História O Saiyajim e a cientista - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bulma, Personagens Originais, Vegeta, Yamcha
Tags Amor, Dragon Ball, Paixão, Romance, Sexo, Violencia
Exibições 48
Palavras 626
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Voltando para a fic, deixei Vegeta e Bulma se curtirem um pouco, agora vamos dá seguimento!

Capítulo 9 - Que será, será!


Depois do café eu fui dá uma olhada na nave que o Vegeta usa para treinar, a gravidade estava irregular, depois de um tempo, concertei  e tudo ficou normal. Menos eu, agora que Yamcha foi embora daquele jeito, estou vivendo de um jeito monótono, é tão chato! Mas fazer o que? Ele se estressou por eu ajudar o Vegeta, não fazia nada demais! 

Não tinha ânimo para nada, só ficava trabalhando, fazendo robôs para o treino de sua alteza e só. Ninguém sabia, não demonstrava o que sintia na frente de ninguém, mas longe dos olhos das pessoas eu chorava, na calada da noite, quando todos dormiam e ninguém iria me vê me cobria na cama e deixava as lágrimas rolarem, afinal Yamcha é o meu namorado e ele me tratando assim dói, machuca muito.

 

Mais uma noite se foi e vei o amanhã, nem queria levantar da cama, mas tinha que trabalhar e ajudar o meu pai, eu prometi. Mas assim que eu fui para a cozinha tomá café meu papai querido me surpreendeu.

Sr.Brif- filha eu sei que você me ajuda e trabalha na Capsule, faz tudo tão bem, é muito inteligente, linda, maravilhosa, me orgulho muito de você minha menina! Mas ultimamente eu vejo que está só vivendo pro trabalho, ajudando Vegeta, que acho ótimo, porém estas esquecendo de si mesma, não te vejo mais alegre como era e sei que estás começando a mostrar sinais de fadiga de tanto trabalhar então te libero por hoje! Pense um pouco em você!

Bulma- obrigada papai! Mas eu não estou afim de parar de trabalhar é algo que gosto de fazer!

Sr. Brif- está usando o trabalho pra se ocupar não é? 

Bulma- ... Pa...

Sr. Brif- eu sei que é isso! Você quando tem um problema, não consegue enfrentar e prefere fechar os olhos e fingir que nada aconteceu! O que é curioso, com seus amigos e em suas aventuras, você procura uma saída quando tinham problemas, quando é seus amigos você toma a frente e faz de tudo para ajudar, mas quando é você que tá mau por algum motivo, parece que é nada! Como se você fosse a única que não tem dias ruins! Mas tem, Bulma, você é um ser humano como os outros, também tem suas necessidades e se você não se cuida não conseguirá ter forças para ajudar os outros! Por exemplo, no avião tem mascaras de oxigênio, com aviso de colocar primeiro em você para depois colocar em alguém!

Bulma- entendi papai! Obrigada!

Fui para o sofá e me sentei no meio dele e meu pai e minha mãe sentaram um em cada lado.

Sra.Brif- eu sei que sofres pelo abandono de Yamcha! Não gostei nada do comportamento dele!

Sr. Brif- nem eu! A postura dele foi bem decepcionante!

Sra. Brif- o que eu penso em partes, é que é bom vocês darem um tempo longe do outro para se avaliarem e decidir o que querem! Sabe filha, eu notei que o Yamchazinho não age com você como antes! É como se o que ele sentia tivesse evaporado um pouco!

Bulma- eu vi também! Eu as vezes falava em casamento e ele mudava de assunto!

Sr. Brif- talvez vocês não tenham nascido para ficar juntos dessa forma! 

Bulma- vou pensar um pouco em nosso relacionamento! E vê no que dá! Será que vamos terminar?

Sra. Brif- que será, será! Esteja preparada quando essa resposta vier!

Bulma- sim!

Me deitei no colo da minha mãe e senti ela passar a mão em meus cabelos e me abraçar, logo depois senti o meu pai fazer o mesmo e naquele momento, naquele abraço me senti segura e seja lá o que me esperava eles estariam comigo! Sempre! Eu os amo tanto! 

 


Notas Finais


Foi isso! E aí foi bom? Depois tem mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...