História O Segundo Anjo (Crônicas de Antuerpéria) - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Anjos, Demonios, Fadas, Magos, Romance
Exibições 24
Palavras 912
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Bishounen, Fantasia, Ficção, Magia, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Saudações!

Como estou de bom humor, trago para vocês mais um capítulo dessa segunda parte da jornada.

Bom proveito! ​✧・゚: *✧・゚:* \(◕ヮ◕✿)/ *:・゚✧*:・゚✧​

Por favor, leiam as notas finais... viu?

Capítulo 20 - Parte 2 O mago sai em busca do anjo perdido


Fanfic / Fanfiction O Segundo Anjo (Crônicas de Antuerpéria) - Capítulo 20 - Parte 2 O mago sai em busca do anjo perdido

Parte 2  O mago sai em busca do anjo perdido

 

Acordou na manhã do sétimo dia, maldizendo o sol que entrava pela janela do aposento, a voz de um cliente no portão de sua morada atrás de sua poção de amor.

Não sabia porque estava de mau-humor, sentou-se na cama sentindo instantaneamente falta de Shou, seu corpo nu embolado nas roupas de cama.

Cada vez mais irritado, Etzel arrumou o que vestir dentro daquele aposento e gritou da janela para o cliente em seu portão esperar.

Não demorou a vestir-se, atendeu sem paciência alguma o aldeão em seu portão.

Deu uma olhadela cuidadosa no quintal, verificou que se Shou estava nas partes mais altas das árvores, mas somente ouvia o barulho do vento.

Não havia nada, a não ser a presença de sua salamandra de estimação entre os arbustos de hibisco de seu quintal.

Etzel não tinha apenas um mal pressentimento, entrou em casa cada vez mais inquieto e o silêncio apenas quebrado por sua respiração o consumia.

Ia se teletransportar para o interior da fenda na montanha Damion, mas desistiu ao perceber que um de seus livros haviam sumido de uma das prateleiras sem fim de sua parede.

O presságio que o envolvia era a cada instante mais pesado de carregar, mesmo assim olhou em cada cômodo de sua antiga casa, também foi até a caverna na montanha, seu interior úmido e vazio.

Sem qualquer sinal de Shou.

O livro era a chave, Etzel lembrou-se de Shou comentando sobre o feitiço que ele tinha achado, o feitiço que abriria o portal para outro mundo, outra possível dimensão.

Etzel conhecia esse feitiço vagamente, não se interessava grandemente por esse tipo de encanto, além de ser um encantamento em proporções que não estava acostumado executar.

Contudo, sabia.

Shou era ingênuo o suficiente para tentar executá-lo.

 

Não podia perder tempo, não tinha como conseguir naquela altura algum animal hibrido alado para facilitar sua mobilidade. Tinha que seguir mesmo por terra, conseguiu um cavalo montês quase na saída da Aldeia de Hanja e levou consigo a salamandra Yang que poderia quem sabe seguir o rastro de Shou.

Havia tido o cuidado de deixar o território de sua casa protegido com magia.

Apenas levando consigo algumas moedas, caso precisasse pagar algum abrigo para passar a noite, assim como fazer algum a refeição e um alforge com poções, venenos e pergaminhos de feitiços como alguma garantia de proteção.

Estava certo de que Shou não tinha se deslocado por terra, voar sem dúvida fazia com que ganhasse tempo e tinha menos chance de encontrar perigos indo pelo céu.

Todavia, Yang talvez tivesse um faro poderoso o suficiente para sentir a essência de Shou ainda que ele tivesse se deslocado pelo ar.

Se Shou tinha ido para onde Etzel imaginava, tinha três dias de viagem pela frente.

Era a primeira vez, desde que se mudara de Miríades para esta aldeia, que o mago deixava a Aldeia de Hanja.

 

                                                             ********

Sobrevoaram juntos a Floresta de Tânatos, a parte de sua mata densa e fechada.

Sob suas cabeças haviam nuvens escuras que pareciam rosnar entre si, não parecia ser exatamente o melhor dia para voar.

Shou e Dawn voaram cerca de quarenta minutos, o anjo seguiu a fada.

Cegamente.

Quando Dawn ficou imóvel num ponto fixo do céu, apenas agitando suas asas translúcidas o suficiente para se manter no ar, Shou olhou para a paisagem abaixo, o que parecia ser um templo no alto de um monte de difícil acesso por terra.

__Eu não posso ir além, anjo... Mas, o Tabernáculo está logo abaixo de nós.

__Entendi... Diz isso porque Magos e fadas tem essa tola rivalidade?

__Não é somente isso... É uma rivalidade muito antiga, não que não seja de fato tola.

__Dawn... Assim que nos conhecemos... Você disse que era uma fada exilada.

__Prestou atenção, não é?__ Ela sorriu vagamente tendo seu cabelo verde sacudido pelo vento.__ Foi justo porque... Gostei bastante de um mago, não podia ser uma afronta maior para o reino das fadas.

As asas de Shou também o deixavam suspenso no ar e mirou-se ainda mais profundamente em Dawn sem conseguir dizer que sabia muito bem como ela se sentia.

Gostar de Etzel também era uma afronta para o Deus que habitava o plano Etéreo.

__Dawn... Como posso retribuir o favor?__ Shou indagou afim de distrair-se de seus pensamentos mais sombrios.

__Já que perguntou...__ A fada replicou levando uma mecha de seu cabelo atrás das orelhas pontudas.__ Quando encontrar o Mago Sacerdote do Tabernáculo... Diga a ele que Dawn sente falta do som de sua cítara.

__Eu direi.__ Shou acenou serenamente com a cabeça.

A fada deu meia volta a se afastar e Shou sentiu um aperto sinistro no coração, não havia niguém que pudesse dar algum recado seu a Etzel, como evitara a Aldeia de Hanja não encontrara nenhum mago, tão pouco deixara se quer um bilhete para Etzel antes de deixar a casa onde o mago havia lhe dado abrigo.

Não tinha agradecido, não tinha se despedido, nem dito tudo que sentia.

Foi perdendo altitude e devagar desceu de fronte a entrada do Tabernáculo, olhou a íngreme descida apertando o livro antigo contra seu peito, suas asas desparecendo para dentro de seu ser logo que seus pés tocaram o chão.

Seu coração pulsava tão intensamente que perturbava seus sentidos.

Fechou os olhos antes de prosseguir a sentir o interior de sua boca seca.

"Etzel... Perdoa-me... Não queria ter sido tão ingrato com você."

 


Notas Finais


Estou postando uma nova estória Yaoi chamada Deviant Tales.
Depois deem uma olhadinha nela.
Fico na torcida que seja uma leitura aprazível para vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...