História O secretário (Namjin) - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Girls' Generation, TWICE
Personagens Chanyeol, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Sooyoung, Suga, Taeyeon, Tiffany, Tzuyu, V, Yoona
Tags Bangtan Boys, Bts, Exo, Girls' Generation, Hot, Jikook, Namjin, Taegi, Twice, Yaoi
Visualizações 449
Palavras 2.766
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AAAEEE VOLTEI
O capítulo da vez vai ser beeeeeeem curtinho, sorry ae, mas tá bonitinho.
É isso, boa leitura ♥

Capítulo 26 - Epifania


Fanfic / Fanfiction O secretário (Namjin) - Capítulo 26 - Epifania

Jin o compreende totalmente agora.

Quero dizer, antes, ele era um completo enigma, uma série de personagens diferentes que possuíam características próprias e distintas. Mas, agora? Agora, Jin entende completamente o Keanu Reeves. Jin nunca conseguiu compreender direito porque ele tinha que dizer "Whoa" em praticamente todos os seus filmes. Tipo: aconteceu algo de tão incrível assim, foi, Keanu? Porém, para descrever a noite de ontem, tudo em que Jin consegue pensar é...
 

WHOA.
 

Ele acabou de perder sua virgindade para Kim Namjoon. E foi a experiência mais maravilhosa e encantadora de toda a sua vida. Namjoon o tratou como se ele fosse feito de cristal, algo precioso que precisava ser adorado e reverenciado – como se dar a Jin a melhor sensação era sua única preocupação no mundo. O modo como Namjoon acariciou cada centímetro da pele de Jin, o modo como ele falou o nome do moreno debaixo do seu ouvido foi reverente, perfeito.

O jeito que Suga e Jimin descreviam o ato sexual para Jin sempre soava como algo egoísta, era um alguém usando o seu corpo para servir às suas próprias necessidades. Jin estava ansioso para isso, imaginando que não poderia ser uma experiência tão ruim, já que seria com Namjoon, o homem que ele ama. Namjoon derrubou essa teoria facilmente. Sexo com Namjoon é como uma droga. Uma experiência viciosa, que muda sua visão, seu pensamento, e à medida que Jin pensa e reflete sobre isso, nem acredita que realmente (ou talvez, finalmente) aconteceu, ele perdeu a virgindade com Kim Namjoon.

Namjoon ainda está dormindo, com um de seus braços dobrado na direção da sua cabeça para que Jin possa usar como travesseiro. Jin se afastou um pouquinho dele enquanto dormia e a despeito do emaranhado suado e ofegante que são os corpos deles, o moreno agora pode sentir o peito de Namjoon pressionado contra as suas costas cada vez que ele puxa o ar para os pulmões.

Apesar de ainda não conseguir enxergar nada dentro do quarto porque as cortinas estão fechadas, Jin sabe que ainda é bem cedo, muito antes de precisarem se levantar para o trabalho.

Seokjin acordou agora apenas porque Namjoon estava gemendo e murmurando enquanto dormia. Primeiro, o moreno pensou que ele estivesse tendo algum tipo de pesadelo, e Jin teve toda a intenção de acordá-lo, por que jamais seria capaz de ouvir seu dongsaeng sofrer sem tomar alguma atitude. Mas, em seguida, Namjoon começou a balançar seus quadris enquanto dormia, e embora sua virilha não estivesse tocando diretamente o corpo do moreno, esse sentiu a extremidade da ereção do outro o dando um olá-bom-dia pelas costas. Determinado, colocou a mão e apertou levemente até deixá-lo acomodado entre a sua palma. Os gemidos do loiro aumentam enquanto Jin move sua mão para baixo e para cima.

— Hyung. – a voz de Namjoon é um murmúrio estrangulado de aflição, embora ele ainda permanecendo de olhos fechados, e, provavelmente, adormecido. 

O braço sobre o qual Jin estava apoiando sua cabeça flexiona instintivamente enquanto Jin esfrega sua mão contra o membro dele, e este braço abruptamente se desdobra para envolver os ombros de Seokjin. O moreno é puxado para frente, ao encontro do corpo de Namjoon enquanto continua movendo sua mão, já podendo ouvir a respiração do loiro falhar assim que desperta e percebe o que está acontecendo. Rapidamente, o moreno cessa seus movimentos, ainda não se sentindo confiante o suficiente quando se trata de sexo, a ponto de ser pego no flagra todo-todo pra cima de Namjoon como se ele fosse uma lâmpada mágica com um gênio dentro.

Já que o loiro não diz nada, Jin, ainda duvidoso, volta a acariciar intimamente seu dongsaeng. E, claro, nada fará Namjoon afastar a mão do moreno.

O loiro estremece e geme como, bem, como um desavergonhado em chamas. Porra, ele está em chamas. Sem aviso prévio, ele sente os lábios do moreno nos seus, mas Jin não para com seus movimentos e então os músculos do loiro já se contraem com a crescente tensão. Quando Jin acaba com o longo selinho, Namjoon puxa o ar em lufadas pesadas e trancadas enquanto Jin trabalha sua mão no membro do outro, igualando seus gemidos e grunhidos aos do loiro. Jin sente que ele prepara seu corpo para o orgasmo de forma impaciente, e resolve que precisa de aumentar seus movimentos. Então, com uma virada ágil de seu pulso, Jin aumenta o movimento de sua mão, e Namjoon grita alto enquanto morde seu próprio lábio, sentindo cada vibração de um orgasmo ofertado por Kim Seokjin, o próprio, em pessoa. Mal consegue abrandar as sensações do seu gozo quando sente Jin pressionando seu rosto no cabelo loiro, enquanto o outro braço do mais novo se fecha num aperto firme ao redor da cintura do outro.

— Segure-se na cabeceira da cama, hyung. Com as duas mãos.

Jin só quer dizer: Obrigado, Senhor!

Buda, Superman, Academia do Oscar, Gênio da Lâmpada, Kira, Madonna!

O moreno sobe as duas mãos, agarrando com força as barras de metal que compunham a cabeceira da cama luxuosa de Namjoon. 

— Muito bem, Jin hyung. – Namjoon ronrona sua aprovação para Jin. Seu rosto se aproxima do pescoço de Seokjin para que possa grudar a boca aberta na base da nuca dele, e Jin sente seu hálito quente perto do seu ouvido enquanto fala num sussurro rouco – Você pertence a mim.

Jin geme alto, concordando mesmo sem usar palavras, para não deixar dúvidas. Logo, os dedos quentes do mais novo encontram o membro duro de Jin, lhe fazendo gemer ainda mais alto. A mão começa com movimentos lentos que logo se tornam rápidos.

Os espasmos do moreno denunciam que o orgasmo está próximo. O loiro ri baixinho, achando lindo a forma melodiosa que seu nome sai da boca de seu hyung.

O quarto está quente, os dois mal conseguem respirar. Namjoon geme por sentir seu membro ficar duro mais uma vez e Jin geme em puro deleite da mão do loiro lhe tocando. A cada movimento o moreno ameaça gozar, mas Namjoon não deixa e retira a mão.

— Me deixe gozar, por favor. — o moreno implora baixo. Isso é uma tortura, precisa se aliviar, precisa do outro. Sussurra outro “por favor, Namjoon”, mas é ignorado.

O loiro lambe os lábios, por ele passaria o dia inteiro transando com seu hyung, mas ambos precisam trabalhar. Então, ele só quer foder com o moreno o quanto puder, o mais rápido possível. E eles não tem muito tempo.

O mais novo leva um dedo até a boca e o chupa, logo levando na entrada do moreno. Coloca o dedo lentamente, fazendo o moreno choramingar baixo e manhoso. Jin quer mais, quer o mais novo em si, quer senti-lo.

Os gemidos do moreno são tão provocantes que Namjoon pode gozar apenas com isso. Suspira baixo e retira o dedo de dentro do mais velho.

Em seguida, segurando as coxas afastadas uma da outra de Jin, Namjoon se enterra nele, preenchendo-o até o limite máximo com apenas uma única entrada, deixando escapar um resfôlego no pescoço do moreno. Seokjin mal teve tempo de apreciar a perfeição que é Namjoon se encaixando da forma mais exata em si até que o sente os movimentando sobre a cama. Ele usa o braço em volta da cintura do moreno para manipular o corpo dele e o invadir com seu membro, martelando sua pélvis num ritmo de ida e vinda de igual compasso, como se suas ações não fossem suficientes para a rapidez que deseja, ou como se ainda não fosse forte o bastante, profundo o bastante. É fácil perceber que na noite passada ele não havia utilizado nem metade da potência que aplica em suas investidas agora.

O moreno arfa e começa a chocar seus quadris em resposta, sem esperar por instruções de Namjoon, usando sua mão grudada em torno da cabeceira da cama como apoio.

— Você é só meu... – Namjoon diz numa voz possessiva. Cada palavra que Namjoon fala parece multiplicar o tesão do moreno. Jin já está no limite do limite, mas quando Namjoon inesperadamente morde a sua nuca, fazendo-o sentir seus dentes cravados na sua pele, o moreno se joga do precipício.

Se sente gozar, enquanto Namjoon rosna seu nome em alívio, se contorcendo logo em seguida para despejar seu liquido quente dentro de Jin, tendo segurado seu orgasmo até que Jin tivesse o seu primeiro. Depois de alguns instantes, Namjoon gentilmente se retira de dentro do corpo do moreno, fazendo o mesmo som de protesto que havia feito ontem à noite. Jin não pode culpá-lo por isso, realmente adora senti-lo o preenchendo tanto quanto ele. Embora, Seokjin ache que agora entende o significado de ser esfolado até o osso. Acabou de ser totalmente deflorado, e permanece ansioso por novas oportunidades destas mesmas ocorrências num futuro muito próximo. Ele pode sentir Namjoon ainda tocando as suas costas com seu corpo enquanto desce das alturas do seu orgasmo, respirando entrecortado, soprando lufadas quentes sobre o pescoço e ombros do moreno. Seokjin continua imóvel no mesmo ponto, na mesma posição, com os dedos trincados em torno da cabeceira da cama enquanto puxa o oxigênio com dificuldade. Whoa. Seokjin pensou que a primeira vez tinha sido especial, mas esse momento, de agora, havia sido puro desejo. Foi puramente Namjoon o querendo com tanto ímpeto a ponto de estar praticamente ofegando enquanto o possuía. Jin já sente algumas pontadas incômodas na nuca e está certo de que havia sido marcado pelos dentes dele, sendo que jamais ficou tão feliz por ter um hematoma assim antes. Jin terá que retribuir o favor.

Aparentemente, Namjoon não está tão contente assim com essa experiência como Jin, porque quando o moreno desprende seus dedos das barras de ferro da cabeceira, gemendo por ter ficado segurando com tanta força, Namjoon subitamente se ergue sobre a cama, ficando de joelhos, com metade do corpo sobre o de Jin, o encarando. Jin rola sobre o colchão, ficando deitado de costas para poder estar de frente para Namjoon, e geme novamente sentindo todo o seu corpo dolorido, principalmente num lugar em especial, uma reação totalmente involuntária que ele provavelmente deveria ter tentado manter sob controle. Ele nunca tinha visto Namjoon titubear para falar, mas é isso que ele faz agora, enquanto segura as mãos do moreno nas suas e afaga com carinho. Seus olhos vagam a pele nua do moreno, e não em apreciação, mas como se estivesse vasculhando por algum vestígio físico de uma possível lesão. Isso deixa o moreno meio puto da cara. Quero dizer, alô-ou, ele tem o abdômen bem trabalhado de tanto malhar com o Jimin e essa porra, sim, é tortura. Namjoon podia tirar pelo menos um segundinho que fosse pra o secar, né?

— Eu sinto muito, é só que eu estava, hm, estava tendo sonhos com você, e você estava realmente aqui quando eu acordei, e nem raciocinei. Você está machucado? Eu nem me certifiquei de que estava pronto. – o moreno tenta abrir a boca para dizer que está bem, mas Namjoon já começa a interromper em questão de segundos. – Te machuquei demais? – Namjoon abaixa os olhos, focando-se no seu próprio corpo. – Eu não sou exatamente construído para inocência. Sei que machuca. Por favor, me diga se foi demais.

Ele está ruborizado de constrangimento, entristecido com a ideia de ter causado algum tipo de dor ao moreno. Embora Jin queira confortá-lo, ele decidi brincar com a situação.

— Você é incontrolável, Namjoon. – Seokjin fala para ele, guiando os olhos do loiro para os seus, ao erguer o queixo dele com firmeza. Ele parece um pouco aflito, porém tentando entender, ao ouvir o tom de voz comedido do moreno. – Se isso acontecer de novo, acho que não vou te querer mais.

— O que?! – Namjoon suspira, agarrando firme os ombros de seu hyung com as suas mãos enquanto o encara com olhos arregalados. – É sério, hyung?

As mãos de Namjoon libertam os ombros do moreno quando ele percebe que já está apertando demais. Ele cerra seus dedos, em punhos rígidos, que apertam seus próprios quadris, obviamente resistindo à necessidade urgente de apenas agarrar o mais velho e o abraçar como havia feito ontem à noite, para o manter ali com ele. Ah, Namjoon realmente o ama.

Seokjin tenta encarar-lhe num tom sério, apesar de que Namjoon estragou toda a brincadeira ao levar as palavras do moreno tão a sério. Essa situação lembra a Jin do elevador há algumas semanas atrás quando havia parado de o beijar do nada. Antes que Jin pudesse explicar que parou o beijo apenas por querer tomar o comando da situação, Namjoon ficou com uma cara de quem estava tendo suas tripas arrancadas de dentro para fora com um descascador de batatas. Jin pensou que tinha imaginado tudo isso até então, mas fica claro pelo modo como os olhos de Namjoon parecem estar á beira de lágrimas agora que não é exagero pensar assim.

Porém, não faz sentido. De acordo com as conversas de Jin com Taehyung e Jungkook, Namjoon havia crescido em um lugar estável, com amor. Ele não tem motivo para se tornar apegado demais a alguém que mal conhece, ou nutrir algum tipo de trauma de abandono. Jin sabe de fato que nenhuma pessoa com quem ele namorou jamais o deixou, além de sua última namorada, e isso apenas aconteceu porque ele ficava gritando o nome de outra pessoa (o de Jin!) enquanto dormia.

E, então, a ficha cai.

Como um raio na cabeça de Jin. Uma puta de uma epifania.

— Jin hyung? – Namjoon diz, depois de um minuto, o tempo em que Seokjin ficou congelado, em estado catatônico – Você... não vai me deixar, não é?

Kim Namjoon me ama também. E esse é o pensamento de Jin.

Que Namjoon pode não saber disso, ele pode pensar que Jin é apenas mais uma de suas aventuras sexuais infindáveis, mas o loiro está tão ligado a Jin que não pode sequer lidar com o fato desse pedir uma interrupção depois de alguns beijos, e muito menos com uma despedida do moreno depois da noite que tiveram ontem. Jin quer sair gritando “gooooooool” e, embora isso não esteja exatamente dentro do contexto, ele não consegue pensar em um jeito melhor para celebrar sua descoberta. Ao invés disso, deixa sua feição séria se iluminar num sorriso descarado e explica para Namjoon:

— Eu só estava brincando. – o rosto de Namjoon registra uma expressão de surpresa e alívio – Não exatamente construído para inocência? Eu também não sou.

Namjoon parece precisar de um minuto para processar as palavras do moreno e entender que ele estava realmente brincando consigo, e em seguida, inesperadamente se agarra em Jin, abraçando-o fortemente para o beijar com fervor, cobrindo cada centímetro da face do moreno com seus lábios. Jin não fazia ideia de como beijos carinhosos em seu rosto podiam ser tão fervorosos, mas Namjoon da conta do recado. O loiro está deixando claro que está absurdamente aliviado de Jin não estar o abandonando, e que está furioso por seu hyung ter brincado com isso, pra começo de conversa.

— Não brinque com isso... – a língua do loiro invade os lábios do moreno, Namjoon lambe a boca do outro, os dentes, subindo, descendo, sugando a língua do mais velho até que esse reage, massageando a boca dele com a sua. – Prometa! – ele rosna, tão rudemente, que 90% disso excita o moreno e os outros 10% o deixam arrepiado de medo.

— Eu... – a língua de Namjoon aparentemente não está interessada numa resposta tanto quanto o resto do corpo dele, porque o moreno é novamente invadido por ela, que segue devastando a sua boca, em movimentos precisos de entrada e saída.

O moreno solta um gemido urgente, o que parece trazer de volta os sentidos de Namjoon. Ele se afasta e esconde sua cabeça na curva do pescoço de seu hyung enquanto esse respira pesadamente. Depois de alguns instantes, ele fala.

— Sinto muito. Eu exagerei, no modo como reagi. Normalmente, não sou tão... – ele hesita, procurando pela palavra correta para descrever a si próprio.

Apaixonado?

— Possessivo. Vou tentar parar. – a voz dele é relutante, como se pensasse que não será capaz de parar. E, honestamente? Jin não quer que ele pare.

Seokjin assente, ganhando uma erguida de cabeça do outro combinada com o início de um sorriso torto.

— Namjoon! – o moreno chama-o esperando enquanto ele ainda o encara com aquele mesmo sorriso torto. Os olhos do loiro dançam livremente por todo corpo do moreno, secando-o de cima a baixo. − Eu adorei cada segundo de tudo isso. – ele promete para Namjoon, sendo retribuído por um sorriso alegre e grato dele.

Namjoon está totalmente caidinho por Jin.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...