História O Seu Segredo - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hakuoki Shinsengumi Kitan, Hakuouki
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Hakuouki, Hentai, Luta, Romance
Exibições 38
Palavras 920
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Harem, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 19 - Doente ?



No dia seguinte, Harada acordou primeiro e percebeu que a menina ainda dormia e a abraçou com cuidado para não acorda-la, muito feliz pelo privilégio, o mesmo que queria todos os dias. Ele acreditando que ela ainda se encontrava adormecida aproxima seus lábios do ouvido feminino e sussurra:
 

-Eu a amo...

-Eu também o amo. -Responde ela sonolenta.

-Então você está acordada, fui enganado.

-Bobo. -Brinca a menina se virando, depositando seus lábios nos lábios de Harada.

-Vamos tomar café da manhã com os outros?

-Sim, vamos Harada.


Ele deixa o quarto com cuidado para não ser visto por outros e ela se arruma para se juntar aos outros. Quando já estava pronta, deixa o quarto e encontra o ruivo a esperando.
 

-Você é rápido.

-Queria acompanha-la.

Vão a caminho do local que tinham costume de se reunirem para as refeições. Com todos reunidos começam a saborear o café da manhã preparado pelas habilidosas mãos Chizuru. Como todos os dias era sempre divertido se reunir com os outros, pois mesmo sendo homens mais velhos eram brincalhões.

 

-Chizuru, quero mais chá. -Pede Shinpachi.

-Certo, vou pegar. -Responde a menina se levantando.

-Vou ajuda-la, pois também quero pegar mais bolinho. 


Lisana se levanta rapidamente e é atingida por uma tontura e deixa a bandeja que carregava cair. Harada se levanta preocupado e a segura a fazendo se sentar novamente.
 

-Lisana... Você está bem? -Pegunta o ruivo preocupado.

-Sim, não foi nada, apenas uma tontura, já estou bem.

-Você está febril. -Percebe o homem ao depositar suas mãos na testa da jovem. 

-Eu estou bem. -Insiste a morena se levantando.

-Não, você vai repousar. -Responde Harada também se erguendo e a pegando em seus braços.

-Me solte, foi apenas uma tontura.

-Que pode significar muitas coisas. -Responde o capitão interferindo.

-Parece que você não foi muito cuidadoso com ela essa noite. -Provoca Okita. -Como você é bruto.

-Não é hora de brincadeiras, Okita. -Reprende Hijikata o deixando irritado.


A morena cede e encosta sua cabeça no peito do ruivo que a leva para o quarto sem esforço algum. Ele a deitou com cuidado e percebeu sua palidez.
 

-O que você está sentindo? 

-Apenas um mal-estar, não se preocupe.

-Vou buscar um pouco de água.

-Certo, obrigada.

Ele deixa o quarto um tanto preocupado e no caminho encontra Kondou e Hijikata que perguntam sobre Lisana, e ele explica o que havia percebido, estavam tentando chegar a uma conclusão.
Kondou atencioso como sempre aproveitou que Harada estava levando água para ela e o acompanhou.
 

-Lisana... Você melhorou? 

-Kondou... Sim, vocês não precisam ficar preocupados, estou ótima pronta para a patrulha da noite.

-Você acabou de passar mal e ainda sim quer fazer a patrulha, você é muito imprudente. -Responde o ruivo um tanto irritado.

-Já disse que foi apenas um mal-estar e eu já estou bem. -Ela reforça se tornando autoritária.

-Não deixarei e já está decidido, use esse dia para descansar. -Sem esperar a resposta ele se retirou.

-Ele tem razão, aproveite e descanse. -Reforça o mais velho se retirando logo em seguida.

-Idiota, acha mesmo que eu sou fraca... Se fosse ele no meu lugar, mesmo se arrastando tenho certeza que ele iria. 

Lisana estava irritada e decidiu não obedece-los. Ficou de repouso durante a tarde e recebeu a visita de seus amigos que estavam preocupados. 
Quando anoiteceu, ela se levantou, ajeitou suas roupas e deixou o quarto sem ser vista, provavelmente Harada já havia saído em patrulha e deixar o quartel não foi difícil.
 

-Patrulhar sozinha é chato. -Reclama ela enquanto caminhava pelas ruas desertas.

***

Harada retorna junto aos membros de sua divisão e preocupado com a saúde de Lisana a primeira coisa que faz ao chegar e ir até seu quarto onde não encontra ninguém e sai a procura-la pelo esquadrão.
 

-Que barulheira é essa, Harada. -Pergunta Hijikata saindo de seu quarto.

-Lisana não está no quarto e também não está aqui.

-Obviamente ela saiu para patrulhar. -Responde Okita com seu jeito despreocupado.

-Droga, que teimosia, ela estava muito pálida. Vou sair novamente.

-Vá com ele, Okita. -Ordena Kondou.

-Fazer o que. -Reclama o moreno seguindo o amigo.

 

***

 

As ruas estavam calmas, e isso era bom para Lisana que se encontrava patrulhando sozinha por teimosia. Depois de caminhar mais um pouco, aquela sensação horrível que havia sentido mais cedo retorna aos poucos e a faz parar e apoiar-se em uma parede.
 

-Droga... Será que estou desenvolvendo alguma doença ou algo do gênero? Irei esperar um pouco, quanto melhorar retorno.

Ela se abaixou em um canto para esperar aquela sensação passar, mas não poderia ficar parada muito tempo, pois seria perigoso.
Depois de alguns minutos ela se ergueu ainda se sentindo mal, mas precisava ir. Em passos lentos ela caminhava sentindo uma fraqueza, suas forças não estavam normais.

 

-Droga, aquele idiota tinha razão... -Reclama Lisana sentindo uma gota de suar escorrer por sua testa, estranhamente ela soava frio. -Droga, minha vista está ficando turva.


Ela estava tão desatenta que nem mesmo percebeu que outras pessoas se aproximavam e apenas se deu conta que não estava sozinha quando sentiu algo a segurar por trás e sua primeira reação foi gritar.
 

-Calma Lisana, sou eu, Harada.

-Harada. -Aquele nome a trás um alívio e de imediato ela se vira e o abraça.

-Você está com febre.

-Eu não me sinto nada bem, me leve para casa.

Ele percebeu que a menina se encontrava pior que mais cedo e nada disse, apenas a pegou em seus braços. Okita observava tudo sem nada dizer.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...