História O Segredo Daquela Noite. (Xiumin) - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Visualizações 255
Palavras 2.133
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpa postar agora, estava inspirada para escrever <3
Boa leitura...

Capítulo 18 - 18


Fanfic / Fanfiction O Segredo Daquela Noite. (Xiumin) - Capítulo 18 - 18

 

Hoje completa um mês que Minseok me pediu em namoro. Nosso relacionamento está muito bom e para falar a verdade acho isso bem estranho. Eunha nunca mais ligou e me senti bem melhor quando Mindy disse que a ela e a amiga não conversavam mais. Não que me acho a melhor pessoa ao sentir isso mas não posso negar que mesmo sem conhecer Eunha, eu nunca quero a conhecer. 

Sohyun e Chanyeol estão juntos também. O alto pediu minha amiga em namoro duas semanas depois de Xiumin. Foi realmente engraçado ver sua reação ao perceber que Hyun demorou um pouco para aceitar, provavelmente pensava se esse relacionamento valeria a pena realmente. Mas brincadeiras a parte, acho que um faz bem para o outro. Primeiro porque Hyun é bem séria e já Channie é descontraído, eles se completam... Se completam tanto que em algumas noites eu e Nayoung  batemos na porta do quarto deles para informar sobre o barulho. Depois Chanyeol reclama de Xiumin.

Baekhyun e Nayoung estão bem também, quer dizer quando não estão competindo algo. Nunca pensei que diria isso mas me arrependo completamente por ter apresentados esses dois. Tudo para eles vira algo para competir, quem chega mais rápido na cozinha, ou quem faz o melhor omelete, quem é o meu melhor amigo(a). Fico triste por Sohyun passar muito tempo com Chanyeol e eu ficar aqui aturando esses dois imaturos.

- Já chega vocês, já disse que amo os dois do mesmo jeito. Digo após comer mais um pedaço de bolo de Na. 

- Você tem que admitir que sua vida melhorou muito depois que eu entrei nela. Disse Baekhyun sentando em minha frente enquanto a Young lavava os pratos. 

- Cala a boca Baek. Gritou a mesma da cozinha. 

- Você consegue ser irritante quando quer. Reclamei de boca cheia e ele fez uma cara de nojo. 

- Não sei como Xiumin fica com você. Disse ele ao desaprovar meu ato anterior. 

- Assim como Nayoung te aguenta. Mostrei língua. 

- Não fala assim com ele. Minha amiga se aproximou e sentou no colo dele, logo selou os lábios. 

- Estava mandando ele calar a boca segundos atrás e agora está o defendendo? Pergunto e reviro meus olhos. 

- Parece que ela me ama mais que você. Baek sorriu vitorioso.

- Nem pense, isso não vai virar uma competição. Me levantei da mesa e fui para o quarto pegar minha bolsa e voltei para a sala. - Ande logo Baek, antes que Min  mude de ideia sobre dar carona para você. 

Rapidamente meu amigo se levanta e pega as suas coisas no quarto de Nayoung, se despede dela e me espera na porta. Após terminar de digitar que estava descendo para meu namorado eu me despeço de Young e acompanho Baek até a portaria do prédio. 

Lá estava ele encostado no carro com uma cara brava, meu "namorado". Ultimamente tenho dito isso muitas vezes. Gosto de idealizar para todos que estamos juntos, quer dizer quase todos já que decidimos manter em segredo na faculdade. 

- Desculpa demorar. Selo nossos lábios e ele abre a porta para entrar. Quando ele fecha consigo vê-lo cumprimentar Baekhyun mas não consigo entender o que disse. 

Percebi que quando estamos no carro com Baek, Xiumin não fala muito. Claro que não é porque tem vergonha do meu amigo e sim raiva. Ele tem raiva porque poderíamos estar a sós e não com um cara nos observando no banco traseiro. 

Ligo o rádio como faço sempre, todas as minhas ações são rotineiras. Entrar no carro de Xiumin quase todas as manhãs, dar carona para Byun quando ele dorme em casa, ligar o rádio para descontraír. 

Espera. 

Hoje não é um dia comum. 

Hoje realmente não é um dia comum. 

Ele não vai dizer nada? 

Nosso primeiro mês juntos e ele já vai começar a esquecer as datas comemorativas? 

Fico chateada ao pensar nessa possibilidade. Encosto minha cabeça no vidro e começo a me sentir triste. Mas é claro que não quero que ele perceba. Então troco a estação do rádio já que tocava uma música triste. Estava me preparando para cantar quando Baek me desconcentrou. 

- Preciso perguntar algo a vocês.

- Diga. Minseok disse bravo por ter que escutar a voz de Byun. 

Encaro meu amigo que olha para Xiumin tentando segurar o riso. 

- Quando vão contar para Nayoung e Sohyun sobre o lance de vocês na faculdade? 

- Baek agora não... Digo o fuzilando com olhar. 

- Desculpa Soon, mas não gosto de mentir para Na quando ela me pergunta do professor chato. Sinto os olhos de Xiumin se arregalarem, ele tanta disfarçar seu incomodo fingindo estar totalmente concentrado no trânsito. 

- Eu vou contar, vou contar ainda hoje. Prometo que de hoje não passa. 

- Acho isso uma boa decisão. Diz Minseok ao me encarar, quando percebi estávamos na esquina da faculdade, onde ele todo dia me deixa. 

- Eu vou indo na frente. Diz Baek abrindo a porta. - Obrigada pela carona Xiumin. 

- Professor Kim. Minseok diz olhando para ele da janela. 

Baekhyun revira os olhos, faz um sinal de beleza e some de vista. 

- Não precisa agir assim com ele. Disse ao encontrar seus olhos. 

- Gosto de brincar com o garoto. 

- Gostaria que agisse normalmente com ele. Pedi sem esperanças de uma resposta boa. 

- Ele me chamou de professor chato e você não disse nada. Seu semblante ficou sério e eu me senti mal por isso, droga Minseok você me pegou nessa. 

- Desculpa. Pedi ao entrelaçar meus dedos aos seus. 

- Vai para minha casa hoje? Pergunta mesmo sabendo da resposta. 

- Terça. Reviro os olhos. - Sabe que toda terça estou em sua casa. 

- Foi mal, mania. Ele disse e puxou meu braço, colocou a mão no bolso e tirou uma pulseira dourada com vários corações pendurados.

- Feliz um mês. Sinto sua mão puxar minha  nuca e rapidamente retribuo o ato e o beijo. 

Nunca entenderei como um simples toque de Xiumin em meu corpo pode me causar tantas sensações viciantes. Quando ele toca minha nuca com os seus dedos gelados sinto um arrepio percorrer meus braços. Quando ele coloca uma mecha de meu cabelo atrás da minha orelha sinto um sorriso brotar involuntariamente. São sensações que nunca senti com ninguém, apesar dos meus poucos relacionamentos. 

- Pensei que tinha esquecido. Sorrio ao finalizar o beijo. 

- Queria te dizer a sós. Ele abriu seus olhos e encarou, coloquei minhas mãos em suas bochechas. 

Descobri a uma semana por Chanyeol que Minseok odiava quando qualquer garota tocava seu rosto, mas ele parece não se importar quando a garota no caso sou eu. Gosto de saber que provoco reações diferentes nele. 

- Feliz um mês oppa, eu te amo. 

- Eu te amo jagiya. Sinto suas mãos puxarem minha nuca novamente para mais um beijos repleto de sensações que jamais na vida sentirei com outra pessoa. 

É ele. 

Sempre foi ele. 

Sei que sinto isso pois são as mãos dele, é o corpo dele. 

Fico mais um tempo no carro, quando percebo que estamos atrasados. Me despedir dele é a parte mais difícil da minha manhã. Então tento entender que para cada despedida, terá um novo oi. 

 

 

- Pensei que tinha morrido. Disse Baek quando sentei em sua frente. 

- Credo, vira essa boca pra lá. Bati em seu ombro. 

Desde o dia da suposta briga de Byun com Chaeyeon eles nunca mais foram amigos. Claro que uma atitude dela não o deixou contente. Depois de todas as vezes em que Baek deixou claro que estava em um relacionamento mesmo não pedindo a mão de minha amiga, Chae não desistiu de dar em cima dele. Então para acabar com tudo isso, Baek achou melhor terminar a amizade. Agora a garota me encara com ódio e senta perto dos babacas da sala. 

Claro que tentei conversar com ela, mas ao menos me deixou falar. Disse que a culpa disso tudo é minha. Minha culpa por entrar na faculdade. Devo lembrar que é minha culpa por ter apresentado os dois. Minha culpa por ela ser tão insensível com ela mesma. 

- Ele lembrou? Perguntou ele me tirando dos pensamentos. 

- Sim. Mostrei a pulseira para ele. 

- Que bom, pensei que iria entrar em depressão. 

- Não seria tão infantil. 

- Não? Neguei. - E aquela ceninha no vidro do carro mais cedo?

- Você percebeu? Ele assentiu. - Droga, ele também deve ter percebido. 

- Claro que percebeu, só faltou a lágrima cair. 

- Aigoo. Coloquei a mão na testa. - Deveria esconder mais meus sentimentos. 

- Acho que ele te ama pelo jeito que é. Sorrio com a resposta confortante de Byun. - Mesmo sendo essa chata. 

- Disse o que estava brigando hoje cedo para saber se é meu melhor amigo. 

- E sou né? 

- Não começa outra vez Baek... Bufo. 

 

- Te vejo mais tarde? 

- Vou para casa dele hoje Baek... Disse me despedindo dele no portão da faculdade. 

- Droga, sem carona amanhã. Diz ele triste. 

- Tá na hora de comprar um carro... Ou começar a dormir na sua casa. 

- Acho que a primeira opção. Responde e começo a rir. 

- Está na hora de oficializar né? Mostrei minha aliança para que ele entendesse o que quero dizer. 

- Fala isso para Na, que não quer uma aliança de jeito nenhum. Ele faz biquinho, coloco a mão em seu ombro para conforta-lo. 

- Estranho... Mas respeito. 

Me despeço dele e vou para casa pedindo para que não tenha ninguém, pois não quero contar nada para elas, sei que as duas ficarão bravas em descobrir que não contei que Xiumin é meu professor. Mas meu pedido não foi concebido pois quando cheguei as duas estavam almoçando. 

Isso nunca acontece. 

Obrigada natureza. 

- Chegou cedo. Sohyun diz ao me ver. 

- Aula vaga. Dei um sorriso fechado, deixei minha bolsa no quarto e voltei. - Preciso contar algo a vocês. 

- Está grávida? Perguntou Nayoung quase cuspindo no prato. 

- Não, de onde tirou isso? Perguntei nervosa. 

- Está engordando, e nunca mais teve tpm. Ela deu de ombros. 

- Que absurdo, não é coisa que se fala para uma amiga. Baek tinha razão, ele é meu amig...

- Fala logo Soon. Pediu a mesma brava. 

- Vocês precisam prometer que não vão me matar... 

- Está me assustando. Disse Hyun ao se levantar da mesa para sentar ao meu lado no sofá. 

- Aish está bem... Vou dizer rápido... XIUMIN É MEU PROFESSOR E NÃO CONTEI PORQUE NÃO QUERIA QUE VOCÊS FICASSEM PREOCUPADAS. Disse alto e tão rápido que com isso a única coisa que consegui foi um silêncio. 

- Que loucura. Respondeu Sohyun rindo. 

- Baek sabia disso? Não respondi. - Ele não me contou... Nayoung parecia decepcionada. 

- Eu pedi. Tentei ajudar Byun mas acabei piorando. 

- Tem razão, Baek é mais seu amigo do que eu. Young correu para o quarto e trancou a porta. 

- Aish, não fica assim. Falei na frente de sua porta mas ela não me respondeu. - Desculpa. 

Silêncio. 

Voltei para sala. 

- Desculpa Sohyun. Abracei a mesma que retribuiu. De nós três, Hyun é a mais madura e tenta entender o lado de todos. Acho que essa é mais uma razão para ela e Chanyeol se darem bem. 

- Relaxa, é só uma raiva momentânea. Ela supera. Disse se referindo a Na. 

- Tenho que ir trabalhar mas não estou disposta. Me joguei de bruços no sofá e fingi um choro. 

- Quer carona? Perguntou Sohyun. 

- Vai sair? 

- Vou visitar meu irmão, estou saindo daqui a cinco minutos. Não demore. 

Logo que me troquei Hyun me mandou mensagem dizendo que esperava na portaria, desci e agradeci mentalmente pela carona até chegar lá e agradece-la. O dia foi corrido, não tive tempo de conversar com Minseok. 

Recebi um proposta de minha chefe e agora não trabalho como vendedora, ajudo com a recepção do local, além de fazer as contas do mês. Ainda sou nova nisso, comecei nem faz dez dias. E por mais que esse não seja o ramo que quero seguir gosto de trabalhar aqui. 

Mais um dia de trabalho foi ao fim e depois da minha despedida com a chefe eu saí caçando meu celular como todos os dias. 

- Ainda não entendo porque sempre procura seu celular sabendo que estarei aqui. Disse Xiumin parado na frente da loja. 

- Mania. Disse repetindo sua fala mais cedo. - Vamos sair? Perguntei ao perceber que ele usava uma roupa social. 

- Não, mas hoje é um dia especial. 

- Acho que entendi. Franzi a testa. 

- Vamos para casa? Ele estendeu a mão e eu a peguei entrelaçando nossos dedos como sempre. 

- Vamos. 

Continua...
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...