História O segredo dos Malfoys - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Harry Potter
Tags Adultério, Amor, Auto Multilação, Incesto, Morte, Mpreg, Sexo, Traição, Veela, Yaoi
Exibições 132
Palavras 3.308
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Demorei, mas eu postei.
Desculpem a demora pessoal, eu estava sem criatividade, e quando eu tinha eu tinha preguiça de ligar o computador e escrever, dai quando eu reunia a coragem de escrever e a criatividade o meu pai me proibia de mexer no meu pc.

Mas eu finalmente estou aqui com um capitulo fresquinho para vocês.

Capítulo 2 - Os três leões da verdade


            O sol desaparecia lentamente diante do horizonte de areia alaranjadas.

            - Volte imediatamente aqui Zulther! - Grita Draco correndo atrás do garoto que corria em direção ao sol enquanto pensava que estava brincando de pega-pega com o pai.

            Depois de uma pequena corrida o Malfoy consegue pegar o pequeno em seus braços. E logo ele caminha em direção ao acampamento, que era a onde estavam hospedados temporariamente.

            Morgana olhava para as fotos que tinha tirado dos hieróglifos com sua total concentração, a tampa de sua caneta descartável estava toda mordida mostrando o seu nervosismo.

            - Quer saber? Vou mandar todo mundo para o inferno em que Voldemort está. - Falou nervosa.

            - Nossa! Esta tão desesperada assim? - Respondeu uma voz que ela conhecia muito bem. 

            A jovem voltou a morder a caneta em nervosismo e moveu sua cabeça em direção da onde tinha vindo a fala.

            - Draco! - Exclamou surpresa. - Não era para você o colocar para dormir? Já esta anoitecendo. - Pergunta olhando para Zulther em seus braços.

            O mesmo revirou os olhos e caminhou em direção ao pequeno sofá portátil com o seu filho ainda nos braços, e se sentou calmamente no sofá.

            - Enlouqueceu? Para ele acordar a noite e ficar fazendo birra para brincar? Você certamente bateu a cabeça! - Respondeu meio irritado enquanto encostava a cabeça no encosto do sofá.

            Morgana deu um pequeno sorrisinho e se levantou da cadeira e foi em direção ao sofá para logo depois se sentando ao lado do loiro rabugento. Estendeu as mãos em direção ao garotinho pedindo uma permissão muda para pega-lo. Draco apenas o tirou de seu colo e o passou para sua tia. O pequeno abriu um sorriso enorme e começou a gargalhar.

            - O que é isto? - Falou Morgana enquanto o sentava em seu colo.

            - Não sei... Essa reação dele me fez lembrar umas pessoas...

            A Malfoy ajeitou o pequeno em seu colo e virou a cabeça para olhar o jovem que tinha um olhar apaixonado e uma mistura de felicidade junto a nostalgia.

            - Maldito Gryffindor... - Draco a olhou confuso. - Me roubaram de você.

            O jovem soltou uma gargalhada gostosa de se ouvir fazendo os outros dois Malfoys o acompanhar.

            No mundo Bruxo ----MM-------

            - Ninguém se compara a você Mione! - Exclamou Ronald surpreso com algo que ele não sabia o que era.

            Todos na sala estavam surpresos com o que a Granger segurava nas mãos, mesmo sabendo o que não era, pois ela estendia aquele papel como se fosse um quebra cabeça difícil de tentar se resolver, e ela tinha conseguido.

            - Vocês são péssimos atores... - Resmungou Granger.

            George soltou uma pequena risada vendo a confusão da família.

            - Eu sei o que é. - Falou levantando a mão para que todos o olhassem. Se levantou e caminhou lentamente em direção a morena, cada passo que o homem dava em direção ao documento as pessoas dentro da sala trancavam a respiração esperando o pequeno momento da revelação. Ao chegar à frente da mulher ele pegou o documento com a mão esquerda e deu uma pequena lida no papel, abriu um pequeno sorriso quase direto, mas que foi percebido pelos os que estavam presentes na sala que despertou mais curiosidade.

            - Fala logo caramba! - Xingou Harry com curiosidade.

            George olhou para trás e viu todos olhando com expectativa para o ruivo. Hermione revirou os olhou e andou até a janela a onde estava fechada e sentou na madeira que ficava em frente da mesma e escorou as suas costas no vidro da janela para esperar a tal grande 'revelação'. O ruivo se virou na direção do espectadores e tirou os olhos do papel e disse calmamente.

            - Aqui esta o nome de uma residência chamada Malfoy. - Todos olharam espantados para o papel.

            Harry foi o primeiro a levantar.

            - Deixa eu ver! - Disse animado.

            Quando o herói foi pegar o papel George desviou o papel para outra direção e disse.

            - Calma cervo! Tem mais coisas. Agora vai sentar lá. - Disse apontando para o local da onde Harry tinha levantado. Meio contragosto Potter voltou e sentou no sofá de onde tinha saído. - Bom garoto. - Brincou George.

            - Chega de brincadeiras e fala logo. Estamos curiosos aqui. - Exclamou o moreno.

            - Não pode nem brincar mais! - Respondeu enquanto reclamava. - Mas ok! - Revirou os olhos. Olhou novamente o papel e deu uma pequena lida rápida, ergueu novamente a cabeça e deu uma pequena olhada nas pessoas na sala enquanto imaginava a reação que eles iriam ter a saber da noticia que Hermione conseguiu, ele tinha que confessar, a mulher com quem seu irmão se casou era incrível! - Aqui esta escrito o nome do país, do estado, cidade e da onde a casa fica, o nome da proprietária se chama Morgana Malfoy que é arqueóloga, professora e escritora de livros, o antigo proprietário sumiu sem deixar rastros e o nome dele é Lúcio Malfoy. - George olhou as faces das pessoas ali, elas demonstravam medo, angustia e esperança.

            Molly se levantou bruscamente e disse.

            - O que estão fazendo parados ai? Vamos pegam suas coisa, iremos viajar. - O tom de ordem da mulher fez quase todos levantarem de onde estavam sentados e ir pegar as suas coisas para fazerem as malas. - Quando terminarem iremos nos encontrar aqui na sala. Faça a minhas malas também Arthur e as traga, irei conversar com a Mione, e Rony, faça as malas da sua esposa e traga para cá.

            No mundo Trouxa----MM-------

            - Eu te amo! Muito mesmo Zulther! Você é uma das melhores coisas que aconteceu na minha vida! - Falava Morgana. O seu rosto de felicidade foi mudando para desespero e agonia. - Então é melhor você não soltar a minha mão.

            O garotinho gargalhava feliz ao ver o desespero de sua tia/vó, enquanto Draco se desmoronava em lagrimas.

            - O que vocês estão fazendo seus idiotas? - Gritou tentando chamar atenção das pessoas ali presentes. - Me segurem seus desgraçados eu estou escorregando!

            Flashback on

            - Isto não é possível! - Morgana falava brava. - Deveria ter uma entrada escondida em algum lugar aqui, mas não tem nada, já olhamos em tudo!

            Draco olhava sua tia e ria da situação da mesma. Eles estavam dentro da pirâmide tentando achar a passagem que levaria ao sarcófago.

            - Isso nunca aconteceu antes! - Falava o velho com as mãos na cabeça arrancando o pouco de cabelo que ainda tinha.  

            Morgana se escorou na parede e olhou para cima vendo as pedras. Os bruxos egípcios eram os mais inteligentes na época, ela tinha que confessar.

            - Morgana! - Falou Draco sério. O tom de sua voz fez a mesma se virar para ver o que ele queria. - Aquilo é normal? - Apontou para seu filho que ficava pulando em um bloco que mais parecia um botão pelo fato que ele dava uma pequena descida quando o garotinho pulava nele como se estivesse em um pula-pula.

            E então ela entendeu tudo. Aquela pirâmide era uma armadilha para ladrões. E então o desespero começou a tomar conta da mulher, usando todas as forças que ela tinha ela correu até o garoto antes que ele pudesse acionar a armadilha, mas foi tarde demais, o garotinho soltou um pulo maior que os outros e a acionou, o chão em baixo dos pés de Zulther começaram a tremer e desabar fazendo o garoto jogar as mãos para o alto e tentar agarrar em algo, mas sem sucesso, seu rosto começou a ser tomado pelo desespero, porem antes que ele caísse Morgana conseguiu chegar a tempo e agarrar a mão pequeninha do pequeno, metade de seu corpo estava caído para o grande buraco, a sua outra mão tentava inutilmente se segurar, mas a posição e o chão de areia não estava ajudando. Um rugido forte chicoteou as paredes e fez com que as pessoas ali presente parassem e observassem por um momento o que tinha causado aquilo. Lá estava três felinos, sendo um leão, uma leoa e um filhotinho que ficava pulando alegre tentando alcançar a 'pequena' presa, os pais estavam em posição de ataque em direção as duas pessoas que estavam quase caindo. Morgana não tinha tempo para pensar em como os felinos foram parar ai, ela tinha um pequeno ser que dependia de sua força de vontade para viver.

            Flashback off

            O homem que estava atrás da jovem a agarrou pela cintura e a foi puxando. Em um movimento perigoso Morgana soltou a sua que tentava inutilmente se apoiar e agarrou o braço do pequeno em um forte aperto fazendo o garotinho começar a chorar e tentar se soltar, esse pequeno movimento fez com que o moreno que a estava segurando por trás dar uma pequena escorregada em direção ao buraco, mas mesmo assim ele conseguiu a segurar para os três não caírem a onde ficava a 'cova' dos leões.

            No mundo Bruxo----MM-------

            Depois de todos saírem da sala, Molly foi em direção a Granger e sentou ao seu lado e lançou um pequeno e rápido olhar para o seu filho George fazendo um pedido mudo para que ele também se retirasse, e assim aconteceu. Molly voltou o seu olhar para a jovem ao seu lado e fez a seguinte pergunta.

            - Você tem certeza que na casa que nós vamos é de Morgana Malfoy?

            Hermione olhou confusa para a mulher ao seu lado e confirmou com a cabeça lentamente, viu o rosto da sogra ficar surpreso e desconfiado ao mesmo tempo. Depois de um tempo a família já estava reunida na sala esperando os 'comandos' da ruiva.

            No mundo Trouxa----MM-------

            Já tinha se passado três minutos desde que aconteceu toda aquela adrenalina. Draco chorava e apertava o seu 'filhote' em seus braços agradecendo todos os deuses trouxas e bruxos poderosos por estar ali com o seu filho. Morgana estava deitada no chão tentando se acalmar e mexer as suas pernas, pois elas estavam imóveis, ela não conseguia nem mesmo se levantar e se firmar, a mesma sentia que se tentasse fazer isso iria levar um tombo feio. O homem que os tinha puxado estava tentando recuperar o fôlego que tinha se perdido durante aqueles pequenos segundos que mais pareciam séculos.

            Outro rugido fez as pessoas ali presentes despertarem de seu pequeno mundo particular que se era encontrado dentro de suas cabeças. Draco foi o primeiro a se pronunciar.

            - O que os leões fazem aqui? Que eu saiba eles não são dessas terras. - Disse temeroso.

            - Eles não são dessas terras. - O arqueólogo chefe respondeu. Ele se aproximou mais perto da 'cova' dos leões para analisar melhor a sala em que os felinos se encontravam. - E para piorar eles estão presos ali! Sem comida sem água e sem um campo para eles correrem para se exercitarem e manterem a boa forma que estão! - Exclamou.

            E foi naquele momento que Morgana começou a prestar atenção no que estava embaixo deles, naquele exato momento, tirando forças que a mesma não sabia de onde havia arranjado, ela se levantou e caminhou lentamente até o buraco que tinha causado toda aquela confusão. Chegando lá ela viu o que tanto esperou ver durante séculos. 真実の3ライオンベアラ. Tradução: Três leões portadores da verdade.

            No mundo Bruxo----MM-------

            - Arthur temos que conversar. - Disse Molly enquanto pegava o marido pelo braço e o tirava da sala o levando para um quarto um pouco longe para terem uma conversa um tanto quanto particular. Quando entrou no quarto de visitas Molly puxou o marido para dentro e logo fechou a porta, se virou para ficar em sua frente e disse desesperada.

            - Morgana Malfoy! Arthur estamos falando de Morgana Malfoy. - A rosto do ruivo ficou com uma face inexpressiva, e logo se tornou cheia de raiva. Suas mãos foram para os braços da mulher a sua frente e o apertou fortemente, um pequeno gemido de dor escapou dos lábios da ruiva.

            - Lembro de termos concordado em não falar dela. - Os olhos do homem jorravam fúria e mágoas do passado. - Ela esta morta. Eu a vi morrer em meus braços lembra? - As mãos afrouxaram o aperto e finalmente saiu dos braços da mulher. Um pequeno suspiro de alívio foi ouvido pelo quarto, e foi naquele momento que ele notou o que tinha feito. Seu rosto virou uma mistura de preocupação, arrependimento e ao mesmo tempo tristeza e raiva pelo fato da mulher ter tocado naquele assunto proibido. - Me desculpe Molinha!

            O Weasley levou as mãos a face da ruiva e começou a beijar o rosto da mulher enquanto murmurava vários pedidos de desculpas. Com calma ela tirou as mãos do marido de seu rosto e pediu gentilmente para parar e disse com a voz suave enquanto o olhava nos olhos.

            - Eu que deveria estar pedindo desculpas. Eu sei que você não gosta que eu comente sobre isso, e infelizmente eu toquei em um assunto inapropriado. - Disse abaixando a cabeça com vergonha.

            - Você já pode ir descendo? Eu já vou atrás. - Pediu enquanto passava a mão pelo cabelo o bagunçando ainda mais.

            Com uma pequena concordância ela abriu a porta de saiu.

             A memória que o homem tanto queria esquecer voltou mais clara do que nunca.

            Tudo se passava lentamente diante de seus olhos. O corpo caia, e ele não conseguia fazer nada para parar aquilo. O feitiço Avada Kedavra tinha a acertado, e ela nem mesmo moveu um músculo para tentar desviar do ataque de morte, como se estivesse esperando por aquilo e não tivesse medo. Sua mente estava um turbilhão de pensamentos, suas memórias de quando a conheceu surgiu como uma tempestade devastadora, e junto de sentimento de medo pela visão a sua frente.

            Com cuidado para não cair ele apoiou as costas na parede e escorregou por ela, por um momento ele deixou que todas as memórias voltassem, e lagrimas escorreram pelo rosto já cheio de marcas de expressões pela idade.

            No mundo Trouxa----MM-------

            Já estava a noite, a lua cheia estava realmente grande aquela noite, algumas pessoas decidiram dormir fora da barraca para observar a beleza do céu noturno, e isso complicou os planos da Sra.Malfoy para hoje a noite.

            Draco estava fazendo o que sempre fazia em noite de lua cheia, por isso o dever de cuidar de Zulther ficou com ela. Mas a mesma não tinha tempo para isso, amanhã cedo o controle de animais iria chegar, então ela tinha que fazer isso hoje a noite. Depois de checar varias vezes e confirmar que o menino estava dormindo, ela levanta da cama com cuidado e pega o casaco que estava na cabeceira da cama, o veste e vai em direção a lona que servia como 'porta' , com cuidado para não fazer muito barulho ela afasta delicadamente com as duas mãos apenas uma parte da 'porta', a visão que ela teve foi linda, a paisagem da noite do deserto, ela tinha que confessar, a lua estava realmente magnífica, estava grande e redonda, e para melhorar havia varias estrelas brilhando no céu que roubaram toda a sua atenção, mas a mesma não tinha tempo para isso. Com cuidado ela se movia pela areia como uma naja do deserto, silenciosa e perspicaz, a noite estava realmente fria, ela podia sentir isso, afinal mesmo com o casaco ela conseguia sentir o vento frio entrar pelas pequenas fendas do pano e se chocar com a sua pele, a areia nos pés também estava muito congelante. Apenas mais uma pequena caminhada e ela finalmente chegou ao seu destino, a entrada da pirâmide estava ali, só precisa entrar, aquele seria o último passo que ela daria, toda aquela busca estava finalmente completa, ela finalmente iria obter a resposta que ela esperou durante séculos, e então deu o seu último passo para finalmente entrar na pirâmide.

            Estava escuro, não dava para enxergar nada a um palmo de distancia, mas por sorte ela tinha colocado no bolso um pequeno castiçal de apenas uma vela que tinha uma pequena onda formando um formato oval que era onde se passava o dedo para segurar. Depois de o pegar, tateou o outro bolso e pegou a vela junto o isqueiro, a colocou   no castiçal e logo ligou o isqueiro e a acendeu, devolveu o isqueiro ao bolso e começou a andar em direção ao buraco.

            E la estava ela, olhando para baixo vendo os leões dormirem enquanto davam pequenos roncos.

            - Acordem seus bandos de preguiçosos. - Mandou com uma voz autoritária.

            Os leões que estavam ali começaram a acordar letamente, suas boca se abriram como se fosse um bocejo, e seus corpos começaram a se espreguiçar para tentar tirar a preguiça de seus pesados corpos.

            Finalmente o maior leão olhou para cima e encarou aqueles olhos que mais pareciam gelo. Os outros dois terminaram seus exercícios de preguiça e olharam em direção em que o mais velho tanto encarava.

            - Olha só quem eu encontro aqui! - Disse o maior dos leões. - Eu pensei que lhe encontraria, só não imaginei que fosse tão cedo. Em que século estamos? - Perguntou.

            - Estamos no século vinte. - Respondeu friamente.

            Os três leões ali presente arregalaram os olhos ao ouvir a resposta da mulher que ficava ali parada os olhando como se os quisessem matar, como se isso fosse possível.

            - Ual! - Falou o leão mais novo. - Passou muito tempo pai. - Disse para o mais velho.

            - Eu pensava que tinha sido apenas uns dois séculos, ou apenas um! - Falou a leoa pensativa.

            - Isso é realmente divertido sabe? Se reunirmos todos juntos novamente para contar histórias e relembrarmos os velhos tempos. - Disse sarcástica. - Mas eu não tenho tempo para isso. - Completou rude.

            - Então. - Disse o leão mais velho. - O que quer saber? - Falou brincalhão.

            - Não se faça de palhaço. - Falou já brava. - Você sabe muito bem o que eu quero saber.

            - Você realmente quer ouvir a minha resposta? - Perguntou sério.

            - Tenho a mais absoluta certeza de que quero. - Errado. Ela não tinha certeza, mas ela queria acabar com aquele sofrimento de uma vez por todas, para poder finalmente ter paz.

            - Você não tem certeza. - Respondeu o leão. - Mas se você quer tanto ouvir, eu irei falar.

            No mundo Bruxo----MM-------

            - Desculpem a demora. - Disse Arthur entrando na sala atraindo toda a atenção para si.

            - Por que essa demora toda? - Perguntou Rony, e que logo abriu um sorriso sarcástico. - Trocou de lado para demorar tanto?

            Eles o olharam sem entender o que o rapaz tinha dito. Ele ainda estava com aquele sorriso debochado no rosto. Hermione foi a primeira a se pronunciar.

            - Pode explicar? - Perguntou confusa.

            O ruivo apenas murmurou um 'deixa para lá' e revirou os olhos em descontentamento em ver que ninguém tinha entendido a piada. Molly coçou um pouco a garganta para atrair a atenção parra a mesma, fato que deu certo.

            - Iremos viajar para a onde os trouxas vivem. Primeiro de tudo, iremos arranjar um hotel para ficar e depois iremos ver o que o Malfoy anda fazendo para no fim o pegarmos de surpresa no ato.

            E esta foi a idéia que todos concordaram sem discutir, decidiram um local para aparatarem e assim aconteceu.

A verdade nem sempre é boa de se ouvir

Você pode se machucar mais do que já esta

O buraco em seu coração ira abrir

E ira trazer tudo a tona novamente

A pesar da mentira ser ruim

Ela pode ser muito mais confortante

Ela traz

A felicidade momentânea

Mas no fim

A verdade sempre vem

Independente de você querer ou não.

 

Morgana Dal Canton


Notas Finais


E então gostaram do capitulo? Fiz tudo que podia. :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...