História O Sequestro. - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan, Bts, Namjoom, Rapmonster
Exibições 71
Palavras 1.275
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá!!
Como prometido, aqui estamos com a segunda parte da chegada do BTS ao Brasil.
Espero que vcs que gostem, e preparem o coração pq a partir do próximo as coisas vão ser bem diferentes...
E... Muito obrigada de novo pelos favoritos e por estarem aqui acompanhando essa trama *_*
Boa leitura \o

Capítulo 17 - Da Coréia ao Brasil - parte 2


Fanfic / Fanfiction O Sequestro. - Capítulo 17 - Da Coréia ao Brasil - parte 2

A imprensa estava fazendo a cobertura da chegada do grupo ao Brasil e apesar do alvoroço a polícia militar conseguiu manter a ordem e fazer com que as fãs se acalmassem um pouco, pelo menos por um tempo. O cabo Nogueira acompanhava o movimento das pessoas, o ir e vir de todos, até que percebeu três cidadãos suspeitos, um jovem de mais ou menos 24 anos, um moreno na casa de seus 35 e mais um rapaz branco entre 28 e 30 anos, afinal a barba escondia muito do rosto, decidiu observá-los atentamente, porém não conseguindo fazer ligação entre eles, cada um parecia agir de forma absolutamente solitária. De qualquer maneira esses três haviam sido os únicos a chamar sua atenção.

+++++++++++++++++++++++

Téo olhava a hora, parecia que aquele avião nunca pousaria. Nem sabia ao certo porque estava ajudando esses garotos, se bem que o japa que se escondia na casa do Rodrigo era bem legal. Olhou a hora novamente, a função dele era simples, identificar quem mais estaria interessado nos garotos e reportar ao Rodrigo e aos outros, até agora tinha visto muitos policiais, inclusive um a paisana de camisa azul, e dois caras estranhos que estavam há um bom tempo andando de um lado pro outro, provavelmente também esperando aquele avião pousar.

O tempo não ajudava e a cidade estava fazendo jus ao apelido de "terra da garoa", se o tempo continuasse assim o avião não poderia pousar no horário programado, fechou os olhos e fez uma oração, quanto antes aqueles garotos estivessem em terra, mais rápido ele iria pra casa.

+++++++++++++++++++++++++++

Faltavam trinta minutos, os seis garotos não sabiam exatamente o que sentiam, se felizes por sair do avião ou se desesperados porque era bem provável que ficariam presos em algum quarto de hotel, dessa vez ao menos o manager estaria junto. Tae olhava as luzes da cidade pela janela, eram luzes bonitas, da última vez que estiveram no Brasil Rapmonster também tinha achado as luzes da cidade lindas, baixou a cabeça e depois olhou para os amigos, assim que aterrissassem seriam reféns do assistente de novo, mas agora ao menos estariam mais perto do amigo.

As luzes estavam ficando cada vez mais próximas, no alto falante o piloto avisou que logo pousariam, o pequeno instante de liberdade chegava ao fim, o manager segurou na mão de Jimin, o olhou nos olhos e o confortou:

- Fiquem firmes, sairemos dessa juntos.

Jimin assentiu, era muito bom ter o manager de volta, mesmo com o assistente perto deles, agora sentiam-se um pouco mais confiantes, o balanço costumeiro da aterrissagem os lembrou da realidade, era agora precisavam encontrar um meio de se livrar do assistente e achar o líder o mais rápido possível.

++++++++++++++++++++++

- Eles vão aterrissar em dez minutos, você encontrou alguma coisa Carlos?

- Positivo, encontrei um moleque que fica olhando o relógio de vinte em vinte segundos, ele está perto da entrada junto com as fãs agora, mas ele já andou o aeroporto inteiro. E você?

- Um policial a paisana, agora ele está próximo ao portão de desembarque. Fica de olho no moleque que eu vou ficar de olho no gambé.

- OK.

O avião aterrissa, a multidão vai ao delírio, as fãs começam a cantar as músicas do grupo a plenos pulmões, elas se empurravam na esperança de ver algum dos meninos mais de perto, Téo estava no meio delas e se arrependeu, tentou de todas as formas sair do meio daquela confusão de garotas histéricas, algumas até chorando gritando “Yoongi” como se não houvesse amanhã, com muito custo conseguiu ir para trás, aproveitou toda a confusão para ligar para Rodrigo e avisar que os garotos já estavam em solo e que seguiriam direto para o hotel. Após algumas tentativas em vão decidiu por apenas deixar uma mensagem pra ele.

- Rô! É o Téo, liguei pra avisar que eles já chegaram, espero que vocês estejam prontos, estou voltando, não vou ficar perto dessas malucas, uma delas quase me enforcou, encontrei um policial, e dois caras que podem ser quem procuramos, Vou aproveitar que está tudo confuso e vou sair, chego em breve...

Voltou a caminhar sentido a saída, não percebendo que fora ouvido por alguém, parou na calçada e esperou o farol abrir, olhou para os dois lados, assim que deu o primeiro passo, sentiu alguém o seguindo, ficou ansioso, olhou em volta, nada, apenas ele. Voltou a caminhar até o ponto de ônibus, olhava para todos os lados, sabia que tinha alguém o observando, droga não poderia seguir direto, avistou um táxi, deu sinal, entrou no carro e disse o local que queria chegar ao taxista. O carro saiu e ele passou a observar os carros em volta do taxi, nada. Suspirou aliviado, talvez só tivesse sido impressão sua.

++++++++++++++++++++++++++++++

A aterrissagem ocorreu sem nenhum incidente, os garotos passaram pelo corredor de desembarque e ouviram as fãs gritando e cantando, era bom saber que eram tão amados, a pena era que se sentiam incompletos sem Rapmonster, continuaram seguindo passaram pelas fãs e novamente acenaram para elas e fizeram o seu melhor para deixá-las felizes, atravessaram toda extensão do aeroporto e entraram no veículo que os aguardava do lado de fora, em poucos minutos estariam em seus quartos tornando-se reféns daquele homem desprezível de novo, não viam a hora de resolver isso e voltarem a ser uma família feliz de novo.

- Hyung? – Jungkook olha para Suga.

- Diga maknae.

- Vamos encontrar o Rapmon, não vamos?

- Claro que vamos, e vamos ver esse cara apodrecer na cadeia pelo o que fez com a gente. – Suga abraça o amigo, sendo seguido pelos demais que começaram um a abraçar o outro.

- Ninguém vai conseguir nos separar, pode crer nisso Kook- Jin diz e volta a observar o movimento da rua pela janela.

++++++++++++++++++++++++

Anne e Namjoom andavam de um lado para o outro, nenhum dos outros havia dado notícias até agora, a última vez que se viram foi quando Jonathan havia descoberto o hotel onde o BTS ficaria hospedado, Rodrigo tinha aparecido com armas e munição, dizendo que era melhora prevenir do que remediar. Téo não apareceu, ele ainda estava no aeroporto tentando encontrar alguma pista que os ajudassem.

Eles continuaram esperando, eles não poderiam sair dali ninguém podia ver que eles estavam ali, seria o fim se descobrissem.

A porta se abre e os dois ficam estáticos observando, era Rodrigo, ele entra apressado e joga uma mochila no sofá, ele diz que os garotos da área estavam de olho em tudo e que deixou Jonathan em um hotel pequeno próximo de onde o grupo de Namjoom estaria hospedado, aquela noite eles iriam todos pra lá. Ele pega o celular para tentar ligar para o Téo, ao olhar o visor do celular aparece uma mensagem de voz do amigo, ele ouve e sorri ao que parecia Téo tinha visto os sequestradores e já estava a caminho, assim eles poderiam seguir juntos para o hotel onde Jonathan já os esperava.

Começaram a arrumar as coisas para saírem quando gritos e tiros deixaram todos em pânico, Rodrigo mandou Anne e Namjoom se abaixarem enquanto ele tentava verificar o que era aquilo, olhou pela janela e um novo tirou ecoou.

- Puta merda, o que é agora??-  Rodrigo diz se arrastando até a porta e chamando o casal para perto, ele não poderia perder os dois de vista.

Levantou-se devagar e espiou a janela de novo, não via nada, mas ouviu gritos de novo, parecia uma briga. Ele pede para os dois ficarem ali abaixados e sai para verificar de perto essa bagunça.


Notas Finais


Eita... Acho que deu merda agora :(
To quase matando todo mundo de curiosidade né? Essa espera vai acabar, no próximo capítulo algo muito ruim vai acontecer, se preparem hein ;)
Bju bju
Até o próximo!!

*Vou me esforçar para postar ainda hj, mais provavelmente a noite tá, durante o dia eu trabalho "/ mas vou fazer o possível


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...