História O Sequestro (Vingança) - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Luan Santana
Visualizações 88
Palavras 1.182
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Heeyyyyy...
Esse capítulo está marromeno, mas foi postado com muito carinho para vocês.
Me desculpe a demora para a postagem do capítulo. Quero agradecer a vocês pelos comentários e favoritos...
Booa Leituraa...

Capítulo 29 - Cuidado com a cobra.


Point Of Views Luan Santana

 

Bruna estava com a cabeça escorada em meu ombro enquanto Isac estava sentando ao seu lado afagando seus cabelos, nós três estávamos sentados em um banco do jardim e minha mãe estava lá dentro junto com meu pai conversando com alguns homens, daqui a pouco isso daqui ia lotar de polícia. Depois eu tinha que me lembrar de perguntar para ela o que estava acontecendo entre os dois. Ao ligar para Alicia eu sentir meu peito arder, ela tão rápido quanto me atendeu desligou e agora, quase meia hora depois um carro preto parou no jardim da minha casa e quando eu digo no jardim é em cima da grama matando as plantas da minha mãe, de dentro do carro saiu uma Alicia desesperada e Luis, ao observar os detalhes nela, pude perceber seus cabelos desgranhados e sua blusa suja de sangue seco, meu estômago embrulhou só de imaginar o que ela estava fazendo.

Seus passos eram precisos e com o rabo de olho ela me olhou e logo os desviou para Bruna e então para Isac que levantou de onde estava e caminhou até a irmã, a ruiva voltou a andar e só parou quando um dos homens de preto que nos ajudaram a parou. Eles trocaram poucas palavras e pela leitura labial eu pude ler poucas coisas como: “Vejo que seu chefe tem comprometimento”, pensei que esses homens trabalhavam para ela.

Logo depois a casa começou a se esvaziar e então eu pude adentrar com minha irmã ainda meio mole, tinha corpos de homens para tudo quanto é lugar, a sala estava uma bagunça e pelo olhar de minha mãe eu pude ver que a situação tinha se agravado.

- Esses homens não trabalham para você? – Perguntei olhando a ruiva que conversava com um outro homem.

- Não, esses são os reforços que eu fui pedir nos Estados Unidos – Ela disse e olhou para Bruna – O que fizeram com você loirinha?

- Eles tentaram abusar dela e quando viram que não iam conseguir fazer esse trabalho sujo aqui tentaram levá-la. – Assentiu olhando para Isac.

- Ele é um filho da puta. Isac leva a Bruna lá para cima e a ajude com as malas – Ele assentiu e ajudou a minha irmã, que se encontrava em estado de choque, a subir as escadas.  – Quero um tratamento especial para o homem que tentara abusar da loura, isso se ele ainda estiver vivo  – O homem de preto assentiu saindo da sala.

- Como assim malas? – Perguntei quando raciocinei suas últimas palavras trocadas com o irmão.

- Vocês estão oficialmente indo morar comigo – Olhei para mamusca que assentiu agarrada ao meu pai – E você está oficialmente dando um tempo para a sua carreira.

- COMO É QUE É? – Gritei agora realmente puto, não, é lógico que não, eu nunca abandonaria os meus fãs, a minha carreira por causa dessa ameaça idiota, não tão idiota assim.

- É isso mesmo que você ouviu – Ela se aproximou de mim lentamente – Ou você acha que essa porra não vai acontecer novamente? – Perguntou abrindo os braços indicando o estrago que a sala ficou – Sabe o que teria acontecido se aqueles homens não tivessem chegado? Vocês, vocês todos estariam mortinhos nesse exato momento e sua irmã estaria sofrendo os vários tipos de abuso sexual que você pode sonhar, e daqui meia hora estaria sendo vendida como puta para uma boate qualquer em algum lugar dos Estados Unidos – Ela disse apontando seu dedo indicador na minha cara – Agora se você quiser pagar pra ver continua morando aqui e coloca a sua família nesse risco, mas fique sabendo que a minha filha não coloca os pés nesse lugar e nenhum homem meu vai ficar aqui fazendo a sua proteção – Ela disse me deixando realmente sem escolha.

- Você é uma vadia manipuladora  – Rosnei realmente puto, colocar Mel nessa história era jogo baixo, mas o pior de tudo é que essa ruiva endemoniada disfarçada de anjo estava certa.

- Vejo vocês em casa – Ela abriu um sorriso tão filho da puta, mas tão filho da puta que me deu uma vontade imensa de agarrá-la e foi isso que eu fiz, claro que nos meus pesamentos.

- Eu não posso largar a minha carreira – Ela bufou parecendo irritada.

- Luan, por favor, eu já tive que aguentar a porcaria de um homem gritando na minha cabeça para não ser morto e quando eu ia finalmente relaxar – Ela abriu um sorriso malicioso olhando para Luis do outro lado da sala, meu estômago embrulhou só de imaginar aquele cara relando os dedos nela – Essa merda aconteceu – Seu sorriso morreu quando se virou para mim – Agora se você quer sair vivo dessa, quer que seus fãs não saiam machucados por causa de um tiroteio que teve no meio de um show, ou de uma bomba que colocou matando até mesmo crianças, porque pode apostar Jonathan é capaz de tudo e uma de suas especialidades é foder com o emocional da pessoa – Ela disse entre dentes me encarando.

- Tudo bem – Sussurrei vencido, eu nunca faria nada para machucar ou prejudicar meus fãs, eu os amos demais para isso.

Alguns segundos depois vários outros homens de pretos começaram a entrar em casa, e eu novamente achei que estávamos sendo invadidos, mas eu voltei a respirar quando Alicia apontou com a cabeça para cima e eles subiram as escadas com minha mãe e meu pai logo atrás, quando fui abrir a minha boca para falar algo uma voz conhecida por mim soou pela sala.

- Mas o que houve aqui? – Era Michele que chegara, sua mãos estavam cheias por duas sacolas, Alicia a olhou de cima a baixo e desviou para Luis, eu não pude perceber o que o homem fizera, ignorando tudo isso fui até Michele e a abracei com força.

- Onde diabos você estava? – Perguntei a abraçando, como eu pude esquecer dela?

- No shopping – Ela respondeu me apertando novamente – Amor o que aconteceu aqui?

- Você não sabe querida? – Dessa vez foi Alicia.

- Não. Eu cheguei agora não está vendo? – Michele respondeu um tanto quando grossa me fazendo franzir o cenho, a loura nunca tinha falado desse jeito antes.

- Oh, não. Eu pensei que você soubesse – Alicia respondeu colocando as mãos na boca coo se estivesse surpresa e novamente olhou para Luis, só que dessa vez eu virei meu rosto para encará-lo, os dois trocavam olhares desconfiados, e eu realmente não estava entendendo nada.

- O que vocês dois têm? – Perguntei passando os braços pela cintura da minha mulher, Alicia acompanhou os movimentos dos meus braços, mas logo voltou os olhos de íris carameladas para os meus olhos.

- Acho que não te interessa – Ela disse arrogante chamando Luis e começando a caminhar para a porta– Ah, Luan! – Ela me chamou se virando para mim – Toma muito cuidado com quem você coloca dentro da sua casa, você pode estar convivendo com uma cobra e não sabe, abre seu olho – Ela sorriu amigável para Michele que me olhou sem entender nada.

Será que esse aviso foi para Michele?


Notas Finais


E entãão??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...