada.

- É só um gatinho – disse Natsu com uma toalha enrolada na cintura e outra que ele enxugava os cabelos. Ele se aproximou e pegou o pequeno gato siamês que assustara a loira. – Você deve está com fome né Happy?

- Pelo visto já está bem melhor – ela desviou o olhar, não se renderia a apreciar aquele belo corpo.

- A febre passou e me sinto menos cansado, apesar de ainda sentir dores nas articulações e na garganta – ele colocou ração ao pequeno gato que parecia aliviado em comer sua refeição.

- Fiz um pouco de chá de menta. Tome junto com os medicamentos. Acredito que amanha você já estará bem melhor – ela explicou e logo arrumou suas coisas para ir para casa.

- Já vai?

- Sim. Acho que minha presença não se faz mais necessária.

Ele sorriu e Lucy sentiu seu coração acelerar, naquele momento realmente estava sentindo-se estranha. – “Isso é péssimo” – pensou – S-se piorar é melhor ir ao m-médico – “Droga! Não fique nervosa Lucy!” – ela se repreendia mentalmente.

- Você está bem? – ele se aproximou – Por um acaso não pegou gripe também? – Natsu encostou a face a dela fazendo Lucy ficar extremamente corada.

- E-estou bem – ela se afastou.

- Será? – Natsu sentia seu corpo ferver e não era de febre.

- S-sim – Lucy se afastava até colidir as costas com a porta. O homem a encurralou como uma presa fácil de caça. Ela a todo custo evitava olhar para ele, sabia que não conseguiria se controlar se o fizesse.

- Olhe para mim Lucy – ele pediu com a voz levemente rouca. Lucy sentiu seu corpo tremer. Aquilo estava se tornando uma prova de fogo.

- Melhor não – respondeu com o rosto corado.

- O que te impede? – como uma das mãos ele tocou parcialmente a face dela a seduzindo para olhá-lo. – Que tal fazermos um acordo?

- Hã? – ela, mesmo nervosa, cruzou os braços – Tipo o quê? Uma trégua? – ainda evitando o olhar penetrando do homem ela perguntou desconfiada. Aquela situação estava ficando fora de controle.

- Sim. Que tal sermos amigos de “foda”? – ele sorriu conquistador.

Lucy sentiu-se um tanto ofendida, não sabia exatamente o que pensar sobre aquilo. Aquela era uma proposta totalmente indecente. Como resposta automática sua mão direita ia de encontro à face de Natsu, entretanto o mesmo a parou e a segurou com firmeza. – Ficou maluco?! – Questionou impaciente. Contudo sentia que seu corpo havia gostado, e muito, da proposta. Precisava controlar suas emoções.

- Você me parece tentada com a ideia – ele mantinha aquele sorrisinho esnobe que Lucy odiava.

- O que te faz pensar nisso? – reunindo sua coragem e tentando mascarar seus desejos ela o encarou. Aquilo foi seu grande erro.

Natsu aproximou corpo ao dela. Lucy sentiu o leve perfume cítrico do rosado - Seu corpo está em chamas – ele disse sedutoramente próximo ao ouvido dela a fazendo arrepiar-se.

- I-sso é assédio! – exclamou nervosa. Ela tentava controlar sua respiração e seus batimentos cardíacos, aquilo estava sendo mais difícil do que imaginava.

- Admita que exista uma grande tensão sexual entre nós dois loirinha – Natsu sentia-se tentado a beijá-la, mal podia controlar sua vontade.

- Você deve está delirando só pode – Lucy sentia dificuldade de raciocinar naquele momento, sentia que seu orgulho seria derrotado pelo calor do momento.

- Então diga que não quer que não me quer... – com a voz excitada ele a incitava. Suas mãos quentes acariciavam sutilmente a cintura dela. – Me diga que eu paro...

- E-eu – de repente Lucy sentiu seus pensamentos iluminarem, porque estava hesitando? Se seu corpo queria aquilo, porque não ceder? Não havia motivo para dizer não naquele momento. Então como uma forte descarga elétrica Lucy se entregou nos braços fortes de Natsu o beijando ardentemente imediatamente ela foi correspondida na mesma intensidade.

Natsu segurava com firmeza a cintura da mulher que lhe beijava, lentamente ele a foi conduzindo até tapete felpudo de sua sala de estar. Lucy apenas se deixou ser envolvida por ele. As mãos dele a apalpavam com força e desejo, seu beijo carregava luxuria a deixando inebriada, imersa nas sensações que ele a estava proporcionando. – Lucy você deliciosa... – comentou ele antes de “chupar” os lábios dela. Lucy com uma das mãos desatou a toalha que envolvia a cintura dele.

- O que foi? Parece decepcionada – Natsu disse rindo, ele vestia uma cueca boxer.

- Não por muito tempo – rapidamente ela o imobilizou e tirou a única peça que o cobria. Natsu estava excitado, Lucy o tocou, leves e ritmados movimentos de vai e vem. Ele a puxou para si e ficou sobre ela, sua face estava corada e seu olhar excitado. Natsu se aproximou e Lucy esperou ser beijada, contudo apenas sentiu o peso do rosado cair sobre seu corpo. – Como eu imaginava... Você ainda está doente! – Natsu Dragneel havia desmaiado de febre.

    


Notas Finais


E a proposta foi aceita lol
É uma pena a Lucy ter ficado na vontade kkkk

Então minha gente linda, o motivo do meu longo sumiço foram muitos. Logo depois que postei o último capítulo (lá em fevereiro) um parente meu faleceu e isso acabou me abalando bastante, depois disso veio minha formatura da faculdade, também tipo um pequeno quadro de depressão e depois disso voltei a cursar outra faculdade. Tudo isso me tirou toda e qualquer vontade e inspiração para escrever. Hoje finalmente consegui terminar esse capítulo, particularmente eu gostei dele, espero que também gostem. Mais uma vez espero que me desculpem pelo sumiço.

Espero poder postar o próximo capitulo em breve. Então espero comentários, se é que ainda tem alguém por aqui rs.

bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...