História O Segredo. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Banda Fly (Fly Br)
Personagens Caíque Gama, Nathan Barone, Paulo Castagnoli, Personagens Originais
Tags Bandafly, Caiquegama, Nathanbarone, Paulocastagnoli
Exibições 37
Palavras 1.627
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii amooooreeesss.
Espero que gostem da fanfic, darei o meu melhor.

Capítulo 2 - Brasil, aí vamos nós.


Fanfic / Fanfiction O Segredo. - Capítulo 2 - Brasil, aí vamos nós.

              Pov's Lua.

     - meninas - eu, Jade e Íris estavamos no meu quarto, quando escutamos nossa tia nos chamar.

     - pode falar tia - chegamos na sala e eu falei.

     - eu preciso ter uma conversa muito séria com vocês, algo que vai mudar tudo - ela disse séria, e ok, eu estou preocupada.

    - credo tia, assim a senhora deixa a gente preocupada - Jade falou.

    - ele está atrás de voces- droga - voces terão que se mudar.

     - mas pra onde? - Íris perguntou com a voz chorosa, ela e sempre assim, medrosa - em qualquer lugar ele nos achará.

    - em qualquer lugar, menos no Brasil - minha tia so pode estar louca.

    - a senhora quer dizer que vamos nos mudar pro Brasil? - perguntei desacreditada.

    - isso mesmo.

   - isso seria mais perigoso ainda, ficaria mais fácil de descobrirem nosso segredo, e aí ó - fiz um gesto com as mãos, em forma de explosão - tudo acabou.

    - voces estaram mais seguras, é so guardarem bem esse segredo, ninguem irá descobrir - ela falou, isso so pode ser brincadeira.

    - nao conhecemos ninguem la, como vamos viver? - Jade perguntou tambem preocupada.

    - esqueceram que eu tenho uma herança muito grande la no Brasil? - os avós da minha tia eram brasileiros, e muito ricos, morreram e deixaram a herança pra ela.

    - a senhora vai com a gente ne? - Íris perguntou.

  - eu nao posso querida, tenho que ficar aqui - ela abaixou a cabeça.

    - quando nos mudamos? - perguntei ja confiante e sabendo que ela nao mudaria de ideia.
   
    - amanhã de manhã, voces sabem que nao pode ser a noite.

    - amanhã? - Jade se assustou - nao vai dar tempo nem de arrumar as malas, ja esta bem tarde, ja sao 1:30 da madrugada.

    - voces nao vão levar mala - isso ta ficando cada vez mais estranho, viajar sem malas, ela so pode estar doida.

   - oque? Como assim tia? - Íris gritou, e se fosse eu, faria o mesmo.

   - eu ja providenciei tudo pra voces, ja tem tudo la, voces nao precisam de nada, ate apartamento voces tem.

  - nossa, a senhora é rapida pra sua idade em - Jade brincou.

  - esta me chamando de velha? - minha tia riu.

  - velha nao tia, idosa - eu disse e todos riram.

   - agora parando de brincadeira,  arrumem em uma só mala, apenas o que vão querer levar, algo importante - ela disse séria.

      Assentimos e fomos cada uma para o seu quarto.

      Depois de tudo o que minha tia disse, eu ainda estou tentando entender tudo, parece que é apenas um sonho ruim. Vamos nos mudar, para um lugar totalmente desconhecido e pra nós, perigoso.
     
      Eu sempre tive a curiosidade de conhecer o Brasil, mas, agora que chegou o momento, eu nao sei se estou preparada, eu posso ate estar exagerando, mas, la e um lugar muito diferente de Nova York, com costumes diferentes, roupas, clima, tudo. Nao sei se vou me acostumar.

      Eu sei que estamos indo pra la por uma boa causa, para a nossa segurança, mas eu queria que a tia Carol fosse com a gente, eu me sinto mais segura perto dela.

       Ela disse, peguem apenas algo importante para levarem, entao, eu vou levar um livro que meus pais deixaram junto á mim, no dia que me abandonaram e me deram para minha tia. É um livro muito importante, e ela disse que eu só posso abrir ele quando me sentir segura e preparada, eu sempre tive curiosidade, mas sei que tudo tem seu tempo, e eu ainda nao estou pronta para abri-lo.

       Ela disse que o dia que eu abrir esse livro, tudo irá mudar na minha vida, tudo mesmo, e esse é o motivo de eu nao estar preparada ainda, eu nao gosto de mudanças, principalmente se ela for tao grande assim.

     O guardei na mala e fui para o quarto da Jade.

    - eaí, ja pegou o que você vai levar? - abri a porta, e assustei ela.

    - cara, eu to com vontade de te matar agora -ela disse com a mão no peito.

    - é impossivel meu amor - eu ri.

    - ja meninas? - Íris entrou no quarto.

    - sim e nao, eu ainda nao estou preparada, nunca saímos de Nova York - eu falei.

   - eu estou prontíssima - Jade falou confiante, ela nunca tem medo de nada.

    - eu estou com medo - Íris disse e eu pensei " e quando que ela nao esta com medo? "

          (...)

    - adeus minhas meninas - estávamos no aeroporto, e eu estava nervosa agora, so pelo fato de que vamos andar de avião, eu nunca viajei de avião.

    - eu vou sentir saudades da senhora - falei chorando e abracei minha tia.

    - eu ja estou com saudades, nao vivo sem a senhora - Íris tambem estava chorando, e abraçou tia Carol assim que eu saí do abraço.

     - espero voltar logo - Jade falou, ela nao estava chorando, mas estava triste.

     Ouvimos chamar nosso vôo pela segunda vez.

    - eu sei que la, voces estaram seguras - nos abraçou - foi a melhor escolha que eu fiz, eu sei que foi.

    Fomos andando ate a sala de embarque, nossos assentos eram um do lado do outro.

    - Brasil, aí vamos nós - falei e quando o avião decolou, deitei minha cabeça no ombro da Jade e adormeci.

     Acordei com alguem me cutucando, abri os olhos, e era Jade.

    - o que foi? - perguntei com a voz de sono.

    - chegamos, estamos em São Paulo - ela disse, espera, São Paulo?

   - São Paulo? - perguntei quando levantei.

   - nossa tia comprou passagens para São Paulo - falou calma.

   - mas, estamos no Brasil ne? - eu estava confusa.

   - sim Lua, estamos no Brasil, agora vamos - Íris falou sem paciência.

     Saímos do avião, e fomos procurar um lugar onde pudessemos pegar um taxi, pra levar a gente até o endereço que a tia Carol nos deu.

     Chegamos ate o apartamento, entramos, e tinha três quartos bem arrumados, cada um do jeitinho que cada uma gosta, tinha muitas roupas no closet, estava tudo perfeito.

     - nossa, que perfeito - Íris falou admirada.

    - eu sabia, nossa tia fez tudo isso por nós, ela é a melhor - falei sorrindo.

      - eu prefiro Nova York - Jade falou ,muito simpática essa menina, é incrivel.

     Fui explorar um pouco meu quarto, era simplesmente lindo, tudo em seu lugar, do jeitinho que eu gosto.

     - amiga, eu soube que tem um parque muito lindo aqui, vou la explorar um pouco ta? - Íris entrou no meu quarto.

    - ok, pode ir - ela se despediu e saiu.

    - eu vou no shopping, beijos, ja volto - Jade entrou no quarto minutos depois, e saiu sem me deixar ao menos dizer tchau.

    Ótimo, fiquei sozinha, e nao estou nem um pouco afim de sair.
   
     As meninas estao demorando demais, eu estou sem fazer nada, eu poderia fazer algo pra comer,  mas nao sei cozinhar, ja sei, vou fazer uma visitinha pro meu vizinho, eu sei, eu nao devia fazer isso, mas eu nao posso morrer de fome, vou tentar ficar o máximo possivel dele, apenas conversar.

    Bati na porta da frente, e depois de uns minutos, um garoto lindo, de olhos azuis meio verdes, cheio de tatuagens e com a pele branca toda musculosa, abriu a porta.

   - oi - sorri.

   - você deve ser a minha nova vizinha - ele tambem sorriu.

   - sim, eu vim apenas pra perguntar onde posso encontrar um lugar bom para comer, um restaurante talvez, eu me mudei a pouco, e nao sei de nada por aqui - falei de uma vez.

    - quer entrar? Eu acabei de fazer um lanche pra mim, meus amigos saíram, eu to sozinho, entra - deu espaço, e eu fiquei com um pouco de receio, mas entrei.

   - eu nao queria atrapalhar.

   - voce apareceu na hora certa, eu nao queria comer sozinho - ele ia em direçao á cozinha, fui atrás dele.

   - esta um cheiro bom - disse assim que senti o cheiro de uma comida deliciosa.

     Pegamos o lanche que ele fez, e levamos ate a sala, colocamos na mesinha de centro, ele ligou a televisao e nos sentamos.

   - obrigada por me convidar - disse assim que me sentei.

   - que isso, pode vir me visitar sempre gata - ele piscou.

   - vamos comer? - fui pegar meu suco, e ele foi ao mesmo tempo, nossas maos ficaram muito próximas, e eu vi, ele se assustou.

   - as suas mãos....elas sao.. muito frias - me olhou.

  - eu...eu devo estar com frio - tomei rapidamente meu suco.

  Comemos nosso lanche, ele se levantou, e foi ate a cozinha.

   - ai caralho - ouvi ele falar alto.

  - o que foi? - me levantei rapido.

- nao foi nada, foi só...-  fui ate a cozinha, cheguei la e seu dedo estava cortado, e pingando sangue, droga.

   

     " E foi exatamente no dia em que eu te conheci, que eu passei a acreditar em amor a primeira vista"
  


Notas Finais


Genteeeee.
Espero que tenham gostado, favoritem porque ainda vem muita coisa por aí.
Comentem o que acharam, e importante pra mim.
Amo voceeess.
Ate o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...