História O Seu Jeito de Andar - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Marco Reus, Mario Götze, Pierre-Emerick Aubameyang, Robert Lewandowski
Personagens Marco Reus, Personagens Originais
Tags Aiyana Lewis, Esporte, Futebol!, Marcos Reus, Romance
Visualizações 42
Palavras 1.180
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá! Boa madrugada! Espero que gostem e NOS VEMOS NOS COMENTÁRIOS NÃO SE ESQUEÇAM POR FAVOR, POIS SÓ ASSIM SABEREI SE DEVO CONTINUAR OU NÃO. BEIJOS!

Capítulo 7 - Apenas o seu melhor amigo alemão


Fanfic / Fanfiction O Seu Jeito de Andar - Capítulo 7 - Apenas o seu melhor amigo alemão

 O universo está assim porque ninguém se ajuda. – Desconhecido.

A bomba aconteceu. As férias já não serão como planejado e Aiyana precisará de todo o apoio e amor de todos. Espero que fique tudo bem.

Marco Pov.

Acordei e Aiyana ainda dormia, ela me parecia exausta. Não consegui dormir direito por conta do ocorrido da noite passada e toda hora durante a madrugada eu acordava pra ver se estava tudo bem com ela. Desci e a família Lewandowski já estava de pé. Anna estava com os olhos inchados e Robert com Klara no colo enquanto a pequena tomava seu café.

Aproximo-me deles e Anna larga seu café na mesma hora e me olha esperando por algo a ser dito.

- Ela está dormindo. Acho que o remédio ainda está no efeito... – A respondo sem saber o que mais dizer.

- Vou preparar o café dela e você leva ok? – Sugeriu ela e eu assenti logo a vendo pegar uma bandeja e começar a montar a mesma com comida.

- Eu quero matar aquele cara. – Disse Robert tentando controlar a raiva.

- Somos dois. Ele não tinha esse direito nem com ela, nem com mulher alguma. – Falei já com os olhos marejados e Klara pulou em meus braços me abraçando.

- Não chora tio Reus, não gosto de te ver assim. – Disse ela na maior inocência e eu lhe dei um beijo na testa.

Depois de alguns minutos Anna me entrega a bandeja e volto para o quarto não encontrando Aiyana na cama, nem preciso dizer que meu coração acelerou né? Só me acalmei quando a vi saindo do banheiro.

- Marco? Oi, o que está fazendo aqui? – Perguntava ela confusa.

- Oi, bom dia... Eu acho. Anna preparou para você, está com uma cara ótima. – Digo por fim tentando alegrar mais o clima que ali estava.

- Eu estou sem fome, todavia obrigada mesmo assim. - Agradeceu-me ela sem jeito e eu coloco a bandeja na cabeceira ao meu lado e vou em sua direção lhe dando um abraço que nem ao menos foi autorizado.

- Não foi um pesadelo não é? – Perguntou ela retribuindo o abraço chorando contra meu peito.

- Infelizmente não americana. – A respondo lamentando não ter sido apenas um pesadelo.

- Eu juro que não queria Marco. Quando eu vi que era ele eu achava que ele tinha vindo atrás da Alexis, pois ele tinha uma obsessão absurda com ela, só que depois quando ele me falou aquelas coisas eu sabia o que estava por vim e não consegui fazer nada para impedir. Eu fui tão estúpida e burra que ao menos consegui impedir ele de fazer aquilo. Eu deveria ter gritado não é? Claro, é óbvio que eu deveria ter gritado! Aí meu Deus a culpa foi minha também Marco. Desculpe-me. – Dizia ela desesperada já afastada um pouco de mim e eu custava a acreditar no que tinha acabado de ouvir.

- Olha para mim americana. – Digo sério pegando em seu rosto delicadamente e a fazendo me olhar. – Em hipótese alguma foi culpa sua. Não foi sua culpa querer ir ao banheiro e encontrar aquele nojento. Não foi sua culpa ele fazer o que fez. Não foi sua culpa e não precisa pedir desculpas por algo que não queria, que não teve o seu consentimento. Você não é uma estúpida e burra. Você é a pessoa mais fantástica que eu já poderia ter conhecido. Você definitivamente é a minha maior inspiração depois da minha mãe e meu pai. Como diz o Nicholas Sparks, quando se gosta de algo ou de alguém, a gente cuida, protege, quer estar perto, fazer parte da vida. Eu sei que superar isso vai ser difícil. Você não saberá para onde ir ou muito menos se deverá ficar ou ir. Não saberás se deverá encarar o mundo mesmo não tendo a certeza de nada, ou se deverá ficar deitada o resto do dia se lamentando. Você é a Aiyana Lewis, a americana mais alegre, incentivadora, palhaça, carinhosa, amiga e incrível que já conheci. Eu sei como deve ser difícil pra você essa situação toda, porém eu não vou deixar você cair no mundo obscuro. – Digo convicto ainda olhando em seus olhos e pelo primeira fez desde o ocorrido de horas atrás ela sorriu e aquilo aqueceu meu coração de uma forma que eu não sei descrever. – O que foi? Por que me olhas assim? – Pergunto quando reparo na encarada dela. Ainda estávamos cara a cara um com o outro.

- Não sei. Você fica muito fofo sério. – Responde-me ela agora mais na dela. – Você também é a melhor pessoa que eu poderia ter conhecido esse ano. Fico feliz por ser tudo isso pra ti. Lhe agradeço também por ser o meu melhor amigo alemão. – Dizia ela limpando as lágrimas que voltavam a cair sobre seu rosto. – Por gostar de mim, por cuidar, proteger, querer estar perto e fazer parte da minha vida. – Concluiu ela tendo a sua vez de me encarar nos olhos.

Ah se ela soubesse o quanto eu estou completamente fascinado por eles. Eu estou aqui diante de vocês confessando que definitivamente estou começando a sentir algo maior que a amizade pela Aiyana. Se eu vou ter coragem de dizer isso para ela de forma mais óbvia? Bom, eu sinceramente não sei. Não quero criar expectativa para mim e muito menos pra ela.

Aiyana merece alguém melhor entendem? Imagina se eu deixo claro os meus sentimentos e ela não aceita? Consequentemente acabarei perdendo a sua amizade e entre ficar com a amizade ou perder a mesma e a oportunidade de ter ela como a minha garota, eu prefiro continuar com a amizade. Em hipótese alguma eu ficarei longe dela. Pode parecer loucura pra vocês, entretanto, sabem quando você parece que já conhece aquela pessoa a anos? O bem que ela lhe faz sem ao menos perceber? A energia incrível que ela tem? A bondade? O modo como ela vê a vida é realmente inspirador!

E eu? Sou apenas um jogador que mesmo não sendo o galinha que muitos pensam carregarei esse fardo para sempre. Todos os jogadores têm essa fama. Um jogador que sofre mais lesão que tudo, que terminou um relacionamento não tem nem um ano... Que futuro eu daria pra ela? Aiyana merece alguém melhor, que realmente a dê tudo o que merece. Bom, e eu continuarei sendo o Marco Reus, o seu melhor amigo alemão.

- Marco? - Chamou-me ela me tirando dos pensamentos. – Estava pensando em que? – Perguntou ela curiosa.

- Nada demais. Eu vou tomar banho e por favor coma e desça antes que Anna invada seu quarto. – Falo disfarçar e ela ri.

- Marco. - Chama-me e eu paro me virando. Antes mesmo de eu falar algo ela me abraça e eu apenas a aperto em meus braços sentindo o seu cheiro. – Obrigada. – Agradeceu-me num sussurro em meu ouvido esquerdo e foi impossível não se arrepiar.

- Não precisa agradecer americana. Até mais. – Lhe dou um beijo na testa e saiu meio que depressa.

 Realmente eu estava ferrado. O que eu faço gente?


Notas Finais


O que acharam? Continuo ou não?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...